terça-feira , 23 de outubro de 2018
Home / Brasil / Em situação confortável, Fluminense pega Deportivo Cuenca pela Sul-Americana
rib8965

Em situação confortável, Fluminense pega Deportivo Cuenca pela Sul-Americana

O Fluminense vai em busca nesta quinta-feira de carimbar passaporte às quartas de final da Copa Sul-Americana, em reencontro com o Deportivo Cuenca, do Equador, no Maracanã, duas semanas após vitória por 2 a 0, na casa do adversário.

No estádio Casa Blanca, em Quito, o Tricolor venceu com gols dos atacantes Luciano e Everaldo. Foi o segundo ano seguido em que o time foi à capital equatoriana, onde sofreu traumáticas derrotas em finais da Taça Libertadores e da própria Sul-Americana, em 2008 e 2009, respectivamente – ambas para a LDU de Quito.

No ano passado, contra o velho algoz, o time perdeu por 2 a 1, mas avançou às quartas de final da menos badalada competição continental.

No Maracanã, nesta quarta-feira, os comandados por Marcelo Oliveira poderão perder por até um gol de diferença que mesmo assim se classificação no tempo normal. Um revés pelos mesmos 2 a 0 de hoje levará a partida à decisão por pênaltis.

Qualquer outro resultado positivo a favor do Deportivo Cuenca, dará classificação a equipe do Equador.

Para a partida, o Fluminense conta com força máxima e deve ter mais uma vez o esquema com três zagueiros, Digão, Gum e Ibañéz, que foi utilizado na vitória em Quito. O time titular, como um todo, deve ser o mesmo que jogou a ida.

O lateral-direito Léo e o volante Airton, que ficaram fora do treino desta quarta-feira por causa de problemas pessoais, estão confirmados no grupo relacionado para a partida. O primeiro, inclusive, é nome quase certo no 11 inicial.

O Deportivo Cuenca, por sua vez, deverá repetir a escalação utilizada no jogo do dia 20 de setembro. A equipe vem de derrota para o Independiente del Valle por 1 a 0, pelo Torneio Clausura do Campeonato Equatoriano.

O resultado da partida de sexta-feira deixou o adversário do Flu na nona colocação da competição, com 15 pontos, oito distante do líder, Macará.

 

Agência EFE