quarta-feira , 18 de setembro de 2019
Home / Destaques / Cúpulas do Congresso são iluminadas de amarelo em apoio à prevenção do suicídio Fonte: Agência Senado
Saúde
                
                
                    Senador Weverton
                
                
                    Suicídio


Fonte: Agência Senado
Saúde Senador Weverton Suicídio Fonte: Agência Senado

Cúpulas do Congresso são iluminadas de amarelo em apoio à prevenção do suicídio Fonte: Agência Senado

A cúpula do Senado será iluminada com a cor amarela, a partir desta terça-feira (3), em apoio à Campanha Nacional de Prevenção do Suicídio. Denominada Setembro Amarelo, a iniciativa vai até o dia 30 deste mês. A iluminação especial foi solicitada pelo senador Weverton (PDT-MA), atendendo a pedido do Centro de Valorização da Vida (CVV). No domingo (1º), a cúpula da Câmara já havia sido iluminada em referência à campanha.

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que mais de 90% dos casos de suicídio estão associados a distúrbios mentais e podem ser evitados se as causas forem tratadas de maneira adequada. No Brasil, os números são considerados alarmantes: a cada 45 minutos um brasileiro tira a própria vida. O suicídio é, hoje, a quarta causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos no país. Entre os homens nesta faixa etária, é o terceiro motivo mais comum; entre as mulheres, o oitavo.

Segundo o senador Weverton, a ação representa um passo importante na luta pela vida. Ele ressalta que a “depressão é uma doença que age de forma silenciosa matando várias famílias brasileiras e, quando as pessoas percebem, muitas vezes, é tarde demais”.

De acordo com o parlamentar, o combate ao problema passa pelo diálogo aberto e franco sobre a questão, já que muitos casos de suicídio seriam evitados se o assunto fosse abordado abertamente.

— Nós precisamos tratar de forma mais natural um tema tão importante como a depressão — salientou.
Acolhimento

Leila Heredia, porta-voz do CVV e servidora da Rádio Senado, explica que a ideia é sensibilizar a população sobre a importância dos cuidados com a saúde emocional. Segundo ela, quando alguém decide pôr fim à própria vida o objetivo é acabar com a dor que parece insuportável naquele momento.

— Pelo menos 90% dos casos de suicídio são previsíveis. Frases como “eu sou um fardo para as outras pessoas” e “eu não quero viver” são sinais importantes.

Ela ressalta que o trabalho desenvolvido pela entidade não é técnico e, portanto, não substitui a ajuda médica, mas funciona como um pronto-socorro emocional, permitindo que a pessoa desabafe sem medo de julgamentos. A dica para quem deseja ajudar um amigo ou familiar nessa situação, segundo Leila, é oferecer acolhimento.

— É importante ouvir a pessoa, deixar que ela fale abertamente e compartilhe as dores dela. Se a pessoa está cercada de gente, mas tem medo de ser julgada ou não compreendida, ela acaba se fechando ainda mais — disse.

Data oficial
No dia 10 de setembro, é celebrado o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, proposto em 2003 pela Associação Internacional para Prevenção ao Suicídio (Iasp, sigla em inglês), resultado de uma parceria com a OMS. No Brasil, o movimento começou em 2014, numa iniciativa do CVV, do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). Vários países participam da campanha por meio da iluminação, na cor amarela, de prédios públicos e monumentos durante todo o mês de setembro.

Ajuda

Desde julho de 2018, numa parceria do CVV e do Ministério da Saúde, o número 188 recebe ligações gratuitas de todos os estados do Brasil, 24 horas por dia, para apoiar pessoas em momentos de crise e com ideias suicidas. O Centro de Valorização da Vida ainda oferece outros canais de comunicação (chat e e-mail) disponibilizados no endereço eletrônico www.cvv.org.br.
Para quem tiver interesse em atuar como voluntário, as informações também estão disponíveis na página da entidade.

Fonte: Agência Senado