sábado , 22 de setembro de 2018
Home / Destaques / ESCOLAS POPULARES: PRIMEIROS FEITOS DA DIOCESE – Wilson Bezerra

ESCOLAS POPULARES: PRIMEIROS FEITOS DA DIOCESE – Wilson Bezerra

Uma volta e meia ao redor do País de Mossoró, resolvemos rever um pouco sobre a diocese quando do exato momento de sua criação, ao folhearmos a história em razão de seus principais problemas, quando os primeiros bispos implementaram uma política de crescimento em diferentes aspectos da sociedade.

A Diocese de Mossoró, que tem como padroeira Santa Luzia, nasceu quando o Santo Papa Pio XI decidiu, por imperiosa necessidade da região, em 28 de julho de 1934, criar a Diocese de Mossoró, desmembrando-a do município de Apodi e da administração pernambucana. Sua instalação de fato ocorreu em novembro do mesmo ano e daí por diante se iniciando uma série de bispado com destacada atuação até os dias atuais.

A atuação bispal teve evidente ação nos diferentes setores da coletividade, destacando-se na área mais carente da região, os mais necessitados, principalmente na educação, que desde os levados tempos sempre foi precária sua condução, isto é, entre os diferentes problemas, o que mais agonizava e impedia o crescimento da sociedade era a educação.

Os primeiros bispos tiveram atuação na educação fundando escolas populares, como foi o caso de Dom João Batista Porto Carrero Costa, criando e intensificando um trabalho mais voltado para a instrução, em especial de menores, que antes não tinham uma educação preliminar, ao tempo em que a criançada mais se voltava ao trabalho, principalmente o agrícola, acompanhando os pais nas tarefas do campo.

Outros sacerdotes tiveram grande preocupação quanto aos inúmeros problemas da região, como saúde e moradia, e especialmente a água. Dom Elizeu Simões Mendes dedicou intensivo esforço no sentido de estabelecer prioritariamente a água aos setores rurais da região, para maior desenvolvimento da agricultura, desde quando chegou a Mossoró, em 1953 até 1959, quando foi embora, dispensou severa atuação nessas áreas na região de Mossoró e nas vizinhas cidades de Assú e Apodi, com projetos importantes para o desenvolvimento da agricultura.

Um de seus projetos recebeu o lema “Salvação do Rebanho”, com forte desempenho na área agrícola, não só em Mossoró, como nos municípios de Assú e Apodi, regiões que sempre

mereceram as atenções do poder público, que não deixou sempre de ser omisso nessa situação.

A professora Socorro Cavalcante e um cidadão de nome Luiz Carlos Simões, que vem a ser irmão do bispo Elizeu Simões, resgataram merecidamente a figura desse sacerdote, identificando suas principais ações, com uma justa homenagem. O mossoroense agradece penhoradamente.