quinta-feira , 14 de novembro de 2019
Home / Destaques / Notas da Redação

Notas da Redação

SANDRA

SANDRA ROSADO -FOTOS -MARCOS GARCIA (13)

Foto Marcos Garcia

Na edição do último domingo, o Jornal de Fato publicou entrevista com a vereadora Sandra Rosado, na sessão “Cafezinho com César Santos, onde vários assuntos foram abordados.

LARISSA

Sandra voltou a insistir que pesquisa eleitoral sem a inclusão do nome de Larissa Rosado não pode ser considerada verdadeira. Nas últimas eleições, Larissa foi a mais votada em Mossoró.

TRABALHO

No seu mandato como vereadora, em menos de três anos, Sandra apresentou mais de 60 projetos de lei e cerca de 700 proposições, um dos mandatos mais produtivos e positivos para Mossoró.

AGROTÓXICOS

O deputado estadual Albert Dickson (PROS) apresentou projeto de lei proibindo a prática de pulverização aérea de defensivos agrícolas no RN. A pulverização aérea é responsável pela mortandade de diversos pássaros e animais de pequeno porte”, disse.

INVESTIMENTOS

O Governo do RN promoveu ontem (4), no escritório da Confederação Nacional da Indústria, em São Paulo, o “RN Invest”, para apresentar as potencialidades do RN ao público empresarial e atrair investimentos para o estado.

PARALISAÇÃO

Policiais Civis do RN iniciam, hoje, a Operação Zero. Reivindicam do Governo nova proposta ao projeto de reestruturação de carreira, promoções atrasadas e pagamento dos salários atrasados.

OPOSIÇÃO

Partidos que fazem oposição à prefeita Rosalba realizam esforço para entendimento que resulte na escolha de candidato único. Sem isso, é quase impossível derrotar a prefeita Rosalba na campanha pela reeleição.

ÓLEO

mancha de óleo que atinge a costa do Nordeste brasileiro avança pelo sul da região e já está se aproximando do Espírito Santo. O petróleo já atinge 321 locais, em 9 Estados.

VETO

O governo americano continua decepcionando o presidente Jair Bolsonaro que pediu a Donald Trump, mas não foi atendido. O mercado americano para a carne bovina do Brasil continua proibido.

PROCURADORES

O procurador-geral da República, Augusto Aras, defendeu a permanência das férias de 60 dias para membros do Ministério Público e ameaçou o Congresso Nacional caso ele aprove uma redução desse período de 60 para 30 dias.