sexta-feira , 23 de fevereiro de 2018
Home / Cotidiano / Entidades se solidarizam com servidores da UERN demitidos
Os servidores retornam à universidade, onde deve ser obedecido todos os procedimentos legais para rescisão dos contratos.
Os servidores retornam à universidade, onde deve ser obedecido todos os procedimentos legais para rescisão dos contratos.

Entidades se solidarizam com servidores da UERN demitidos

Em nota emitida pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), sobre os 86 servidores demitidos em cumprimento de decisão judicial do Supremo Tribunal Federal (STF), entidades se posicionaram em nota de solidariedade diante a situação desses trabalhadores.

A vereadora Sandra Rosado (PSB), faz parte da Frente Parlamentar e Popular em Defesa da UERN e se solidarizou com os servidores e com as famílias desses profissionais, que foram vítimas desse  duro golpe, e em seu texto afirma.

“ Minha solidariedade também aos seus familiares. Saiba que compartilho a dor de cada um, ao passo que rogo a Deus e ao tempo – os senhores da razão – que possam corrigir essa injustiça perpetrada contra 86 servidores.”

Confira as Notas de Solidariedade da Deputada Estadual Larissa Rosado, do Reitor da UERN Pedro Fernandes e da vereadora Sandra Rosado.

É com tristeza e indignação que testemunhamos a demissão de 86 servidores da nossa gloriosa Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Pessoas que dedicaram décadas à instituição, mas que tiveram que ser exoneradas por força de determinação da Justiça.

Entendemos que decisão judicial tem que cumprida, mas também discutida e discordada, sobretudo, quando envolve questões sociais imensuráveis, como nesse caso. A letra fria da lei não pode se sobrepor a valores humanos e nos fazer concordar com sua interpretação. O respeito às leis, sim, mas respeito às pessoas, acima de tudo.

Nos mandatos que exerci nos Legislativos Estadual e Federal, e hoje na Câmara Municipal de Mossoró, sempre empenhei meu trabalho em defesa desses servidores, por reconhecer o compromisso e a contribuição de cada com a Universidade.

Portanto, manifesto minha irrestrita e total solidariedade aos servidores da Uern, vítimas desse duro golpe. Minha solidariedade também aos seus familiares. Saiba que compartilho a dor de cada um, ao passo que rogo a Deus e ao tempo – os senhores da razão – que possam corrigir essa injustiça perpetrada contra 86 servidores, exonerados da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte.

Sandra Rosado – Vereadora

 

A Deputada Estadual Larissa Rosado, também foi aluna da UERN e não mediu esforços para apoiar a comunidade da Universidade na busca por alternativas que evitassem chegar a demissão.

Em seu texto, expõe todo carinho e respeito a comunidade da UERN.

Nossa solidariedade aos(às) 86 trabalhadores e trabalhadoras que ajudaram a construir, ao longo de três décadas, a história da UERN, e que, por força de determinação judicial tiverem seus vínculos extintos no dia de hoje, 18 de janeiro de 2018.

 Na condição de ex-aluna e cidadã, exercendo o quarto mandato de deputada pelo nosso Estado, não medi esforços para apoiar a comunidade Uerniana na busca por alternativas a evitar que chegássemos a tal desfecho.

 A tristeza invade o nosso coração ao vermos a extinção de um vínculo que antes de ser empregatício era de amor; antes da relação de trabalho, o compromisso; antes da obrigação, o serviço carinhoso.

 Cada nome na fatídica lista tem uma história de vida que se confunde com a da UERN. Cada servidor e servidora que ora se despede da instituição deixa um legado.

 Seguir em frente, de cabeça erguida, com a consciência de quem fez o seu melhor, pedindo a Deus para guiar o caminho de cada um e de cada uma na nova fase da vida que inicia hoje.

Nossa solidariedade, nosso carinho, nosso apreço e nosso respeito a toda a comunidade acadêmica, especialmente aos atingidos e atingidas pela decisão do STF.

Abraço afetuoso,

Larissa Rosado  – Deputada Estadual

 

O reitor da Universidade, Pedro Fernandes também se solidarizou diante dos servidores demitidos.

O peso de uma caneta é, por vezes, difícil de carregar. Basta uma assinatura para mudar vidas inteiras, alterar o cotidiano de instituições e tomar decisões que nem sempre correspondem à nossa vontade. Não é simples, não é fácil, mas existem momentos em que não há escolhas. A letra fria da lei não leva em conta as histórias de vida.

O dia 18 de janeiro de 2018 ficará marcado na história da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN). Prestes a completar 50 anos de fundação, tendo seu papel reconhecido na inclusão social de milhares de pessoas no interior do Estado, a nossa UERN sofre um duro golpe no seu quadro funcional.

É com um profundo sentimento de tristeza que fui obrigado a assinar a Portaria que determinou a extinção do vínculo empregatício de 86 servidores que por quase três décadas deram o seu melhor pela nossa querida UERN. Foi uma decisão tomada por quem não conhece a dedicação de cada um desses trabalhadores, que não pensou no lado humano e na dificuldade dessas pessoas em ocuparem espaços no mercado de trabalho, após tanto tempo cumprindo uma missão nobre no serviço público.

Fala-se sempre que decisão judicial não se discute, se cumpre. Discordo tanto dessa máxima quanto da sentença do STF. Não é porque é lei que é justa, não é porque a justiça decidiu que somos obrigados a concordar, mesmo quando é preciso cumprir.

Reconheço o trabalho de cada um dos servidores. São lacunas irreparáveis. Profissionais experientes e comprometidos que ajudaram a nossa universidade a ser socialmente referenciada.

O sentimento não pode ser outro a não ser o de solidariedade e de indignação.

Aos nossos eternos servidores da UERN o nosso agradecimento.

Obrigado por tudo!

Pedro Fernandes Ribeiro Neto – Reitor