A VINGANÇA DA CHINA

Vai faltar vacina

Não é culpa da prefeitura de Mossoró nem do governo do Estado. Os estoques nacionais de vacinas contra a Covid-19 estão escassos e, dentro de semanas, as campanhas de imunização podem ser paralisadas. Dizem que os chineses, irritados com as piadas de Bolsonaro sobre eles, vêm liberando as matérias-primas necessárias à produção da Coronavac em doses homeopáticas.

 

Politicagem com a Sputnik V

Apesar da gravidade do quadro, a Anvisa se deu ao luxo de proibir a importação da Sputnik V, da Rússia. A decisão teria sido política como forma de evitar o protagonismo do consórcio de governadores e a ampliação do desgaste do Palácio do Planalto. Na opinião de Kirill Dmitriev, representante dos patrocinadores da pesquisa do imunizante soviético, a agência cedeu, sim, mas a pressões dos EUA.

 

Foto: Alan Santos/PR

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para piorar

O ministro da Economia, Paulo Guedes, resolveu ampliar o desgaste entre Brasil e China ao dizer que “O chinês inventou o vírus e a vacina dele é menos efetiva que a do americano. O americano tem 100 anos de investimento em pesquisa. Então os caras falam:      ‘qual o vírus? É esse? tá bom’. Decodifica, tá aqui a vacina da Pfizer. É melhor do que as outras”. E a pandemia troando no lombo da gente.

 

Toque esportivo

O jornalista e advogado Sérgio Oliveira volta a honrar O Mossoroense com a coluna Toque Esportivo, que durante muitos anos fez o maior sucesso na edição impressa deste jornal. Sérgio não é apenas apaixonado, ele entende do negócio e está bem-informado como nunca. Vá lá, confira!

 

Medo de perder o emprego

“Quando eu nasci, a primeira coisa que eu perdi foi o medo. Então, essa conversa de poder ser demitido, eu entrei para a polícia com o risco da própria vida, que dirá do emprego. Que tipo de policial é o senhor que tem medo de perder o emprego?”. As palavras são do delegado federal Alexandre Saraiva, dirigidas ao deputado federal Ubiratan Sanderson (PSL-RS), agente licenciado da PF, que aventou a possibilidade de o colega de corporação ser demitido por haver denunciado o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, de atuar em favor de madeireiros.

 

 

Primeira infância

A secretária do Desenvolvimento Social e Juventude (SMDSJ), Janaína Holanda, na qualidade de representante da prefeitura de Mossoró, assinou o Pacto Nacional pela Primeira Infância, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O programa tem por objetivo fortalecer iniciativas governamentais de promoção à melhoria da infraestrutura necessária à proteção dos interesses das crianças.

 

Na prática

O pacto engloba o diagnóstico da atenção à primeira infância no Sistema de Justiça, realização de seminários regionais, capacitação de 1,5 mil operadores do direito e 22 mil profissionais da rede de serviços, além da seleção e disseminação de 12 boas práticas. Importantíssimo. De parabéns a secretária e a administração municipal.

 

Antes da inauguração

O aumento do contágio pela Covid-19 na Cadeia Pública de Mossoró obrigou o sistema carcerário a transferir cerca de 200 presos provisórios de lá para os pavilhões recém-construídos na Penitenciária Mário Negócio, que sequer foram inaugurados. As cadeias destinam-se a pessoas presas provisoriamente, enquanto as penitenciárias mantêm enclausurados aqueles que foram efetivamente condenados pela Justiça.

 

Nelsinho

Meus sentimentos à família do advogado Nelson Maia Filho, 55, diretor do Hospital Centenário de Pau dos Ferros, que morreu hoje em acidente de parapente em Ponta do Mel, Areia Branca-RN. Não me lembro de tê-lo conhecido, mas estive várias vezes com o pai dele, Nelson Maia, grande amigo de meu avô.

 

 

Quase

 

Mário de Sá Carneiro

 

Um pouco mais de sol – eu era brasa,
Um pouco mais de azul – eu era além.
Para atingir, faltou-me um golpe de asa…
Se ao menos eu permanecesse aquém…

 

Assombro ou paz? Em vão… Tudo esvaído
Num baixo mar enganador de espuma;
E o grande sonho despertado em bruma,
O grande sonho – ó dor! – quase vivido…

 

Quase o amor, quase o triunfo e a chama,
Quase o princípio e o fim – quase a expansão…
Mas na minh’alma tudo se derrama…
Entanto nada foi só ilusão!

 

De tudo houve um começo… e tudo errou…
– Ai a dor de ser-quase, dor sem fim… –
Eu falhei-me entre os mais, falhei em mim,
Asa que se elançou mas não voou…

 

Momentos de alma que desbaratei…
Templos aonde nunca pus um altar…
Rios que perdi sem os levar ao mar….

Ânsias que foram mas que não fixei…

 

Se me vagueio, encontro só indícios…

Ogivas para o sol – vejo-as cerradas;
E mãos de herói, sem fé, acobardadas,
Puseram grades sobre os precipícios…

 

Num ímpeto difuso de quebranto,

Tudo encetei e nada possuí…
Hoje, de mim, só resta o desencanto
Das coisas que beijei mas não vivi…
…………………………………..
…………………………………..
Um pouco mais de sol – e fora5 brasa,
Um pouco mais de azul – e fora além.
Para atingir, faltou-me um golpe de asa…
Se ao menos eu permanecesse aquém…