Geraldo Maia

A Botija de Jararaca – Geraldo Maia

Geraldo Maia - [email protected] Como antigamente não havia bancos nas cidades do interior, as pessoas colocavam suas economias (moedas de prata e ouro), dentro de uma panela de barro devidamente fechada e que era enterrada num dos quartos…

Um andarilho luta por Mossoró – Geraldo Maia

Em 11 de março de 1927 chega a Mossoró o andarilho gaúcho Álvaro da Costa Lopes, procedendo da Bahia, num 'raid' pedestre com destino a América do Norte. Encontra, porém, a cidade agitada. Boatos davam conta de que a cidade seria atacada…

O Palacete de Antônio Florêncio – Geraldo Maia

O prédio onde funciona atualmente a Secretaria Municipal de Finanças, na esquina da Av. Alberto Maranhão com a Av. Augusto Severo, no centro de Mossoró, foi construído em 1930 para servir de residência ao seu proprietário, o industrial…

O primeiro automóvel de Mossoró, o carro dos Fernandes

E, de repente, chega o automóvel e transforma a cidade. O monstro irrompeu bufando, “soltando fumaça pelas ventas feito a besta-fera”. Era a modernidade que chegava ao interior do Estado. E veio para ficar! Antes, existia apenas os…

“A Influenza Espanhola” – Geraldo Maia

Em 1919 a população de Mossoró andava na casa dos 16.500 habitantes. A cidade possuía 30 ruas, 12 praças, 5 travessas e 1 avenida. Existiam 1872 casas, sendo 840 de tijolo e telha e 1.032 de taipa.  A receita era de 92:373$437 e a despesa…

Luiz Ferreira da Cunha Mota – Geraldo Maia

Em 16 de abril de 1898, num dia de sábado, nascia em Mossoró Luís Ferreira da Cunha Mota, sendo filho do Cel. Vicente Ferreira da Mota e de D. Filomena Ferreira da Mota. Seus primeiros estudos foram feitos no Colégio Diocesano Santa Luzia e…