Anestesiologistas cobram pagamento dos salários atrasados há três meses

Em nota encaminhada à imprensa, os representantes da Clínica de Anestesiologia de Mossoró (CAM) cobram da Prefeitura Municipal de Mossoró (PMM) a regularização dos salários atrasados. Conforme os profissionais, está em atraso o pagamento referente aos plantões de agosto, setembro e outubro na Maternidade Almeida Castro.

Em relação às cirurgias eletivas, existem débitos com os anestesiologista desde junho. “São apenas 165 dias. Os anestesiologistas nunca vivenciaram épocas tão conturbadas”, declara o diretor da CAM, Ronaldo Fixina.

O profissional lembra que na última reunião com a Prefeitura de Mossoró, no final de setembro, foi proposto que o Executivo pagaria 50% dos valores referentes aos procedimentos em atrasos na época no dia 6 de outubro e o restante seria renegociado em uma próxima reunião agendada para o dia 16 deste mês.

“Não foi um acordo, mas acatamos a proposta para evitar interrupção de atendimento. A proposta surgiu como uma espécie de imposição. E novamente aproxima-se mais uma reunião quando novamente contabilizamos o atraso de pagamento”, diz os profissionais na nota.

Segundo Fixina, a CAM mantém dois contratos vigentes com a Prefeitura, o que garante plantão de 24 horas no setor de obstetrícia na Maternidade Almeida Castro, além de um profissional diuturnamente para casos de cesareanas, curetagem uterina, histerectomia puerperal e qualquer tipo de emergência obstétrica.

E além do contrato com a CAM, a prefeitura ainda mantém um contrato com três médicos de outra cidade para realizar o mesmo procedimento. “Se existem 16 profissionais qualificados da CAM o que justificaria mais esta despesa com três anestesistas do interior do Ceará? Se existem recursos para pagamento destes contratados, por que não saldar o débito junto aos anestesiologistas da CAM ?”, questionam os profissionais.