A diretoria do clube realizou em sua página nas redes sociais uma enquete para saber o que a torcida pensava a respeito da contratação. / Foto: Marcelo Albert (TJMG/Divulgação)

Contratação do goleiro Bruno gera protestos em região com alto índice de feminicídio

O Barbalha Futebol Clube, time da primeira divisão do Campeonato Cearense e que no próximo ano disputará a Copa do Brasil, se envolveu numa polêmica ao cogitar contratar o goleiro Bruno Fernandes de Souza para reforçar o time na próxima temporada.

Durante o processo de negociação com o jogador a diretoria do clube realizou em sua página nas redes sociais uma enquete para saber o que a torcida pensava a respeito. Com participação de mais de 15 mil pessoas a votação terminou com 58% favoráveis à contratação do reforço.

Bruno foi condenado a 20 anos e nove meses de prisão por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver de Eliza Samudio, além do sequestro e cárcere privado de seu próprio filho. A condenação foi executada no dia 8 de março de 2013, ironicamente o Dia Internacional de Luta das Mulheres. Mas o jogador já estava preso desde setembro de 2010.

Segundo matéria do Diário do Nordeste, publicada no último dia cinco, o Barbalha já havia fechado o salário que pagaria ao jogador e enviado um pré-contrato dia primeiro de novembro, mas, antes da oficialização, recuou. Ainda segundo o jornal o motivo para a não contratação foi o pedido do Prefeito Argemiro Sampaio (PSDB) que havia repudiado a notícia. Argemiro é desde 2017 um dos principais patrocinadores do time.

Desde sua progressão para o regime semiaberto, adquirida por bom comportamento, após cumprir pouco mais de seis anos em regime fechado, o atleta vem acumulando derrotas profissionais. Com apenas 14 dias já havia conseguido um contrato junto ao time Boa Esporte de Minas Gerais, mas foi demitido em pouco tempo, levando ainda a demissão de toda a diretoria do clube responsável por sua contratação, e agora não conseguiu fechar negócio com o Barbalha. Porém, outros clubes cogitam contratar o ex-goleiro do Flamengo.

 

Brasil de Foda