segunda-feira , 16 de setembro de 2019
Home / Opinião / Lairinho Rosado / Sou Melhor do Que Já Fui

Sou Melhor do Que Já Fui

 

Quem sou eu para dar opinião a respeito da vida alheia. No máximo, gosto de relatar algumas coisas que fiz, faço e desejo fazer na vida, fazer da minha vida. O quanto já fiz de bom, o que mais poderia ter feito e o que posso fazer hoje e amanhã. A gente pode, e deve, estar sempre buscando melhoria para nossas vidas e daqueles que estão em nosso entorno.

Vejo muita gente reclamando por causa de dinheiro. Geralmente estas pessoas têm onde morar, o que vestir, uma boa cama para dormir, um bom chuveiro, carro ou moto, comida na mesa e ainda sobra algum para uma cerveja no fim de semana ou viajar. Ainda assim, reclamam.

Não tenho vergonha de dizer que sou rico. E me refiro mesmo a dinheiro. Nem de longe sou rico quando comparado a pessoas andam em carros de meio milhão de reais, mas certamente sou se comparado à grande maioria da população brasileira, e por que não dizer população mundial, que não tem casa própria, carro, àqueles muitos que não tem certeza se terão o que comer hoje. Nós já somos ricos demais, mas não valorizamos o que temos. Um bom banho ou um prato de comida já deveria ser motivo de agradecimento, pois tem gente que nem isso tem.

Há oito anos estudo o espiritismo. Isso trouxe algumas mudanças para minha vida. Em dois momentos eu percorri o Caminho de Santiago de Compostela. Uma das vezes na companhia de meu pai, então com 71 anos de idade. Isso me ensinou algumas coisas. Uma das principais lições foi a de que não precisamos ter muita coisa para caminhar. Podemos viver melhor com menos. Eu não tenho objetivo de acumular riqueza e isso não quer dizer que não quero ter uma vida cada vez mais confortável.

Veja, se as feridas de seu irmão não te causam dor, certamente sua doença é mais grave do que a dele. Trabalhos voluntários com alfabetização no exterior, médicos sem fronteiros ou trabalho em sua própria cidade vão lhe fazer muito bem. Acredite. Basta ter vontade e fazer por amor. Muitas vezes o melhor salário é aquele que não estamos acostumados. Não é o de dinheiro a que me refiro, mas o de um abraço, um sorriso, um obrigado, um artesanato feito com carinho. Experimente fazer o bem, se doar, o salário recebido por isso é pro resto da vida. Já agradeceu por ter hoje o que um dia você pediu? Antes de reclamar, lembre que muita gente gostaria de ter a vida que você tem.

Contar e mostrar exemplos boas ações pode ser uma ajuda para quem quer dar um grito de pedido de ajuda, mas não têm acesso à imprensa, redes sociais ou algo desse tipo. Não é o caso da autopromoção. Está no Evangelho “que não saiba a tua mão esquerda o que faz a direita” e eu concordo com isso, mas no sentido de não se vangloriar pelos próprios feitos.

Assisti um bate papo entre dois médicos. Um deles relatou suas experiências de voluntariado pelo programa Médicos Sem Fronteiras. Uma frase dele me marcou muito. Ele disse “eu não sou melhor do que ninguém, mas hoje, depois de cada boa ação que pratico, sou melhor do que já fui”. Esse é meu objetivo, essa é minha peleja diária: ser melhor do que já fui.