terça-feira , 25 de setembro de 2018
Home / Destaques / Ministério Público do RN deflagra operação F19 para combater tráfico de drogas em Grossos
Oito pessoas foram presas e 16 mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Mossoró e Grossos.
Oito pessoas foram presas e 16 mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Mossoró e Grossos.

Ministério Público do RN deflagra operação F19 para combater tráfico de drogas em Grossos

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), deflagrou na manhã desta quinta-feira (6) a operação F19, que apura a atuação de possível organização criminosa no município de Grossos, responsável pela prática de delitos de associação para o tráfico, tráfico de drogas e porte ilegal de armas. Com apoio da Polícia Militar, foram presas oito pessoas e cumpridos 16 mandados de busca e apreensão em Mossoró e Grossos.
As diligências resultaram na prisão preventiva de seis investigados: Anna Kelle Rodrigues, Elton John da Silva, Antônio Jefferson da Silva (Chilito), Joaquim Bezerra de Oliveira Filho, Jucimara Nunes Rodrigues (Juju) e Sandra Lourenço Costa. A ação também cumpriu dois mandados de prisão temporária contra Érika Nayane de Oliveira e Nailson Carlos de Souza Araújo. Há ainda um terceiro mandado de prisão temporária contra o investigado Francisco José Alves Nogueira (Patota ou Vovô do PCC), que está foragido.
No cumprimento dos mandados na cidade de Grossos, também foram realizadas prisões em flagrante dos crimes de tráfico de droga e posse ilegal de arma de fogo.
Através de interceptação telefônica, o MPRN identificou que os investigados integram a associação criminosa que desenvolve o tráfico de drogas em Grossos, sendo fornecedores de entorpecentes para diversos outros traficantes menores, como também diretamente aos próprios consumidores. As interceptações confirmam que os demais participam ativamente das práticas criminosas.
Oito promotores de Justiça e aproximadamente 60 policiais militares participaram da operação. O processo tramita na 2ª vara da comarca de Areia Branca.
O nome da operação faz referência ao Código Internacional de Doenças (CID), em que o termo F19 identifica os transtornos mentais relacionados ao uso múltiplo de drogas.
MPRN