Cinco internautas são indiciados por divulgarem imagens de mulher morta

A Delegacia de Polícia Civil de Monte Alegre concluiu ontem o primeiro inquérito pelo crime de vilipêndio de cadáver do Rio Grande do Norte. A investigação resultou no indiciamento de cinco pessoas responsáveis por compartilhar e replicar, no Facebook e aplicativo do WhatsApp, fotos e vídeos de Michelle Maria da Cunha Custódio de Barros, vítima de acidente de trânsito fatal, ocorrido em 15 de maio passado.

Segundo informações repassadas pela Polícia Civil, foram indiciados: Natália da Silva Galvão, José Eduardo de Oliveira, Cícero Batista da Silva, Janilson Gomes da Silva e Saulo Costa Barbosa de Santana. O vilipêndio de cadáver é considerado crime contra o respeito aos mortos, previsto no artigo 212 do Código Penal Brasileiro.

INQUÉRITO
O viúvo de Michele Maria, Valderi de Barros, em depoimento à polícia, declarou que se recordava de pessoas fotografando e filmando o local do acidente e o cadáver de sua esposa; e que os policiais presentes buscaram instruir a essas pessoas que parassem os registros, uma vez que seria uma prática criminosa.

O delegado responsável pelo caso, Marcel George Gouvêa, relembrou o recente caso envolvendo o músico Cristiano Araújo, que morreu em acidente automobilístico ocorrido em 24 de junho, e que teve imagens e vídeos do cadáver no necrotério divulgadas na internet. Sendo os autores dos registros indiciados pelo mesmo crime.

Caso venham a ser condenados pelo crime os indiciados deverão passar de um a três anos na cadeia.