terça-feira , 22 de outubro de 2019
Home / Opinião / Reflexões Teológicas – Riiacardo Alfredo

Reflexões Teológicas – Riiacardo Alfredo

SÓ PARA PENSAR…

“Porque eu, o SENHOR, teu Deus, te tomo pela tua mão direita e te digo: não temas, que eu te ajudo”. (Isaías 41:13).

ASSÉDIO MORAL NO TRABALHO.

O tema assédio moral é relevante, pois em nos dias, tanto o conceito como as espécies e os elementos caracterizadores do assédio moral, tornou-se prática em determinados setores das sociedades. E assim, grande parte dos juristas vem escrevendo e ensinado sobre os males sociais que o assédio traz a sociedade, principalmente a classe trabalhadora.

Para o escritor e pesquisador Vólia Bomfim Cassar, o assédio é “o termo utilizado para designar toda conduta que cause constrangimento psicológico ou físico à pessoa”.

O assédio moral, dentro do local de trabalho, é caracterizado por condutas abusivas praticadas pelo empregador ou mesmo por seus agentes, de forma direta ou indiretamente, onde o empregado é afetado em seu estado psicológico.

Para o professor Sérgio Pinto Martins, assediar significa “importunar, molestar, aborrecer, incomodar, perseguir com insistência inoportuna. Assédio quer dizer cerco, limitação”.

De acordo com o professor Sérgio o assédio moral, consiste em: “uma conduta ilícita, de forma repetitiva, de natureza psicológica, causando ofensa à dignidade, à personalidade e à integridade do trabalhador. Causa humilhação e constrangimento ao trabalhador. Implica guerra de nervos contra o trabalhador, que é perseguido por alguém.”

Num mundo desumanizado e de competição acirrada, encontramos pessoas que fazem questão de fazer o mal, por amor ao mal. Os quais se esqueceram de que um dos principais princípios da boa conduta cristã é a misericórdia e a generosidade com próximo. Por outro lado, encontramos pessoas que fazem o bem, não por se sentirem melhor do que o outro, mais por ter dentro de si a fagulha da centelha divina.

Disto isto, vamos entrar no universo do trabalho, que é a segunda casa de qualquer pessoa, e descobriremos como a lei, o código de ética e a boa conduta deve nos reger no trabalho.

O trabalho é algo dado por Deus, ponto de vista teológico, para desenvolver a condição de dignidade e aprendizado. Então, o trabalho é o melhor meio para o crescimento da pessoa como ser humano. Mesmo sendo algo digno, em muitos casos o trabalho por ser doloroso e triste, quando de forma irracional, alguém é assediado moralmente. E desta violência sofrida, do assédio moral, temos condutas que são violentas e ataques psicológicos contra o empregado que pode levar a doenças psicológicas e até a morte, pois o indivíduo assediado passa a sentir a dor do desprezo e da humilhação pública.

O ato de assédio ter por característica a exposição do empregado a situações vexatórias e humilhantes, que são: tratar de forma arrogante e humilhante, usar de xingamentos diante dos colegas de trabalho, estabelecer metas inatingíveis, negar folga, negar licença sem justificativa plena, falar com rigor excessivo ou colocar “apelidos” constrangedores. Essas ações, sendo reiteradas ou com frequência, tornam impossível a continuação do empregado em sua função ou mesmo em seu emprego. E é causador de danos psicológicos e até físicos, e doenças que estão relacionada diretamente ao estresse causado pelo assediador.
A sociedade vem sofrendo diversos tipos de distúrbios mentais relacionados com as condições de trabalho, da vida corrida, do uso desacerbado de tecnologias e do capital brutal que aplica a necessidade do ter e ser, e estes são considerados os males da modernidade. Apesar das semelhanças nos temas citados, o nosso ponto de discursão é o assédio no trabalho.

O comportamento humanos é quase sempre por semelhança, e para fazer parte do grupinho de trabalho, alguns passam a imitar os seus chefes e acertam, de forma clara, a humilhação de seus colegas de trabalhos, (isso acontece sempre nas secretarias de municípios, onde grande parte é cargo comissionado e pensam que pode tudo, e pior, por trás deles estão alguns vereadores com acesso a prefeitura). Esses assediadores, quase sempre são amigos do chefe, amigos de sair juntos para bebedeiras e farras. O que torna comum o conluio para a humilhar quem deles discordem, e assim, os demais ficam em silêncio por medo de serem tratados da mesma forma ou perder sua posição dentro do ambiente de trabalho.

A perseguição para que o empregado se senta humilhado e peça demissão ou transferência, é o principal fator do assédio moral (nas secretarias de municípios acontecem sempre). por outro lado, temos a mesma perseguição dentro das secretarias municipais visto que aquele que é eleito nomeia vários cargos comissionados, (o que é lamentável) e os mesmos passam a atuação dentro dos órgãos públicos apenas com a visão de fazer o melhor para quem o nomeio e não para o interesse público. Por esse motivo quem discorda de alguns interesses do grupo dominante, logo é colocado de lado e perseguido de forma desproporcional e brutal.

Secretarias que deveriam ser de educação é apenas uma fonte de emprego dos amigos ou de grupinhos que usam de artimanhas, de modo a forçar o servidor de carreira a pedir transferência, pois os mesmos tem medo de perder seu lugar (conquistado pelo seu padrinho político)

A capacidade, a formação, o equilíbrio e o curriculum do servidor de carreira não importa, se ele não é um carregador de bolsa ou mesmo um serviçal de quem está no poder temporal, ele não serve para estar nas secretarias.

Vários mestres, doutores e escritores estão na sala de aula de 6º a 9º ano, não que está na sala de aula seja uma desora, pelo contrário é uma honra, porém, a boa e saudável ética ensina que os melhores, com os melhores curriculum deveriam ser no mínimo consultados nos rumos da educação. Mais a realidade é outra, o que temos é secretarias abarrotadas de serviçais, sem capacidade ou preparo, tendo apenas como virtude, se é que pode ser uma virtude, ser serviçal. E pior serviçal do poder, e não do povo, o que seria uma honra.

Eis alguns fatores que causam o assédio moral, os quais nunca são punidos pois o assediador sempre é do grupinho dominante. São eles:

1- Separado dos demais, propositalmente, para justificar o assédio;

2- Atalhado quando vai se expressar sem justificativa e as vezes de forma rude;

3- Fragilizado, zombado e depreciado na frente dos colegas;

4- Tratado com ignorante;

5- Torna-se emocionalmente e profissionalmente abalado, o que leva a perder a autoconfiança e o interesse pelo trabalho;

6- Propenso a doenças;

7- Forçado a pedir demissão ou transferência, no caso de ser funcionário público.

 

Outros fatores que caracteriza o assédio moral no trabalho, são: 

 

1- Se comporta através de gestos e condutas abusivas e constrangedoras;

2- Procura inferiorizar, amedrontar, menosprezar, difamar, ironizar, dar risinhos;

3- Faz brincadeiras de mau gosto;

4- Não cumprimenta e é indiferente à presença do outro;

5- Solicita execução de tarefas sem sentido e que jamais serão utilizadas;

6- Controla (com exagero) o tempo de idas ao banheiro;

7- Impõe horários absurdos de almoço, etc.

Portanto é necessário que toda a sociedade venha a intervir neste mal que atormenta de forma psicológica ou mesmo física a quem é assediado. E ao mesmo tempo esta mesma sociedade organizada tenha a intenção de deter o ser humano egoísta, causador do assédio moral, que se julga superior à sua vítima, para que possa se preservar o que é bom e justo no seio da sociedade. E assim, todos possam ter direito a uma vida digna, justa e igualitária com anuncia a Constituição Federal

APRENDIZADO I

“A mulher de Deus passa desapercebida. Sua vida destaca tanto Cristo, que ela desaparece”. (Teólogo: João Calvino)

 

APRENDIZADO II

“Para os que desconhecem a educação, vos digo, ela é feita com humanismo e dignidade.” (Escritor: Ricardo Alfredo)

 

CONVITE ACJUS – Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró.

 

foto 01 (3) 

 

PENSAMENTO I

“A humildade reconhece a própria limitação e necessidade. Está aberta a receber ajuda, a ser ensinada e não se ressente de um bom conselho”. (Teólogo: John Piper)

 

CHAMADO

 

foto 02 (3) 

 

PENSAMENTO II

“Quando tudo parece escuro e perdido, eu olho para Cristo, o eterno farol de Deus”. (Teólogo e Escritor: Ricardo Alfredo)

 

HUMANISMO E DIGNIDADE

 

foto 03 (3)

 

Todos os que vem acompanhado a vida do amigo e irmão Wellington Barreto logo percebem que ele é uma pessoa humanista e cheia de dignidade. Nos sentimos honrado em ser seu amigo.

 

PENSAMENTO III

“Se você crê somente naquilo que gosta no evangelho e rejeita o que não gosta, não é no evangelho que você crê, mas, sim, em si mesmo”. (Santo Agostinho)

 

ACONTECEU …. ANIVERSÁRIO

 

foto 04 (3)

PENSAMENTO IV

“O cristão vive não em si mesmo, mas em Cristo e no próximo. De outro modo, ele não será um cristão”. (Teólogo: Martinho Lutero)

 

ANIVERSARIANTES DO MÊS DE SETEMBRO

Parabéns aos grandes imortais. Verdadeiros balaústres da cultura potiguar e nacional. Que o Rei eterno (Jesus Cristo), lhes abençoe com sua graça magnifica e com sua eterna misericórdia.

foto 05 (2)

ANIVERSARIANTE DE AGOSTO.

 

foto 06 (2)

 

O amigo e irmão Laíre Rosado Filho é um médico e político brasileiro, que foi deputado federal pelo Rio Grande do Norte. Nascimento em 28 de agosto de 1945 (idade 74 anos), mora em Mossoró, Rio Grande do Norte. É um grande ser humano, e tem demonstrado no dia a dia o que é ser um verdadeiro cidadão. Parabéns bom amigo, que Deus continue lhe dando a sua graça e o seu amor.

LIÇÕES DA VIDA:

Uma Vida Humilde

As pessoas humildes são as mais fortes, porque elas sabem que ainda precisam aprender muito, lutar muito, estudar muito, suar muito para conseguir alcançar o que desejam.

O humilde não se vangloria quando conquista uma vitória, pois ele sabe que fazer isso é deixar a porta aberta para a inveja e para o fracasso.

Viver de forma humilde é a maneira mais sábia de todas, porque a humildade nos ensina a aceitar os altos e baixos da vida, e que na realidade, apesar de todas as diferenças, ninguém é melhor do que ninguém.

PENSAMENTO V

“Há três situações que eu gostaria de ter vivido. São elas: ter conhecido Jesus pessoalmente; ter visto o Império Romano em seu esplendor e ter ouvido a pregação de Paulo”. (Teólogo: Santo Agostinho)

DAS MAIS BELAS CANÇÕES CRISTÃS

O Eterno Fanal (Feliciano Amaral)

Noite azul, céu sereno
Num barco pequeno
Vou deslizando no mar
E a brancura da lua
Nas águas flutua
Numa beleza sem par

De longe parece
Ouvir-se uma prece
No vento, nas ondas
Na espuma quem em véu
Emoldura o caminho
Que passa o barquinho
Seguindo as estrelas
Que o guiam do céu

Mas em dado momento
Transforma-se o vento
Cessa da lua o clarão
E o mar tão bravio
É um desafio
Ao barco sem direção

Com voz de lamento
Do meu pensamento
Orei ao meu mestre
Com fé sem igual
E voltou a bonança
Vitória se alcança
Olhando pra Cristo
O eterno fanal

 

PENSAMENTO VI

“Assim como Jó, eu bem sei que o meu redentor vai levantasse e julgar minha causa”. (Teólogo: Ricardo Alfredo)

 

ACONTECEU…

 

foto 07 (2)

 

POEMAS – CLÁSSICOS DAS POESIAS

Ama a simplicidade
Ama a vida
Ama a beleza
Ama a Poesia
Ama as coisas que dão alegria
Ama a natureza e a reverência pela vida
Ama os mistérios
Ama Deus (Rubem Alves)

Geometria dos ventos
Eis que temos aqui a Poesia,
a grande Poesia.
Que não oferece signos
nem linguagem específica, não respeita
sequer os limites do idioma. Ela flui, como um rio.
como o sangue nas artérias,
tão espontânea que nem se sabe como foi escrita.
E ao mesmo tempo tão elaborada –
feito uma flor na sua perfeição minuciosa,
um cristal que se arranca da terra
já dentro da geometria impecável
da sua lapidação.
Onde se conta uma história,
onde se vive um delírio; onde a condição humana exacerba,
até à fronteira da loucura,
junto com Vincent e os seus girassóis de fogo,
à sombra de Eva Braun, envolta no mistério ao mesmo tempo
fácil e insolúvel da sua tragédia.
Sim, é o encontro com a Poesia.
(Poesia feita em homenagem ao poema Geometrida dos Ventos de Álvaro Pacheco). (Rachel de Queiroz)

PENSAMENTO VII

“Um único momento de beleza e amor justifica a vida inteira”. (Escritor: Rubem Alves)

 

ANIVERSARIANTES DO MÊS DE AGOSTO DA ACJUS

 

foto 08 (2)

 

Seis grandes personalidades que fazem a história de Mossoró e do RN… parabéns.

 

PENSAMENTO VIII

“O maior aprendizado é o silêncio, pois ele é forte, imponente e humilde”. (Teólogo: Ricardo Alfredo)

 

CRIAÇÃO…

 

foto 09 (2)

 

Minha amiga dr. Tanimá mostrado toda a sua sabedoria… parabéns.

 

PENSAMENTO IX

“De tantas angustias, perseguições e dores… aprendi a olhar, silenciar e esperar naquele que tem a melhor resposta”. (Teólogo: Ricardo Alfredo)

ACADEMIA MOSSOROENSE DE LETRAS – AMOL

 

foto 10 (2)

 

4º Concurso de Contos, Crônicas e Poesias

“João  Batista  Cascudo Rodrigues” – 2019 – Inscrições até 25 de outubro de 2019

Os trabalhos serão entregues diretamente ou enviados pelos correios para Academia Mossoroense de Letras – AMOL, na Sala 01, da Biblioteca Ney Pontes Duarte, Praça da Redenção Jornalista Dorian Jorge Freire, nº 17 – CEP 59.600 – 780, Centro – Mossoró/RN.

Academia Mossoroense de Letras – Praça da Redenção, nº 17 – Centro – Mossoró/RN – 59600-065 Fundada em 25 de setembro de 1988, a Academia Mossoroense de Letras – AMOL, em homenagem ao seu sócio fundador (in memoriam) “João Batista Cascudo Rodrigues”, torna público o Edital nº 01/2019, referente ao 4º Concurso de Contos, Crônicas e Poesias “João Batista Cascudo Rodrigues”, constante do seguinte

REGULAMENTO:

  1. Os candidatos podem concorrer com 01 (hum) texto de conto e/ou 01 (hum) texto de crônicas e/ou de poesia.
  2. Os textos deverão ser originais, isto é, nunca terem sido anteriormente publicados em jornal, revista ou livro, ou mesmo veiculados pela Internet ou quaisquer outros meios de comunicação.
  3. Os trabalhos deverão ser inscritos em português, com tema livre, digitados em papel A4, em uma só face do papel, enviados em 04 (quatro)
    • Só poderão concorrer autores norte-rio-grandenses, que residam em território do Rio Grande do Norte.
  4. Os contos e crônicas terão limite máximo de 15 (quinze) páginas e as poesias em no máximo 4 (quatro) páginas, em letra 12, fonte Arial, espaço 1.5.
  5. Cada texto deverá ser identificado apenas pelo título e pseudônimo, não podendo constar, de ne- nhuma forma, algo que identifique o seu
  6. Os textos de conto, crônica e de poesia deverão estar contidos em um só envelope e com um mes- mo pseudônimo, além de uma cópia em
    • Este envelope será acompanhado por um outro menor, lacrado, que terá na parte externa a indica- ção “4º CONCURSO DE CONTOS, CRÔNICAS E POESIAS JOÃO BATISTA CASCUDO RODRIGUES – AMOL”, título do trabalho e o pseudônimo do autor.

Os trabalhos serão avaliados por uma Comissão Julgadora, composta por pessoas com amplo conhecimento, experiência e saber em literatura.

  • A Comissão Julgadora será composta de 5 (cinco) membros, escolhida pela Direção da Academia Mossoroense de Letras – AMOL, podendo serem membros da Academia ou
  • Esta Comissão Julgadora terá plena e total autonomia na apreciação e julgamento dos textos apresentados, que deverão ser regidos pelos princípios de originalidade, técnica e arte literária.
  • A decisão da Comissão Julgadora terá caráter irrevogável.
  1. Serão premiados os 2 (dois) (primeiro e segundo lugares) melhores trabalhos, em cada categoria, recebendo os vencedores, os seguintes prêmios:

1º Lugar: – Conto – R$ 1.000,00 (mil reais) mais certificado;

1º Lugar: – Crônica – R$ 1.000,00,00 (mil reais) mais certificado;

1º Lugar: – Poesia – R$ 1.000,00,00 (mil reais) mais certificado;

2º Lugar: – Conto – R$ 500,00 (quinhentos re- ais) mais certificado;

2º Lugar: – Crônica – R$ 500,00 (quinhentos reais) mais certificado;

2º Lugar: – Poesia—R$ 500,00 (quinhentos reais) mais certificado.

  • Menções honrosas:

Além dos 2 (dois) primeiros lugares, haverá 5 (cinco) menções honrosas, que receberão os seguintes certificados.

  • Os trabalhos ganhadores serão publicados pela Coleção Mossoroense, em formato de coletânea.
  • Cada ganhador, e os que foram agraciados com menções honrosas, receberão, respectivamente, 10 (dez) e 5 (cinco)
  • Os concorrentes, ao se inscreverem no concurso, cedem todos os direitos autorais de veiculação e divulgação dos respectivos textos à Academia Mossoroense de Letras –
  • É vedada a participação dos membros da Academia Mossoroense de Letras, como
  1. Os trabalhos serão entregues, diretamente, ou enviados pelos correios, para a Academia Mossoroense de Letras – AMOL, Biblioteca Ney Pontes Duarte, Praça da Redenção Jornalista Dorian Jorge Freire, nº 17, Centro, Mossoró/RN, CEP: 59600-780.
    • Quando enviados, serão validados apenas os trabalhos contendo carimbo dos correios, até 31/08/2016, trinta e um de agosto de dois mil e dezes- seis.
    • A comunicação dos resultados do concurso será feita no final de setembro e a premiação posteriormente.

Mossoró/RN, 10 de julho de 2019.

Elder Heronildes da Silva Presidente da AMOL

 

EM TEMPOS ÁUREOS

Padre Sátiro em tempos áureos.

foto 11 (2)

REFLEXÃO

Salmos 12: 1-8

Salva-nos, SENHOR, porque faltam os homens bons; porque são poucos os fiéis entre os filhos dos homens.

Cada um fala com falsidade ao seu próximo; falam com lábios lisonjeiros e coração dobrado.

O Senhor cortará todos os lábios lisonjeiros e a língua que fala soberbamente.

Pois dizem: Com a nossa língua prevaleceremos; são nossos os lábios; quem é senhor sobre nós?

Pela opressão dos pobres, pelo gemido dos necessitados me levantarei agora, diz o Senhor; porei a salvo aquele para quem eles assopram.

As palavras do Senhor são palavras puras, como prata refinada em fornalha de barro, purificada sete vezes.

Tu os guardarás, Senhor; desta geração os livrarás para sempre.

Os ímpios andam por toda parte, quando os mais vis dos filhos dos homens são exaltados.

 

Estudo:

1- Versículos de 1 a 3 – Confiança em Deus diante da falsidade dos homens

2- Versículo 4 – Pedido de socorro por cauda da opressão dos maus.

3- Versículos de 5 a 7 – Deus é quem dar livramento.

4- Versículo 8 – A exaltação dos vis.

versículos de 1 a 3 – o coração do servo de Deus fica cheio de dúvidas e incertezas por ver o justo caminhar pela fé e ser maltratado pelos vis. Os quais sempre usam palavras mentirosa que destroem e machucam

versículo 4 O sentimento de profunda tristeza acompanha o salmista pro perceber e avaliar que os perversos usam sua língua para magoar e destruí quem se opõem a sua crueldade.

versículos de 5 a 7 – Diante da angustia do salmista, o próprio Deus se revela ao salmista e lhe mostra os seus planos e sua vontade que não pode ser impedida. E assim, Deus revela o seu julgamento sobre as palavras e intenções dos perversos.

versículo 8 – O Deus que tem domínio sobre tudo, também, anota as ações dos perversos e no seu tempo trará juízo sobre os tais, pois os mesmos sempre destruíram os que servem o que o serve. Por outro lado, o salmista não desiste de fazer o bem e luta contra o mal, esperando uma resposta do espirito santo.