A simbologia de um gesto

O lançamento da programação da festa de Santa Luzia deste ano se dará na próxima segunda-feira, 26. E isso se dará exatamente num local recheado de simbolismo. Será no Centro de Deficientes Visuais, na Praça do Colégio Diocesano, e nós sabemos que Santa Luzia é conhecida como a padroeira dos olhos. O padre Walter Collini vai anunciar todos os detalhes desse programa. Mas, o objetivo primordial do evento se dar ali é justamente esse de chamar a atenção para os problemas da visão. Isso foi uma grande ideia dos dirigentes da festa.

EDILMAR NORÕES
Faleceu ontem em Fortaleza o jornalista Edilmar Norões. Ele estava com 80 anos de idade e foi acometido de problemas cardíacos que o levaram à morte. Atuou em diferentes organismos da imprensa cearense, destacando-se na TV Diário, jornal Diário do Nordeste entre outros.

UFERSA
O atual reitor da Ufersa, José Arimatea de Matos, confirmou que vai disputar à reeleição. Mas, não deverá se lançar agora. Neste momento ele diz que vai se dedicar apenas ao desempenho do seu atual mandato. Eleição ficará para depois.

PAULO MENEZES
Relata Paulo Menezes, bancário aposentado (BNB) e grande amigo do padre Huberto Bruenning, a seguinte historieta envolvendo o sacerdote: “Um dia ele observou dentro da igreja uma senhora que estava com um vestido bem decotado”. Padre Huberto mandou-a trocar a roupa alegando que estava aparecendo seu suvaco”. (segue)

AXILA
A mulher que foi reprimida deu-lhe o troco em cima da bucha: “Suvaco, não. Axila”. Ao que o padre catarinense fulminou: “Axila é quando essa região está depilada. Cabeluda como está a sua é suvaco mesmo”.

BARAÚNAS
Tenho escutado reiteradas declarações dos novos dirigentes do Baraúnas. E pelo que observo Josirene e Gilson Cardoso vão tomar decisões colegiadas. E Gilson já decidiu: quando começarem as pelejas de 2016 ele vai deixar sua condição de cronista esportivo para se dedicar apenas à direção do tricolor.

OSÉAS
Trago hoje mais detalhes das comemorações pelos 77 anos de idade de Carlos André (Oséas Lopes) e 59 de sua vida artística. Haverá um show no dia 31 de outubro corrente em Areia Branca no “Corujão” e depois no Capanema aqui em Mossoró (ali defronte ao Posto Planalto). Vamos prestigiar.

CHAPA-BRANCA
Jornalista Nathalia Rebouças fulminante: “É lamentável a posição chapa-branca de alguns professores da Uern tão combativos em épocas passadas. Eu teria vergonha de me expor dessa forma”.

CID AUGUSTO
Saúdo o companheiro Cid Augusto pelo retorno à prática do jornalismo cotidiano. Ele é bom de toda forma: nas suas crônicas dominicais, mas também é show no registro dos eventos do nosso dia-a-dia. Valeu. Leiam-no no Canto de Página.

OBELISCO
Conta a nossa história que no dia 7 de setembro de 1922, ali na Praça da Independência, defronte ao Mercado Central, foram colocados no sopé daquele obelisco alguns documentos, jornais da época, objetos para serem abertos em 7 de setembro de 2022 (cem anos após). Não sei se irei alcançar, mas está bem pertinho. Faltam apenas sete anos.

GENIVAN VALE
O vereador Genivan Vale disparou, mais uma vez, sua metralhadora giratória no rumo da gestão municipal de Mossoró: “Há escassez de recursos, é verdade. Mas, está faltando, principalmente, planejamento”.

CORTES?
No último Jornal Oficial de Mossoró (JOM) foram 8 nomeações e apenas 3 demissões. E fica a pergunta que não quer calar: que programa de cortes nas despesas é esse? Como é que se explica?

POÇOS
Essa notícia se originou de um debate sobre os problemas da seca em nosso Estado ouvido na Assembleia Legislativa. Foi lá que se disse que aqui no nosso Estado existem mais de 1.500 poços perfurados e não instalados. Isso acontecendo numa região do semiárido, como é a nossa, é um verdadeiro crime.

GUANABARA
Registro hoje essa nota de utilidade pública porque sei da grande legião de leitores que possui em nossa cidade o amigo Francisco Rodrigues da Costa “Chico de Neco Carteiro”. Seu mais recente lançamento literário denominado “Guanabara” encontra-se à venda no Rust Café à rua Francisco Izódio aqui no centro da cidade.

PMDB
Saiu o primeiro livro de uma série de quatro denominados Diários da Presidência. Nesse primeiro volume o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso faz uma constatação da qual há poucas dúvidas que pudessem discordar. “Ninguém governa sem o PMDB”.