domingo , 8 de dezembro de 2019
Home / Cotidiano / Sesap alerta para riscos do tabagismo
People smoke in a street of an offices area of Paris 16 October 2006. Following the announce of a national ban on smoking in public areas, Yves Contassot, environmental member of Paris city council declared at the beginning of the month he was working on a municipal decree to fight against people throwing their cigarette butts on the pavement. In consequence of the ban on smoking in France, many employees tend to smoke outside the entrance of their offices. AFP PHOTO/THOMAS COEX

Des personnes fument, le 16 octobre 2006 sur un trottoir de Paris. Yves Contassot, adjoint Vert chargé de l'Environnement, avait déclaré début octobre que la Mairie de Paris envisageait un projet d'arrêté municipal qui permettrait de sanctionner les entreprises ou établissements publics pour les mégots abandonnés sur leurs pas-de-porte. Un jet de mégot sur le trottoir est actuellement passible d'une amende de 183 euros
People smoke in a street of an offices area of Paris 16 October 2006. Following the announce of a national ban on smoking in public areas, Yves Contassot, environmental member of Paris city council declared at the beginning of the month he was working on a municipal decree to fight against people throwing their cigarette butts on the pavement. In consequence of the ban on smoking in France, many employees tend to smoke outside the entrance of their offices. AFP PHOTO/THOMAS COEX Des personnes fument, le 16 octobre 2006 sur un trottoir de Paris. Yves Contassot, adjoint Vert chargé de l'Environnement, avait déclaré début octobre que la Mairie de Paris envisageait un projet d'arrêté municipal qui permettrait de sanctionner les entreprises ou établissements publics pour les mégots abandonnés sur leurs pas-de-porte. Un jet de mégot sur le trottoir est actuellement passible d'une amende de 183 euros

Sesap alerta para riscos do tabagismo

O Dia Mundial sem Tabaco, celebrado em 31 de maio, foi criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 1987, com a finalidade de alertar sobre as doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo e defender as políticas para redução do consumo de tabaco. O tema internacional da campanha de 2019 é “Tabagismo e Saúde Pulmonar”, tendo por objetivo conscientizar a população sobre os riscos de doenças pulmonares oriundas do consumo de tabaco e de seus produtos derivados.

No Rio Grande do Norte, o Programa Estadual de Controle do Tabagismo vem desenvolvendo ações em conformidade com a Política Nacional de Controle do Tabaco, com o objetivo de proteger as gerações presentes e futuras das consequências sanitárias, sociais, ambientais e econômicas geradas pelo consumo e pela exposição à fumaça do tabaco.

Implantado no estado em 1996, o Programa contribuiu para reduzir, no período de 2006 a 2017, a prevalência de fumantes maiores de 18 anos de 13,5% (253.497 pessoas) para 7,60% (170.756 pessoas). No Brasil, a prevalência de fumantes, em 2017, foi 10,4%. Na avaliação do conjunto da população adulta de Natal, a frequência de fumantes no período de 2006 a 2015 foi maior no sexo masculino (17,5% e 10,6%, respectivamente) do que no sexo feminino (10,3% e 5,8%).

O Programa está fundamentado em quatro estratégias centrais desenvolvidas em parceria com as secretarias municipais de Saúde e Educação: eliminar a exposição à fumaça do tabaco, regulamentar as embalagens dos produtos, promover a cessação do ato de fumar e controlar o mercado ilegal.

O tabagismo e a importância da campanha

O tabagismo é considerado um problema de saúde pública mundial, reconhecido como uma doença crônica causada pela dependência química dos fumantes à nicotina, sendo considerado uma epidemia. Segundo a OMS, o tabagismo é a principal causa de morte evitável em todo o mundo, sendo responsável por 63% dos óbitos relacionados às doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) e a maioria das mortes ocorre prematuramente.

A campanha do Dia Mundial sem Tabaco é uma oportunidade anual para aumentar a conscientização sobre os efeitos nocivos e mortais do uso do tabaco e da exposição ao fumo passivo, e para desencorajar o uso do tabaco em qualquer forma.

Tratamento do fumante

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece atendimento gratuito às pessoas que desejam parar de fumar, inclusive com o uso de medicamentos ministrados em forma de adesivos e gomas de mascar com nicotina. Nos casos em que o paciente apresenta alto grau de dependência, são usados antidepressivos. Hoje, aproximadamente 78 municípios do estado oferecem na rede SUS tratamento para as pessoas que desejam parar de fumar, com fornecimento de medicamentos gratuitamente. A terapia é baseada em sessões nas quais os profissionais treinados pela Sesap, em parceria com o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), ajudam os fumantes a identificar situações que os levam a fumar e lidar com elas. Dos participantes de todo o processo de tratamento, que dura um ano, 40% a 50% param de fumar definitivamente.

O fumante deve procurar ajuda ao sentir vontade de parar de fumar e não conseguir sozinho, independente do número de cigarros que consome. É também indicado quando já tentou outras vezes sem sucesso e quer abandonar o tabagismo. É importante sensibilizar o fumante quanto aos problemas relacionados ao cigarro para que ele mesmo opte por parar de fumar e busque tratamento se necessário. Alguns estímulos externos podem ajudar nessa decisão, como orientação médica, apoio familiar, restrição à publicidade do tabaco e divulgação ampla de seus malefícios, restrições legais quanto ao fumo em ambientes coletivos, mas é fundamental também o estímulo interno, ou seja, a determinação do indivíduo em mudar. O tratamento em grupo também tem sido utilizado com resultados positivos, uma vez que o apoio mútuo e a troca auxiliam no processo de abandono do cigarro.

 

SERVIÇO:

Unidades de tratamento do fumante por Região de Saúde

1ª Região de Saúde: Arês, Brejinho, Espírito Santo, Goianinha, Lagoa Salgada, Monte Alegre, Nísia Floresta, Nova Cruz, Santo Antônio, São José de Mipibu, Tibau do Sul e Vera Cruz.

2ª Região de Saúde:        Areia Branca, Augusto Severo (Campo Grande), Caraúbas, Felipe Guerra, Grossos, Janduís, Messias Targino, Mossoró e Tibau.

3ª Região de Saúde:        Caiçara do Norte, Ceará-Mirim, Galinhos, Guamaré, Ielmo Marinho, Jandaíra, João Câmara, Macau, Parazinho, Poço Branco, Pureza, Riachuelo, São Bento do Norte, São Miguel do Gostoso e Touros.

4ª Região de Saúde: Caicó, Currais Novos, Florânia, Lagoa Nova, São Vicente, Serra Negra do Norte e Tenente Laurentino Cruz.

5ª Região de Saúde: Barcelona, Bom Jesus, Santa Maria, Serra Caiada (Januário Cicco) e São Pedro

6ª Região de Saúde: Alexandria, Almino Afonso, Doutor Severiano, Encanto, Francisco Dantas, João Dias, José da Penha, Luís Gomes, Martins, Messias Targino, Patu, Pau dos Ferros, Pilões, Riacho de Santana, São Francisco do Oeste, Severiano Melo e Viçosa.

7ª Região de Saúde: Extremoz, Macaíba, Parnamirim, Natal, São Gonçalo do Amarante.

8ª Região de Saúde: Açu, Alto do Rodrigues, Angicos, Ipanguaçu, Porto do Mangue, Serra do Mel, Triunfo Potiguar.

Unidades de Tratamento do Fumante em Natal

Natal   UBS Pirangi (APTAD), HUOL, UBS Bela Vista, USF Aparecida, USF Brasília Teimosa, USF Nova Cidade, USF Monte Líbano, USG Gramoré, ESF José Sarney, ESF Vista Verde, UFRN (Campus Salgado Filho), Hospital Psiquiátrico Prof. Severino Lopes, UBS Pajuçara, UBS Mirassol, USF Cidade Praia, UM Felipe Camarão, USF Nordelândia, USF Nova Natal.

Sesap/Assecom