Sérgio Oliveira

Resultado comemorado como se fora uma conquista de Copa do Mundo, com muitos abraços, sorrisos e, sensação de alívio, afinal, a seleção brasileira conseguiu vencer a Venezuela, 3 a 1. Não foi aquele futebol vistoso que o narrador, comentaristas e repórteres da transmissão tentaram passar pela televisão, mas, deu pro gasto, ou seja, venceu. Ainda anda longe do bom futebol brasileiro, principalmente quando é atacada e a sua defesa não tem uma postura confiável de marcação, parece até que olha apenas a bola e esquece o jogador adversário. O futuro ainda é uma grande interrogação, pois precisa melhorar muito para passar pelas Eliminatórias sem sustos, como se desenha nesse início de competição.

MENOS

O treinador do ABC, mais um na escala de mudanças, Sérgio China projeta para os próximos jogos o percentual de 10% de chances do time permanecer na Série B do Campeonato Brasileiro. Creio que deram alguma informação errada, pois acredito, com base no que disseram os matemáticos, que este percentual é menor. Em todo caso, creio que ele esteja querendo encontrar alguma motivação para o grupo.

FAVORES
Trabalhando para viabilizar sua candidatura à presidência da Fifa, o brasileiro Zico disse que tem buscado apoio dos amigos com quem jogou, contra ou a favor. E, em sua caminhada já avisou, não negocia com troca de favores, se alguém quiser apoiá-lo vai ser por aquilo que ele fez de positivo no futebol, e nada mais. Proposta diferente, pouco comum em eleição, porém, a forma correta.

CRISE
No São Paulo a crise administrativa entra em novo capítulo. Resolveram abrir investigação para apurar a briga entre o presidente e um ex-dirigente, com denúncia de corrução, desvio de dinheiro. O foco é o presidente Aidar. Na direção as opiniões se dividem, e a investigação deve ser o caminho para se tentar pôr um fim nisso tudo.

LIDERANDO
Citei lá no começo da coluna que Chile e Equador tiveram um início arrasador nas Eliminatórias da Copa do Mundo 2018. Mas, não podemos esquecer o líder, ou seja, campanha bem melhor que faz a seleção do Uruguai. Começo bem diferente de outras épocas quando apareciam Brasil e Argentina.

INÍCIO RUIM DOS ARGENTINOS

A vida não anda fácil pra ninguém e, já se passaram dois jogos, nada de vitória, com uma derrota e um empate. Essa é a campanha de momento da seleção da Argentina que tem como próximo o adversário o Brasil. Vai mordido para cima da seleção brasileira tentando recuperar um pouco do espaço perdido. O confronto será dia 12 de novembro em Buenos Aires.
Os argentinos começaram as Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018 perdendo para o Equador, 2 a 0, e na rodada da terça-feira empataram, sem gols, com o Peru, 0 a 0. Começo ruim para uma seleção sempre favorita a vaga e, nesse momento, ocupa a 7ª posição, ou seja, estaria até de fora da vaga na repescagem. Mas, é começo, muita água ainda irá passar por debaixo da ponte.

ATROPELANDO

No primeiro mês de Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018, em seus jogos da América do Sul, quem anda atropelando seus adversários é o time do Chile, como também o Equador. As duas seleções acumularam dois jogos e duas vitórias, o que é melhor, vencendo e convencendo, jogando futebol de qualidade.  Não  é obra do acaso. A competição é longa, é verdade, e elas até podem tropeçar, mas nas duas primeiras rodadas reinaram de forma soberana.

QUEIMARAM o goleiro Jefferson do Botafogo na seleção brasileira.
OLHA, se forem tirar do time quem não corresponde, Oscar seria o primeiro.
NO retorno de Neymar não entendo como sacrifício tirar Oscar. Não vem bem.
NA segunda-feira, 19, tem programa inédito “Esporte Legal”, TV Câmara, canal 16 na TCM. 19h30.