A Melhor Filha do Mundo

Domício Arruda

Médico e Jornalista

Estava acordado. Não poderia haver interferências, nem vetos.

O nome do primeiro filho seria escolhido pela mãe.

Do segundo em diante, a salutar alternância.

Num tempo em que  os enxovais só eram completados depois do parto

Na maternidade, a revelação, segredo a  ser guardado com o pai, até a confirmação do diagnóstico, foi traído pelo semblante de quem nunca pareceu tão desapontado. E só durou poucos minutos.

Por motivo superior e inaceitável, o trato teria de ser rompido e a homenagem à bisavó, adiada.

Trocar por um nome mais comum. O mais comum de todos. Nossa Senhora. Não foi aceito.

Continuou o mesmo que Shakespeare, em 1602, importou dos campos espanhóis e usou pela primeira vez na literatura.

Para nomear uma personagem que na Décima-segunda Noite, na de Reis, não pôde brincar como os outros jovens, por guardar  luto.

O pesar passou.

Lento. Mais que o esperado.

As previsões dos guardiões do conhecimento que o tempo dela, duraria no máximo 20 anos, ficam hoje, outros 20 para trás.

Os irmãos foram vindo. Passando à frente.

Um. Dois. Três

Cada um indo mais longe.

De repente, a casa mais espaçosa.

Cheia de saudades.

O ninho, nunca vazio.

Não tardou, o recomeço.

As alegrias dos netos, divididas com a tia tão querida.

E todos os tios,  todas as tias, todos os primos.

Todos os preferidos pela sobrinha e prima mais querida.

E as três melhores cunhadas do mundo.

E todos os amigos, amigos também.

O lugar reservado  na família e nos corações conquistados com jeito.

As lembranças que tem deixado com pessoas por onde passa, nunca esquecidas.

Especial.

Agora, isolados neste  jardim, sob árvore generosa, o sentido da vida, no momento mais incerto da humanidade.

A esperança que ainda teremos muitos caminhos a percorrer, lugares e pessoas pra conhecer e retornar e que estaremos sempre juntos.

Sem saber separar, do amor, o sentimento, recorro à avó para comemorar seus 40 anos com uma singela homenagem

Olívia,  minha neta querida:

Devo a você o mais importante título da minha vida: avó.

Você me fez conhecer a maravilha do amor de uma criança sem o compromisso de educá-la.

De experimentar a ternura inesgotável de um coração sem maldade e malícia.

De ter a felicidade de possuir uma neta que é a unanimidade da nossa família, em carinho e amor.

Quero que você saiba que sou muito orgulhosa e imensamente feliz por ter a melhor neta do mundo.

Beijos.

-Margarida da Mota Rocha

Território Livre – TN