segunda-feira , 16 de setembro de 2019
Home / Brasil / Reflexões Teológicas – Ricardo Alfredo
foto 03

Reflexões Teológicas – Ricardo Alfredo

APRENDIZADO  

“É observado os maus, que aprendemos a fazer o bem”. (Escritor.: Ricardo Alfredo)

 

PARA VOCÊ.

Você deve pensar que sou estúpido
Você deve pensar que eu sou um tolo
Você deve pensar que sou novo nisso
Mas eu já vi isso tudo antes

Eu nunca vou te deixar perto de mim
Mesmo que você signifique tudo para mim
Porque toda vez que eu me abro, dói
Então, eu nunca vou ficar muito perto de você
Mesmo que eu signifique tudo para você
Caso você vá embora e me deixe na lama

Mas quanto mais você me machuca, menos eu choro
E a cada vez que você me deixa, mais rápido estas lágrimas secam
E a cada vez que você vai embora, menos eu te amo
Meu bem, não temos chance, é triste, mas é verdade

Eu sou bom até demais em despedidas
(Eu sou bom até demais em despedidas)
Eu sou bom até demais em despedidas
(Eu sou bom até demais em despedidas)

Eu sei que você está pensando que eu não tenho coração
Eu sei que você está pensando que eu sou frio
Eu estou apenas protegendo minha inocência
Estou apenas protegendo minha alma

Eu nunca vou te deixar perto de mim
Mesmo que você signifique tudo para mim
Porque toda vez que eu me abro, dói
Então, eu nunca vou ficar muito perto de você
Mesmo que eu signifique tudo para você
Caso você vá embora e me deixe na lama

Mas quanto mais você me machuca, menos eu choro
E a cada vez que você me deixa, mais rápido estas lágrimas secam
E a cada vez que você vai embora, menos eu te amo
Meu bem, não temos chance, é triste, mas é verdade

Eu sou bom até demais em despedidas
(Eu sou bom até demais em despedidas)
Eu sou bom até demais em despedidas
(Eu sou bom até demais em despedidas)

Você não vai me ver chorar, de jeito nenhum
(Você não vai me ver chorar, de jeito nenhum)
Eu sou bom até demais em despedidas
(Eu sou bom até demais em despedidas)

Não, Não, não, não, não, não (eu sou bom até demais em despedidas)
Não, não, não, não, Não, não, não (eu sou bom até demais em despedidas)
(Você não vai me ver chorar, de jeito nenhum)
(Eu sou bom até demais em despedidas)

Porque quanto mais você me machuca, menos eu choro
E a cada vez que você me deixa, mais rápido estas lágrimas secam
E a cada vez que você vai embora, menos eu te amo
Meu bem, não temos chance, é triste, mas é verdade
Eu sou bom até demais em despedidas

 

PENSAMENTO I

“No meu coração há um silêncio… calmo e triste”. (Escritor.: Ricardo Alfredo)

 

ANIVERSÁRIO

 

foto 01 foto 02

 

Este mês de agosto é um mês abençoado. Nele, as minhas duas filhas fazem aniversário. No dia 16 de agosto é o dia de Isabelly Stefanny e no dia 18 é o dia de Mariah Yasmim.

Parabéns, minhas filhas! Que Deus abençoe sempre a sua vida com muita felicidade, amor, saúde e sucesso.

 

O SILÊNCIO

Aprendi…
Que o silêncio é a melhor resposta, quando se ouve uma bobagem.
Que amigos a gente conquista mostrando o que somos.
Que os verdadeiros amigos sempre ficam com você até o fim.
Que a maldade se esconde atrás de uma bela face.
Que quando penso saber de tudo ainda não aprendi nada.
Que a Natureza é a coisa mais bela na Vida.
Que amar significa se dar por inteiro.
Que ouvir uma palavra de carinho faz bem à saúde.
Que dar um carinho também faz…
Que sonhar é preciso.
Que se deve ser criança a vida toda.
Que nosso ser é livre.
Que Deus não proíbe nada em nome do amor.
Que o julgamento alheio não é importante.
Que o que realmente importa é a Paz interior.
E finalmente, aprendi que não se pode morrer
Pra se aprender a viver… (autor.: Desconhecido)

 

A POLÍTICA NO MEIO DO POVO DE DEUS

Quando pensamos ou mesmo falamos em política no meio do povo de Deus, logo, chegamos à conclusão que é possível temos um modelo Digno do exercício da caridade (amor ao próximo). E esse legado (caridade) é a lógica de Deus para que os homens possam entender o seu real papel no desenvolvimento da dignidade humana.

No senso comum, a política é a procura do bem comum. Por isso, a política tem sempre a ver com a sociedade e com a vida das pessoas: os salários, o preço do pão, as passagens de ônibus, as prestações da casa própria e até com o sistema escolar. Essa mesma política interfere na vida de cada cidadão.

A política está relacionada ao dia á dia do cidadão, na organização do viver juntos em sociedade, na produção de alimentos, na prestação de serviço e na distribuição de bens.

Para termos boas políticas públicas, são imprescindíveis, escolher bem os políticos que vai representar o povo. E para não errar na escolha, o primeiro passo é verificar o perfil tanto do partido, como do candidato, nos seguintes itens: quanto ao partido devemos: verificar o programa do partido; como o povo entra neste programa e se foi discutido nas comunidades. Quais são os benefícios ao bem comum. Quanto ao candidato é necessário verificar se: o candidato tem programa que beneficia o bem comum; observa sua biografia, tem trabalhos sociais e qual a sua ligação com as comunidades; avaliar se é representante das causas da justiça e da mudança social necessária. Estes são itens indispensáveis na busca de um bom representante parlamentar.

Como a formação de grande parte da população é cristã, não seria possível, numa decisão importante, deixamos de lado a bíblia, pois ela apresenta um modelo digno de governar e praticar justiça, sendo assim entraremos em suas informações sobre políticas de administração ou políticas públicas.

A Bíblia que é uma coletânea de livro que tem como base a formação espiritual e cidadã celeste. É um livro de característica religiosa, porém, com profunda orientação de todo proceder humano e com indicações de relações humanas.

Todavia, quando analisada de forma correta, fica perceptível, que é um livro de orientação também política, no sentido administrativo. E é uma forma de guiar o real compromisso político que todos os cristãos devem ter no seio da sociedade, madura e comprometida com a vida comum.

Em suas páginas estão escritas o caminho da vida e da liberdade, visto que os valores estão a cada dia sendo invertidos, a tal ponto que: ao bem os homens chamam de mal, e ao mal os homens chamar de bem. E tudo é normal.

O servo do Rei eterno deve ter as características do seu Senhor em sua vida. E destas, deve combater o mal, a corrupção, a fome, a doença, a injustiça e maldade que tento rodea de perto os corações.

E nesta estrada, aonde a escuridão da alma vem sendo assolada, a humanidade tem em mãos a bússola, que pode nos levar a um caminho firme e cheio de propósito. A bíblia é, foi, e sempre será a bússola de Deus para eternidade e o amor.

Vejamos na Bíblia as políticas de Deus junto ao povo e suas ações de libertação, anunciação, presença do reino, defesa dos oprimidos e fracos, amor ao próximo.

No livro de Êxodo a presença do rei eterno e universal, Deus, é revelada, como aquele que escuta o grito dos oprimidos e os liberta do escravizador. Quando a impiedade governa, o Espirito de Deus se manifesta para gerar liberdade e vida.

Em suas páginas, Antigo Testamento, encontramos personagens que movidos pelo Espirito de Deus anunciam entre o povo a justiça do eterno (políticas de Deus para os homens), eles são os Profetas, que apresentam o Deus da justiça, principalmente, dos mais fracos e indefesos. (Am 5,21-27; Is 1,10-17;58; Os 6, Jr 7; Zc 7).

 

Vejamos o texto bíblico e o relato traduzido pelo profeta Isaias. “Visão de Isaías, filho de Amós, que ele teve a respeito de Judá e Jerusalém, nos dias de Uzias, Jotão, Acaz, e Ezequias, reis de Judá. Ouvi, ó céus, e dá ouvidos, tu, ó terra; porque o Senhor tem falado: Criei filhos, e engrandeci-os; mas eles se rebelaram contra mim. O boi conhece o seu possuidor, e o jumento a manjedoura do seu dono; mas Israel não tem conhecimento, o meu povo não entende. Ai, nação pecadora, povo carregado de iniquidade, descendência de malfeitores, filhos corruptores; deixaram ao Senhor, blasfemaram o Santo de Israel, voltaram para trás. Por que seríeis ainda castigados, se mais vos rebelaríeis? Toda a cabeça está enferma e todo o coração fraco. Desde a planta do pé até a cabeça não há nele coisa sã, senão feridas, e inchaços, e chagas podres não espremidas, nem ligadas, nem amolecidas com óleo. A vossa terra está assolada, as vossas cidades estão abrasadas pelo fogo; a vossa terra os estranhos a devoram em vossa presença; e está como devastada, numa subversão de estranhos. E a filha de Sião é deixada como a cabana na vinha, como a choupana no pepinal, como uma cidade sitiada. Se o Senhor dos Exércitos não nos tivesse deixado algum remanescente, já como Sodoma seríamos, e semelhantes a Gomorra. Ouvi a palavra do Senhor, vós poderosos de Sodoma; dai ouvidos à lei do nosso Deus, ó povo de Gomorra. De que me serve a mim a multidão de vossos sacrifícios, diz o Senhor? Já estou farto dos holocaustos de carneiros, e da gordura de animais cevados; nem me agrado de sangue de bezerros, nem de cordeiros, nem de bodes. Quando vindes para comparecer perante mim, quem requereu isto de vossas mãos, que viésseis a pisar os meus átrios? Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação, e as luas novas, e os sábados, e a convocação das assembleias; não posso suportar iniquidade, nem mesmo a reunião solene. As vossas luas novas, e as vossas solenidades, a minha alma as odeia; já me são pesadas; já estou cansado de as sofrer. Por isso, quando estendeis as vossas mãos, escondo de vós os meus olhos; e ainda que multipliqueis as vossas orações, não as ouvirei, porque as vossas mãos estão cheias de sangue. Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos de diante dos meus olhos; cessai de fazer mal. Aprendei a fazer bem; procurai o que é justo; ajudai o oprimido; fazei justiça ao órfão; tratai da causa das viúvas”. (Isaías 1:1-17)

 

A missão de tais homens e mulheres é manter a visão de um padrão de cidadão que vai entrar no reino celestial, sendo capaz de influenciar na sociedade e nos modelos de justiça, cuidado com a natureza e fraternidade.

 

Já os Evangelhos, Novo Testamento, anuncia a chegada deste reino político, ou seja, do reino de Deus, o qual foi anunciado pelo Cristo aos homens. Tendo o grande significado de sua mensagem está na política de Deus sobre sua criação. Expressa sua vontade de completa libertação de tudo o que diminui e oprime o ser humano e a plena realização dos sonhos de um mundo aberto para Deus.

Na política humana, os acusadores de Cristo utilizaram como pretexto a sua pregação sobre o Reino de Deus: um reino de justiça, amor e paz, para apresentá-lo como um adversário político que poderia trazer problemas para Roma.

Eis alguns apontamentos para reflexão antes de se escolher alguém para ser representante:

1) Ao conversar dentro do assunto político, não seja um deslumbrado no amparo da bandeira partidária ou mesmo em sua defesa impertinente. A ponto de perdendo um “irmão” e “amigo”.

2) Escolha continuamente, ao dar sugestão ou mesmo uma opinião, sobre qualquer dos candidatos, não deixe seu voto ser revelado.  Pois ele é secreto.

3) quando apoiar um candidato, procure verificar sua identificação com os princípios morais da humanidade e da cristandade.

4) Não se aflija se ficar decepcionado, no fim de tudo. Como diz Paulo em 1Tm 3:6: Os homens irão “de mau a pior”. Não há esperança concreta de melhoras para este mundo. Nossa esperança definitiva está apenas no Reino de Deus. Apenas a pedra lançada “sem auxílio de mãos”, na visão de Dn 2:45, porá fim a este estado de coisas e trará o tempo da completa justiça.

Portanto, meus irmãos, devemos alimentar a mística, isto é, os grandes sonhos e a esperança de uma sociedade melhor, pois sem esperança nenhuma sociedade sobrevive.

 

PENSAMENTO II

“Quando a noite cai, a voz da consciência vem, e eu não quero conversar, sobre como você partiu meu coração”. (Escritor: Ricardo Alfredo)

 

POLÍTICA

1- Câmara instala comissão especial que analisará reforma da Previdência de militares.

2- Câmara instala comissão especial que analisará reforma da Previdência de militares.

3- Gasto dos estados para cobrir rombo com previdência foi de R$ 101,3 bilhões em 2018, diz Tesouro.

4- Bolsonaro retira pedido de urgência para votação do projeto de lei sobre porte de armas.

5- Bandidos de esquerda começaram a voltar ao poder’ na Argentina, diz Bolsonaro sobre vitória da oposição nas primárias.

6- ‘Diplomacia sem armas é como música sem instrumentos’, diz Eduardo Bolsonaro na Câmara.

7- Está difícil, diz Bolsonaro sobre escolha de novo procurador-geral da República.

(Fontes.: G1, Gauchazh)

 

DAS MAIS BELAS CANÇÕES CRISTÃS

Vou Voar (Marco Aurélio)

Vou voar em direção ao céu de Cristo

Isto foi Ele mesmo quem me prometeu

Vou voar pouco tempo aqui me resta

A minh’alma está com pressa

Sim com pressa de no céu chegar

Vou voar em direção ao céu de gozo

Repouso para sempre ali eu terei

Vou voar como voam os santos anjos

Serafins também arcanjos

Maravilhas ali desfrutarei

Vou voar nas asas do vento

Na hora e no tempo em que Deus me chamar

Vou voar quem dera fosse agora

Subir para a glória onde meu Deus está

Vou voar quem dera fosse agora

Subir para a glória onde meu Deus está

Vou voar

Vou voar

 

PENSAMENTO III

“Por que não acreditas em mim, se o que eu digo, vem da alma?” (Janai Dabir)

GIRO BRASIL

1- Câmara dos deputados federais aprovam projeto que endurece punição para abuso de autoridade.

2- Justiça Federal bloqueia R$ 20 milhões de Beto Richa a pedido da Lava Jato

3- Corrida para chefiar PGR embaralha, e Bolsonaro adia decisão sobre sucessão

4- Palocci relatou em delação repasses ilegais a Gleisi e filho de Lula, diz revista

5- Sergio Moro vem perdendo prestígio político em Brasília

6- Câmara aprova urgência para projeto que define crimes de abuso de autoridade. (Fonte: Gauchazh)

PENSAMENTO IV

“A maior parte do tempo de um escritor é passado na leitura, para depois escrever; uma pessoa revira metade de uma biblioteca para fazer um só livro”. (Samuel Johnson)

LIÇÕES DA VIDA:

O obstáculo no caminho.

Nos tempos antigos houve um rei que resolveu colocar uma grande pedra no meio da estrada e esconder-se para ver se alguém conseguia remove-la. Alguns dos seus súditos mais ricos que por ali passaram, simplesmente contornaram-na; muitos protestaram e insultavam o rei porque não garantia aos seus súditos a boa preservação dos caminhos que todos usavam, mas na verdade ninguém fez nada para remover aquela pedra da estrada.

Às tantas um camponês que carregava uma quantidade de legumes passou por ali e ao aproximar-se da pedra resolveu tentar remove-la da estrada. Depois de muito empurrar com grande esforço, conseguiu. Quando voltou a pegar na carga de legumes que transportava reparou que havia uma bolsa no chão exatamente onde estava antes a pedra; na bolsa estavam moedas de ouro e uma nota que indicava que quem removesse a pedra da estrada ficaria com as moedas.

Cada obstáculo é o mesmo, e afinal de contas, é uma oportunidade!

PENSAMENTO V

“O escritor é um homem que mais do que qualquer outro tem dificuldade para escrever”. (Thomas Mann)

CANÇÕES ETERNIZADAS

Eu Me Vi Tão Só (Roberto Carlos – Pra Sempre: Década de 80)

Eu me vi tão só
Enfrentando momentos difíceis de solidão
Sem ninguém pra me ouvir, e vivi tão só
Das lembranças contidas no meu coração
Sem saber pra onde ir e assim eu chorei
Pois tudo que eu te dei você não entendeu
Continuo só mesmo sem querer
Continuo só tentando te esquecer, te esquecer

Eu me vi tão só
E tentei esconder minha solidão
Mas eu não consegui e vivi tão só
Procurando no tempo uma solução

Pra esquecer de você vou tentar outra vez
A paz de um novo amor que eu preciso ter
Continuo só mesmo sem querer
Continuo só tentando te esquecer, te esquecer

Continuo só mesmo sem querer
Continuo só tentando te esquecer, te esquecer
Continuo só mesmo sem querer
Continuo só tentando te esquecer, te esquecer (Compositor: Mauro Motta e Eduardo Ribeiro)
 

PENSAMENTO VI

Eu sou um escritor difícil
Que a muita gente enquizila,
Porém essa culpa é fácil
De se acabar duma vez:
É só tirar a cortina
Que entra luz nesta escurez. (Mário de Andrade)

 

 

POEMAS – CLÁSSICOS DAS POESIAS

Augusto de Carvalho Rodrigues dos Anjos, poeta brasileiro, admirado e amado como simbolista ou parnasiano. Na linha do tempo, está coligado ao Pré-Modernismo, que é o período em que ocorreu a transição da literatura brasileira que precedeu as inovações modernistas.

Nasceu no dia 20 de abril de 1884, em Engenho Pau d’Arco, Paraíba e faleceu no dia 12 de novembro de 1914, na cidade de Leopoldina, Minas Gerais.

Poema: A lágrima – Augusto dos Anjos

A lágrima

– Faça-me o obséquio de trazer reunidos
Cloreto de sódio, água e albumina…
Ah! Basta isto, porque isto é que origina
A lágrima de todos os vencidos!

-“A farmacologia e a medicina
Com a relatividade dos sentidos
Desconhecem os mil desconhecidos
Segredos dessa secreção divina”

– O farmacêutico me obtemperou. –
Vem-me então à lembrança o pai Yoyô
Na ânsia física da última eficácia…

E logo a lágrima em meus olhos cai.
Ah! Vale mais lembrar-me eu de meu Pai
Do que todas as drogas da farmácia!

 

Poema: Saudade – Augusto dos Anjos

Saudade

Hoje que a mágoa me apunhala o seio,
E o coração me rasga atroz, imensa,
Eu a bendigo da descrença, em meio,
Porque eu hoje só vivo da descrença.

À noite quando em funda soledade
Minh’alma se recolhe tristemente,
P’ra iluminar-me a alma descontente,
Se acende o círio triste da Saudade.

E assim afeito às mágoas e ao tormento,
E à dor e ao sofrimento eterno afeito,
Para dar vida à dor e ao sofrimento,

Da saudade na campa enegrecida
Guardo a lembrança que me sangra o peito,
Mas que, no entanto, me alimenta a vida.

 

GRATIDÃO

 

foto 03

 

Recebendo das mãos do grande irmão e amigo Dr. Helder Heronildes o certificado de reconhecimento como palestrante. Sempre é uma honra falar para tão seleto Grupo de intelectuais. Agradecimento especial ao amigo e intelectual Wellington Barreto.

 

PENSAMENTO VII

“Nenhum escritor é bom a não ser que tenha sofrido”. (Henry Miller)

CONVITE – ACADEMIA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS DE MOSSORÓ – ACJUS

 

 

foto 04

 

PENSAMENTO VIII

“Aprendi a ficar em silêncio, esperando o Rei do universo, Responder!” (Teólogo: Ricardo Alfredo)

 

ACJUS PROMOVE EM AGOSTO UM INESQUECÍVEL EVENTO

 

foto 05

 

A Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró – ACJUS – orgulho da cultura mossoroense, dando continuidade ao calendário acadêmico de 2019 – realizará em breve um grande evento aqui em Mossoró.  Será no dia 23/08/2019, a partir das 19h, no auditório da OAB – Mossoró-RN, quando em mais uma etapa do Projeto Memória Acadêmica – Trajetórias – teremos uma Sessão Solene de cronologia e em Tributo a confreira MARIA HÉLDERI DE QUEIROZ DIÓGENES NEGREIROS – inesquecível e preclara associada que foi a primeira ocupante da cadeira 32.

Na presente sessão, a acadêmica MARIA CONCEIÇÃO MACIEL FILGUEIRA – segunda ocupante da citada cadeira, proferirá em sintonia com as normas regimentais em nome do nosso sodalício exaltação a   homenageada.

Sobre a professora e Dra. MARIA HÉLDERI DE QUEIROZ DIOGENES NEGREIROS- in memoriam, quando do seu passamento para o Oriente Eterno, disse o acadêmico FRANCISCO MARCOS ARAÚJO (cadeira 29):

“Foi acolhida hoje no Reino dos Céus, depois de 75 anos iluminando a terra, a amada Profa. Maria Hélderi de Queiroz Diógenes Negreiros. Embora o vínculo familiar direto seja restrito ao esposo Vassimon de Queiroz Negreiros, às filhas Valéria, Liane e Eliene, e aos seus quatro netos, a extensão dos que a ela se ligam por afeto, sentindo-se como se filhos fossem, contam-se em centenas e/ou milhares.

O pesar não é pela perda de uma colega, de uma amiga, da professora… A dor é por orfandade mesmo! Perdemos uma mãe! A Professora Hélderi foi mãe profissional de dezenas de professores da Faculdade de Direito, indistintamente de suas idades. Na UERN, fomos seus alunos de antanho, hoje (também por seu mérito!) colegas professores, mas filhos adotivos in perpetuum.

É fato sabido que a experiência da vida humana cumpre-se sob a influência de três paradoxos: o da subjetividade, o da liberdade e o do tempo.

Na ordem invertida, começando pelo tempo, a Profa. Hélderi marcou indelevelmente a história da UERN. Ela foi uma das primeiras alunas do Curso de Direito da antiga Fundação. Ingressou no ano de 1976, formou-se em 1981 e foi sua primeira professora já em 1982. Vanguardista, mudou de aluna para professora de um ano para o outro. Naquela época, a cátedra nas Faculdades de Direito era ambiente hostil às mulheres. Equiparou-se em pioneirismo às paulistanas Esther de Figueiredo Ferraz e Ada Pellegrini Grinover, e à pernambucana Bernadete Neves Pedrosa.

No campo da liberdade, ninguém foi mais autentica, livre em ação e pensamento do que ela. Eram suas características marcantes: a franqueza no diálogo; a posição intimorata e o destemor da voz elevada mesmo diante de homens sisudos; a posição mediadora, porém resoluta de quem determinava; o desejo permanente de manter uma organização mínima na FAD, contra um insurreto grupo de desorganizados e impontuais jovens professores, entre outros feelings. Talvez tenha sido eu quem mais tenha lhe dado trabalho quanto a falta rigidez de horários, entrega de diários etc, Firme no conselho do poeta florentino Dante Alighieri (“Contra razão melhor, razão não luta” – contra niglior voler, voler mal pugna), sempre fui vencido pela sua racional autoridade profissional e aconselhamento materno.

Quanto à sua dimensão humana subjetiva, Heidegger ensinava que é no espaço público que demonstramos a forma de “ser-uns-com-os-outros em nosso estar-relacionado com as coisas que nos encontram”. Frase complicada apenas para dizer que as interações sociais é quem validarão o prestigio e o respeito que a comunidade lhe terá. Nesse ponto, ela foi “Doutora”. Soube se relacionar tão bem com todos que, num ambiente onde sobejam vaidades tolas, ela era a única unanimidade. O poeta britânico Alexander Pope dizia que “encantos impressionam a vista, mas o mérito ganha o coração” (Charms strike the sight, but merit wins the soul). E era somente por absoluto mérito que a Professora Hélderi tinha a designação semiperpétua dos cargos de Chefe de Departamento e Diretora da Faculdade de Direito. Foi nessa paradoxal condição de chefe que ganhou a admiração e a estima de todos nós. Talvez tenha sido o que mais tenha lhe dado trabalho

No campo pessoal, encarnava uma porção chic e uma versão pop. Vestia-se pomposamente para grandes eventos, como poderia colocar apenas sandálias de dedo e pareceria sempre a mais elegante e bela do lugar. É porque, como dizia o bardo Shakespeare “a beleza nos parece ainda mais bela quando a virtude, doce e amável, a ornamenta.”  (Soneto LIV). Por graça, sempre brincávamos em tocar seus cabelos perfeitamente gomalinados e armados com laquê, fazendo tiradas na comparação da “armadura” com a cabeleira da atriz Aracy Balabanian.

Tinha ciência e proficiência como advogada e docente, mas também sabia ser dona de casa. Coordenava pessoalmente as atividades de casa, especialmente para cuidar zelosamente do esposo Vassimon, seu eterno príncipe. Neste século do feminismo arrogante que não permite a convivência das duas personalidades (a mulher profissional e a dona de casa), como se fossem comportamentos excludentes, ela mandava às favas esse divisionismo de competências e a episteme feminista monocular que incensa a mulher somente pela sua ocupação profissional.

Tinha a sabedoria do coração alimentado pelo vetor da maternidade, acolhendo a todos com singeleza e a particularizada atenção humanizada. Com sutileza e grandeza de espírito evocava sobre todos nós, os seus comandados, simplicidade, amor e amizade. Ela se foi. Deixou aqui muitos órfãos. Foi mãe funcional. Ensinou que a maternidade adotiva funcional é fruto da disponibilidade para a compreensão, tolerância na diversidade, entendimento sem genuflexão, acolhimento, e, sobretudo, a fixação de uma linguagem de amor. Foi ela quem nos ensinou que a vida revela-se no amor; a paz revela-se no amor; a simplicidade revela-se no amor; a humildade revela-se no amor; a verdade é o puro amor.

Com o seu trabalho operoso, vivaz, sereno, daquilo que todos conhecemos de seu coração, a Professora Hélderi sempre será para nós aquilo que o tempo é para a eternidade: perene, inesgotável, perpétuo.

Com a voz embotada, coração enlutado, lágrimas nos olhos e tristeza na alma, nessa hora só podemos dizer: Requiescat in pace, in perpetuum mãe Hélderi!

Marcos Araújo é Advogado – Mestre em Direito Constitucional Professor da Universidade do Estado do Rio Grande do norte.

 

PENSAMENTO IX

“Escritor: não somente certa maneira especial de ver as coisas, senão também uma impossibilidade de as ver de qualquer outra maneira”. (Carlos Drummond de Andrade)

 

ACADEMIA MOSSOROENSE DE LETRAS – AMOL

 

foto 06

 

4º Concurso de Contos, Crônicas e Poesias

“João  Batista  Cascudo Rodrigues” – 2019 – Inscrições até 25 de outubro de 2019

Os trabalhos serão entregues diretamente ou enviados pelos correios para Academia Mossoroense de Letras – AMOL, na Sala 01, da Biblioteca Ney Pontes Duarte, Praça da Redenção Jornalista Dorian Jorge Freire, nº 17 – CEP 59.600 – 780, Centro – Mossoró/RN.

Academia Mossoroense de Letras – Praça da Redenção, nº 17 – Centro – Mossoró/RN – 59600-065 Fundada em 25 de setembro de 1988, a Academia Mossoroense de Letras – AMOL, em homenagem ao seu sócio fundador (in memoriam) “João Batista Cascudo Rodrigues”, torna público o Edital nº 01/2019, referente ao 4º Concurso de Contos, Crônicas e Poesias “João Batista Cascudo Rodrigues”, constante do seguinte

REGULAMENTO:

  1. Os candidatos podem concorrer com 01 (hum) texto de conto e/ou 01 (hum) texto de crônicas e/ou de poesia.
  2. Os textos deverão ser originais, isto é, nunca terem sido anteriormente publicados em jornal, revista ou livro, ou mesmo veiculados pela Internet ou quaisquer outros meios de comunicação.
  3. Os trabalhos deverão ser inscritos em português, com tema livre, digitados em papel A4, em uma só face do papel, enviados em 04 (quatro)
    • Só poderão concorrer autores norte-rio-grandenses, que residam em território do Rio Grande do Norte.
  4. Os contos e crônicas terão limite máximo de 15 (quinze) páginas e as poesias em no máximo 4 (quatro) páginas, em letra 12, fonte Arial, espaço 1.5.
  5. Cada texto deverá ser identificado apenas pelo título e pseudônimo, não podendo constar, de ne- nhuma forma, algo que identifique o seu
  6. Os textos de conto, crônica e de poesia deverão estar contidos em um só envelope e com um mes- mo pseudônimo, além de uma cópia em
    • Este envelope será acompanhado por um outro menor, lacrado, que terá na parte externa a indica- ção “4º CONCURSO DE CONTOS, CRÔNICAS E POESIAS JOÃO BATISTA CASCUDO RODRIGUES – AMOL”, título do trabalho e o pseudônimo do autor.

Os trabalhos serão avaliados por uma Comissão Julgadora, composta por pessoas com amplo conhecimento, experiência e saber em literatura.

  • A Comissão Julgadora será composta de 5 (cinco) membros, escolhida pela Direção da Academia Mossoroense de Letras – AMOL, podendo serem membros da Academia ou
  • Esta Comissão Julgadora terá plena e total autonomia na apreciação e julgamento dos textos apresentados, que deverão ser regidos pelos princípios de originalidade, técnica e arte literária.
  • A decisão da Comissão Julgadora terá caráter irrevogável.
  1. Serão premiados os 2 (dois) (primeiro e segundo lugares) melhores trabalhos, em cada categoria, recebendo os vencedores, os seguintes prêmios:

1º Lugar: – Conto – R$ 1.000,00 (mil reais) mais certificado;

1º Lugar: – Crônica – R$ 1.000,00,00 (mil reais) mais certificado;

1º Lugar: – Poesia – R$ 1.000,00,00 (mil reais) mais certificado;

2º Lugar: – Conto – R$ 500,00 (quinhentos re- ais) mais certificado;

2º Lugar: – Crônica – R$ 500,00 (quinhentos reais) mais certificado;

2º Lugar: – Poesia—R$ 500,00 (quinhentos reais) mais certificado.

  • Menções honrosas:

Além dos 2 (dois) primeiros lugares, haverá 5 (cinco) menções honrosas, que receberão os seguintes certificados.

  • Os trabalhos ganhadores serão publicados pela Coleção Mossoroense, em formato de coletânea.
  • Cada ganhador, e os que foram agraciados com menções honrosas, receberão, respectivamente, 10 (dez) e 5 (cinco)
  • Os concorrentes, ao se inscreverem no concurso, cedem todos os direitos autorais de veiculação e divulgação dos respectivos textos à Academia Mossoroense de Letras –
  • É vedada a participação dos membros da Academia Mossoroense de Letras, como
  1. Os trabalhos serão entregues, diretamente, ou enviados pelos correios, para a Academia Mossoroense de Letras – AMOL, Biblioteca Ney Pontes Duarte, Praça da Redenção Jornalista Dorian Jorge Freire, nº 17, Centro, Mossoró/RN, CEP: 59600-780.
    • Quando enviados, serão validados apenas os trabalhos contendo carimbo dos correios, até 31/08/2016, trinta e um de agosto de dois mil e dezes- seis.
    • A comunicação dos resultados do concurso será feita no final de setembro e a premiação posteriormente.

Mossoró/RN, 10 de julho de 2019.

Elder Heronildes da Silva Presidente da AMOL

 

PENSAMENTO X

“Ao olhar para o calvário, encontrei um olhar de misericórdia e amor.” (Teólogo: Ricardo Alfredo).

REFLEXÃO

Salmos 11 – A confiança no Senhor

1- No Senhor confio; como dizeis à minha alma: Fugi para a vossa montanha como um pássaro?

2- Pois eis que os ímpios armam o arco, põem as flechas na corda, para com elas atirarem ocultamente aos retos de coração.

3- Se os fundamentos forem destruídos, o que pode fazer o justo?

4- O Senhor está no seu santo templo; o trono do Senhor está nos céus; os seus olhos estão atentos, e as suas pálpebras põem à prova os filhos dos homens.

5- O Senhor põe à prova o justo; porém a sua alma odeia o ímpio e o que ama a violência.

6- Sobre os ímpios fará chover laços, fogo, enxofre, e vento tempestuoso; isso será a porção do seu copo.

7- Porque o Senhor é justo, e ama a justiça; o seu rosto olha para os retos.

 

O Salmista usando a ideia da perfeição compôs o salmo 11 apenas com sete versículos. A sua mensagem esta dividida da seguinte forma: “No (v. 1) no SENHOR confiar”, no (v. 2) as ciladas dos ímpios, no (v. 3) os fundamentos da justiça, no (v. 4) “Seu santo templo”, no (v. 5) o justo provado, no (v. 6) a vingança do Senhor, no (v. 7) o Senhor ama a justiça.

A principal ideia deste salmo é andar em retidão, pois a tudo Deus contempla, assim como sonda o coração humano. As provas não vêm para nos reprovar, mas para fortalecer ao justo e resgatar ao ímpio (v. 5). Só que chegará o dia em que a graça dará lugar ao juízo (v. 6) e todos aqueles que não largaram o pecado, receberão o que não foi preparado para ser humano algum, mas “para o diabo e seus anjos” (Mateus 25:41).