sábado , 19 de agosto de 2017
Home / Opinião / Reminiscências / Wilson Bezerra de Moura – Uma sociedade em desenvolvimento

Wilson Bezerra de Moura – Uma sociedade em desenvolvimento

Um pouco de cada coisa e em determinado momento a sociedade vai construindo seu norte organizacional. Não pode sozinha, muito menos de uma só vez, edificar uma comunidade. O trabalho tem que ser coletivo, esforço, participação efetiva de todos que a compõe.

A formiga não constrói o seu habitat só. Ela precisa de todas empenhadas, esforço conjugado, erige seu esconderijo para esconder-se da vista dos predadores. Trabalho conjunto e resultados positivos; Toda essa meta elementar é fundamental ao crescimento de qualquer sociedade.

Da mesma forma a sociedade humana quanto à organização de sua própria corporação. Damos um exemplo concreto tomando por base nossa matriz de Santa Luzia. Ela foi construída, sofreram no decurso do tempo algumas modificações em sua estrutura.

Pelos idos de 1910, o Padre Pedro Paulino Duarte da Silva, que era vigário da Paróquia, e foi diretor do Colégio Diocesano Santa Luzia, então quando do exercício da função, concitou a população da cidade para juntos construírem as torres da Igreja, hoje Catedral de Santa Luzia.

O Padre Pedro Paulino fez forte campanha e o povo atendeu seu chamamento. Doaram materiais para construção das torres, colocaram-se como defensores do projeto e a Igreja teve por concluída a obra que beneficiou bastante a cidade.

10A liderança comunitária surge por conveniência do momento e esta é importante em todas as ocasiões e em todos os aspectos.  O Padre Pedro Paulino faleceu em Natal, capital, em 1954,segundo noticia no jornal O Mossoroense, de março de 1980.

Assim sendo, na politica, por exemplo, outro fato marcante na nossa história quando surge um líder autêntico o desembargador Joaquim Ferreira Chaves, pernambucano, aqui chegou ao Rio Grande do Norte, tornou-se de inicio Promotor de Justiça, atingido a governadoria e o Senado Federal, ministro da justiça do Governo Federal e muitos outros cargos no Estado justamente pelo espirito de liderança de que era possuidor e a simpatia conquistada dos Mossoroenses.

Aliás, o ex-governador Ferreira Chaves fez sua primeira visita a Mossoró no ano de 1912,quando candidato ao Governo. Foi hóspede nesta cidade mossoroense do também grande líder politico, coronel Bento Praxedes Pimenta, apesar de não ser mossoroense de nascimento, mais se tornou da terra por ramificação familiar, assim como Ferreira Chaves que tinha esposa e filhos norte-rio-grandenses.

Faleceu o ex-governador Ferreira Chaves no Rio de Janeiro no ano de 1934, segundo registro veiculado no jornal O Mossoroense, edição de março de 1980 ao se reportar ao passado distante de nossos tempos.