terça-feira , 22 de outubro de 2019
Home / Destaques / Laíre Rosado: Financiamento Público de Campanha

Laíre Rosado: Financiamento Público de Campanha

As opiniões são divergentes quando se fala em fundo partidário.

Defensor da ideia, o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, considera que sem o fundo eleitoral haveria desequilíbrio entre os candidatos, com os mais ricos sendo beneficiado com o autofinanciamento.

É possível que sim, mas o ex-ministro Henrique Meirelles gastou em sua campanha presidencial, do próprio bolso, R$ 54 milhões, enquanto Bolsonaro, eleito presidente da República, declarou que sua eleição custou apenas R$ 1.930.

Rodrigo Maia afirma que “o importante é ter regras claras para o uso desses recursos. Também é fundamental estimular o financiamento eleitoral por pessoas físicas.”

Uma das dificuldades para os candidatos está na repartição do fundo partidário, distribuído de acordo com a preferência dos dirigentes dos partidos políticos. Os candidatos com mandato são tido como prioritários. A aplicação de 30% dos recursos para as campanhas de mulheres é obrigatória.

O difícil para a classe política é explicar que a existência do fundo partidário é importante para a democracia.