quarta-feira , 26 de setembro de 2018
Home / Destaques / Policiais Militares e Bombeiros encerram paralisação nesta quarta-feira
Policiais Militares e Bombeiros encerram paralisação nesta quarta-feira
Termo de Ajustamento de Gestão (TAG) deve ser apreciado pela categoria.

Policiais Militares e Bombeiros encerram paralisação nesta quarta-feira

Representantes dos policiais civis, militares e do Corpo de Bombeiros se reuniram com o governador Robinson Faria na terça-feira, 09, para debater a paralisação da classe, iniciada no último dia 19 de dezembro de 2017. Na reunião, foi decidido que os PMs e Bombeiros iriam voltar às atividades na medida do possível nesta quarta-feira, 10, e aguardar a aprovação do Termo de Ajustamento de Gestão (TAG) para encerrar a paralisação.

“Vamos nos reunir com a anuência do governador, concordando com todos os termos que foram debatidos em reunião anterior, para redigir esse TAG e submetê-lo em assembleia da categoria e a retornar as atividades”, disse o presidente a Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais Militares e Bombeiros Militares do RN (ASSPMBMRN), Eliabe Marques.

O TAG só deve ficar pronto na manhã desta quarta-feira, 10, e segue para ser apresentado em caráter formal aos policiais, em nova assembleia, prevista para as 10h. O documento contem 18 reivindicações da categoria. “O caminho é pelo encerramento da paralisação. A assembleia já deliberou isso e estamos aguardando o TAG para fazer a leitura junto aos demais companheiros, mas já voltamos ao trabalho amanhã dentro das condições possíveis”, afirmou Eliabe Marques.

O Termo que esta sendo elaborado é basicamente norteado por três pautas:

Regularização dos pagamentos dos salários e do 13º: o governo do estado anunciou que quitaria os vencimentos de dezembro na próxima sexta-feira, dia 12, e o 13º salário está sob estudo.

Melhoria nas condições de trabalho: ficou definido que o Estado vai usar recursos federais para fazer manutenção de viaturas e adquirir equipamentos de segurança como coletes balísticos, além de munições.

Anistia das punições por conta da paralisação: o Estado assume o compromisso de fazer a conciliação para retirar as punições.

Robinson Faria pôs sobre a crise econômica a culpa pelos atrasos nos pagamentos dos servidores, mas afirmou que a situação deve ser resolvida em breve. “Os salários não foram quitados em dia por não ter condições de pagar, mesmo tendo passado meses entre idas e vindas de Brasília tentando levantar recursos. Por vários motivos não conseguimos, e isso não quer dizer que desistimos. A luta persiste”, afirmou o governador.

Também na terça-feira, os policiais civis decidiram em assembleia por fim à paralisação. A categoria estava em mobilização desde o dia 20 de dezembro. O atendimento nas delegacias e demais serviços já foi normalizado.