A alimentação adequada é fundamental para atingir bons resultados

Veja abaixo sete dicas para quem tem diabetes praticar um esporte corretamente:

1. Esteja preparado – A quantidade de glicose no sangue pode aumentar ou diminuir durante o exercício físico. Então, a alimentação ou a insulina (para aqueles que necessitam desse tipo de tratamento) são fundamentais para bom andamento da atividade.
2. Converse com seu médico – Exercícios de alto impacto devem ser validados pelo médico que acompanha o paciente. Ao tomar a decisão de praticar um esporte, o especialista poderá orientar a melhor forma de controlar o nível de glicose no sangue, bem como recomendar a frequência da atividade.
3. Confira sua glicose – A intensidade, duração e tempo dos exercícios podem alterar o nível de glicose no sangue. Portanto, é importante fazer a medição antes, durante e depois da atividade.
4. Faça valer a pena – Existem diversas maneiras de ser ativo, seja por meio de esportes, caminhada, dança ou até mesmo em pequenas atitudes, como substituir o elevador pelas escadas. A dica é encontrar algo que dê prazer e que seja viável incluir na rotina.
5. Comece devagar – Exercite-se em um nível que seja confortável para você. Comece devagar e seja consistente. Isso vai ajudá-lo (a) a evitar dores e lesões.
6. Alimente-se bem – Coma diversas verduras e vegetais. Diminua o consumo de gordura saturada e de açúcar e opte pelos integrais em vez dos carboidratos refinados. O médico que acompanha o caso poderá ajudar a criar um plano de dieta de acordo com as necessidades individuais.
7. Mantenha a hidratação – Beba muita água antes, durante e depois do exercício para ajudar na hidratação do corpo.
Referências bibliográficas
¹ – International Diabetes Federation. IDF Diabetes Atlas update pôster, 6th edn. Brussels, Belgium. 2014.
² – International Diabetes Federation. IDF Diabetes Atlas, 6th edn. Brussels, Belgium. 2014.
Sobre o diabetes
O diabetes ocorre quando o pâncreas perde a capacidade de produzir insulina ou a produz de forma insuficiente, ou ainda quando há alteração da ação desta insulina no organismo. Estas alterações na produção ou ação da insulina causam aumento da glicemia (açúcar no sangue). A insulina é essencial para o bom funcionamento do organismo, já que é um hormônio que age transportando a glicose do sangue (absorvida na alimentação) para dentro da célula, servindo como fonte de energia¹.

Diferentes tipos de diabetes:

Tipo 1 Na maioria dos casos, trata-se de uma doença autoimune, caracterizada pela destruição das células beta do pâncreas, responsáveis pela produção de insulina. Este tipo é geralmente diagnosticado ainda na infância ou adolescência, mas pode surgir também em outras faixas etárias.
Tipo 2 É o mais comum e corresponde a 90% dos casos. Ocorre pela inexistência, insuficiência ou resistência à insulina (ação alterada da insulina). Cerca de 50% dos portadores de diabetes tipo 2 não sabem de sua condição, justamente pelos poucos sintomas que apresentam no início da doença.