Berilo de Castro: Um encontro, uma amizade

 

No de 1970, quando fazia minha residência médica no Hospital Professor Edgar Santos/Universidade Federal da Bahia (UFBA), conheci o Professor Sócrates Guanaes Gomes, Pneumologista.

No período da Residência, fazíamos um rodízio nas principais disciplinas básicas da Clinica Médica, quando fui conhecê-lo na Pneumologia, cadeira por ele chefiada. Tinha chegado recentemente da Inglaterra, onde fora cursar sua pós-graduação na especialidade.

Do contato na disciplina, construimos uma boa, sólida e saudável amizade.

Pessoa de uma simplicidade a toda prova; tratável, um amigo de verdade e um excelente Professor. De média estatura, fala mansa,  bigode estilizado, usando sempre uma boa e confortável alpercata de couro. Praticante crônico do uso do cigarro.

Certa vez, em uma de nossas conversas habituais, comentei que gostaria de ir a São Paulo participar do Congresso Brasileiro de Nefrologia; era mês de agosto, período muito frio na cidade da garoa.

De logo, me ofereceu roupa especial para enfrentar o inimigo frio paulistano, que tanto maltrata o nordestino de habitat  tropical.

Foi mais além, procurou me ajudar na aquisição das passagens de ônibus. Me levou até o Reitor da Universidade e fez pessoalmente o pedido de minhas passagens. Infelizmente, o pedido não foi acatado (talvez por não ter me identificado como baiano e, sim, como potiguar).

Assim que soube, disse: não se preocupe, você não vai deixar de ir ao Congresso. Me “emprestou” o dinheiro (nunca quis receber) e dessa forma  pude viajar.

Recordo quando fomos apanhar os casacos de frio na casa de um familiar seu, no bairro da Pituba. Aproveitamos bem o bom encontro, que foi regado a uma esperta cervejada. Na volta, dirigindo o seu fusquinha, não ultrapassava a velocidade de quarenta km/hora (dizia: todo cuidado é pouco, pois a mistura álcool e direção não dá liga)— não existia ainda a lei seca. No percurso até o Hospital (minha moradia), quando avistava um barzinho aberto, parava para molhar a garganta e fumar o seu amável e inseparável cigarro.

Terminada a Residência,  no início do ano de 1971, voltei para Natal, deixando em terras baianas um grande amigo, um qualificado Professor e uma pessoa super estimada.

Anos depois, procurei saber notícias do Professor, quando fui informado da sua morte prematura; fato que ocorreu quando voltava de Itaparica para Salvador, em um Ferroboat, momento que foi acometido de um fulminante infarto do miocárdio.

O Professor Sócrates Guanaes Gomes é pai de Nizan Guanaes, empresário da comunicação, fundador do maior grupo publicitário brasileiro  —, o ABC de Comunicação, hoje pertencente ao grupo americano Omnicom. Na época, Nizan tinha doze anos de idade.

Berilo de Castro – Médico e Escritor,  [email protected]