Clauder Arcanjo

Clauder Arcanjo – Carta a um leitor (in)existente

Clauder Arcanjo - Carta a um leitor (in)existente  Escrever como quem desaparece, súbita e completamente; deixando tão só um rastro de jogos, de elipses e de subentendidos (ou seria, de mal-entendidos?) ao final da leitura, no beiral lírico…

Clauder Arcanjo – Apuro

Clauder Arcanjo - Apuro Beijava-a com sofreguidão e persistência. Manhã, tarde e noite. — Deixe de tanto apuro, homem! — alertava-o a mãe, zelosa, ao presenciar tanto salamaleque. Ele nem ligava. Quando perto dela, ele sentia um aperto…

Clauder Arcanjo – Um caso suspeito

Clauder Arcanjo - Um caso suspeito Caminhava ao final da tarde, recomendações médicas para controle da taxa de colesterol, quando dou com a figura sisuda do Companheiro Acácio. Levantei o braço, como forma de saudá-lo à distância, mas ele…

Clauder Arcanjo – Despeito

Clauder Arcanjo - Despeito Éramos jovens, e estávamos intoxicados pela literatura. O mundo literário nos animava e nos consumia, com uma volúpia e uma força incomuns. Passávamos horas e horas, sem nos darmos conta disso, lendo e relendo os…

Clauder Arcanjo – Contradigo-me

Clauder Arcanjo - Contradigo-me Certa manhã, não há muito tempo, acordei com uma sentença por entre os lábios: “Se disserem que eu menti, levanto o pano da contradição e solto a ave canora da dúvida. Se afirmarem que eu fui verdadeiro,…

Clauder Arcanjo – Paráfrase incauta

Certa tarde, navegando à toa pela internet, encontro uma página com uma série de “máximas” atribuídas a Carlos Drummond de Andrade. Tocado pela candura do crepúsculo que, lá fora, banhava o céu, li e reli-as, na tentativa de decorá-las.…

Clauder Arcanjo – Estrada da vida

Clauder Arcanjo - Estrada da vida Sob a coloração cambiante das horas, um pouco de ouro mais pela manhã, um pouco mais de púrpura ao crepúsculo — a paisagem é a mesma de cada lado beirando a estrada da vida. (Raul Pompeia, em O…

Clauder Arcanjo – Catrevagem

— Nada, quero nada, não. — Tome pelo menos um copo d’água; e se sente, homem. Esfrie o corpo e desembuche essa sua mágoa, amigo. Lá fora o sol estava a toda; um calor que não convidava para a mínima conversa. — Não, quero desaparecer.…

Clauder Arcanjo – Filosofando na chuva

Clauder Arcanjo - [email protected] Domingo de janeiro. Precisamente, 24. O dia amanhecera sob a bênção da chuva. O sol nem dera as caras neste sertão de meu deus. Tomado pela preguiça e pela falta do que fazer em dia assim, eu…

Clauder Arcanjo – GOLPE NA ROTINA

Ele acordou e sentiu algo esquisito. Um enfado de tudo. Da vida, da natureza, dos lençóis (apesar de sempre cheirosos), dos compromissos insossos da manhã. Dormir? Não, não mais queria. Levantar? Não, também isso não queria. O telefone…