sábado , 23 de setembro de 2017
Home / Opinião / Elviro Rebouças / INFLAÇÃO A 10% EM UM ANO. A MAIOR DESDE 2002

INFLAÇÃO A 10% EM UM ANO. A MAIOR DESDE 2002

Quer saber as novidades neste domingo, meu caro leitor? Vou citar algumas: 01) O Ministro da Fazenda Joaquim Levy reunido com os maiores empresários do Brasil, dia 5 de novembro, quinta-feira, apelou para a magnanimidade deles, no sentido de aceitarem “o monstro da CPMF, porque ela é necessária ao governo para arrecadar anualmente R$ 32 bilhões da contribuição e equilibrar as suas finanças” (palavras textuais); 02) O Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, chegou à conclusão que os US$. 5 bilhões de dólares que apareceram em contas suas e de sua família, na Suíça, foi um pagamento que um filho de um ex-deputado carioca, este era seu devedor e mesmo tendo falecido há 3 anos, fez o crédito em seu nome sem avisá-lo, além de admitir que tinha dinheiro no exterior, mas sustentará em sua defesa no Conselho de Ética a tese de que os recursos foram obtidos com a venda de carne enlatada para países africanos como o Congo e o antigo Zaire (hoje chamado de República Democrática do Congo), ainda no final da década de 80, portanto há mais de 35 anos; 03) O Ministro Chefe da Casa Civil Jaques Wagner, num verdadeiro absurdo para uma elevada autoridade, disse quinta-feira que é bastante normal que o Congresso Nacional aprove as “pedaladas” da Presidente, indo de encontro ao parecer do Tribunal de Contas da União. Tem razão o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, quando declara que não será “nada anormal” se o Congresso aprovar as contas do governo de Dilma Rousseff. O normal, hoje no País, é, infelizmente, o predomínio da imoralidade no trato da coisa pública, razão pela qual será surpreendente se os parlamentares tomarem uma decisão justa, em vez de articularem mais um vergonhoso conchavo, quando forem analisar os crimes cometidos pela presidente na área fiscal – de resto sobejamente comprovados pelo Tribunal de Contas da União (TCU).Órgão auxiliar do Legislativo, o TCU aprovou por unanimidade, em outubro, um parecer recomendando que o Congresso rejeitasse as contas de Dilma. Os ministros daquele tribunal consideraram que o balanço apresentado pelo governo, relativo ao ano passado, continha manobras fiscais que violavam a Lei Orçamentária e a Lei de Responsabilidade Fiscal; 04)O Banco Central do Brasil, que vinha anunciando, com ar licencioso, o centro da meta da inflação para 2015 e 2016 em 4,5%, agora, oficialmente, proclama que isto se dará somente em 2017. Outro “chute”, ou arte divinatória? Falta credibilidade a uma possível resposta.

INFLAÇÃO É A MAIS ALTA PARA OUTUBRO DESDE 2002 E CHEGA A 9,93% EM 12 MESES
A inflação em outubro ficou em 0,82%, o que representa aceleração em relação a setembro, quando havia sido de 0,54%.O indicador é o mais alto para o mês desde 2002 (1,31%).Em outubro do ano passado, a alta dos preços havia sido de 0,42%. Em 12 meses, a inflação atingiu 9,93%, a maior desde novembro de 2003 (11,02%). O valor está acima do limite máximo da meta do governo; o objetivo é manter a alta dos preços em 4,5% ao ano, mas com tolerância de dois pontos percentuais para cima ou para baixo, ou seja, podendo oscilar de 2,5% a 6,5%.Em 2015, no acumulado de janeiro a outubro, a inflação chega a 8,52%%. O valor é o mais elevado para o período desde 1996, portanto há 19 anos, quando atingiu 8,7%.Os dados do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) foram divulgados na sexta-feira (6) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

COMBUSTÍVEIS E ALIMENTOS PUXARAM INFLAÇÃO
O aumento nos preços dos combustíveis foi o principal responsável pela aceleração da inflação em outubro. Com peso de 4,89% no IPCA, eles ficaram 6,09% mais caros no mês.A alta é consequência de um reajuste de 6% no preço da gasolina e de 4% no do Diesel nas refinarias, estabelecido pela Petrobras no final de setembro. O outro item que puxou a a elevação dos preços foi o de alimentação e bebidas (0,77%).A alimentação fora de casa teve alta de 0,93%, mais intensa do que os alimentos consumidos em casa (0,68%). Com isto, a inflação do grupo de alimentos e bebidas chega a 10,39% nos últimos doze meses.

GREVE DOS PETROLEIROS PREOCUPA
Com a greve dos petroleiros continuando a todo vapor, Governo Federal , Petrobras, refinarias e distribuidoras começam a sentir a necessidade de uma célere descontração nas negociações, já que a diminuição constatada hoje de 700 mil barris/dia no refino do petróleo pode desencadear um desabastecimento nas bombas, o que seria nocivo à cadeia produtiva. O Brasil consome, em média, 3,1 milhões de barris de petróleo ao dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *