Universo

PÍLULAS PARA O SILÊNCIO (PARTE CXCVIII) – Clauder Arcanjo

Lourival era amigo da natureza. Orgulhava-se de ter domesticado vários animais: cobras, jacarés, lobos-guarás. Mas nunca — suprema ironia — conseguira amansar a fúria da Constantina. — Onça que não aceita o comando de nenhum homem…

REMINISCÊNCIAS – DOUTOR SARAIVA SOBRINHO, EX- JUIZ DE MOSSORÓ

Cada vez mais me torno consciente que Mossoró, desde os primórdios do tempo, foi cidade escola de vida até como sobrevivência, com isto lembro a Seca de 1817. Em todos os segmentos da sociedade profissional, política, social e econômica…

“Ainda somos os mesmos”

Não faço ideia de onde o poeta Cid Augusto resgatou esta relíquia, mas me fez chorar imediatamente. Bateu uma saudade danada do que já fui, não com lamento, mas só por saudade mesmo, a “parede da memória” cobrando o preço. Na foto, que…

Bebericanto – Amós Soares

Surgido da necessidade de suprir a orfandade do bar, Bebericanto é, em princípio e em nosso entendimento – teorias do léxico à parte – a fusão ou aglutinação das palavras “beber” e “canto”, formando essa junção maravilhosa. Canto, nesta…

POESIA – Fátima Feitosa

FÁTIMA FEITOSA é filha de agricultores, casada com Fernandes Oliveira, mãe de Louise Fernandes e Fernandes Filho. Pedagoga aposentada, escritora e psicanalista. Vice presidente da Comissão Mossoroense de Folclore (COMFOLC) e presidente da…

Alegorias das Festas Natalinas – Geraldo Maia

Mais um natal se aproxima e o mundo cristão se prepara para celebrar o nascimento do Filho de Deus em 25 de dezembro. É uma festa cercada de muita simbologia, a partir da sua origem, pois não se sabe ao certo o dia em que Jesus nasceu. O…

PÍLULAS PARA O SILÊNCIO (PARTE CXCVII) – Clauder Arcanjo

Colóquio com o Cansaço Para Peter Handke O cansaço surgiu, como se invadisse o corpo dos dois uma febre. Ou um arrepio de repulsa. De fora para dentro. Em seguida, o silêncio se pôs entre o casal. Frio, fatal aversão.…