Bancada de apoio a Alysson Bezerra derruba pedido de urgência em Projeto a favor dos artistas locais durante a pandemia

Parece notícia antiga, mas não é. A bancada apoiadora da gestão Alysson Bezerra derrubou hoje o pedido de votação em regime de urgência a um Projeto de Lei Substitutivo de autoria da vereadora Larissa Rosado (PSDB) que tem como objetivo estabelecer um programa de fomento à cultura local durante o período de pandemia.

Mesmo seguindo os tramites necessários e os prazos legais, governistas analisaram que não aceitaram os argumentos da proponente: “Pedi a urgência porque é um programa para o período da pandemia e se assim não fosse não ia atender a classe artística. Já tivemos aprovação em urgência de forma muito mais rápida os projetos do brasão e da adesão ao programa de compra de vacinas”, lembrou a autora.

Votaram a favor da urgência Larissa Rosado, a vereadora Marleide Cunha (PT) e os vereadores Francisco Carlos (PP), Pablo Aires (PSB), Didi de Arnor (Republicanos) e Lucas das Malhas (MDB). O projeto 2/2021 segue agora para tramitação normal nas comissões da Câmara.

“Decepcionante para a classe artística, nos sentimos humilhados diante da manobra dos edis da base do governo municipal em não votar o requerimento. Usados porque alguns deles sentaram com a classe e explicamos todo o processo de construção do projeto que teve varias mãos, um projeto bem elaborado. Infelizmente os vereadores se curvaram em um ato de covardia e usaram de manobras para protelar a votação do projeto, foi um ato desumano diante da calamidade pública que os artistas vivem nessa pandemia”. Comentou o ator Américo Oliveira, vice-presidente do Conselho Municipal de Cultura que ainda ressaltou que os artistas poderão ir às ruas cobrar posicionamento por parte dos vereadores: “Não podemos esperar mais. Agora é rua, Vamos ocupar a Câmara Municipal para que a nossa voz seja ecoada num grito de socorro, queremos auxílios porque queremos ficar em casa e sobreviver”.