Sérgio Oliveira

Quando pensamos que o limite chegou e a situação não pode piorar mais, eis que somos surpreendidos e, como é difícil prevê o que pensa e faz o cartola do futebol, ele nos surpreende com medidas absurdas. Quer um exemplo quase insano, cito a decisão da diretoria do ABC de mais uma vez, já perdi a conta, trocar seu treinador. Isso mesmo, em plena reta final de campeonato com o time precisando de sossego para trabalhar, eis que os dirigentes novamente resolvem mudar sua comissão técnica. Isso significa novo recomeço, como foram nas vezes anteriores e, até agora, não deu nada certo. Sai Hélio dos Anjos entra Sérgio China. Resta saber até quando, mas o certo, isso todos sabem, no segundo jogo sem vitória, já terá a pressão de dentro e fora do clube. Situação insana domina hoje o time da cartilha.

RENÚNCIA

Na defensiva, amargurado, decepcionado e colocando-se como vítima, o presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, fala em renúncia do cargo depois de ser flagrado em gravação ensinando como desviar dinheiro do clube na venda de um jogador. É mais um corrupto denunciado que precisa não só renunciar como responder na Justiça pelo que fez. Se tiver certo, que prove.

CENTRO
Mesmo tendo deixado a presidência do clube e se deslocado para o Conselho Fiscal, o torcedor do Potiguar espera que Jorge do Rosário não se afaste do projeto do Centro de Treinamento Manoel Barreto Filho. O sonho de um estádio, mesmo de pequeno porte, não pode se transformar em pesadelo. O projeto caminhou bem em sua gestão e precisa continuar sob a batuta de Benjamim Machado, mas com a participação direta de Rosário.

DEBANDADA
No ABC, depois da saída de Hélio dos Anjos, aconteceu uma debandada de jogadores. A saída foi sentida logo no primeiro treino da semana, do qual entre oito e nove jogadores estavam ausentes. Além das demissões, já tem atleta pedindo para sair. Aquele discurso que vamos juntos até o final, acabou, e, a turma começa a pular do barco à deriva e afundando.

VOLTANDO
A semana começa com o noticiário nacional dando como caminho aberto para o retorno de Alexandre Pato para o Corinthians em 2016. Hoje no São Paulo, quando saiu do rival foi dito que este teria sido um péssimo investimento corintiano. Pelo visto, palavras soltas ao vento e, se tiver brecha, pegam o jogador de volta. Assim como na política partidária, tudo é uma questão de acomodação de interesses.

SÓ ERROS, E A SOLUÇÃO?

Nas duas últimas semanas um tema presente no noticiário esportivo, embora não tenha sido com a intensidade de outras épocas, foi a seleção brasileira. Percebemos que de todos os lados tem sempre alguém apontando os erros que estão sendo cometidos mas, eu pergunto, e a solução, qual seria?
Para nós metidos a analisar ou comentar os resultados e postura tática negativa, apontar o que vem dando errado é fácil, mas pouco nos preocupamos em citar o que poderia ser feito para melhorar. Hoje, creio, é isso que anda precisando o futebol brasileiro, alguém com credibilidade, sem interesses particulares embutidos, capaz de apontar a porta de saída da casa da crise. O futebol brasileiro tem potencial, mas, é possível resgatar a postura vitoriosa? Como? Eis a questão.

ELEIÇÃO

Pela convocação feita pelos dirigentes interinos do clube, hoje é dia de eleição no Baraúnas. Os tricolores se reúnem a partir das 19h na secretaria do estádio Nogueirão para definir o nome e em seguida compor a direção que irá dirigir o clube pelos próximos dois anos. Desejamos que o Baraúnas possa encontrar um bom nome e, a partir de hoje, passe e pensar apenas na temporada 2016.

EM Natal teve início a fase final dos Jogos Escolares do RN.
PARA 2016, a Copa América ainda é dúvida. É crise chegando ao futebol.
A parada nos jogos não acalmou o ambiente. A goleada para a Chapecoense repercute no Palmeiras.
EM amistosos, a seleção brasileira olímpica é só goleada. Vamos esperar a hora da medalha.