Aras pede investigação contra invasões a hospitais na pandemia

Para o PGR, os episódios de invasão narrados pela imprensa, são graves e podem ensejar, em tese, a responsabilidade criminal dos autores

Na imagem, o procurador-geral da República, Augusto Aras

Na imagem, o procurador-geral da República, Augusto Aras

REUTERS/Adriano Machado – 02/10/2019

O procurador-geral da República, Augusto Aras, solicitou neste domingo (14) investigação para apurar eventuais responsabilidades por invasões a hospitais destinados ao tratamento de pacientes com covid-19.

Endereçados aos procuradores-gerais de Justiça dos estados onde, segundo divulgado pela imprensa, houve casos de invasão, os documentos pontuam que “condutas dessa natureza colocam em risco a integridade física dos valorosos profissionais que se dedicam, de forma obstinada, a reverter uma crise sanitária sem precedentes na história do país”.

Para Aras, os episódios de invasão narrados pela imprensa, são graves e podem ensejar, em tese, a responsabilidade criminal dos autores. Por isso, solicita que o respectivo procurador-geral de Justiça distribua o documento como notícia-crime, de acordo com as regras da unidade, para que o promotor natural adote as medidas que compreender necessárias.

Os ofícios serão enviados na próxima segunda-feira (15). Os primeiros têm como destinatários os chefes dos MPS nos estados de São Paulo e Distrito Federal, Mario Luiz Sarrubbo e Fabiana Costa, respectivamente.

Veja também: Deputados invadem hospital contra covid-19 no Anhembi, diz prefeitura

No caso de São Paulo, a invasão relatada teria ocorrido no Hospital de Campanha do Anhembi, em 4 de junho. Já no Distrito Federal, a ocorrência foi em 9 de junho, no Hospital Regional de Ceilândia.