sexta-feira , 13 de dezembro de 2019
Home / Destaques / Deputada Larissa Rosado, uma voz ativa em favor dos trabalhadores do RN
Larissa Rosado: “Este é um problema que todo mundo quer solução”
Larissa Rosado: “Este é um problema que todo mundo quer solução”

Deputada Larissa Rosado, uma voz ativa em favor dos trabalhadores do RN

Em Audiência Pública que aconteceu na tarde de ontem, 31, na Câmara Municipal de Mossoró, a deputada Larissa Rosado (PSB) se colocou contra a reforma da Previdência, proposta pelo Governo Federal e a favor dos trabalhadores.

Para a deputada, a reforma proposta pelo Governo é extremamente danosa para todos os trabalhadores, mas especialmente para as mulheres, já que aumenta a idade mínima para as mulheres para 65 anos – igualando a idade dos homens.

“As mulheres trabalham em média 5 horas a mais que os homens, recebendo bem menos, por funções semelhantes. Na maioria das vezes cumprem jornada dupla ou até tripla. Portanto, é fundamental a manutenção da aposentadoria diferenciada para as mulheres”, ressalta Larissa.

A parlamentar faz um chamamento para que autoridades e sociedade estejam unidos num movimento contra a reforma.

“A pressão da sociedade pode levar o Governo Federal a rever essa proposta. Assumo o compromisso público, através do nosso mandato, de votar contra qualquer projeto de reforma que não dialogue com os segmentos representativos dos servidores públicos estaduais e que ameace a retirada de direitos conquistados com muita luta”, afirma a deputada.

A Proposta

A proposta de Reforma da Previdência enviada ao Congresso Nacional, protocolada na Câmara dos Deputados como PEC 287 prevê 65 anos como idade mínima para aposentadoria de homens e mulheres, sem diferenciação. A medida atinge os setores público e privado, à exceção dos militares. A idade mínima para aposentadoria ainda estará sujeita a ajuste, caso aumente a ‘sobrevida’ dos brasileiros. Trabalhadores rurais na regra em vigor não são obrigados a contribuir com o INSS. Com a proposta, deverão contribuir e terão idade mínima de 65 anos como regra. Os militares também terão projeto de lei específico, pois, ao contrário, não deverão ser atingidos pelas mudanças contidas na reforma.