sexta-feira , 23 de junho de 2017
Home / Universo / Poesias / Poesias

Poesias

…*
Ângela Rodrigues Gurgel
Mossoró/RN
[email protected]

Em seu jeito de (não) ser
Fotografou cada instante,
Eternizando a efemeridade
Daqueles rostos anônimos…

*Da Série Poesia sem Títulos

Bis
Ana Nascimento
São Paulo/SP

Você falou para mim que passou.
Respirei fundo,
Com o peito cheio de dor,
Respondi.
Pra você talvez,
Pra mim não.
Nossa história,
Foi cheia de emoção,
Tribulação.
Sei que guarda,
O pouco que fiz de ruim,
E torna a sua defesa.
Mais pode ter a certeza,
Que sopraram pra mim,
Que essa história,
Que teve um final infeliz,
Inesperadamente haverá,
Um novo bis.

Que tudo isso não seja mera ilusão
Francisco Roberlânio
Umarizal/RN

Quem ama sente falta,
Não esquece…
Quem ama procura,
Não desaparece…

Quem ama demonstra,
E se dar sem temer…
Não espera primeiro receber.

Mas
Se tudo isso é um sonho
Não me acorde
Com a dor de mais uma desilusão,
Seria dor demais num só coração.

Por isso
Só te peço
Que me entenda
E faça tudo isso valer a pena.

Dentro de mim
Maria Betânia Oliveira da Costa
Mossoró/RN

Dentro de uma voz
Existem várias frases que ficaram por dizer.
Dentro de cada um de nós
Várias sintonias que deixaram de viver.

Dentro do olhar,
Pouco a falar, muito a dizer,
Sabendo que deveras sentimos
A essência de um outro ser.

Dentro de mim, então,
Há vários impulsos a me corroer…
Uma tal de solidão,
Me fez aproximar de um outro ser.

Agora, a mesma voz
Que calava a dizer,
Hoje retrata o espetáculo
Do espaço que tu ocupastes em meu ser.

Dentro de mim, existe vários enganos,
Mas encontrei um novo conceito de viver…
Se existe vida,
Vivo por que a vida estar em amar você.

O ofício de ser poeta
Bruno Coriolano – Prof. IFRN
Apodi- RN

Homem comum, mas com poder de persuasão,
Segue ele a mesma rotina todo ano.
O mundo pode até acabar sem explicação.
Mas o poeta observa um momento banal do cotidiano.

Ele cria e recria o mundo à sua volta
Encara a vida com coragem e fica forte como o vento.
Libera o pensamento que do espírito se solta.
E nunca fecha ao criminoso a porta do arrependimento.

O poeta é como o bambu: resistente por fora, macio por dentro.
Ele é um ilusionista por excelência,
É o ser mais simples, mesmo estando no centro.
Sabe que “a existência precede e governa a essência”.

HEREGE
Renato Dieckson
Gurupi/TO

Saio de mim mesmo
A procura de teu amor
Morro no caminho
Encontro o pecado
Encontro o medo
Penso após minha morte
Amor poder encontrar
Porém ali tu não estás
Vago sozinho
Perambulando eternamente
Graças a um pecado
Sem arrependimento
Pois morri em busca de meu amor
Renato Dieckson

À Noite
Leylyane Rafaela
Mossoró

É noite, a saudade me bate a porta
Como faz a cada anoitecer
E para mim o que importa
É tentar sobreviver.

A dor se torna gigante
Tudo sou só eu na madrugada
Com minha presença agonizante
Que nada diz, fica calada.

E a cada noite eu perco a calma
E a cada noite perco minha sanidade
E a cada noite eu perco a alma
Que se rasga de tanta saudade.

Sinto que certa noite morrerei
Talvez eu seja mesmo afetada pela lua
E um dia ela me matará, eu sei
E sei também que a culpa será sua.

CONEXÃO
Sílvio Atanes
Santos/SP

parte
para a torpe
eternidade
torpedeia a extrema
idade do arrastão
minado coração
zinabre abre
parte ardida
ida da volta
entala tábulas
fíbulas da sorte
contas tortas
portas tontas
prudente demente
zarpa crente
torce farpas
corpo dissolvido
carmas resolvidos
vapores sopram
lentos prantos
campos, santos
cantos
mantos
pontos
e contos
partenogênese
finesse da dor
frustrada cor
esquálido esquife
sustenta transeunte
que decola
da terra
perdida

Das ilicitudes
Ariany do Vale
Mossoró/RN

Eu durmo e acordo,
Tomo banho,
Compro móveis.
Viajo e volto,
Beijo outras bocas,
Transo outros gostos
E não me esqueço
A covardia das tuas palavras
Ao dizer que me amavam
Quando teus olhos
-que não encaravam-
E sempre te entregavam.
Eu digo e repito:
Você é periculosa, menina.
Você é cocaína.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *