A PENDENGA DA VACINA

MATUTOS NA REDE

Seguindo a tendência mundial, artistas das mais diversas áreas estão abrindo seus canais nas redes sociais, principalmente no Youtube. Já estão por lá o repentista Kleber Morais; o poeta popular Nildo da Pedra Branca; os cantores Genildo Costa e Maurílio Santos e o mamulengueiro e poeta Galego do Jucuri. Vai ser o jeito eu ir pra lá também.

O MOSSOROENSE VIVO, VIVA!

Para quem ainda não entendeu, O Mossoroense é um resistente. Gênese do jornalismo desta urbe, escola para muito, matéria de estudo nos bancos de faculdades. Fechada a sua versão impressa em 2015, uma tendência mundial, o jornal se reinventa todo dia. É desafio prazeroso mantê-lo vivo, além de uma forma de praticar a minha profissão de ofício, o jornalismo. Estamos indo para 149 anos de existência. Viva!

PERDEMOS O MEDO

Há um ano iniciávamos esta loucura. Em casa, todos nos refugiamos, acreditávamos mesmo que a morte era algo iminente. Testemunhamos perdas doloridas por demais e, sabe-se lá Deus a razão, acreditamos que tudo havia passado. Abrimos tudo, voltamos ao trabalho. De nada adianta argumentar. Enquanto o caixão não for de um dos nossos, não existe medo.

 

E PERDEMOS PESSOAS

No panteão das minhas saudades perdi minha querida tia Irizete, um anjo querido, irmã querida de minha mãe. Perdi meu tio Chico Muniz, namorador, boêmio ao largo dos seus 8.0. uma lindeza. Beatriz Cordeiro, tia que mal cheguei a conhecer, visto a distância e a grandeza das nossas famílias. Marciano Matias, amigo recém-conquistado que se empolgava com meus versos. Não subestimem o vírus. Ele é real e mata.

E O POTIGUAR HEIN?

Após um início de ano conturbado, com direito até à renúncia de diretoria, confesso que estou gostando da atuação do Potiguar, de Mossoró. Assisti poucos lances de gols dos últimos jogos, mas o que se vê é um time envolvido, vibrante a cada lance, inclusive com direito à goleada nos times da capital, sempre favoritos nos campeonatos estaduais. Não duvido que o time “príncipe” surpreenda (ainda mais) este ano.

 

E POR FALAR NISTO

O Nogueirão pode até ter sido liberado para abrigar nossos jogos, mas quem passa por frente do grande “monumento” do futebol mossoroense tem a impressão que está diante de uma construção abandonada, quase fantasmagórica. Até a praça que ficava defronte ao estádio é a cara do atual futebol de Mossoró. Escuro, feio. Falta muito pra ser um local atrativo a qualquer evento.

 

SOS MOSSORÓ

Mossoró figurou em um ranking mundial onde aparece em 13º entre as cidades mais violentas do planeta. A gente não sente, mas realmente o perigo muitas vezes mora ao lado. É certo que as notícias de morte por conta da pandemia tomaram conta dos noticiários, mas a violência também sempre esteve aí, à espreita.

 

VAI UM FORROZIM AÍ?

Não gosto de alguns modismos atuais, músicas de momento, mas tenho que ser justo. Meu conterrâneo Júnior Viana, botou pra lascar numa letra nova chamada “Mundo Doente”, onde retrata as coisas do nosso sertão de antigamente. Assisti sem conter as lágrimas. Parabéns, cabôco, ainda espero te conhecer pessoalmente.

Confira abaixo:

 

A PENDENGA DA VACINA

Governos Federais, Estaduais e Municipais deveriam estar unidos em prol do bem do povo. No entanto, num jogo desleal de empurra-empurra, com direito a disseminação de fake news e brigas públicas, todos com alguma parcela de culpa, penalizam muito mais ainda a parte mais fraca da corda: o povo. Já não basta termos saído atrás na corrida pelo imunizante? É de matar!

FESTIVAIS

Na próxima terça-feira (27), a partir das 20h, conduzirei outra conversa boa com Geová Costa e Genildo Costa, irmãos, poetas, cantores e compositores de Grossos/RN sobre suas experiências em festivais de música. A iniciativa faz parte da divulgação do I Festival de Música Autoral da Região Costa Branca, com inscrição aberta até o dia 30.

https://www.youtube.com/watch?v=CkTXuUMwhl0