quinta-feira , 15 de novembro de 2018
Home / Destaques / Notas da Redação

Notas da Redação

TRANSIÇÃO
A senadora Fátima Bezerra divulgou sua equipe de transição, composta por 20 pessoas, tendo a própria governadora eleita como sua coordenadora. São nomes que preenchem, em sua maioria, que preenchem um perfil técnico “de seriedade e de sensibilidade social”, disse.

PARTICIPAÇÃO
Em administrações anteriores, o governador eleito não fazia parte da equipe de transição, recebendo dos indicados o relatório para orientar as ações de seu governo. Em Brasília, por exemplo, Jair Bolsonaro indicou o deputado Onyx Lorenzoni, para coordenador de sua equipe de transição.

PARTIDOS
Para a formação de sua equipe de transição, a governadora eleita Fátima Bezerra teria aberto aos partidos aliados a indicação de dois nomes, de preferência com formação na área social. Entre os partidos aliados estão o PSDB, o PSB, o Avante e o PR.

ISOLDA
A vereadora Isolda Dantas, eleita deputada estadual, foi a única política local a emplacar um nome na equipe de Fátima, Maria da Conceição Dantas de Moura, doutora em sociologia pela UFRN, consultora do FIDA em Gênero, Etnia, Geração e Comunidades Tradicionais.

AUDIÊNCIAS
Ontem, Fátima Bezerra foi recebida em audiências pelo superintendente do BB e pelo presidente da FIERN. Hoje, estará com presidente da Assembleia, deputado Ezequiel Ferreira e às 11:30h, estará com o governador Robinson Faria para discutir a transição.

DIFICULDADES
Para terminar o ano com os salários em dia, o Governo do Estado do RN precisará de algo em torno de R$ 1,2 bilhão, segundo levantamento do Fórum de Servidores. É preciso concluir o 13º de 2017 e salário de outubro e as folhas de novembro e dezembro e 60% do 13º de 2018.

NORDESTE
Segundo publicação do jornal Estadão, o RN é o único estado do Nordeste a enfrentar essa situação. A situação de atraso salarial no estado vem desde 2018, com o agravamento da crise fiscal. Na campanha, o governador Robinson dizia que, no RN, “o problema não era falta de dinheiro, mas falta de gestão.”

DISPUTA
É natural que eleitos ou nomeados para cargos públicos em 2018 pensem em disputar cargos no Executivo. As especulações começaram, a partir de Sérgio Moro para presidente da República e nomes para prefeitura de Mossoró, em 2020 e governo do estado, em 2022.
REALIDADE

É oportuno lembrar que os resultados eleitorais de uma eleição representam um momento na política e não a consagração de uma liderança. Tião Couto pode ser citado como exemplo mais recente. Os votos recebidos como candidato a prefeito, em 2016, não apareceram em 2018.

LEITOS
O governo anuncia a compra de 239 leitos para o Hospital Walfredo Gurgel com recursos de emenda parlamentar do deputado Fábio Faria. Bem que alguns desses leitos poderiam ser enviados ao Hospital Regional Tarcísio Maia que precisa, urgentemente, de algumas dessas camas hospitalares.

MORO
O futuro ministro da Justiça de Bolsonaro, juiz Sérgio Moro surpreendeu ao não se afastar do cargo de juiz, como esperado por todos. Convidado para o cargo, ainda durante a campanha, preferiu encaminhar, ontem (05), pedido de férias, retirando-se da Operação Lava Jato “para evitar controvérsias desnecessárias.”