Sem transporte público, franceses usam bicicletas para se deslocar em Paris REUTERS - Gonzalo Fuentes

Paris enfrenta greve geral que pode atingir outras cidades da França

Metrô, ônibus e lojas não funcionam. Há risco de confrontos

Por RTP (emissora pública de televisão de Portugal)  Paris

Uma greve geral, hoje (6), na França, contra as novas medidas sobre as aposentadorias ameaça paralisar vários setores. Determinados a forçar o governo a abandonar os planos, trabalhadores dos transportes ferroviários e aéreos, professores, pessoal hospitalar e outras categorias paralisaram as atividades.

As redes de transportes em Paris e outras cidades francesas estão fortemente afetadas pelo movimento.

Paris, nesta quinta-feira, parece uma capital diferente,  disse um jornalista. “Parece um domingo, uma vez que 90% dos trens do Metrô e 80% dos ônibus estão parados” acrescentou. A paralisação é sentida, ainda, nos aeroportos e no recolhimento de lixo pela cidade.

Com o argumento de que quer tornar a economia francesa mais competitiva, o presidente Emmanuel Macron pretende avançar com uma série de cortes nos gastos públicos. Em particular, quer simplificar o sistema de aposentadorias.

Macron argumenta que o atual sistema é injusto e muito dispendioso. A reforma proposta pelo governo tenciona substituir os 42 regimes de pensões que existem atualmente por um sistema por pontos e põe fim a direitos laborais, principalmente, dos funcionários do Metrô de Paris.

Em todo o país estão convocadas 245 manifestações para hoje. Há a possibilidade de confrontos entre grupos violentos e a polícia. O comércio foi aconselhado a fechar.