quinta-feira , 27 de julho de 2017
Home / Destaques / Sulla Mino – Humpf! Mosquitos!
Sulla

Sulla Mino – Humpf! Mosquitos!

Estamos vivendo em tempos difíceis,  uma verdadeira  guerra  contra os mosquitos! Casos e surtos invadem nossas vidas,  tiram nosso sossego, nosso sono…Nossa paz.

Falar  desses indesejáveis nunca  é demais. Conheça seus inimigos e combate-os!  Esta  é a nossa regra diária, eterna?! Mosquito e pernilongo são termos gerais para designar diversos insetos da subordem Nematocera.

Este ser de 15 mm no máximo, isto mesmo, deste minúsculo tamanho que nos dá uma tremenda dor de cabeça, na verdade, uma coceira terrível na pele, devido uma saliva que deixa ao picar, e somente as fêmeas picam, para maturarem seus ovários antes de pôr os ovos, podendo sugar de 3 a 4 vezes o seu peso, pois precisam dele para a postura, mas também sugam os sucos dos vegetais, como os machos.

Portanto, só a fêmea pica e injetam um líquido tóxico que é o causador da comichão e das irritações. Os mosquitos existem há 170 milhões de anos, desde o período Jurássico médio, compreendido entre 199 milhões e 600 mil anos atrás, aproximadamente, hoje, existem no mundo bem mais de 3.000 espécies.

No Nordeste do Brasil e em Minas Gerais existe a distinção entre mosquito e pernilongo: o primeiro refere-se a pequenas moscas, como as Drosófilas, enquanto que o segundo recebe o nome de “muriçoca”.

Já no norte, mosquito é “carapanã”. Em Mossoró é muriçoca mesmo, os malditos que não me deixam dormir, eles parecem ser grandes cantores também, ao “pé do meu ouvido” eles ensaiam verdadeiras serenatas.

O peso dos mosquitos é apenas 2 a 2,5 miligramas, eles conseguem voar de 1,5 a 2,5 km/h, pra mim,são bem rápidos, tento matá-los e parece em vão, eles tem um rasante incrível. Em minha casa, estou me tornando uma verdadeira “Guga” com a raquete elétrica, esta maravilha da nossa tecnologia.

Não, não venha me dizer que aqueles aparelhos e difusores elétricos, de diversas marcas, tem efeitos sobre estes insetos, não resolvem nada, só me fazem gastar dinheiro e não digam que os sprays são inovadores, não são, a casa fica com um odor horrível e tem lá alguns sem cheiro, mas com químicas que também fazem mal.

Então, como acabar ou pelo menos diminuir os malditos? Acho que não tem como, alguém tem alguma receita? Uso tela em minhas janelas e nem assim impede estes visitantes indesejáveis.

Culiseta Longiareolata, nome científico esquisito mesmo, nem vou escrever os nomes das famílias complicados demais, eles possuem uma espécie de tromba que está adaptada para a sucção de líquidos como néctar, seiva ou sangue. São tantas as doenças transmitidas por estes pequenos: Anemias, Febre Amarela, Cólera, Encefalite Japonesa, Febre Tifóide, Filariose, Úlcera brava, Oncocercose, Leishmaniose cutânea, Malária…

A fêmea de Anopheles, espécie que mata. Há todos os anos se tem 300 a 500 milhões de casos da malária, dos quais mais de 90% na África. Ela mata, contudo, cerca de 2 milhões de pessoas em cada ano, cerca de um milhão das quais são crianças com menos de 5 anos. A dengue, não é preciso explicar muito, hoje sabemos como evitar, é transmitida através da picada de uma fêmea contaminada do Aedes Aegypti, um único mosquito desses em toda a sua vida, 45 dias em média, pode contaminar até 300 pessoas.

O ciclo vital dos mosquitos dura de 7 a 15 dias, dependendo da espécie, e pode ser resumida em 4 fases: postura dos ovos, nascimento das larvas, transformação em pupa e mosquito adulto.

CONTINUA…