sábado , 24 de agosto de 2019
Home / Opinião / Reflexões Teológicas

Reflexões Teológicas

Com Ricardo Alfredo
[email protected]
 

Reflexões Teológicas – Ricardo Alfredo

APRENDIZADO  

“É observado os maus, que aprendemos a fazer o bem”. (Escritor.: Ricardo Alfredo)

 

PARA VOCÊ.

Você deve pensar que sou estúpido
Você deve pensar que eu sou um tolo
Você deve pensar que sou novo nisso
Mas eu já vi isso tudo antes

Eu nunca vou te deixar perto de mim
Mesmo que você signifique tudo para mim
Porque toda vez que eu me abro, dói
Então, eu nunca vou ficar muito perto de você
Mesmo que eu signifique tudo para você
Caso você vá embora e me deixe na lama

Mas quanto mais você me machuca, menos eu choro
E a cada vez que você me deixa, mais rápido estas lágrimas secam
E a cada vez que você vai embora, menos eu te amo
Meu bem, não temos chance, é triste, mas é verdade

Eu sou bom até demais em despedidas
(Eu sou bom até demais em despedidas)
Eu sou bom até demais em despedidas
(Eu sou bom até demais em despedidas)

Eu sei que você está pensando que eu não tenho coração
Eu sei que você está pensando que eu sou frio
Eu estou apenas protegendo minha inocência
Estou apenas protegendo minha alma

Eu nunca vou te deixar perto de mim
Mesmo que você signifique tudo para mim
Porque toda vez que eu me abro, dói
Então, eu nunca vou ficar muito perto de você
Mesmo que eu signifique tudo para você
Caso você vá embora e me deixe na lama

Mas quanto mais você me machuca, menos eu choro
E a cada vez que você me deixa, mais rápido estas lágrimas secam
E a cada vez que você vai embora, menos eu te amo
Meu bem, não temos chance, é triste, mas é verdade

Eu sou bom até demais em despedidas
(Eu sou bom até demais em despedidas)
Eu sou bom até demais em despedidas
(Eu sou bom até demais em despedidas)

Você não vai me ver chorar, de jeito nenhum
(Você não vai me ver chorar, de jeito nenhum)
Eu sou bom até demais em despedidas
(Eu sou bom até demais em despedidas)

Não, Não, não, não, não, não (eu sou bom até demais em despedidas)
Não, não, não, não, Não, não, não (eu sou bom até demais em despedidas)
(Você não vai me ver chorar, de jeito nenhum)
(Eu sou bom até demais em despedidas)

Porque quanto mais você me machuca, menos eu choro
E a cada vez que você me deixa, mais rápido estas lágrimas secam
E a cada vez que você vai embora, menos eu te amo
Meu bem, não temos chance, é triste, mas é verdade
Eu sou bom até demais em despedidas

 

PENSAMENTO I

“No meu coração há um silêncio… calmo e triste”. (Escritor.: Ricardo Alfredo)

 

ANIVERSÁRIO

 

foto 01 foto 02

 

Este mês de agosto é um mês abençoado. Nele, as minhas duas filhas fazem aniversário. No dia 16 de agosto é o dia de Isabelly Stefanny e no dia 18 é o dia de Mariah Yasmim.

Parabéns, minhas filhas! Que Deus abençoe sempre a sua vida com muita felicidade, amor, saúde e sucesso.

 

O SILÊNCIO

Aprendi…
Que o silêncio é a melhor resposta, quando se ouve uma bobagem.
Que amigos a gente conquista mostrando o que somos.
Que os verdadeiros amigos sempre ficam com você até o fim.
Que a maldade se esconde atrás de uma bela face.
Que quando penso saber de tudo ainda não aprendi nada.
Que a Natureza é a coisa mais bela na Vida.
Que amar significa se dar por inteiro.
Que ouvir uma palavra de carinho faz bem à saúde.
Que dar um carinho também faz…
Que sonhar é preciso.
Que se deve ser criança a vida toda.
Que nosso ser é livre.
Que Deus não proíbe nada em nome do amor.
Que o julgamento alheio não é importante.
Que o que realmente importa é a Paz interior.
E finalmente, aprendi que não se pode morrer
Pra se aprender a viver… (autor.: Desconhecido)

 

A POLÍTICA NO MEIO DO POVO DE DEUS

Quando pensamos ou mesmo falamos em política no meio do povo de Deus, logo, chegamos à conclusão que é possível temos um modelo Digno do exercício da caridade (amor ao próximo). E esse legado (caridade) é a lógica de Deus para que os homens possam entender o seu real papel no desenvolvimento da dignidade humana.

No senso comum, a política é a procura do bem comum. Por isso, a política tem sempre a ver com a sociedade e com a vida das pessoas: os salários, o preço do pão, as passagens de ônibus, as prestações da casa própria e até com o sistema escolar. Essa mesma política interfere na vida de cada cidadão.

A política está relacionada ao dia á dia do cidadão, na organização do viver juntos em sociedade, na produção de alimentos, na prestação de serviço e na distribuição de bens.

Para termos boas políticas públicas, são imprescindíveis, escolher bem os políticos que vai representar o povo. E para não errar na escolha, o primeiro passo é verificar o perfil tanto do partido, como do candidato, nos seguintes itens: quanto ao partido devemos: verificar o programa do partido; como o povo entra neste programa e se foi discutido nas comunidades. Quais são os benefícios ao bem comum. Quanto ao candidato é necessário verificar se: o candidato tem programa que beneficia o bem comum; observa sua biografia, tem trabalhos sociais e qual a sua ligação com as comunidades; avaliar se é representante das causas da justiça e da mudança social necessária. Estes são itens indispensáveis na busca de um bom representante parlamentar.

Como a formação de grande parte da população é cristã, não seria possível, numa decisão importante, deixamos de lado a bíblia, pois ela apresenta um modelo digno de governar e praticar justiça, sendo assim entraremos em suas informações sobre políticas de administração ou políticas públicas.

A Bíblia que é uma coletânea de livro que tem como base a formação espiritual e cidadã celeste. É um livro de característica religiosa, porém, com profunda orientação de todo proceder humano e com indicações de relações humanas.

Todavia, quando analisada de forma correta, fica perceptível, que é um livro de orientação também política, no sentido administrativo. E é uma forma de guiar o real compromisso político que todos os cristãos devem ter no seio da sociedade, madura e comprometida com a vida comum.

Em suas páginas estão escritas o caminho da vida e da liberdade, visto que os valores estão a cada dia sendo invertidos, a tal ponto que: ao bem os homens chamam de mal, e ao mal os homens chamar de bem. E tudo é normal.

O servo do Rei eterno deve ter as características do seu Senhor em sua vida. E destas, deve combater o mal, a corrupção, a fome, a doença, a injustiça e maldade que tento rodea de perto os corações.

E nesta estrada, aonde a escuridão da alma vem sendo assolada, a humanidade tem em mãos a bússola, que pode nos levar a um caminho firme e cheio de propósito. A bíblia é, foi, e sempre será a bússola de Deus para eternidade e o amor.

Vejamos na Bíblia as políticas de Deus junto ao povo e suas ações de libertação, anunciação, presença do reino, defesa dos oprimidos e fracos, amor ao próximo.

No livro de Êxodo a presença do rei eterno e universal, Deus, é revelada, como aquele que escuta o grito dos oprimidos e os liberta do escravizador. Quando a impiedade governa, o Espirito de Deus se manifesta para gerar liberdade e vida.

Em suas páginas, Antigo Testamento, encontramos personagens que movidos pelo Espirito de Deus anunciam entre o povo a justiça do eterno (políticas de Deus para os homens), eles são os Profetas, que apresentam o Deus da justiça, principalmente, dos mais fracos e indefesos. (Am 5,21-27; Is 1,10-17;58; Os 6, Jr 7; Zc 7).

 

Vejamos o texto bíblico e o relato traduzido pelo profeta Isaias. “Visão de Isaías, filho de Amós, que ele teve a respeito de Judá e Jerusalém, nos dias de Uzias, Jotão, Acaz, e Ezequias, reis de Judá. Ouvi, ó céus, e dá ouvidos, tu, ó terra; porque o Senhor tem falado: Criei filhos, e engrandeci-os; mas eles se rebelaram contra mim. O boi conhece o seu possuidor, e o jumento a manjedoura do seu dono; mas Israel não tem conhecimento, o meu povo não entende. Ai, nação pecadora, povo carregado de iniquidade, descendência de malfeitores, filhos corruptores; deixaram ao Senhor, blasfemaram o Santo de Israel, voltaram para trás. Por que seríeis ainda castigados, se mais vos rebelaríeis? Toda a cabeça está enferma e todo o coração fraco. Desde a planta do pé até a cabeça não há nele coisa sã, senão feridas, e inchaços, e chagas podres não espremidas, nem ligadas, nem amolecidas com óleo. A vossa terra está assolada, as vossas cidades estão abrasadas pelo fogo; a vossa terra os estranhos a devoram em vossa presença; e está como devastada, numa subversão de estranhos. E a filha de Sião é deixada como a cabana na vinha, como a choupana no pepinal, como uma cidade sitiada. Se o Senhor dos Exércitos não nos tivesse deixado algum remanescente, já como Sodoma seríamos, e semelhantes a Gomorra. Ouvi a palavra do Senhor, vós poderosos de Sodoma; dai ouvidos à lei do nosso Deus, ó povo de Gomorra. De que me serve a mim a multidão de vossos sacrifícios, diz o Senhor? Já estou farto dos holocaustos de carneiros, e da gordura de animais cevados; nem me agrado de sangue de bezerros, nem de cordeiros, nem de bodes. Quando vindes para comparecer perante mim, quem requereu isto de vossas mãos, que viésseis a pisar os meus átrios? Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação, e as luas novas, e os sábados, e a convocação das assembleias; não posso suportar iniquidade, nem mesmo a reunião solene. As vossas luas novas, e as vossas solenidades, a minha alma as odeia; já me são pesadas; já estou cansado de as sofrer. Por isso, quando estendeis as vossas mãos, escondo de vós os meus olhos; e ainda que multipliqueis as vossas orações, não as ouvirei, porque as vossas mãos estão cheias de sangue. Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos de diante dos meus olhos; cessai de fazer mal. Aprendei a fazer bem; procurai o que é justo; ajudai o oprimido; fazei justiça ao órfão; tratai da causa das viúvas”. (Isaías 1:1-17)

 

A missão de tais homens e mulheres é manter a visão de um padrão de cidadão que vai entrar no reino celestial, sendo capaz de influenciar na sociedade e nos modelos de justiça, cuidado com a natureza e fraternidade.

 

Já os Evangelhos, Novo Testamento, anuncia a chegada deste reino político, ou seja, do reino de Deus, o qual foi anunciado pelo Cristo aos homens. Tendo o grande significado de sua mensagem está na política de Deus sobre sua criação. Expressa sua vontade de completa libertação de tudo o que diminui e oprime o ser humano e a plena realização dos sonhos de um mundo aberto para Deus.

Na política humana, os acusadores de Cristo utilizaram como pretexto a sua pregação sobre o Reino de Deus: um reino de justiça, amor e paz, para apresentá-lo como um adversário político que poderia trazer problemas para Roma.

Eis alguns apontamentos para reflexão antes de se escolher alguém para ser representante:

1) Ao conversar dentro do assunto político, não seja um deslumbrado no amparo da bandeira partidária ou mesmo em sua defesa impertinente. A ponto de perdendo um “irmão” e “amigo”.

2) Escolha continuamente, ao dar sugestão ou mesmo uma opinião, sobre qualquer dos candidatos, não deixe seu voto ser revelado.  Pois ele é secreto.

3) quando apoiar um candidato, procure verificar sua identificação com os princípios morais da humanidade e da cristandade.

4) Não se aflija se ficar decepcionado, no fim de tudo. Como diz Paulo em 1Tm 3:6: Os homens irão “de mau a pior”. Não há esperança concreta de melhoras para este mundo. Nossa esperança definitiva está apenas no Reino de Deus. Apenas a pedra lançada “sem auxílio de mãos”, na visão de Dn 2:45, porá fim a este estado de coisas e trará o tempo da completa justiça.

Portanto, meus irmãos, devemos alimentar a mística, isto é, os grandes sonhos e a esperança de uma sociedade melhor, pois sem esperança nenhuma sociedade sobrevive.

 

PENSAMENTO II

“Quando a noite cai, a voz da consciência vem, e eu não quero conversar, sobre como você partiu meu coração”. (Escritor: Ricardo Alfredo)

 

POLÍTICA

1- Câmara instala comissão especial que analisará reforma da Previdência de militares.

2- Câmara instala comissão especial que analisará reforma da Previdência de militares.

3- Gasto dos estados para cobrir rombo com previdência foi de R$ 101,3 bilhões em 2018, diz Tesouro.

4- Bolsonaro retira pedido de urgência para votação do projeto de lei sobre porte de armas.

5- Bandidos de esquerda começaram a voltar ao poder’ na Argentina, diz Bolsonaro sobre vitória da oposição nas primárias.

6- ‘Diplomacia sem armas é como música sem instrumentos’, diz Eduardo Bolsonaro na Câmara.

7- Está difícil, diz Bolsonaro sobre escolha de novo procurador-geral da República.

(Fontes.: G1, Gauchazh)

 

DAS MAIS BELAS CANÇÕES CRISTÃS

Vou Voar (Marco Aurélio)

Vou voar em direção ao céu de Cristo

Isto foi Ele mesmo quem me prometeu

Vou voar pouco tempo aqui me resta

A minh’alma está com pressa

Sim com pressa de no céu chegar

Vou voar em direção ao céu de gozo

Repouso para sempre ali eu terei

Vou voar como voam os santos anjos

Serafins também arcanjos

Maravilhas ali desfrutarei

Vou voar nas asas do vento

Na hora e no tempo em que Deus me chamar

Vou voar quem dera fosse agora

Subir para a glória onde meu Deus está

Vou voar quem dera fosse agora

Subir para a glória onde meu Deus está

Vou voar

Vou voar

 

PENSAMENTO III

“Por que não acreditas em mim, se o que eu digo, vem da alma?” (Janai Dabir)

GIRO BRASIL

1- Câmara dos deputados federais aprovam projeto que endurece punição para abuso de autoridade.

2- Justiça Federal bloqueia R$ 20 milhões de Beto Richa a pedido da Lava Jato

3- Corrida para chefiar PGR embaralha, e Bolsonaro adia decisão sobre sucessão

4- Palocci relatou em delação repasses ilegais a Gleisi e filho de Lula, diz revista

5- Sergio Moro vem perdendo prestígio político em Brasília

6- Câmara aprova urgência para projeto que define crimes de abuso de autoridade. (Fonte: Gauchazh)

PENSAMENTO IV

“A maior parte do tempo de um escritor é passado na leitura, para depois escrever; uma pessoa revira metade de uma biblioteca para fazer um só livro”. (Samuel Johnson)

LIÇÕES DA VIDA:

O obstáculo no caminho.

Nos tempos antigos houve um rei que resolveu colocar uma grande pedra no meio da estrada e esconder-se para ver se alguém conseguia remove-la. Alguns dos seus súditos mais ricos que por ali passaram, simplesmente contornaram-na; muitos protestaram e insultavam o rei porque não garantia aos seus súditos a boa preservação dos caminhos que todos usavam, mas na verdade ninguém fez nada para remover aquela pedra da estrada.

Às tantas um camponês que carregava uma quantidade de legumes passou por ali e ao aproximar-se da pedra resolveu tentar remove-la da estrada. Depois de muito empurrar com grande esforço, conseguiu. Quando voltou a pegar na carga de legumes que transportava reparou que havia uma bolsa no chão exatamente onde estava antes a pedra; na bolsa estavam moedas de ouro e uma nota que indicava que quem removesse a pedra da estrada ficaria com as moedas.

Cada obstáculo é o mesmo, e afinal de contas, é uma oportunidade!

PENSAMENTO V

“O escritor é um homem que mais do que qualquer outro tem dificuldade para escrever”. (Thomas Mann)

CANÇÕES ETERNIZADAS

Eu Me Vi Tão Só (Roberto Carlos – Pra Sempre: Década de 80)

Eu me vi tão só
Enfrentando momentos difíceis de solidão
Sem ninguém pra me ouvir, e vivi tão só
Das lembranças contidas no meu coração
Sem saber pra onde ir e assim eu chorei
Pois tudo que eu te dei você não entendeu
Continuo só mesmo sem querer
Continuo só tentando te esquecer, te esquecer

Eu me vi tão só
E tentei esconder minha solidão
Mas eu não consegui e vivi tão só
Procurando no tempo uma solução

Pra esquecer de você vou tentar outra vez
A paz de um novo amor que eu preciso ter
Continuo só mesmo sem querer
Continuo só tentando te esquecer, te esquecer

Continuo só mesmo sem querer
Continuo só tentando te esquecer, te esquecer
Continuo só mesmo sem querer
Continuo só tentando te esquecer, te esquecer (Compositor: Mauro Motta e Eduardo Ribeiro)
 

PENSAMENTO VI

Eu sou um escritor difícil
Que a muita gente enquizila,
Porém essa culpa é fácil
De se acabar duma vez:
É só tirar a cortina
Que entra luz nesta escurez. (Mário de Andrade)

 

 

POEMAS – CLÁSSICOS DAS POESIAS

Augusto de Carvalho Rodrigues dos Anjos, poeta brasileiro, admirado e amado como simbolista ou parnasiano. Na linha do tempo, está coligado ao Pré-Modernismo, que é o período em que ocorreu a transição da literatura brasileira que precedeu as inovações modernistas.

Nasceu no dia 20 de abril de 1884, em Engenho Pau d’Arco, Paraíba e faleceu no dia 12 de novembro de 1914, na cidade de Leopoldina, Minas Gerais.

Poema: A lágrima – Augusto dos Anjos

A lágrima

– Faça-me o obséquio de trazer reunidos
Cloreto de sódio, água e albumina…
Ah! Basta isto, porque isto é que origina
A lágrima de todos os vencidos!

-“A farmacologia e a medicina
Com a relatividade dos sentidos
Desconhecem os mil desconhecidos
Segredos dessa secreção divina”

– O farmacêutico me obtemperou. –
Vem-me então à lembrança o pai Yoyô
Na ânsia física da última eficácia…

E logo a lágrima em meus olhos cai.
Ah! Vale mais lembrar-me eu de meu Pai
Do que todas as drogas da farmácia!

 

Poema: Saudade – Augusto dos Anjos

Saudade

Hoje que a mágoa me apunhala o seio,
E o coração me rasga atroz, imensa,
Eu a bendigo da descrença, em meio,
Porque eu hoje só vivo da descrença.

À noite quando em funda soledade
Minh’alma se recolhe tristemente,
P’ra iluminar-me a alma descontente,
Se acende o círio triste da Saudade.

E assim afeito às mágoas e ao tormento,
E à dor e ao sofrimento eterno afeito,
Para dar vida à dor e ao sofrimento,

Da saudade na campa enegrecida
Guardo a lembrança que me sangra o peito,
Mas que, no entanto, me alimenta a vida.

 

GRATIDÃO

 

foto 03

 

Recebendo das mãos do grande irmão e amigo Dr. Helder Heronildes o certificado de reconhecimento como palestrante. Sempre é uma honra falar para tão seleto Grupo de intelectuais. Agradecimento especial ao amigo e intelectual Wellington Barreto.

 

PENSAMENTO VII

“Nenhum escritor é bom a não ser que tenha sofrido”. (Henry Miller)

CONVITE – ACADEMIA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS DE MOSSORÓ – ACJUS

 

 

foto 04

 

PENSAMENTO VIII

“Aprendi a ficar em silêncio, esperando o Rei do universo, Responder!” (Teólogo: Ricardo Alfredo)

 

ACJUS PROMOVE EM AGOSTO UM INESQUECÍVEL EVENTO

 

foto 05

 

A Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró – ACJUS – orgulho da cultura mossoroense, dando continuidade ao calendário acadêmico de 2019 – realizará em breve um grande evento aqui em Mossoró.  Será no dia 23/08/2019, a partir das 19h, no auditório da OAB – Mossoró-RN, quando em mais uma etapa do Projeto Memória Acadêmica – Trajetórias – teremos uma Sessão Solene de cronologia e em Tributo a confreira MARIA HÉLDERI DE QUEIROZ DIÓGENES NEGREIROS – inesquecível e preclara associada que foi a primeira ocupante da cadeira 32.

Na presente sessão, a acadêmica MARIA CONCEIÇÃO MACIEL FILGUEIRA – segunda ocupante da citada cadeira, proferirá em sintonia com as normas regimentais em nome do nosso sodalício exaltação a   homenageada.

Sobre a professora e Dra. MARIA HÉLDERI DE QUEIROZ DIOGENES NEGREIROS- in memoriam, quando do seu passamento para o Oriente Eterno, disse o acadêmico FRANCISCO MARCOS ARAÚJO (cadeira 29):

“Foi acolhida hoje no Reino dos Céus, depois de 75 anos iluminando a terra, a amada Profa. Maria Hélderi de Queiroz Diógenes Negreiros. Embora o vínculo familiar direto seja restrito ao esposo Vassimon de Queiroz Negreiros, às filhas Valéria, Liane e Eliene, e aos seus quatro netos, a extensão dos que a ela se ligam por afeto, sentindo-se como se filhos fossem, contam-se em centenas e/ou milhares.

O pesar não é pela perda de uma colega, de uma amiga, da professora… A dor é por orfandade mesmo! Perdemos uma mãe! A Professora Hélderi foi mãe profissional de dezenas de professores da Faculdade de Direito, indistintamente de suas idades. Na UERN, fomos seus alunos de antanho, hoje (também por seu mérito!) colegas professores, mas filhos adotivos in perpetuum.

É fato sabido que a experiência da vida humana cumpre-se sob a influência de três paradoxos: o da subjetividade, o da liberdade e o do tempo.

Na ordem invertida, começando pelo tempo, a Profa. Hélderi marcou indelevelmente a história da UERN. Ela foi uma das primeiras alunas do Curso de Direito da antiga Fundação. Ingressou no ano de 1976, formou-se em 1981 e foi sua primeira professora já em 1982. Vanguardista, mudou de aluna para professora de um ano para o outro. Naquela época, a cátedra nas Faculdades de Direito era ambiente hostil às mulheres. Equiparou-se em pioneirismo às paulistanas Esther de Figueiredo Ferraz e Ada Pellegrini Grinover, e à pernambucana Bernadete Neves Pedrosa.

No campo da liberdade, ninguém foi mais autentica, livre em ação e pensamento do que ela. Eram suas características marcantes: a franqueza no diálogo; a posição intimorata e o destemor da voz elevada mesmo diante de homens sisudos; a posição mediadora, porém resoluta de quem determinava; o desejo permanente de manter uma organização mínima na FAD, contra um insurreto grupo de desorganizados e impontuais jovens professores, entre outros feelings. Talvez tenha sido eu quem mais tenha lhe dado trabalho quanto a falta rigidez de horários, entrega de diários etc, Firme no conselho do poeta florentino Dante Alighieri (“Contra razão melhor, razão não luta” – contra niglior voler, voler mal pugna), sempre fui vencido pela sua racional autoridade profissional e aconselhamento materno.

Quanto à sua dimensão humana subjetiva, Heidegger ensinava que é no espaço público que demonstramos a forma de “ser-uns-com-os-outros em nosso estar-relacionado com as coisas que nos encontram”. Frase complicada apenas para dizer que as interações sociais é quem validarão o prestigio e o respeito que a comunidade lhe terá. Nesse ponto, ela foi “Doutora”. Soube se relacionar tão bem com todos que, num ambiente onde sobejam vaidades tolas, ela era a única unanimidade. O poeta britânico Alexander Pope dizia que “encantos impressionam a vista, mas o mérito ganha o coração” (Charms strike the sight, but merit wins the soul). E era somente por absoluto mérito que a Professora Hélderi tinha a designação semiperpétua dos cargos de Chefe de Departamento e Diretora da Faculdade de Direito. Foi nessa paradoxal condição de chefe que ganhou a admiração e a estima de todos nós. Talvez tenha sido o que mais tenha lhe dado trabalho

No campo pessoal, encarnava uma porção chic e uma versão pop. Vestia-se pomposamente para grandes eventos, como poderia colocar apenas sandálias de dedo e pareceria sempre a mais elegante e bela do lugar. É porque, como dizia o bardo Shakespeare “a beleza nos parece ainda mais bela quando a virtude, doce e amável, a ornamenta.”  (Soneto LIV). Por graça, sempre brincávamos em tocar seus cabelos perfeitamente gomalinados e armados com laquê, fazendo tiradas na comparação da “armadura” com a cabeleira da atriz Aracy Balabanian.

Tinha ciência e proficiência como advogada e docente, mas também sabia ser dona de casa. Coordenava pessoalmente as atividades de casa, especialmente para cuidar zelosamente do esposo Vassimon, seu eterno príncipe. Neste século do feminismo arrogante que não permite a convivência das duas personalidades (a mulher profissional e a dona de casa), como se fossem comportamentos excludentes, ela mandava às favas esse divisionismo de competências e a episteme feminista monocular que incensa a mulher somente pela sua ocupação profissional.

Tinha a sabedoria do coração alimentado pelo vetor da maternidade, acolhendo a todos com singeleza e a particularizada atenção humanizada. Com sutileza e grandeza de espírito evocava sobre todos nós, os seus comandados, simplicidade, amor e amizade. Ela se foi. Deixou aqui muitos órfãos. Foi mãe funcional. Ensinou que a maternidade adotiva funcional é fruto da disponibilidade para a compreensão, tolerância na diversidade, entendimento sem genuflexão, acolhimento, e, sobretudo, a fixação de uma linguagem de amor. Foi ela quem nos ensinou que a vida revela-se no amor; a paz revela-se no amor; a simplicidade revela-se no amor; a humildade revela-se no amor; a verdade é o puro amor.

Com o seu trabalho operoso, vivaz, sereno, daquilo que todos conhecemos de seu coração, a Professora Hélderi sempre será para nós aquilo que o tempo é para a eternidade: perene, inesgotável, perpétuo.

Com a voz embotada, coração enlutado, lágrimas nos olhos e tristeza na alma, nessa hora só podemos dizer: Requiescat in pace, in perpetuum mãe Hélderi!

Marcos Araújo é Advogado – Mestre em Direito Constitucional Professor da Universidade do Estado do Rio Grande do norte.

 

PENSAMENTO IX

“Escritor: não somente certa maneira especial de ver as coisas, senão também uma impossibilidade de as ver de qualquer outra maneira”. (Carlos Drummond de Andrade)

 

ACADEMIA MOSSOROENSE DE LETRAS – AMOL

 

foto 06

 

4º Concurso de Contos, Crônicas e Poesias

“João  Batista  Cascudo Rodrigues” – 2019 – Inscrições até 25 de outubro de 2019

Os trabalhos serão entregues diretamente ou enviados pelos correios para Academia Mossoroense de Letras – AMOL, na Sala 01, da Biblioteca Ney Pontes Duarte, Praça da Redenção Jornalista Dorian Jorge Freire, nº 17 – CEP 59.600 – 780, Centro – Mossoró/RN.

Academia Mossoroense de Letras – Praça da Redenção, nº 17 – Centro – Mossoró/RN – 59600-065 Fundada em 25 de setembro de 1988, a Academia Mossoroense de Letras – AMOL, em homenagem ao seu sócio fundador (in memoriam) “João Batista Cascudo Rodrigues”, torna público o Edital nº 01/2019, referente ao 4º Concurso de Contos, Crônicas e Poesias “João Batista Cascudo Rodrigues”, constante do seguinte

REGULAMENTO:

  1. Os candidatos podem concorrer com 01 (hum) texto de conto e/ou 01 (hum) texto de crônicas e/ou de poesia.
  2. Os textos deverão ser originais, isto é, nunca terem sido anteriormente publicados em jornal, revista ou livro, ou mesmo veiculados pela Internet ou quaisquer outros meios de comunicação.
  3. Os trabalhos deverão ser inscritos em português, com tema livre, digitados em papel A4, em uma só face do papel, enviados em 04 (quatro)
    • Só poderão concorrer autores norte-rio-grandenses, que residam em território do Rio Grande do Norte.
  4. Os contos e crônicas terão limite máximo de 15 (quinze) páginas e as poesias em no máximo 4 (quatro) páginas, em letra 12, fonte Arial, espaço 1.5.
  5. Cada texto deverá ser identificado apenas pelo título e pseudônimo, não podendo constar, de ne- nhuma forma, algo que identifique o seu
  6. Os textos de conto, crônica e de poesia deverão estar contidos em um só envelope e com um mes- mo pseudônimo, além de uma cópia em
    • Este envelope será acompanhado por um outro menor, lacrado, que terá na parte externa a indica- ção “4º CONCURSO DE CONTOS, CRÔNICAS E POESIAS JOÃO BATISTA CASCUDO RODRIGUES – AMOL”, título do trabalho e o pseudônimo do autor.

Os trabalhos serão avaliados por uma Comissão Julgadora, composta por pessoas com amplo conhecimento, experiência e saber em literatura.

  • A Comissão Julgadora será composta de 5 (cinco) membros, escolhida pela Direção da Academia Mossoroense de Letras – AMOL, podendo serem membros da Academia ou
  • Esta Comissão Julgadora terá plena e total autonomia na apreciação e julgamento dos textos apresentados, que deverão ser regidos pelos princípios de originalidade, técnica e arte literária.
  • A decisão da Comissão Julgadora terá caráter irrevogável.
  1. Serão premiados os 2 (dois) (primeiro e segundo lugares) melhores trabalhos, em cada categoria, recebendo os vencedores, os seguintes prêmios:

1º Lugar: – Conto – R$ 1.000,00 (mil reais) mais certificado;

1º Lugar: – Crônica – R$ 1.000,00,00 (mil reais) mais certificado;

1º Lugar: – Poesia – R$ 1.000,00,00 (mil reais) mais certificado;

2º Lugar: – Conto – R$ 500,00 (quinhentos re- ais) mais certificado;

2º Lugar: – Crônica – R$ 500,00 (quinhentos reais) mais certificado;

2º Lugar: – Poesia—R$ 500,00 (quinhentos reais) mais certificado.

  • Menções honrosas:

Além dos 2 (dois) primeiros lugares, haverá 5 (cinco) menções honrosas, que receberão os seguintes certificados.

  • Os trabalhos ganhadores serão publicados pela Coleção Mossoroense, em formato de coletânea.
  • Cada ganhador, e os que foram agraciados com menções honrosas, receberão, respectivamente, 10 (dez) e 5 (cinco)
  • Os concorrentes, ao se inscreverem no concurso, cedem todos os direitos autorais de veiculação e divulgação dos respectivos textos à Academia Mossoroense de Letras –
  • É vedada a participação dos membros da Academia Mossoroense de Letras, como
  1. Os trabalhos serão entregues, diretamente, ou enviados pelos correios, para a Academia Mossoroense de Letras – AMOL, Biblioteca Ney Pontes Duarte, Praça da Redenção Jornalista Dorian Jorge Freire, nº 17, Centro, Mossoró/RN, CEP: 59600-780.
    • Quando enviados, serão validados apenas os trabalhos contendo carimbo dos correios, até 31/08/2016, trinta e um de agosto de dois mil e dezes- seis.
    • A comunicação dos resultados do concurso será feita no final de setembro e a premiação posteriormente.

Mossoró/RN, 10 de julho de 2019.

Elder Heronildes da Silva Presidente da AMOL

 

PENSAMENTO X

“Ao olhar para o calvário, encontrei um olhar de misericórdia e amor.” (Teólogo: Ricardo Alfredo).

REFLEXÃO

Salmos 11 – A confiança no Senhor

1- No Senhor confio; como dizeis à minha alma: Fugi para a vossa montanha como um pássaro?

2- Pois eis que os ímpios armam o arco, põem as flechas na corda, para com elas atirarem ocultamente aos retos de coração.

3- Se os fundamentos forem destruídos, o que pode fazer o justo?

4- O Senhor está no seu santo templo; o trono do Senhor está nos céus; os seus olhos estão atentos, e as suas pálpebras põem à prova os filhos dos homens.

5- O Senhor põe à prova o justo; porém a sua alma odeia o ímpio e o que ama a violência.

6- Sobre os ímpios fará chover laços, fogo, enxofre, e vento tempestuoso; isso será a porção do seu copo.

7- Porque o Senhor é justo, e ama a justiça; o seu rosto olha para os retos.

 

O Salmista usando a ideia da perfeição compôs o salmo 11 apenas com sete versículos. A sua mensagem esta dividida da seguinte forma: “No (v. 1) no SENHOR confiar”, no (v. 2) as ciladas dos ímpios, no (v. 3) os fundamentos da justiça, no (v. 4) “Seu santo templo”, no (v. 5) o justo provado, no (v. 6) a vingança do Senhor, no (v. 7) o Senhor ama a justiça.

A principal ideia deste salmo é andar em retidão, pois a tudo Deus contempla, assim como sonda o coração humano. As provas não vêm para nos reprovar, mas para fortalecer ao justo e resgatar ao ímpio (v. 5). Só que chegará o dia em que a graça dará lugar ao juízo (v. 6) e todos aqueles que não largaram o pecado, receberão o que não foi preparado para ser humano algum, mas “para o diabo e seus anjos” (Mateus 25:41).

 

 

Reflexões Teológicas – Ricardo Alfredo

APRENDIZADO  

“Diante de tudo… eu sou um milagre.” (Escritor: Ricardo Alfredo)

 

 

PENSAMENTO I

“Eis um segredo… Quando menos se esperar, voarei ao encontro do meu Senhor e Rei, e lá, terei descanso, deste mar de provações”. (Escritor: Ricardo Alfredo)

 

 

REFLEXÃO: Relativismo um mal deste século

A formação acadêmica e cultural popular de um ser humano, de forma direta ou mesmo indireta, interfere em suas opiniões e conceitos. Os prévios conhecimentos do tema e as influências recebidas, estão sempre presentes em sua trajetória. Todavia, um coração que busca a compreensão e a sabedoria tem um leme que leva seu banco no rumo do saber. E nesta caminhada, a observação é fator determinante, visto que, os conceitos modernos tem de forma direta influenciado na vida social. E deste este, está o conceito de relativismo do viver. Sendo assim, O profeta Isaias lança luz sobre o relativismo vindouro ao declarar: “Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que põem as trevas por luz, e o amargo por doce, e o doce por amargo.” (Isa. 5:20).

 

A sociedade pós-moderna vem sendo sufocada pela imposição do relativismo moderno. E silenciosamente vem aceitado, visto que sua roupagem é a falsa ideia de humanismo. Em qualquer pesquisa ao assunto, encontramos conceitos apropriados ao tema, e no dicionário de Aurélio Buarque de Holanda, é apresentado de forma assertiva o significado deste vocábulo: diz o dicionário: “teoria filosófica que se baseia na relatividade do conhecimento”.

 

Por outro lado, dentro de uma linguagem mais popular, o conceito ao relativismo é: “Relativismo é uma corrente de pensamento que questiona as verdades universais do homem, tornando o conhecimento subjetivo”.

 

Todavia, há um axioma de sabedoria popular, que afirma: “Isso é relativo!” Embora tenha uma aparência inofensiva, essa afirmação, vem nos trazer a lembrança do gênio e descobridor da relatividade física Albert Einstein, sugere-nos que não há verdades absolutas. No campo da física é possível sim pois os conceitos são meramente humanos de observação e repetição em laboratórios. Entretanto, o relativismo vivido na esfera dogmática do campo das ciências religiosas não pode e não deve ser acatado nem visto com bons olhos, pois eles, quando aceitos, nos remetem a episódios históricos profundamente lastimáveis. Entre eles, está holocausto, visto apenas em sua época como assunto de guerra, o que na verdade, era o massacre de um povo.

 

Do ponto de vista histórico, a ideia do relativismo provém dos sofistas, antigos gregos, que construíram uma corrente denominada de Relativismo Moral, e foi a partir dessa interpretação que eles introduziram na ideia coletiva a moralidade e sua importância para a metodologia de edificação do conhecimento.  Mais tarde, essa metodologia, criou a ideia de bem e mal. De forma prática, o conceito de bem e mal foi brotando como: O bem é aquilo que é socialmente aceito, enquanto tudo o que sai da curva de moralidade aprovada é tido como mal.

 

E é a partir dessa ideia do bem e do mal, que o relativismo religioso passou a transpor o relativismo moral, visto que o conceito de bem e mal passou a ser questionado dentro da visão religiosa. É justamente desta introdução da ideia de que tudo é relativo, que surge o questionamento da palavra viva, das sagradas letras, como única e verdadeira. Nem mesmo as interpretações extra bíblicas, foram poupadas das avassaladoras críticas sociais e cientificas sem fundamentos.

 

O relativismo, ideia dos sofistas, passou a influenciar o mundo todo, e alcançou todas as esferas da conduta humana, como: moral, social e religiosa. Já no mundo acadêmico, passou a ser pressuposto filosófico em relação ao antigo código de ética vigente. Porem, essa mudança criou a teoria da flexibilidade estimula, o que gerou o abandono de valores históricos e sólidos, em detrimento de valores superficiais, e, passo a passo, foram agregados ao comportamento social, o que desencadeando diversos conflitos existenciais.

 

O relativismo é tão avassalador, que o apóstolo Paulo prever profeticamente os últimos dias desta flexibilidade, ao afirmar: “Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus”, (2 Timóteo 3:1-4).

 

No entanto, a passo de ganso, testemunhamos a ruina da sociedade moderna e sua forma dogmática que é impenitente, do cada um por si. Sendo este o fator que levou a crise de existência e a crise ética. Valores corrompidos, que contaminou o cristianismo de forma hodierna e atemorizante, a ponto de danificar o corpo de Cristo, que é sua igreja.

 

Ao longo dos dias, temos visto, e ouvido e presenciando, em todo mundo, o colapso teológico que as diversas religiões têm sofrido, e pior, a infiltração, de forma sutil, de normas de conduta que não são bíblicas, assim como preceitos e conceitos destrutivos, os quais, apenas aviltam a verdadeira identidade da Igreja e perverte a natureza de sua sublime missão, originando uma assustadora permissividade do tudo pode.

 

As religiões, última barreira, têm ficado cada vez mais distantes das Escrituras. Seus pastores, padre, bispos e os seus ministérios dão ares de confusos; inábeis ao discernir entre o que é certo ou errado; oscilam diante de assuntos nitidamente tratadas pela Bíblia, como a justiça social ou a conduta do cristão na sociedade. Assim como no período do profeta Isaías, onde o povo andava as cegas, estamos vivendo o mesmo colapso e por isso o profeta exclama em alto tom: “Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que põem as trevas por luz, e o amargo por doce, e o doce por amargo.” (Isa. 5:20).

 

Diante do novo conceito de relatividade, a permissiva aflorou na época do profeta Isaias, ao qual deu nascimento à apostasia. Já em seu tempo, o apóstolo Paulo, prevendo dias difíceis doutrinou: … “Que nos últimos dias, muitos apostatarão da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios.” (I Tm 4:1).

 

É visível, em nossos dias o cumprimento profeto do apostolo Paulo, pois a sombra da apostasia tem encontrado, porém verdadeiro vaticínio do apóstolo, seu inevitável cumprimento! E assim, tem sido crescente o numero de pessoas que antes eram ditos cristão, a enveredares pelo caminho da heresia que termina nas tendas das seitas. E, quando não são atraídos pelas seitas enveredam por ensinamentos anti-bíblicos, como a Teologia da Prosperidade ou Confissão Positiva e o Legalismo, entre outros.

 

O relativismo foi, é, e sempre será, um perigo para a fé cristã. Visto que vem colonizando, doutrinariamente toda a sociedade moderna. E levando as igrejas, patrimônio de Deus, a caminhos desconhecidos e tortuosos.

 

Portanto, em nosso tempo, a verdade tem sido relativizada, e ao mesmo tempo, desprezada e atacada. Todavia, o sábio Salomão aconselha: “compra a verdade e não a vendas”. É neste porto que a igreja, cristandade atual, deveria combater o relativismo, sendo “coluna e baluarte da verdade”, mesmo que custasse a vida terrena e sobreviessem as lutas espirituais do desprezo social. E assim cumpriria a sua missão, que pregar a verdade e proteger os fracos.

 

AVISO

“Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que põem as trevas por luz, e o amargo por doce, e o doce por amargo.” (Isa. 5:20).

 

CONVITE ANIVERSÁRIO

 

foto 01 (1)

 

POLÍTICA

A fronteira entre a política e fé.

Quando tratamos de politicas partidária ou não, devemos ter em mente as seguintes perguntas: Qual a missão da Igreja nos assuntos temporais? A Igreja tem o direito de intervir? Em que nível? Distingue-se aqui a fronteira entre o que pertence a César e o que é de Deus.

Nos assuntos temporais, a Igreja foi ordenada por Cristo para a missão apostólico: “ide, pois, e ensinai a todas as nações, batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo” (Mt 28: 19,20). E dentro dessa missão, a doutrina celeste e as atividades do Reino de Deus na terra, deveriam ser apostólicas e proféticas, e assim a igreja contribuiria para os assuntos temporais, ensinando o justo proceder nos assuntos terrenos.

A missão da igreja deve ser especialmente espiritual, como: a pregação do Evangelho, a administração dos assuntos doutrinários e a oração. Em segundo plano está assistência aos necessitados, o qual foi ensinado pelo próprio mestre (Jesus Cristo).

Outro fator importante na incumbência da igreja é a independência em sua missão. Essa independência deve estar relacionada ao caráter político e econômico. Pois é impossível, se pensa em Estado e Igreja, sem ser tecnicamente separar as funções desenvolvidas por cada parte, ainda que alvo seja o mesmo.

Quando tratamos diretamente do assunto Estado, podemos afirmar que a função do deste deveria ser sociabilidade e o bem comum. Todavia, num olhar mais aprofundado é possível contemplar o estado também analisado tanto a parte material como a espiritual, pois o ser humano não é apenas material mais também espiritual, corpo e alma e quando apenas uma é cuidada a outra perecerá.

O progresso humano requer todos os meios materiais possíveis, porem o meio espiritual é indissolúvel deste progresso visto que nele encontramos: a paz, a ordem, a justiça, a liberdade, a segurança etc. Bens que estão ligados às virtudes da alma.

Como a igreja não possui poder politico e nem o estado é detentor do pode eclesiástico as duas se ajustam em seus papéis e ações, o que favorece a liberdade religiosa e social.

Dentro deste ajuste surgem dois importantes direitos, que são: a liberdade religiosa, que é a imunidade de perseguição por parte do Estado e o direto em relação à atuação no campo social. E estes dois direitos além de promove à liberdade, cria a responsabilidade politica dos cidadãos.

Em última análise, é preciso dizer que a religião e a política são detentoras de orientação e encaminhamento humano nas atividades sociais, pois o homem religioso e o homem político (cidadão) se fundem na mesma pessoa, e é chamado para cumprir seu deve com ambos. Além de seus deveres sociais, econômicos e políticos. No entanto, os que confessam uma fé devem aprender a separar com cuidado os direitos e deveres em relação à igreja e ao estado social.

Na relação igreja e estado, surge a ideia da escolha do político ideal o qual deve ser alguém que acredite no patriotismo e tenha apresentado trabalhos em favor dos mais necessitados, e que tenha a coragem de lutar contra todas as formas de corrupção no sistema político.

Portanto, a relação entre a Igreja e o Estado deve ser distinguida pela separação e união em pontos relevantes para construção de um ser humano, humanizado. E dentre está relação há três pontos fundamentais que são: acolher a vivência de uma esfera ética dentro da política; distinguir a missão da religião e da política; beneficiar e colaborar para que âmbitos tenham sucesso.

 

 

DAS MAIS BELAS CANÇÕES CRISTÃS

RENOVA-ME

Voz da Verdade

Senhor venha mudar, mudar meus pensamentos

Restaura os meus sonhos e meus sentimentos

Vem encher o vaso, é o que eu mais quero

Por onde tenho andado sempre estás por perto

Vem encher o vaso, é o que eu mais quero

Por onde tenho andado sempre estás por perto

Renova-me Senhor, venha curar as minhas feridas

Eu quero ser melhor, renova-me Senhor. Renova-me Senhor

 

 

PENSAMENTO II

“As pessoas felizes lembram o passado com gratidão, alegram-se com o presente e encaram o futuro sem medo”. (Epicuro)

MISSIONÁRIO RALBÉRICO MARQUES SERÁ EMPOSSADO NA AD EM JAPI

 

foto 02 (1)
O Missionário Ralbérico Marques será empossado dia, (31) de agosto na Igreja Evangélica Assembleia de Deus de Japi-RN, Campo Eclesiástico da IEADERN de Santa Cruz.

Pr. Ralbérico Marques é recém-chegado do campo missionário rio de Cumaná na Venezuela, ele substituirá seu pai Pr. Albérico Marques, que será empossado no DEPEM – departamento de evangelismo e missões, deverá ser um momento singular ocorrido na IEADERN  a transição de pastorado de igreja de pai para filho. (Fonte: http://www.cleitonalbino.com/)

GIRO BRASIL

1- 2020 é nomeado o ‘Ano da Bíblia’ para evangélicos em todo…;

2- Igreja batista frequentada por Deltan Dallagnol foi sede de movimento que…;

3- Sargento Isidório é obrigado a publicar pedido de desculpa para Daniela…;

4- Juiz chama cristãos de apóstatas e diz que Bíblia foi fabricada;

5- Líder de adoração da Hillsong abandona a fé cristã;

6- Projeto de lei quer transformar novelas bíblicas em patrimônio cultural;

7- Ações sociais da Igreja Universal ocupam espaços ignorados pelo poder público;

8- Pastor é arrastado da reunião de oração e espancado na Índia;

9- Organização cristã e 300 igrejas se unem para combater o Ebola,…;

10- Ideologia de gênero é coisa do capeta, diz Bolsonaro na Marcha…

BOLSONARO DESCARTA NOVAS TAXAS PARA IGREJAS EVANGÉLICAS

 

foto 03 (1)

 

Em mais um aceno à igreja evangélica, o presidente Jair Bolsonaro descartou nesta quarta-feira (7) a criação de novas taxas e defendeu maior simplificação na prestação de contas de templos religiosos.

Nesta quarta-feira (7), ele discutiu o assunto com o secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, e com o missionário R.R. Soares, da Igreja Internacional da Graça de Deus. Mais cedo, teve uma audiência com o deputado federal Marco Feliciano (Pode-SP) e, no início da tarde, almoçou com a bancada evangélica.

“Tem uma dúvida muito grande da Constituição Federal quando fala de isenção de impostos. Então, esse assunto vem sendo discutido com vários setores da sociedade. Essa que é a intenção nossa: é discutir esse assunto. E se chegarmos à conclusão que tem amparo legal para você acabar com alguma taxa, então acaba”, disse.

A reforma tributária preparada pela equipe econômica prevê um novo tributo sobre pagamentos, que substituiria a contribuição previdenciária sobre os salários. A ideia é que ele fosse pago também por templos religiosos, hoje isentos.
O presidente ressaltou que é preciso “descomplicar” as contas das entidades e que “ninguém aguenta” que cada templo religioso tenha um contador particular. Em junho, o governo federal editou normas que flexibilizaram as prestações de contas.
A primeira estabeleceu que organizações religiosas que arrecadem menos de R$ 4,8 milhões sejam dispensadas de apresentar Escrituração Contábil Digital (ECD). Antes, esse teto era de R$ 1,2 milhão. A segunda dispensou de CNPJ os estabelecimentos de organizações religiosas que não tenham autonomia administrativa.
“Não pode cada igreja tem que ter um contador, ninguém aguenta isso”, disse Bolsonaro. “Sim, chega de taxar os outros”, ressaltou.

Os evangélicos representam um dos principais grupos de apoio do presidente, de acordo com pesquisa Datafolha. Dentre aqueles que dizem ter essa religião, 41% aprovam o governo do militar reformado. Ante 30% dos católicos e 25% dos sem religião.  (Fonte: Gustavo Uribe – Folha de S. Paulo)

ACONTECEU (CONVITE – AFLAM)

 

foto 04 (1)

 

A escritora Dulce Cavalcente, que é da Academia Feminina de Letras e Artes Mossoronese, nesta sexta feira fez a defender do seu patrono ao realizar o elogio a Cora Coralina. Estive presente foi linda a presentação. Parabens.

 

PENSAMENTO III

“O prazer de fazer o bem, é maior do que recebê-lo”. (Epicuro)

LIÇÕES DA VIDA:

O Sábio

Quem faz depender de si mesmo, se não tudo, quase tudo o que contribui para a sua felicidade, e não se prende a outra pessoa, nem se modifica de acordo com o bom ou o mau êxito da sua conduta, está, de facto, preparado para a vida; é sábio, na verdadeira acepção do termo, corajoso e temperante. (Platão, in ‘Menexeno’)

PENSAMENTO IV

“Quem comete uma injustiça é sempre mais infeliz que o injustiçado”. (Platão)

LANÇAMENTO DO SÁBIO DO SERTÃO

 

foto 05 (1)

 

Prof. Dr. Benedito Vasconcelos Mendes é a historia viva do nordeste, assim como é um patrimônio da cultural Nacional. E nessa caminhada de ensina e aprender tem nos presenteado com mais um livro. Parabéns professor!

CANÇÕES ETERNIZADAS

Canteiros – Fagner

Quando penso em você
Fecho os olhos de saudade
Tenho tido muita coisa
Menos a felicidade

Correm os meus dedos longos
Em versos tristes que invento
Nem aquilo a que me entrego
Já me dá contentamento

Pode ser até manhã
Cedo, claro, feito o dia
Mas nada do que me dizem
Me faz sentir alegria

Eu só queria ter do mato
Um gosto de framboesa
Pra correr entre os canteiros
E esconder minha tristeza

E eu ainda sou bem moço pra tanta tristeza
E deixemos de coisa, cuidemos da vida
Pois senão chega a morte
Ou coisa parecida
E nos arrasta moço
Sem ter visto a vida

Eu só queria ter do mato
Um gosto de framboesa
Pra correr entre os canteiros
E esconder minha tristeza

E eu ainda sou bem moço pra tanta tristeza
E deixemos de coisa, cuidemos da vida
Pois senão chega a morte
Ou coisa parecida
E nos arrasta moço
Sem ter visto a vida

PENSAMENTO V

“Eu digo sempre que das três virtudes teologais chamadas, eu sou fraco na fé e fraco na qualidade, só me resta a esperança. Eu sou o homem da esperança”. (Ariano Suassuna)

 

POEMAS – CLÁSSICOS DAS POESIAS

A Máquina do Mundo

E como eu palmilhasse vagamente
uma estrada de Minas, pedregosa,
e no fecho da tarde um sino rouco

se misturasse ao som de meus sapatos
que era pausado e seco; e aves pairassem
no céu de chumbo, e suas formas pretas

lentamente se fossem diluindo
na escuridão maior, vinda dos montes
e de meu próprio ser desenganado,

a máquina do mundo se entreabriu
para quem de a romper já se esquivava
e só de o ter pensado se carpia.

Abriu-se majestosa e circunspecta,
sem emitir um som que fosse impuro
nem um clarão maior que o tolerável

pelas pupilas gastas na inspeção
contínua e dolorosa do deserto,
e pela mente exausta de mentar

toda uma realidade que transcende
a própria imagem sua debuxada
no rosto do mistério, nos abismos.

Abriu-se em calma pura, e convidando
quantos sentidos e intuições restavam
a quem de os ter usado os já perdera

e nem desejaria recobrá-los,
se em vão e para sempre repetimos
os mesmos sem roteiro tristes périplos,

convidando-os a todos, em coorte,
a se aplicarem sobre o pasto inédito
da natureza mítica das coisas. (Trecho de A Máquina do Mundo, de Carlos Drummond de Andrade).

PENSAMENTO VI

“Eu jamais guardei rancor, pois sempre amei… Amei com a alma”. (Ricardo Alfredo)

CONVITE – ACADEMIA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS DE MOSSORÓ – ACJUS

 

foto 06 (1)

 

PENSAMENTO VII

“Com o tempo, você vai percebendo que, para ser feliz, você precisa aprender a gostar de você, a cuidar de você e, principalmente, a gostar de quem também gosta de você”. (Mário Quintana)

GOVERNADORA RECEBE REPRESENTANTES DO EVENTO DA MACHA PARA JESUS

 

foto 07 (1)

 

A governadora Fátima Bezerra recebeu em audiência na tarde de quarta-feira (7) os organizadores do evento Marcha para Jesus no Rio Grande do Norte.

Inicialmente o grupo apresentou os motivos para realizar o evento que está previsto para acontecer no dia 5 de outubro, em Natal.
O deputado estadual Albert Dickson destacou a importância de resgatar a marcha, que há três anos não acontece mais no Rio Grande do Norte, e que o evento tem uma função que vai além do louvor, tem um caráter social. “Muito mais do que congregar a comunidade evangélica em adoração a Jesus, a marcha também realiza uma campanha de arrecadação de alimentos que serão doados posteriormente a famílias carentes de Natal”, disse.
Após apresentação do cantor gospel Miqueias, a governadora Fátima Bezerra recebeu de presente uma bíblia e uma camiseta do evento. Os organizadores também solicitaram apoio institucional do governo e convidaram a governadora para participar do evento.
Com uma mensagem bíblica, a governadora Fátima Bezerra agradeceu a presença de todos e ressaltou a atuação do deputado Albert Dickson como forte liderança do segmento evangélico. Fátima também confirmou o apoio institucional pedido pelos pastores.
“Estamos dialogando com a organização para definir como será dado esse apoio. Além disso, o governo também vai assegurar estrutura de segurança e atendimento em saúde, para garantir que esse evento seja realizado da forma mais tranquila possível. Porque o que estamos precisando no mundo é de mais amor ao próximo, mais solidariedade e mais justiça social”, afirmou a governadora e concluiu: “Quero estar presente no dia da marcha, para louvar junto com vocês”.
O evento está previsto para acontecer no dia 5 de outubro. A expectativa é reunir 20 mil pessoas de 80 denominações protestantes do estado. A Marcha deve contar com atrações locais e nacionais, como bandas e cantores gospel, em trios elétricos. (Fonte: http://www.cleitonalbino.com/)

 

NOTA:

Nesta quinta ocorrerá votação o para os novos membros da AMOL – Academia Mossororense de Letras. Vários nomes estão no pleito. Boa sorte a todos.

 

ACJUS PROMOVE EM AGOSTO UM INESQUECÍVEL EVENTO

 

foto 08 (1)

 

A Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró – ACJUS – orgulho da cultura mossoroense, dando continuidade ao calendário acadêmico de 2019 – realizará em breve um grande evento aqui em Mossoró.  Será no dia 23/08/2019, a partir das 19h, no auditório da OAB – Mossoró-RN, quando em mais uma etapa do Projeto Memória Acadêmica – Trajetórias – teremos uma Sessão Solene de cronologia e em Tributo a confreira MARIA HÉLDERI DE QUEIROZ DIÓGENES NEGREIROS – inesquecível e preclara associada que foi a primeira ocupante da cadeira 32.

Na presente sessão, a acadêmica MARIA CONCEIÇÃO MACIEL FILGUEIRA – segunda ocupante da citada cadeira, proferirá em sintonia com as normas regimentais em nome do nosso sodalício exaltação a   homenageada.

Sobre a professora e Dra. MARIA HÉLDERI DE QUEIROZ DIOGENES NEGREIROS- in memoriam, quando do seu passamento para o Oriente Eterno, disse o acadêmico FRANCISCO MARCOS ARAÚJO (cadeira 29):

“Foi acolhida hoje no Reino dos Céus, depois de 75 anos iluminando a terra, a amada Profa. Maria Hélderi de Queiroz Diógenes Negreiros. Embora o vínculo familiar direto seja restrito ao esposo Vassimon de Queiroz Negreiros, às filhas Valéria, Liane e Eliene, e aos seus quatro netos, a extensão dos que a ela se ligam por afeto, sentindo-se como se filhos fossem, contam-se em centenas e/ou milhares.

O pesar não é pela perda de uma colega, de uma amiga, da professora… A dor é por orfandade mesmo! Perdemos uma mãe! A Professora Hélderi foi mãe profissional de dezenas de professores da Faculdade de Direito, indistintamente de suas idades. Na UERN, fomos seus alunos de antanho, hoje (também por seu mérito!) colegas professores, mas filhos adotivos in perpetuum.

É fato sabido que a experiência da vida humana cumpre-se sob a influência de três paradoxos: o da subjetividade, o da liberdade e o do tempo.

Na ordem invertida, começando pelo tempo, a Profa. Hélderi marcou indelevelmente a história da UERN. Ela foi uma das primeiras alunas do Curso de Direito da antiga Fundação. Ingressou no ano de 1976, formou-se em 1981 e foi sua primeira professora já em 1982. Vanguardista, mudou de aluna para professora de um ano para o outro. Naquela época, a cátedra nas Faculdades de Direito era ambiente hostil às mulheres. Equiparou-se em pioneirismo às paulistanas Esther de Figueiredo Ferraz e Ada Pellegrini Grinover, e à pernambucana Bernadete Neves Pedrosa.

No campo da liberdade, ninguém foi mais autentica, livre em ação e pensamento do que ela. Eram suas características marcantes: a franqueza no diálogo; a posição intimorata e o destemor da voz elevada mesmo diante de homens sisudos; a posição mediadora, porém resoluta de quem determinava; o desejo permanente de manter uma organização mínima na FAD, contra um insurreto grupo de desorganizados e impontuais jovens professores, entre outros feelings. Talvez tenha sido eu quem mais tenha lhe dado trabalho quanto a falta rigidez de horários, entrega de diários etc, Firme no conselho do poeta florentino Dante Alighieri (“Contra razão melhor, razão não luta” – contra niglior voler, voler mal pugna), sempre fui vencido pela sua racional autoridade profissional e aconselhamento materno.

Quanto à sua dimensão humana subjetiva, Heidegger ensinava que é no espaço público que demonstramos a forma de “ser-uns-com-os-outros em nosso estar-relacionado com as coisas que nos encontram”. Frase complicada apenas para dizer que as interações sociais é quem validarão o prestigio e o respeito que a comunidade lhe terá. Nesse ponto, ela foi “Doutora”. Soube se relacionar tão bem com todos que, num ambiente onde sobejam vaidades tolas, ela era a única unanimidade. O poeta britânico Alexander Pope dizia que “encantos impressionam a vista, mas o mérito ganha o coração” (Charms strike the sight, but merit wins the soul). E era somente por absoluto mérito que a Professora Hélderi tinha a designação semiperpétua dos cargos de Chefe de Departamento e Diretora da Faculdade de Direito. Foi nessa paradoxal condição de chefe que ganhou a admiração e a estima de todos nós. Talvez tenha sido o que mais tenha lhe dado trabalho

No campo pessoal, encarnava uma porção chic e uma versão pop. Vestia-se pomposamente para grandes eventos, como poderia colocar apenas sandálias de dedo e pareceria sempre a mais elegante e bela do lugar. É porque, como dizia o bardo Shakespeare “a beleza nos parece ainda mais bela quando a virtude, doce e amável, a ornamenta.”  (Soneto LIV). Por graça, sempre brincávamos em tocar seus cabelos perfeitamente gomalinados e armados com laquê, fazendo tiradas na comparação da “armadura” com a cabeleira da atriz Aracy Balabanian.

Tinha ciência e proficiência como advogada e docente, mas também sabia ser dona de casa. Coordenava pessoalmente as atividades de casa, especialmente para cuidar zelosamente do esposo Vassimon, seu eterno príncipe. Neste século do feminismo arrogante que não permite a convivência das duas personalidades (a mulher profissional e a dona de casa), como se fossem comportamentos excludentes, ela mandava às favas esse divisionismo de competências e a episteme feminista monocular que incensa a mulher somente pela sua ocupação profissional.

Tinha a sabedoria do coração alimentado pelo vetor da maternidade, acolhendo a todos com singeleza e a particularizada atenção humanizada. Com sutileza e grandeza de espírito evocava sobre todos nós, os seus comandados, simplicidade, amor e amizade. Ela se foi. Deixou aqui muitos órfãos. Foi mãe funcional. Ensinou que a maternidade adotiva funcional é fruto da disponibilidade para a compreensão, tolerância na diversidade, entendimento sem genuflexão, acolhimento, e, sobretudo, a fixação de uma linguagem de amor. Foi ela quem nos ensinou que a vida revela-se no amor; a paz revela-se no amor; a simplicidade revela-se no amor; a humildade revela-se no amor; a verdade é o puro amor.

Com o seu trabalho operoso, vivaz, sereno, daquilo que todos conhecemos de seu coração, a Professora Hélderi sempre será para nós aquilo que o tempo é para a eternidade: perene, inesgotável, perpétuo.

Com a voz embotada, coração enlutado, lágrimas nos olhos e tristeza na alma, nessa hora só podemos dizer: Requiescat in pace, in perpetuum mãe Hélderi!

Marcos Araújo é Advogado – Mestre em Direito Constitucional Professor da Universidade do Estado do Rio Grande do norte.

 

ACADEMIA MOSSOROENSE DE LETRAS – AMOL

 

foto 09 (1)

 

4º Concurso de Contos, Crônicas e Poesias

“João Batista Cascudo Rodrigues” – 2019

Inscrições até

25 de outubro de 2019

Os trabalhos serão entregues diretamente ou enviados pelos correios para Academia Mossoroense de Letras – AMOL, na Sala 01, da Biblioteca Ney Pontes Duarte, Praça da Redenção Jornalista Dorian Jorge Freire, nº 17 – CEP 59.600 – 780, Centro – Mossoró/RN.

Academia Mossoroense de Letras

Praça da Redenção, nº 17 – Centro – Mossoró/RN – 59600-065 Fundada em 25 de setembro de 1988

Fundada em 1988, a Academia Mossoroense de Letras – AMOL, em homenagem ao seu sócio fundador (in memoriam) “João Batista Cascudo Rodrigues”, torna público o Edital nº 01/2019, referente ao 4º Concurso de Contos, Crônicas e Poesias “João Batista Cascudo Rodrigues”, constante do seguinte

REGULAMENTO:

  1. Os candidatos podem concorrer com 01 (hum) texto de conto e/ou 01 (hum) texto de crônicas e/ou de poesia.
  2. Os textos deverão ser originais, isto é, nunca terem sido anteriormente publicados em jornal, revista ou livro, ou mesmo veiculados pela Internet ou quaisquer outros meios de comunicação.
  3. Os trabalhos deverão ser inscritos em português, com tema livre, digitados em papel A4, em uma só face do papel, enviados em 04 (quatro)
    • Só poderão concorrer autores norte-rio-grandenses, que residam em território do Rio Grande do Norte.
  4. Os contos e crônicas terão limite máximo de 15 (quinze) páginas e as poesias em no máximo 4 (quatro) páginas, em letra 12, fonte Arial, espaço 1.5.
  5. Cada texto deverá ser identificado apenas pelo título e pseudônimo, não podendo constar, de ne- nhuma forma, algo que identifique o seu
  6. Os textos de conto, crônica e de poesia deverão estar contidos em um só envelope e com um mes- mo pseudônimo, além de uma cópia em
    • Este envelope será acompanhado por um outro menor, lacrado, que terá na parte externa a indica- ção “4º CONCURSO DE CONTOS, CRÔNICAS E POESIAS JOÃO BATISTA CASCUDO RODRIGUES – AMOL”, título do trabalho e o pseudônimo do autor.

Os trabalhos serão avaliados por uma Comissão Julgadora, composta por pessoas com amplo conhecimento, experiência e saber em literatura.

  • A Comissão Julgadora será composta de 5 (cinco) membros, escolhida pela Direção da Academia Mossoroense de Letras – AMOL, podendo serem membros da Academia ou
  • Esta Comissão Julgadora terá plena e total autonomia na apreciação e julgamento dos textos apresentados, que deverão ser regidos pelos princípios de originalidade, técnica e arte literária.
  • A decisão da Comissão Julgadora terá caráter irrevogável.
  1. Serão premiados os 2 (dois) (primeiro e segundo lugares) melhores trabalhos, em cada categoria, recebendo os vencedores, os seguintes prêmios:

1º Lugar: – Conto – R$ 1.000,00 (mil reais) mais certificado;

1º Lugar: – Crônica – R$ 1.000,00,00 (mil reais) mais certificado;

1º Lugar: – Poesia – R$ 1.000,00,00 (mil reais) mais certificado;

2º Lugar: – Conto – R$ 500,00 (quinhentos re- ais) mais certificado;

2º Lugar: – Crônica – R$ 500,00 (quinhentos reais) mais certificado;

2º Lugar: – Poesia—R$ 500,00 (quinhentos reais) mais certificado.

  • Menções honrosas:

Além dos 2 (dois) primeiros lugares, haverá 5 (cinco) menções honrosas, que receberão os seguintes certificados.

  • Os trabalhos ganhadores serão publicados pela Coleção Mossoroense, em formato de coletânea.
  • Cada ganhador, e os que foram agraciados com menções honrosas, receberão, respectivamente, 10 (dez) e 5 (cinco)
  • Os concorrentes, ao se inscreverem no concurso, cedem todos os direitos autorais de veiculação e divulgação dos respectivos textos à Academia Mossoroense de Letras –
  • É vedada a participação dos membros da Academia Mossoroense de Letras, como
  1. Os trabalhos serão entregues, diretamente, ou enviados pelos correios, para a Academia Mossoroense de Letras – AMOL, Biblioteca Ney Pontes Duarte, Praça da Redenção Jornalista Dorian Jorge Freire, nº 17, Centro, Mossoró/RN, CEP: 59600-780.
    • Quando enviados, serão validados apenas os trabalhos contendo carimbo dos correios, até 31/08/2016, trinta e um de agosto de dois mil e dezes- seis.
    • A comunicação dos resultados do concurso será feita no final de setembro e a premiação posteriormente.

Mossoró/RN, 10 de julho de 2019.

Elder Heronildes da Silva Presidente da AMOL

 

PENSAMENTO VIII

“O temor do SENHOR é o princípio do conhecimento”. (Prov. 1.7)

REFLEXÃO

Salmos 10 – dias de clamor

Em primeira análise, o Salmo 10 é um complemento do salmo 9. A junção destes dois salmos dá origem a Septuaginta, que é a antiga tradução grega das Escrituras hebraicas. A ideia central do salmista é demonstrar que o Senhor dar a justa medida aos inimigos ímpios. Este salmo revela urgência. O salmista clama ao Senhor para ser libertado dos inimigos.

O Salmo 10 está dividido nas seguintes partes teológicas:

(1) questionamento da inação do Senhor (v. 1,2);

(2) descrição dos atos dos ímpios (v. 3-11);

(3) novo clamor para o Senhor iniciar seu julgamento (v. 12,13);

(4) profissão de fé no juízo do Senhor (v. 14,15);

(5) apresentação de louvor ao Deus Rei (v. 16-18).

Por que estás ao longe, SENHOR? Por que te escondes nos tempos de angústia?

Os ímpios na sua arrogância perseguem furiosamente o pobre; sejam apanhados nas ciladas que maquinaram.

Porque o ímpio gloria-se do desejo da sua alma; bendiz ao avarento, e renuncia ao Senhor.

Pela altivez do seu rosto o ímpio não busca a Deus; todas as suas cogitações são que não há Deus.

Os seus caminhos atormentam sempre; os teus juízos estão longe da vista dele, em grande altura, e despreza aos seus inimigos.

Diz em seu coração: Não serei abalado, porque nunca me verei na adversidade.
A sua boca está cheia de imprecações, de enganos e de astúcia; debaixo da sua língua há malícia e maldade.

Põe-se de emboscada nas aldeias; nos lugares ocultos mata o inocente; os seus olhos estão ocultamente fixos sobre o pobre.

Arma ciladas no esconderijo, como o leão no seu covil; arma ciladas para roubar o pobre; rouba-o, prendendo-o na sua rede.

Encolhe-se, abaixa-se, para que os pobres caiam em suas fortes garras.

Diz em seu coração: Deus esqueceu-se, cobriu o seu rosto, e nunca isto verá.

Levanta-te, Senhor. Ó Deus, levanta a tua mão; não te esqueças dos humildes.

Por que blasfema o ímpio de Deus? dizendo no seu coração: Tu não o esquadrinharás?
Tu o viste, porque atentas para o trabalho e enfado, para o retribuir com tuas mãos; a ti o pobre se encomenda; tu és o auxílio do órfão.

Quebra o braço do ímpio e malvado; busca a sua impiedade, até que nenhuma encontres.

O Senhor é Rei eterno; da sua terra perecerão os gentios.

Senhor, tu ouviste os desejos dos mansos; confortarás os seus corações; os teus ouvidos estarão abertos para eles;

Para fazer justiça ao órfão e ao oprimido, a fim de que o homem da terra não prossiga mais em usar da violência.

 

10.1, 2 — Por que te conservas longe são palavras clássicas de lamento ou luto (SI 13.1-3). Conforme o salmista vai vendo as atitudes do ímpio, vai se irando contra a perversidade e questionando como Deus pode continuar apático e inativo. Mas, mesmo com suas dúvidas, continua a orar ao mesmo Deus que pode libertá-lo de seus problemas.

10.3, 4 — Todas as suas cogitações são: Não há Deus. Para o salmista, este é o aspecto mais difícil das circunstâncias (SI 14.1). Seus inimigos ímpios conseguem, sem pensar em Deus, orgulhar-se de si próprios. Viram a realidade de cabeça para baixo, adorando o mal e maculando Deus.

10.5,6 — Somente os que usam a Palavra de Deus como seu arrimo de confiança podem dizer com certeza: Não serei abalado (SI 15.5). O ímpio que perdeu toda noção de Deus presume que pode usar essas mesmas palavras. No entanto, acabará por ser varrido pelo turbilhão de problemas deste mundo (Pv 10.25; Mt 7.24,27).

10.8,10 — Nos lugares ocultos. O salmista vê os perversos como opressores. Parecem-se com feras à espreita, prestes a atacar suas presas.

10.11 — Deus esqueceu-se. Os perversos comportam-se perversamente porque duvidam que o Senhor conheça, importe-se ou vá agir contra seus atos. Querem crer que não haverá juízo final; então se sentem livres para fazer as coisas ao seu jeito. Porém, a verdade é que Deus irá impor a justiça (v. 14,15).

10.12,13 — Levanta-te, Senhor. O salmista renova a conclamação ao Senhor para que atue (SI 9.19,20).

10.14,15 — Tu o viste é uma profissão de fé em Deus clássica dos salmos de lamentação. Deus sabe da situação; Ele a vê; e agirá sobre ela. Deus protege aqueles que, como o órfão, não têm outra proteção (SI 27.10). Quebranta o braço. Tal como em 3.7, é um chamado a Deus para que destrua o poder do ímpio. Essa maldição impetuosa contra o ímpio demonstra a justiça divina.
10.16,18 — O Senhor é Rei. Estas palavras sugerem que os Salmos 9 e 10 sejam salmos reais. Os salmos reais têm geralmente um ponto de vista mais positivo. Defendem a posição de que Deus é Rei e que o mundo é estável e não pode ser abalado. Por outro lado, os Salmos 9 e 10 questionam como pode existir tanta aflição no mundo se Deus é Rei. Entretanto, como Deus de fato é Rei, este salmo se encerra com uma prece fervorosa para que Sua vontade se faça na terra como no céu (Ap. 19.1-6).

 

Reflexões Teológicas

Pensamento

“Às vezes fechos os olhos, para matar a saudade dentro de mim” (Escritor: Ricardo Alfredo).

 

REFLEXÃO: clássico texto chinês

“Assim como o caos tumultuado de uma tempestade traz uma chuva nutritiva que permite à vida florir, assim também nas coisas humanas tempos de progresso são precedidos por tempos de desordem. O sucesso vem para aqueles que conseguem sobreviver à crise” (I Ching No. 3)

 

A TEMPESTADE

“E logo ordenou Jesus que os seus discípulos entrassem no barco, e fossem adiante para o outro lado, enquanto despedia a multidão”. (Mateus 14:22)

Nessa vida, há tempestade que não podemos prever. Porém, podemos sobreviver às calamidades impostas por ela. Quase sempre, o vento açoita o banquinho, porém é necessário que Cristo esteja nele.

“E o barco estava já no meio do mar, açoitado pelas ondas; porque o vento era contrário;” (Mateus 14:24)

A tempestade sempre virá e não é possível sabe quando, mais todos, em alguma parte de sua vida, sentirão o mar revolto, e as ondas querendo lhe engolir vivo, é o gosto da solidão imposta pela provação aprovada por Deus.

Quando a tempestade vem, tem pessoas que se desesperam e enlouquecem, tem pessoas morrem, tem pessoas que pulam do barco da vida e tem pessoas que na tempestade vivem as melhores experiências e os maiores milagres da sua história.

“…fustigado pelas ondas, porque o vento soprava contra ele”.  (Mateus 14:24)

Pare um pouco e pense! Dentro de um pequeno barco, numa tempestade avassaladora, a morte batendo de frente, o vento açoitando, gritos de morte ecoando. É justamente neste momento que a noite é mais escura que o milagre acontece como descreve Mateus: “Mas, à quarta vigília da noite, dirigiu-se Jesus para eles, andando por cima do mar”. (Mateus 14:25).

Humano, é neste momento que aprendemos a doce lição de ser um apenas humano. E como humanos, sentimos dúvidas, angustias e medo. Sendo senhor e conhecedor de tudo, Jesus olha para o humano, Pedro, e diz: “Vem. E Pedro, descendo do barco, andou sobre as águas para ir ter com Jesus”. (Mateus 14:29). E neste momento, que ele viveu o seu milagre.

Numa reunião, os que viram dirão: “vi um homem, sobre o poder da palavra, andar sobre as águas de um mar revolto”. Porém, um único homem pode se levantar e dizer “eu andei sobre as águas pela ordem da palavra viva”.

Somente a palavra viva, é quem pode ordenar, o que devemos fazer. E andar sobre a tempestade é preciso ter uma ordem especifica… Venha, viver o milagre. Só andaremos sobre a tempestade se Jesus estiver nela, só possível fazer o que a palavra viva ordem.

Quando mergulhamos dentro do nosso eu, descobrimos que o maior limitador de vivemos o nosso milagre é o nosso medo e a nossa falta de fé. Quando Deus coloca alguém em alguma situação, a ordem é seguir em frente, por mais que pareça tudo impossível, tenebroso e assustador, não se deve esquecer que quem mandou foi o mestre e sua ordem é especifica… “vai chegar do outro lado” (Mateus 14.22).  Jamais Ele vai voltar atrás de sua ordem e é Ele mesmo que vela pela sua palavra.

A decisão é sempre sua. Há pessoas que querem ficar no banco, pela ordem dada, e se você permanecer nele vai chegar ao outro lado. Pois Ele jamais volta atrás de sua palavra. Se você decidir sair do barco com Ele, você vai andar sobre as águas e todos ficaram maravilhas com o milagre. Se pular do barco antes Dele chegar, à tempestade vai tirar de você o que Deus determinou para sua vida e sua história.

Não desista, não desista de viver… A tempestade pode ser forte e longa, todavia, espera Nele. Não desista de viver, mesmo que o mar seja revolto, não esqueça, logo cedo pela manhã, o mar vai se acalmar e haverá bonança.

“Mas, sentindo o vento forte, teve medo; e, começando a ir para o fundo, clamou, dizendo: Senhor, salva-me!” (Mateus 14:30)

Não faça o que a circunstancias lhe ordena. Não desista, sempre haverá no caminho espinhos e pedras. Não acredite na voz contraria, levante a cabeça, e comece a caminhar de novo, a fonte está bem próxima e lá você vai beber a água viva. Mesmo que você tenha entrado nessa situação por escolha sua e la quer lhe afundar no mar da dor e da desilusão, há esperança. Levante a cabeça e olhe firme para a voz que ecoa do calvário, lhe dizendo: “es importante para Deus e não há tempestade que Cristo não possa passear por cima dela”.

Faça como o salmista em sua dor: “Tem misericórdia de mim, ó Deus, tem misericórdia, pois em Ti a minha alma se refugia; à sombra das Tuas asas me abrigo, até que passem as calamidades.” (Salmo 57:1)

Ainda há esperança para você, grite por Ele (Jesus), grite o mais alto que puder dentro de sua alma, e Ele vai estende sua mão de amor para tirá-lo da profundeza, pois não existe nenhuma tempestade que Ele não possa caminhar por cima dela.

 

CONVITE I

 

foto 01

 

A Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Rodolfo Fernandes – RN

 

“II Impacto Jovem”

Tema: Marcados para impactar – Atos 1:8 – Programação: 06/09/1019 Sexta-feira – Às 19:00hs; Culto de Abertura; Preletor: Pr. Nonato Medeiros – Viçosa Cantor: Mateus Almeida – Itaú; Banda Filhos do Rei – Rodolfo Fernandes -RN.

07/09/2019 – Sábado à tarde das 14:00 às 15:00h Devocional; Das 15:00 às 17:00hs tarde de Avivamento; Preletor: Amizaday Lira; Cantores: Elthayse Fernandes – Mossoró; Yure Lima – Apodi; Banda Filhos do Rei – Rodolfo Fernandes -RN.

A noite às 19:00hs; Culto Evangelístico de encerramento, em frente ao templo sede; Preletor: Amizaday Lira; Cantores: Elthayse Fernandes – Mossoró; Yure Lima – Apodi; Banda Filhos do Rei – Rodolfo Fernandes -RN.

 

DAS MAIS BELAS CANÇÕES CRISTÃS

Vitoriano Silva, sintonizado com a palavra viva, compõem canções que se tornam eternas. E essa é uma delas, que fala direto ao coração e nos traz a certeza que o Deus vivo entende e saber todo o viver de seu servo.

 

Só Deus Sabe (Victorino Silva)

Só Deus sabe o que eu sinto,
Só Deus sabe a minha história;
Meu passado só Deus sabe,
E o que estou sentindo agora.
Só Deus sabe o quanto eu choro,
Só Deus sabe o meu viver
O que muitos não entendem,
Só meu Deus pode saber.

Só Deus sabe e contempla todo o meu viver;
Ele sabe o que eu sinto dentro do meu ser;
Os seus olhos como chama, iluminam os meus dias
Os problemas meus, simplesmente Deus tudo sabe.

Só Deus sabe a minha luta,
Quanto pesa a minha cruz;
Meus lamentos Ele escuta,
E à vitória me conduz.
Só Deus sabe que eu espero
No seu grande e eterno amor;
Pois tudo que eu mais quero,
E servir ao meu Senhor.

A CANTORA ALICE MACIEL LOUVARÁ NA CRUZADA MOSSORÓ PARA CRISTO

 

foto 02

CONVITE II – aconteceu

 foto 03

 

CULTO DE POSSE DO PASTOR ESEQUIEL REINALDO

 

PENSAMENTO II

“Se eu pudesse deixar algum presente à você, deixaria aceso o sentimento de amar a vida dos seres humanos. A consciência de aprender tudo o que foi ensinado pelo tempo a fora. Lembraria os erros que foram cometidos para que não mais se repetissem. A capacidade de escolher novos rumos. Deixaria para você, se pudesse, o respeito aquilo que é indispensável. Além do pão, o trabalho. Além do trabalho, a ação. E, quando tudo mais faltasse, um segredo: o de buscar no interior de si mesmo a resposta e a força para encontrar a saída”. (Mahatma Gandh)

CONVITE III

 

foto 04

 

 

ASSEMBLEIA DE DEUS CAICÓ /RN INAUGURA O TEMPLO SEDE

A Assembleia de Deus de em Caicó/RN, liderado pelo Isaac Dias inaugurado um novo templo da Igreja Evangélica Assembleia de Deus – IEADERN. A inauguração do Templo sede será dia 31/07/2019.

 

PENSAMENTO III

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente. (Fernando Pessoa)

 

LIÇÕES DA VIDA: História da Riqueza E da Pobreza

Um dia um pai de família rica decidiu ensinar ao seu filho como é bom ser rico. Resolveu levar o garoto para viajar para o interior e mostrar como é difícil a vida de pessoas pobres.

Eles passaram um dia e uma noite num pequeno sítio de uma família muito pobre.

Quando retornaram da viagem o pai perguntou ao filho:

– Como foi à viagem?

– Muito boa papai!

– Você entendeu a diferença entre a riqueza e a pobreza?

– Sim.

– E o que você aprendeu? Perguntou o pai.

O filho respondeu:

– Eu vi que nos temos um cachorro em casa. Eles têm quatro. Nós temos uma piscina que alcança o meio do jardim; eles têm um riacho que não tem fim.

Nós temos uma varanda coberta e iluminada; eles têm uma floresta inteira…

Ao final da resposta, o pai ficou boquiaberto, sem reação.

E o garotinho, abraçando fortemente o seu pai, completou:

– Obrigado, pai, por me mostrar o quanto nós somos pobres!

PENSAMENTO IV

“Só é lutador quem sabe lutar consigo mesmo”. (Carlos Drummond de Andrade)

RECEBENDO HOMENAGEM DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

 

 

foto 05

 

Recebendo homenagem junto a querida deputada Larissa Rosado na Assembleia Legislativa do RN. Meu muito obrigado pela lembrança.

 

RECORDAÇÕES…

Tanta solidão é uma das mais belas canções do rei Roberto Carlos. A mesma nos fala direto ao coração, e nos fala de uma paixão misturada a emoção das lembranças de um passado. Um bom amigo, Wellington Barreto é fãs do rei e sempre está ouvido e comentado sobre as lindas melodias que falam ao coração apaixonado. Vejamos a letras para nos deliciar a canção.

Tanta Solidão (Roberto Carlos)

Você não sabe
Quanta saudade você me deixou
Lindos momentos
Coisas que o tempo jamais apagou
Foi tanta emoção amor
Tanta coisa que ficou
Foi tanta paixão
Tanta coisa pra um só coração.
Sinto saudade
Daquele tempo que a gente sonhou
Mas no meu peito
A realidade é que nada mudou
Quanta solidão amor
Quanta solidão amor
E a recordação
É demais para um só coração.
São coisas que eu não sei como dizer
Mas eu sei que o meu silêncio você sabe compreender
Se você está tão longe, tão distante pra voltar
Saiba que eu estou tão perto sem saber como chegar.
Talvez sejam lembranças nada mais
E eu nem sei dizer se os nossos sentimentos são iguais
Já tentei, já fiz de tudo e não consigo te esquecer
As vezes penso que os meus sonhos não existem sem você.
Você não sabe
Quanta saudade você me deixou
Sinto vontade
De te buscar e dizer como estou
Foi tanta emoção amor
Tanta coisa que ficou
Tanta solidão
É demais para um só coração.

ESCRITORES MOSSOROENSES

 

foto 06

 

Francisco Canindé Maia

Possui graduação em ciências contábeis pela universidade do estado do Rio Grande do Norte – UERN (1991) e graduação em direito pela faculdade de ciências e tecnologia Mater Christi (2007) é especialista em auditoria contábil pela UERN – Mossoró/Rn(2002) em direito e processo tributário – UNP NATAL/RN (2008) e em direito administrativo e gestão pública – UNP NATAL/RN (2009). Advogado – maia & Galiza advogados, contador – Canindé maia contabilidade, presidente da OAB – MOSSORÓ triênio 2016 / 2018 e Acadêmico Imortal – membro efetivo da cadeira 39, que tem como patrono jerônimo Dix-Sept Rosado Maia, na ACJUS – academia de ciências jurídicas e sociais de Mossoró.

 

FORMAÇÃO ACADÊMICA

Especialização em Direito Administrativo e Gestão Pública

2009 – 2010 – Universidade Potiguar, UNP

Título: PREGÃO: REGISTRO DE PREÇOS E A FIGURA DO CARONA

Orientador: Prof. MsC. Alexandre Alberto da Câmara Silva

Especialização em Direito e Processo Tributário

2007 – 2008 – Universidade Potiguar, UNP

Título: Super Simples ou Simples Nacional

Orientador: Prof. Alexandre Alberto da Câmara Silva, M.Sc.

Especialização em Auditoria Contábil

2001 – 2004 – Universidade do Estado do Rio Grande do Norte
Título: A importância da Auditoria no Controle interno das Empresas
Orientador: Prof. Ms Auris Martins de Oliveira

 

Graduação em Direito

2003 – 2007 – Faculdade de Ciências e Tecnologia Mater Christi
Título: ORÇAMENTO PARTICIPATIVO NO AMBITO DA PREFEITURA DE MOSSORÓ EM 2006

Orientador: PROF. KELCILENE CABRAL, ESP.

Graduação em Ciências Contábeis

1988 – 1991 – Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Ensino Médio (2º grau)

1983 – 1985 – Centro de Educação Integrada ” Prof. Eliseu Viana ”

Ensino Fundamental (1º grau)

1975 – 1982 – Ginásio Sagrado Coração de Maria

PRODUÇÕES BIBLIOGRÁFICAS

  • MAIA, Francisco Canindé. FUNÇÃO SOCIAL DA PROPRIEDADE PÚBLICA. 1. ed. MOSSORO: SARAU DAS LETRAS EDITORA LTDA, 2018. 144p.
  • MAIA, Francisco Canindé. O TRABALHO VOLUNTÁRIO DA DIRETORIA E CONSELHO DA OAB MOSSORÓ. REVISTA OAB MOSSORÓ NUMERÓ I – TRIÊNIO 2016/2018, MOSSORÓ E REGISÃO, 10 maio 2016.
  • MAIA, Francisco Canindé. Imporbidade Administrativa: questões essências e contrivertidas. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).
  • MAIA, Francisco Canindé. A PEC 287 E SEUS EFEITOS. 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).
  • MAIA, Francisco Canindé. ELOGIO AO PATRONO JERÔNIMO DIX SEPT ROSADO MAIA CADEIRA 39. 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).
  • MAIA, Francisco Canindé. NOÇÕES BÁSICAS DE PROCESSO. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).
  • MAIA, Francisco Canindé; PINHEIRO, H. S. DIVERSIDADE SEXUAL E DISCRIMINAÇÃO NO ÂMBITO LABORAL. 2012. (Apresentação de Trabalho/Seminário).
  • MAIA, Francisco Canindé. Aspectos da Crise na Econômia do Rio Grande do Norte. 2009. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).
  • MAIA, Francisco Canindé. O perfil do Profissional Contábil no Século XXI – Mesa de Debates. 2009. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).
  • MAIA, Francisco Canindé. Alíquota Fixa do ISS para as Sociedades de Advogados 2015 (Artigo).
  • MAIA, Francisco Canindé. Simples Nacional uma Conquista para as Sociedades de Advogados 2015 (Artigo).
  • MAIA, Francisco Canindé. BRASIL E ARGENTINA DIVERGENCIAS, CONVERGENCIAS E MERCOSUL 2012 (Monografia).
  • MAIA, Francisco Canindé. COMPETÊNCIA DO TRIBUNAL PENAL INTERNACIONAL 2012 (Monografia).
  • MAIA, Francisco Canindé. MERCOSUL: INTEGRAÇÃO E HARMONIZAÇÃO ECONÔMICA 2012 (Monografia).
  • MAIA, Francisco Canindé. VALIDAÇÃO DOS TITULOS DE PÓS-GRADUAÇÃO OBTIDOS NOS PAÍSES DO MERCOSUL 2011 (Monografia).
  • MAIA, Francisco Canindé. Ativos Intangíveis 2004 (Artigo).
  • MAIA, Francisco Canindé. Capital Intelectual: O Grande Paradigma da Contabilidade 2004 (Artigo).

OUTRAS PRODUÇÕES

MAIA, Francisco Canindé; SOARES, Aclesivan . OAB EM AÇÃO NO RÁDIO – FM 105 SANTA CLARA MOSSORÓ. 2016.

MAIA, Francisco Canindé. Maia & Galliza Advogados. 2015; Tema: Site oficial do escritório de Advocacia. (Site).

MAIA, Francisco Canindé. Canindé Maia Contabilidade. 2015; Tema: Site oficial do escritório. (Site).

MAIA, Francisco Canindé. Curso de Cálculos Trabalhistas. 2014. .

MAIA, Francisco Canindé. CURSO DE CAPACITAÇÃO EM PERÍCIA CONTÁBEIS, ECONÔMICA E FINANCEIRA. 2014.

 

 

CANÇÕES ETERNIZADAS

Essa é uma das belas canções interpretada por Roberto Carlos. Conhecida como uma música de profunda reflexão, e nós faz sentir saudade de quem partiu para eternidade.

Traumas nos faz perceber o quanto somos amados pelos nos pais. E esse amor cria uma forma protetora de carinho e afeto tão profundo que o coração chegar a chorar nas lembranças vividas.

TRAUMAS -ROBERTO CARLOS

Meu pai um dia me falou
Pra que eu nunca mentisse

Mas ele também se esqueceu
De me dizer a verdade

Da realidade do mundo
Que eu ia saber

Dos traumas que a gente só sente
Depois de crescer

Falou dos anjos que eu conheci
No delírio da febre que ardia

Do meu pequeno corpo que sofria
Sem nada entender

Minha mulher em certa noite
Ao ver meu sono estremecido

Falou que os pesadelos são
Algum problema adormecido

Durante o dia a gente tenta
Com sorrisos disfarçar

Alguma coisa que na alma
Conseguimos sufocar

Meu pai tentou encher de fantasia
E enfeitar as coisas que eu via

Mas aqueles anjos agora já se foram
Depois que eu cresci

Da minha infância agora tão distante
Aqueles anjos no tempo eu perdi

Meu pai sentia o que eu sinto agora
Depois que cresci

Agora eu sei o que meu pai
Queria me esconder

Às vezes as mentiras
Também ajudam a viver

Talvez um dia por meu filho
Eu também tenha que mentir

Pra enfeitar os caminhos
Que ele um dia vai seguir

Meu pai tentou encher de fantasia
E enfeitar as coisas que eu via

Mas aqueles anjos agora já se foram
Depois que eu cresci

Da minha infância agora tão distante
Aqueles anjos no tempo eu perdi

Meu pai sentia,
Sentia o que eu sinto agora
Depois que cresci

Meu pai tentou
Tentou encher de fantasia…

 

PENSAMENTO V

“Há caminhos, que nem mesmo o mais sábio dos homens pode explicar!” (Escritor: Ricardo Alfredo)

 

POEMAS – CLÁSSICOS DAS POESIAS

O chão é cama
O chão é cama para o amor urgente,
amor que não espera ir para a cama.
Sobre o tapete ou duro piso, a gente
compõe de corpo e corpo a úmida trama.
E para repousar do amor, vamos à cama.  (Carlos Drummond de Andrade)
Ninguém venha me dar vida,
que estou morrendo de amor,
que estou feliz de morrer,
que não tenho mal nem dor,
que estou de sonho ferido,
que não me quero curar,
que estou deixando de ser,
e não quero me encontrar,
que estou dentro de um navio,
que sei que vai naufragar,

já não falo e ainda sorrio,
porque está perto de mim
o dono verde do mar
que busquei desde o começo,
e estava apenas no fim.

Corações, por que chorais?
Preparai meu arremesso
para as algas e os corais.

Fim ditoso, hora feliz:
guardai meu amor sem preço,
que só quis quem não me quis. (Cecília Meireles)

Amar

Que pode uma criatura senão,
entre criaturas, amar?
amar e esquecer, amar e malamar,
amar, desamar, amar?
sempre, e até de olhos vidrados, amar?

Que pode, pergunto, o ser amoroso,
sozinho, em rotação universal,
senão rodar também, e amar?
amar o que o mar traz à praia,
o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha,
é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia?

Amar solenemente as palmas do deserto,
o que é entrega ou adoração expectante,
e amar o inóspito, o cru,
um vaso sem flor, um chão de ferro,
e o peito inerte, e a rua vista em sonho, e
uma ave de rapina.

Este o nosso destino: amor sem conta,
distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas,
doação ilimitada a uma completa ingratidão,
e na concha vazia do amor a procura medrosa,
paciente, de mais e mais amor.

Amar a nossa falta mesma de amor,
e na secura nossa amar a água implícita,
e o beijo tácito, e a sede infinita. (Carlos Drummond de Andrade)

 

Canção

No desequilíbrio dos mares,
as proas giram sozinhas…
Numa das naves que afundaram
é que certamente tu vinhas.

Eu te esperei todos os séculos
sem desespero e sem desgosto,
e morri de infinitas mortes
guardando sempre o mesmo rosto

Quando as ondas te carregaram
meus olhos, entre águas e areias,
cegaram como os das estátuas,
a tudo quanto existe alheias.

Minhas mãos pararam sobre o ar
e endureceram junto ao vento,
e perderam a cor que tinham
e a lembrança do movimento.

E o sorriso que eu te levava
desprendeu-se e caiu de mim:
e só talvez ele ainda viva
dentro destas águas sem fim. (Cecília Meireles)

 

PENSAMENTO VI

“Não devemos permitir que alguém saia da nossa presença sem se sentir melhor e mais feliz”. (Madre Teresa de Calcutá)

 

CAMPANHA…

 

foto 07

 

PENSAMENTO VII

“Ser feliz é encontrar força no perdão, esperanças nas batalhas, segurança no palco do medo, amor nos desencontros. É agradecer a Deus a cada minuto pelo milagre da vida”. (Augusto Cury)

 

 

MPF CONFIRMA DENÚNCIA CONTRA AGRIPINO MAIA

 

foto 08

 

O Ministério Público Federal (MPF) ratificou a denúncia contra o ex-senador José Agripino Maia, e outras duas pessoas, por associação criminosa e peculato. A ação penal original havia sido apresentada pela Procuradoria-Geral da República ao Supremo Tribunal Federal (STF), no fim do ano passado, quando ele ainda exercia o mandato no Senado. Agora, que não é mais parlamentar, o processo tramitará na Justiça Federal de primeira instância, no Rio Grande do Norte.

José Agripino é acusado de nomear e manter como secretário de seu gabinete em Brasília – entre março de 2009 e março de 2016 – o “funcionário fantasma” Victor Neves Wanderley (conhecido como Victor Souza), que era gerente de farmácia em Natal e, desde 2017, é presidente da Câmara de Vereadores do Município de Campo Redondo. Ele não prestava serviços e repassava a remuneração recebida do Senado a Raimundo Alves Maia Júnior (conhecido como Júnior Maia, primo de Agripino e que declarou ser sogro de Victor).

Esquema ilegal

O esquema ilegal foi montado já que Júnior Maia, que prestava os serviços em Brasília, era servidor da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte e, assim, não poderia assumir oficialmente a função no Congresso. O ex-senador promoveu então a nomeação fictícia de Victor Souza e, durante os sete anos, a irregularidade custou quase R$ 600 mil aos cofres públicos.

A denúncia do MPF – ratificada agora em primeira instância pelo procurador da República Fernando Rocha -, além de pedir o ressarcimento do valor com correção e juros, requer indenização por danos morais coletivos em quantia equivalente ao dobro da desviada, bem como a perda do “cargo ou emprego público ou mandato eletivo” que eventualmente os envolvidos estejam ocupando. (Fonte: leitonalbino.com; mpf.mp.br/rn/sala-de-imprensa/noticias-rn)

 

 

SESSÃO SOLENE

 

foto 09

 

Assembleia Legislativa realizará sessão solene em homenagem ao aniversário da UFERSA

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte homenageará no próximo dia 02 de agosto os 52 anos da criação da Escola Superior de Agricultura de Mossoró (ESAM), hoje Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA).

A sessão solene acontecerá às 9h no Auditório Amâncio Ramalho, na UFERSA. A homenagem é uma proposição do Deputado Estadual Allyson Bezerra (Solidariedade) – servidor público concursado da instituição há 7 anos.

Allyson destaca a importância que a universidade tem para sua trajetória, bem como para o desenvolvimento do Rio Grande do Norte, em especial o de Mossoró.

“É nítida a contribuição da Ufersa para Mossoró e para o Rio Grande do Norte como um todo, especialmente no que diz respeito ao fortalecimento e interiorização da educação. Fui estudante, sou servidor da Ufersa e também defendi a categoria dos servidores através do sindicato. Sei da força e importância que a Universidade tem e precisa ser valorizada”, afirma o parlamentar.

 

ACJUS PROMOVE EM AGOSTO UM INESQUECÍVEL EVENTO

 

foto 10

 

A Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró – ACJUS – orgulho da cultura mossoroense, dando continuidade ao calendário acadêmico de 2019 – realizará em breve um grande evento aqui em Mossoró.  Será no dia 23/08/2019, a partir das 19h, no auditório da OAB – Mossoró-RN, quando em mais uma etapa do Projeto Memória Acadêmica – Trajetórias – teremos uma Sessão Solene de cronologia e em Tributo a confreira MARIA HÉLDERI DE QUEIROZ DIÓGENES NEGREIROS – inesquecível e preclara associada que foi a primeira ocupante da cadeira 32.

Na presente sessão, a acadêmica MARIA CONCEIÇÃO MACIEL FILGUEIRA – segunda ocupante da citada cadeira, proferirá em sintonia com as normas regimentais em nome do nosso sodalício exaltação a   homenageada.

Sobre a professora e Dra. MARIA HÉLDERI DE QUEIROZ DIOGENES NEGREIROS- in memoriam, quando do seu passamento para o Oriente Eterno, disse o acadêmico FRANCISCO MARCOS ARAÚJO (cadeira 29):

“Foi acolhida hoje no Reino dos Céus, depois de 75 anos iluminando a terra, a amada Profa. Maria Hélderi de Queiroz Diógenes Negreiros. Embora o vínculo familiar direto seja restrito ao esposo Vassimon de Queiroz Negreiros, às filhas Valéria, Liane e Eliene, e aos seus quatro netos, a extensão dos que a ela se ligam por afeto, sentindo-se como se filhos fossem, contam-se em centenas e/ou milhares.

O pesar não é pela perda de uma colega, de uma amiga, da professora… A dor é por orfandade mesmo! Perdemos uma mãe! A Professora Hélderi foi mãe profissional de dezenas de professores da Faculdade de Direito, indistintamente de suas idades. Na UERN, fomos seus alunos de antanho, hoje (também por seu mérito!) colegas professores, mas filhos adotivos in perpetuum.

É fato sabido que a experiência da vida humana cumpre-se sob a influência de três paradoxos: o da subjetividade, o da liberdade e o do tempo.

Na ordem invertida, começando pelo tempo, a Profa. Hélderi marcou indelevelmente a história da UERN. Ela foi uma das primeiras alunas do Curso de Direito da antiga Fundação. Ingressou no ano de 1976, formou-se em 1981 e foi sua primeira professora já em 1982. Vanguardista, mudou de aluna para professora de um ano para o outro. Naquela época, a cátedra nas Faculdades de Direito era ambiente hostil às mulheres. Equiparou-se em pioneirismo às paulistanas Esther de Figueiredo Ferraz e Ada Pellegrini Grinover, e à pernambucana Bernadete Neves Pedrosa.

No campo da liberdade, ninguém foi mais autentica, livre em ação e pensamento do que ela. Eram suas características marcantes: a franqueza no diálogo; a posição intimorata e o destemor da voz elevada mesmo diante de homens sisudos; a posição mediadora, porém resoluta de quem determinava; o desejo permanente de manter uma organização mínima na FAD, contra um insurreto grupo de desorganizados e impontuais jovens professores, entre outros feelings. Talvez tenha sido eu quem mais tenha lhe dado trabalho quanto a falta rigidez de horários, entrega de diários etc, Firme no conselho do poeta florentino Dante Alighieri (“Contra razão melhor, razão não luta” – contra niglior voler, voler mal pugna), sempre fui vencido pela sua racional autoridade profissional e aconselhamento materno.

Quanto à sua dimensão humana subjetiva, Heidegger ensinava que é no espaço público que demonstramos a forma de “ser-uns-com-os-outros em nosso estar-relacionado com as coisas que nos encontram”. Frase complicada apenas para dizer que as interações sociais é quem validarão o prestigio e o respeito que a comunidade lhe terá. Nesse ponto, ela foi “Doutora”. Soube se relacionar tão bem com todos que, num ambiente onde sobejam vaidades tolas, ela era a única unanimidade. O poeta britânico Alexander Pope dizia que “encantos impressionam a vista, mas o mérito ganha o coração” (Charms strike the sight, but merit wins the soul). E era somente por absoluto mérito que a Professora Hélderi tinha a designação semiperpétua dos cargos de Chefe de Departamento e Diretora da Faculdade de Direito. Foi nessa paradoxal condição de chefe que ganhou a admiração e a estima de todos nós. Talvez tenha sido o que mais tenha lhe dado trabalho

No campo pessoal, encarnava uma porção chic e uma versão pop. Vestia-se pomposamente para grandes eventos, como poderia colocar apenas sandálias de dedo e pareceria sempre a mais elegante e bela do lugar. É porque, como dizia o bardo Shakespeare “a beleza nos parece ainda mais bela quando a virtude, doce e amável, a ornamenta.”  (Soneto LIV). Por graça, sempre brincávamos em tocar seus cabelos perfeitamente gomalinados e armados com laquê, fazendo tiradas na comparação da “armadura” com a cabeleira da atriz Aracy Balabanian.

Tinha ciência e proficiência como advogada e docente, mas também sabia ser dona de casa. Coordenava pessoalmente as atividades de casa, especialmente para cuidar zelosamente do esposo Vassimon, seu eterno príncipe. Neste século do feminismo arrogante que não permite a convivência das duas personalidades (a mulher profissional e a dona de casa), como se fossem comportamentos excludentes, ela mandava às favas esse divisionismo de competências e a episteme feminista monocular que incensa a mulher somente pela sua ocupação profissional.

Tinha a sabedoria do coração alimentado pelo vetor da maternidade, acolhendo a todos com singeleza e a particularizada atenção humanizada. Com sutileza e grandeza de espírito evocava sobre todos nós, os seus comandados, simplicidade, amor e amizade. Ela se foi. Deixou aqui muitos órfãos. Foi mãe funcional. Ensinou que a maternidade adotiva funcional é fruto da disponibilidade para a compreensão, tolerância na diversidade, entendimento sem genuflexão, acolhimento, e, sobretudo, a fixação de uma linguagem de amor. Foi ela quem nos ensinou que a vida revela-se no amor; a paz revela-se no amor; a simplicidade revela-se no amor; a humildade revela-se no amor; a verdade é o puro amor.

Com o seu trabalho operoso, vivaz, sereno, daquilo que todos conhecemos de seu coração, a Professora Hélderi sempre será para nós aquilo que o tempo é para a eternidade: perene, inesgotável, perpétuo.

Com a voz embotada, coração enlutado, lágrimas nos olhos e tristeza na alma, nessa hora só podemos dizer: Requiescat in pace, in perpetuum mãe Hélderi!

Marcos Araújo é Advogado – Mestre em Direito Constitucional

Professor da Universidade do Estado do Rio Grande do norte.

 

 

ACADEMIA MOSSOROENSE DE LETRAS – AMOL

 

foto 11

 

4º Concurso de Contos, Crônicas e Poesias

“João Batista Cascudo Rodrigues” – 2019

Inscrições até

25 de outubro de 2019

Os trabalhos serão entregues diretamente ou enviados pelos correios para Academia Mossoroense de Letras – AMOL, na Sala 01, da Biblioteca Ney Pontes Duarte, Praça da Redenção Jornalista Dorian Jorge Freire, nº 17 – CEP 59.600 – 780, Centro – Mossoró/RN.

Academia Mossoroense de Letras

Praça da Redenção, nº 17 – Centro – Mossoró/RN – 59600-065 Fundada em 25 de setembro de 1988

Fundada em 1988, a Academia Mossoroense de Letras – AMOL, em homenagem ao seu sócio fundador (in memoriam) “João Batista Cascudo Rodrigues”, torna público o Edital nº 01/2019, referente ao 4º Concurso de Contos, Crônicas e Poesias “João Batista Cascudo Rodrigues”, constante do seguinte

REGULAMENTO:

  1. Os candidatos podem concorrer com 01 (hum) texto de conto e/ou 01 (hum) texto de crônicas e/ou de poesia.
  2. Os textos deverão ser originais, isto é, nunca terem sido anteriormente publicados em jornal, revista ou livro, ou mesmo veiculados pela Internet ou quaisquer outros meios de comunicação.
  3. Os trabalhos deverão ser inscritos em português, com tema livre, digitados em papel A4, em uma só face do papel, enviados em 04 (quatro)
    • Só poderão concorrer autores norte-rio-grandenses, que residam em território do Rio Grande do Norte.
  4. Os contos e crônicas terão limite máximo de 15 (quinze) páginas e as poesias em no máximo 4 (quatro) páginas, em letra 12, fonte Arial, espaço 1.5.
  5. Cada texto deverá ser identificado apenas pelo título e pseudônimo, não podendo constar, de ne- nhuma forma, algo que identifique o seu
  6. Os textos de conto, crônica e de poesia deverão estar contidos em um só envelope e com um mes- mo pseudônimo, além de uma cópia em
    • Este envelope será acompanhado por um outro menor, lacrado, que terá na parte externa a indica- ção “4º CONCURSO DE CONTOS, CRÔNICAS E POESIAS JOÃO BATISTA CASCUDO RODRIGUES – AMOL”, título do trabalho e o pseudônimo do autor.

Os trabalhos serão avaliados por uma Comissão Julgadora, composta por pessoas com amplo conhecimento, experiência e saber em literatura.

  • A Comissão Julgadora será composta de 5 (cinco) membros, escolhida pela Direção da Academia Mossoroense de Letras – AMOL, podendo serem membros da Academia ou
  • Esta Comissão Julgadora terá plena e total autonomia na apreciação e julgamento dos textos apresentados, que deverão ser regidos pelos princípios de originalidade, técnica e arte literária.
  • A decisão da Comissão Julgadora terá caráter irrevogável.
  1. Serão premiados os 2 (dois) (primeiro e segundo lugares) melhores trabalhos, em cada categoria, recebendo os vencedores, os seguintes prêmios:

1º Lugar: – Conto – R$ 1.000,00 (mil reais) mais certificado;

1º Lugar: – Crônica – R$ 1.000,00,00 (mil reais) mais certificado;

1º Lugar: – Poesia – R$ 1.000,00,00 (mil reais) mais certificado;

2º Lugar: – Conto – R$ 500,00 (quinhentos re- ais) mais certificado;

2º Lugar: – Crônica – R$ 500,00 (quinhentos reais) mais certificado;

2º Lugar: – Poesia—R$ 500,00 (quinhentos reais) mais certificado.

  • Menções honrosas:

Além dos 2 (dois) primeiros lugares, haverá 5 (cinco) menções honrosas, que receberão os seguintes certificados.

  • Os trabalhos ganhadores serão publicados pela Coleção Mossoroense, em formato de coletânea.
  • Cada ganhador, e os que foram agraciados com menções honrosas, receberão, respectivamente, 10 (dez) e 5 (cinco)
  • Os concorrentes, ao se inscreverem no concurso, cedem todos os direitos autorais de veiculação e divulgação dos respectivos textos à Academia Mossoroense de Letras –
  • É vedada a participação dos membros da Academia Mossoroense de Letras, como
  1. Os trabalhos serão entregues, diretamente, ou enviados pelos correios, para a Academia Mossoroense de Letras – AMOL, Biblioteca Ney Pontes Duarte, Praça da Redenção Jornalista Dorian Jorge Freire, nº 17, Centro, Mossoró/RN, CEP: 59600-780.
    • Quando enviados, serão validados apenas os trabalhos contendo carimbo dos correios, até 31/08/2016, trinta e um de agosto de dois mil e dezes- seis.
    • A comunicação dos resultados do concurso será feita no final de setembro e a premiação posteriormente.

Mossoró/RN, 10 de julho de 2019.

Elder Heronildes da Silva Presidente da AMOL

 

PENSAMENTO VIII

“O temor do SENHOR é o princípio do conhecimento”. (Prov. 1.7)

 

 

CONVITE – ACJUS

 

foto 12

 

REFLEXÃO

Salmos 9 – Diante das circunstâncias a alegria vem Deus

Neste salmo o Rei Davi expressa seu contentamento por estar diante de Deus, o provendo da vida.

Ao escrever este salmo, o rei Davi, lança adorar e louvor diante de Deus pela sua misericórdia e pelo seu amor, visto que ele foi liberto de seus inimigos e de seus próprios temores. Ele diz: “Deus cuida de mim e me socorrer em minha angustia”.

Motivado pela sua alegria no Senhor, o salmista convoca a todos a cantares louvores ao Senhor. O salmista diz: “Cantem louvores ao Senhor, que reina em Sião; proclamem entre as nações os seus feitos”.

Portanto este salmo é uma relação de alegria no Senhor conjunta a uma experiencia profunda com Deus ao sentir sua presença protetora.

 

Esboço Teológico do Salmos 9:

9.1 – 2: Alegria em Deus em está com Deus;

9.3 – 6: O Deus que nos defende e nos protege;

9.7 – 10: O Senhor Reina e comanda a tudo;

9.11 – 16: Convocação para Cantarem louvores;

9.17 – 20: o clamor para Deus se levantar com a maldade dos ímpios.

 

Salmos 9.1-2: Alegria em Deus

1 Senhor, quero dar-te graças de todo o coração e falar de todas as tuas maravilhas.

2 Em ti quero alegrar-me e exultar, e cantar louvores ao teu nome, ó Altíssimo.

Salmos 9.3 – 6: O Deus que nos defende

3 Quando os meus inimigos contigo se defrontam, tropeçam e são destruídos.

4 Pois defendeste o meu direito e a minha causa; em teu trono te assentaste, julgando com justiça.

5 Repreendeste as nações e destruíste os ímpios; para todo o sempre apagaste o nome deles.

6 O inimigo foi totalmente arrasado, para sempre; desarraigaste as suas cidades; já não há quem delas se lembre.

Salmos 9.7 – 10: O Senhor Reina

7 O Senhor reina para sempre; estabeleceu o seu trono para julgar.

8 Ele mesmo julga o mundo com justiça; governa os povos com retidão.

9 O Senhor é refúgio para os oprimidos, uma torre segura na hora da adversidade.

10 Os que conhecem o teu nome confiam em ti, pois tu, Senhor, jamais abandonas os que te buscam.

Salmos 9.11 – 16: Cantem louvores

11 Cantem louvores ao Senhor, que reina em Sião; proclamem entre as nações os seus feitos.

12 Aquele que pede contas do sangue derramado não esquece; ele não ignora o clamor dos oprimidos.

13 Misericórdia, Senhor! Vê o sofrimento que me causamos que me odeiam. Salva-me das portas da morte,

14 para que, junto às portas da cidade de Sião, eu cante louvores a ti e ali exulte em tua salvação.

15 Caíram as nações na cova que abriram; os seus pés ficaram presos no laço que esconderam.

16 O Senhor é conhecido pela justiça que executa; os ímpios caem em suas próprias armadilhas. Interlúdio. Pausa

Salmos 9.17 – 20: Nunca esquecidos!

17 Voltem os ímpios ao pó, todas as nações que se esquecem de Deus!

18 Mas os pobres nunca serão esquecidos, nem se frustrará a esperança dos necessitados.

19 Levanta-te, Senhor! Não permitas que o mortal triunfe! Julgadas sejam as nações na tua presença.

20 Infunde-lhes terror, Senhor; saibam as nações que não passam de seres humanos. Pausa

 

 

 

Reflexões Teológicas – Alfredo Ricardo

SALMO 13 – (ATÉ QUANDO?).

Durante uma longa jornada de provações e aflições, o rei Davi escreve ao mestre de canto, apresentando um dos mais ricos salmos de clamor, adoração e reconhecimento da graça de Deus sobre a sua vida.

Este salmo foi dividido de forma didática em três estrofes de três versos cada.  Cada estrofe é rica em significados, e estes estão baseados nas experiências diferentes vividas pelo rei.  A primeira estrofe começa com quatro frases “Até quando?”  A segunda estrofe é uma oração por esclarecimento.  A terceira estrofe é uma canção de libertação.

O pronome pessoal que inicia o quinto verso é significativo. “Eu, até mesmo eu, tenho confiado” quando traduzindo logo é compreendido como confiar em, depender de ter confiança em.  A palavra hebraica “misericórdia” (hesed) inclui o sentido mais geral de benevolência ou boa vontade.

Aprendamos a lição de fé através do desespero, a contar com o Rei Universal através da oração e da confiança nele, que sempre estará ali por nós.

Até quando, Senhor?  Esquecer-te-ás de mim para sempre?
Até quando ocultarás de mim o rosto?
Até quando estarei eu relutando dentro em minha alma,
com tristeza no coração cada dia?
Até quando se erguerá contra mim o meu inimigo?

Atenta para mim, responde-me, Senhor, Deus meu!
Ilumina-me os olhos,
para que eu não durma o sono da morte;
para que não diga o meu inimigo:  Prevaleci contra ele;
e não se regozijem os meus adversários, vindo eu a vacilar.

No tocante a mim, confio na tua graça;
Regozije-se o meu coração na tua salvação.
Cantarei ao Senhor, porquanto me tem feito muito bem.

 

REFLETIR

“O temor do Senhor é o princípio da sabedoria; revelam prudência todos os que o praticam.” (Salmos 111:10).

 

Este é um dos principais princípios de vida, o temor ao Senhor, o criador de tudo que há. Todavia, numa geração que não tem o temor do Senhor e não respeita seus mandamentos, e tomar caminhos que conduzir a ruina é quase impossível Deus interver nesse povo, mesmo que a misericórdia de Cristo, que dura para sempre clama aos homens arrependa-se. É necessário o homem tome a decisão de seguir sua jornada junto a graça de Deus que abrange todos os homens. Não ter temor do Senhor, (temor não medo), é puramente insensatez, porque somente aquele que reina para sempre, sabe qual é o melhor caminho para o seu servo seguir na estrada vida.

 

As sagradas letras, A bíblia, doutrina que aquele que quer começar a viver de forma sábia, precisa ter o temor do Senhor. E esse temor que o levará para junto do pai na glória.

No sentido real, da frase, temer ao Senhor, é não ter medo dEle e sim aprender a obedecer por amor, com um profundo respeito a sua santidade. Assim como à sua autoridade e à sua Palavra, além do desejo real de fazer tudo para agradá-lo.

O temor ao Senhor leva o homem a se afastar do mal e amar a justiça, pois ela, a justiça vem como corrente de águas do trono de Deus. Ao sermos abastecidos da sabedoria que provem de Deus, usufruiremos o melhor da terra e das regiões celestiais.

 

Portanto, um bom discípulo sempre é forçado na fornalha da amargura e da aflição. Porém, seguir em temor e obedecia ao seu mestre e a decisão assertiva para que no final da carreira possa receber como galardão o seja bem-vindo em sua casa de paz.

PENSAMENTO I

“Não duvide do valor da vida, da paz, do amor, do prazer de viver, em fim, de tudo que faz a vida florescer. Mas duvide de tudo que a compromete. Duvide do controle que a miséria, ansiedade, egoísmo, intolerância e irritabilidade exercem sobre você. Use a dúvida como ferramenta para fazer uma higiene no delicado palco da sua mente com o mesmo empenho com que você faz higiene bucal”. (Escritor: Augusto Cury)

 

POLITICA – mudanças na lei eleitoral para 2020

Com mudança na legislação eleitoral, que já entra em vigor para 2020, as eleições terão um formato diferente que já tínhamos costume. Com essa mudança, é necessária uma atualização tanto dos partidos e como dos futuros candidatos. A minirreforma de 2017 alterou a Lei das Eleições e o Código Eleitoral. As mudanças aconteceram com o objetivo de garantir ao processo eleitoral uma disputa mais justa e equânime entre os concorrentes.

 

As principais alterações para as eleições de 2020 foram:

1- O fim das coligações proporcionais; 2- Criação da cláusula de barreira; 3- Número de candidatos; 4- Fim das comissões provisórias; 5- Fundo especial de financiamento de campanha; 6- Domicilio eleitoral.

 

Fim das coligações proporcionais: Os partidos poderão se coligar somente na eleição majoritária (prefeito), devendo concorrer isoladamente nas eleições proporcionais (vereadores).


Criação da cláusula de barreira:
Os partidos que não obtiveram ao menos 1,5% dos votos válidos na eleição de 2018 para a Câmara dos Deputados, distribuídos por ao menos nove Estados (com mínimo de 1% dos votos em cada um desses Estados), ou elegeram ao menos nove deputados vindos de pelo menos nove Estados, ficaram sem acesso ao fundo eleitoral e à propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV. Segundo análise prefacial, 14 partidos não atingiram a cláusula de barreira, são eles: PCdoB, Rede, Patriota, PHS, PRP, PMN, PTC, PPL, DC, PRTB, PMB, PCB, PSTU e PCO.


Número de candidatos:
Haverá mudança também no número de candidatos a vereador a serem lançados. Especificamente em Rondonópolis, que conta com mais de 100 mil eleitores, cada partido poderá lançar até 150% do número de vagas na Câmara Municipal, o que representa 32 candidatos por partido em Rondonópolis.


Fim das comissões provisórias:
O TSE aprovou resolução que acaba com as comissões provisórias partidárias. Isto quer dizer que todos os partidos devem, obrigatoriamente para concorrer nas eleições municipais de 2020, ter constituído seus diretórios municipais, sob pena de ficarem fora da disputa das eleições vindouras.


Fundo especial de financiamento de campanha:
Já vigente nas eleições de 2018, o ano de 2020 será a primeira eleição municipal que contará com financiamento público das campanhas. Importante ressaltar que, os partidos para receberem o FEFC, devem a) ter diretórios municipais constituídos; b) estarem os órgãos municipais quites com a Justiça Eleitoral no que diz respeito às prestações de contas dos anos anteriores.


Domicilio eleitoral:
O tempo mínimo de domicílio eleitoral diminuiu. Na última eleição municipal, tinha o candidato que possuir domicílio eleitoral na respectiva circunscrição pelo menos um ano antes do pleito. Já nas eleições de 2020, o candidato deve possuir domicílio eleitoral pelo prazo mínimo de 6 meses, isto é, o mesmo prazo exigido para a filiação partidária.

CONVITE I

foto 01 (2)

A Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Rodolfo Fernandes – RN

 

“II Impacto Jovem”

Tema: Marcados para impactar – Atos 1:8

Programação:

06/09/1019 Sexta-feira – Às 19:00hs

Culto de Abertura

Preletor: Pr. Nonato Medeiros – Viçosa

Cantor: Mateus Almeida – Itaú

Banda Filhos do Rei – Rodolfo Fernandes -RN

 

07/09/2019 – Sábado a tarde das 14:00 às 15:00 hs Devocional

Das 15:00 às 17:00hs tarde de Avivamento

Preletor: Amizaday Lira

Cantores: Elthayse Fernandes – Mossoró

Yure Lima – Apodi

Banda Filhos do Rei – Rodolfo Fernandes -RN

 

A noite às 19:00hs

Culto Evangelístico de encerramento, em frente ao templo sede

Preletor: Amizaday Lira

Cantores:

Elthayse Fernandes – Mossoró

Yure Lima – Apodi

Banda Filhos do Rei – Rodolfo Fernandes -RN

 

FESTA DA ACJUS

foto 2

foto 2.1

 

 

CONVITE II

 

foto 03 (3)

 

CULTO DE POSSE DO PASTOR ESEQUIEL REINALDO

 

 

PENSAMENTO II

“Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro”. (Clarice Lispector)

CONVITE III

 

foto 04 (3)

 

ASSEMBLEIA DE DEUS CAICÓ /RN INAUGURA O TEMPLO SEDE

A Assembleia de Deus de em Caicó/RN, liderado pelo Isaac Dias inaugurado um novo templo da Igreja Evangélica Assembleia de Deus – IEADERN. A inauguração do Templo sede será dia 31/07/2019.

 

 foto 05 (2)

 

 

PENSAMENTO III

“Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer principalmente viver”. (Dalai Lama)

 

PENSAMENTO IV

“Como é difícil ouvir a voz interior. E como é bom ouvi-la”. (Escritor: Ricardo Alfredo)

ANIVERSARIO DA IGREJA DE CRISTO EM FELIPE GUERRA/RN 

 

foto 05 (2)

 

TRADIÇÃO

 

foto 06 (3)

 

A minha querida mãe mantendo a tradição, ou seja, assim como minha querida avó que já dorme no Senhor, ela   adora a Deus louvando. Parabéns.

IGREJA DE CRISTO DO BRASIL ESTARÁ REALIZANDO A 1ª “CRUZADA EVANGELÍSTICA RIACHÃO PARA CRISTO”.

O evento acontecerá Assentamento Riachão, zona rural do município de Governador Dix-Sept Rosado no dia 14 de setembro próximo.

Participação especial da Banda semear de Mossoró e outros cantores da região e Assentamentos.

Você é nosso convidado especial você que mora nas proximidades desse Assentamento Riachão município de Governador Dix-Sept Rosado.

LIÇÕES:

10 Conselhos Para A Vida.

1. Fique em paz com o seu passado, só assim você poderá se concentrar no presente. Não podemos mudar o que já passou, mas podemos aproveitar o nosso aprendizado com os nossos erros e acertos para viver melhor a vida presente e estar mais preparados para o que vem pela frente.

2. Não se importe com o que os outros pensam de você. Quem calça os sapatos e anda com eles é você, por isso faça aquilo que acredita ser o melhor para a sua vida.

3. O tempo cura tudo. Tenha paciência, dê tempo ao tempo.

4. Nunca compare a sua vida com a dos outros, e nem os seus resultados com os resultados dos outros. Primeiro porque você não conhece a trajetória de ninguém a fundo como conhece a sua. Não julgue os outros, não se compare e nem se cobre tanto. Pense apenas que as pessoas têm pontos de partida diferentes e que seguem por caminhos diferentes, cada um ao seu tempo.

5. Não pense muito, não fique parado pensando demais nas coisas que aconteceram ou no que deve fazer. Não se deixe paralisar pela dúvida. As coisas acontecem quando menos se espera.

6. Ninguém mais além de você é responsável pela sua felicidade.

7. Você não pode controlar tudo e nem é responsável por todos os problemas do mundo. Não se cobre tanto, não se culpe tanto.

8. Busque a paz, perdoe, perdoe-se. A raiva não faz bem a ninguém.
9. Cuide-se, cuide da sua saúde, alimente-se bem, divirta-se, trabalhe com dedicação, cultive as amizades duradouras e sinceras.

10. Não fique ansioso, a ansiedade não vai fazer com que nada se resolva mais rápido.

AMOL (Academia Mossoroense de Letras) – SESSÃO DE HOMENAGEM PÓSTUMA

 foto 07.1 07.2 (1) foto 07 (3)

 

 

MEU DISCURSO NA AMOL – 1ª FOTO. (Ricardo Alfredo)

“Ut flatus venti, sic transit gloria mundi – Tal como um sopro de vento, assim passa a glória mundana”. (Apóstolo Paulo)

Excelentíssimo Senhor presidente da AMOL – Academia Mossoroense de Letras;

Digníssimo confrade, Dr. Heldes Heronildes, em nome saúdo do qual todos os componentes da mesa;

Autoridades eclesiásticas;

Autoridades civis;

Meus Senhores;

Minhas Senhoras;

Familiares;

Minhas Filhas;

Meus Irmãos em Cristo;

Minhas cunhadas;

Convidados, confrades e amigos companheiros da impressa – Boa noite, na sagrada comunhão que une os homens e as mulheres de bem!

Antes de dar início a homenagem póstuma ao imortal da cadeira 23 – Francisco Fausto Paula de Medeiros da Academia Mossoroense de Letras (AMOL), sentimo-nos no dever de, humildemente agradecermos aos colegas acadêmicos, ora confrades, esta expressão de generosidade e imparcialidade ao nos convidar, para apresentar a homenagem póstuma a tão grande vulto de nossa história contemporânea, que é Francisco Fausto Paula de Medeiros.

A cadeira 23 da AMOL – Academia Mossoroense de Letras, que tem como patrono Francisco Fausto de Souza, e já teve 2 (dois) ocupantes, o primeiro foi Luiz Fausto de Medeiros e o segundo ocupante foi seu filho Francisco Fausto Paula de Medeiros.

Com grande poder de observação o sábio Salomão, ao refletir sobre a vida, compreendeu que há tempo para tudo: tempo de sorrir, tempo de chorar, tempo de plantar, tempo de colher o que se plantou, tempo de amar, tempo de guerrear e tempo de festejar. Hoje é tempo de lembrar. Lembrar os feitos de um homem, que mesmo tendo galgado as mais altas posições na sociedade moderna, não esqueceu de dedicar sua vida ao amor ao próximo e jamais esqueceu a orientação do Rei eterno que disse: “Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam”. (Mateus 6:19-20)

Não poderia esquecer-nos de agradecer aos confrades: ANTÔNIO FILEMOM e GERALDO MAIA, que nos ajudaram a tecer essas minhas poucas linhas, que colaboram decisivamente nesta obra.

Francisco Fausto Paula de Medeiros nasceu em Areia Branca (RN), no dia 13 de maio de 1935. Filho de Luiz Fausto de Medeiros e de Nair Paula Fausto de Medeiros. Graduou-se como Bacharel na Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), na cidade do Natal.

Atuou como colaborador do Jornal Gazeta do Oeste, editado na cidade de Mossoró (RN) e como professor de Filosofia do Colégio Estadual Atheneu Norte-Rio-Grandense.

Na Academia Nacional de Direito do Trabalho, ocupou a Cadeira nº 81, desde 6 de novembro de 2003.

Trabalhou na Administração do município de Natal como Assessor Técnico da Secretaria de Estado de Educação e Cultura e, também, da Secretaria de Estado de Finanças., considerado como funcionário exemplar e de profundo conhecimento. Diante deste quadro passou a ser observado com louvor em sua carreira como funcionário público.

No mês de agosto de 1961, foi empossado para o cargo de Suplente de Juiz do Trabalho da 6ª Região. No período de 1968 a 1978, atuou como Presidente das Juntas de Conciliação e Julgamento (JCJ) de Natal (RN), Mossoró (RN), Recife (PE), Escada (PE) e Jaboatão (PE).

No mês de março do ano de 1978, foi empossado como Juiz Togado do Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região, função que alcançou por merecimento. E diante de sua capacidade eloquente e de percepção jurídica foi indicado para representar o Tribunal em eventos como: o Congresso Iberoamericano de Direito do Trabalho, em Fortaleza (1979);  o Congresso Latino-Americano de Direito do Trabalho, em Passo Fundo (RS);  o 1º Simpósio Nacional de Reforma da Consolidação das Leis do Trabalho, também em Passo Fundo (RS); o Congresso Internacional de Direito do Trabalho, na Bahia; e o Congresso Nacional Pós-Constituinte, em Recife.

Reconhecidos por todos, o seu poder de conhecimento jurídico recebeu a condecoração da Medalha da Ordem do Mérito Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região; a Medalha da Ordem do Mérito Judiciário do Tribunal Superior do Trabalho, no Grau Comendador; a Medalha do Mérito Epitácio Pessoa, do TRT da 13ª Região; e a Medalha do Mérito Judiciário Conselheiro João Alfredo Corrêa de Oliveira.

Já em 1978, no mês de março, foi eleito Vice-Presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT). Após vinte e quatro meses exercendo a função de vice-presidente, foi nomeado Ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST). Tendo sua posse ocorrido em 30 de novembro de 1989.

Foi Corregedor-Geral da Justiça do Trabalho no período de agosto de 2000 a junho de 2001, e Vice-Presidente de 2001 a 2002. Exerceu a Presidência do TST de março a abril de 2002, em mandato complementar, cumulativo com as funções na Vice-Presidência. Na sequência, foi eleito Presidente do TST, para o mandato da 30ª Gestão do Tribunal, período de 2002 a 2004.

Aposentou-se no dia 04 de junho de 2004, dois meses após o término de seu mandato como Presidente do TST.

Já no mundo das letras, Francisco Fausto, foi membro de diversas instituições culturais, dentre as quais estão: Instituto Cultural do Oeste Potiguar – ICOP, Academia Norte rio-grandense de Letras – ANLP, Academia Mossoroense de Letras – AMOL.

Dentre seus lançamentos de livros estão: Viva Getúlio, – As areias brancas da memória, o vermelho e o Negro, entre outros.

No lançamento do seu livro clássico, “Vinho Negro da Paixão”, o jornalista Woder Madruga fez o seguinte comentário: O belo texto de Fausto “Sobre a negritude e a libertação do homem negro” tem como foco o cenário mossoroense da libertação de seus escravos. História, Sociologia, Economia, fazendo moldura pra ampla e empolgante política da abolição. E como disse Luís Carlos Guimarães, “numa linguagem na qual está presente um sopro aliciante de envolvimento poetio”.

Ao longo de sua carreira, Francisco Fausto foi uma das personalidades que mais lutaram pela implantação do Tribunal Regional do Trabalho no Rio Grande do Norte. Por conta do seu importante papel para a chegada definitiva da Justiça do Trabalho no estado, a sede do TRT-RN foi batizada como “Complexo Judiciário Trabalhista Ministro Francisco Fausto”.

O CONVITE PARA ETERNIDADE

No dia 30 de julho de 2016, aos 81 anos de idade, obedecendo à máxima bíblica de “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé” (2 Timóteo 4:7), cruzou o rio azul, ali onde tudo é vida, tudo é paz, onde não haverá mais morte e choro, nem tristeza e dor, nem clamor, onde as ruas são de ouro e cristal. Da vida terrena partiu o Dr. Francisco Fausto Paula de Medeiros para o Oriente Eterno de Deus.

Bibliografia

Fonte: Dossiê do Ministro/TST – Documento Institucional.

Fonte: AMOL seus patronos e acadêmicos – Raimundo Soares de Brito.

 

ASSEMBLEIA DE DEUS EM PAU DOS FERROS/RN REALIZARA DIA DE AÇÃO SOCIAL

 

foto 08 (3)

 

A Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Pau dos Ferros/RN, que tem a frente o Pastor Rilton Peixoto, supervisor do campo Eclesiástico, (IEADRN), através do departamento de Evangelismo e Missão, da igreja que está na direção do Presbítero Cezimar Almeida, Prepara um dia de Ação social no Barrio Paraíso, em Pau dos Ferros, que será no próximo dia 27 de julho de 2019.

Entre as atividades que devem ser desenvolvida atendimento nas mais diversas especialidades, e distribuição de sopão para a comunidade, cestas básicas.

O projeto faz parte de uma série de ações que serão implementadas pela denominação nas maiores comunidades da cidade.

Além das ações sociais, a igreja promovera a primeira, I Grande Cruzada Evangelística, durante todo o dia uma campanha evangelística junto aos moradores, levando a mensagem do evangelho como a principal ferramenta de transformação.

CANÇÕES ETERNIZADAS

Essa é uma das belas canções interpretada por Roberto Carlos. Conhecida como uma música clássica de profundo amor, e que nos faz refletir o amor que sentimos e choramos pela estrada da vida.

Qualquer coração humano, humano, ao ouvir essa bela canção, faz sua história passar como um filme diante de seus olhos. Roberto é, e sempre será, a inspiração para os corações românticos.

A Distância – Roberto Carlos

Nunca mais você ouviu falar de mim
Mas eu continuei a ter você
Em toda esta saudade que ficou…
Tanto tempo já passou e eu não te esqueci.
Refrão:
Quantas vezes eu pensei voltar
E dizer que o meu amor nada mudou
Mas o meu silêncio foi maior
E na distância morro
Todo dia sem você saber.
O que restou do nosso amor ficou
No tempo, esquecido por você…
Vivendo do que fomos ainda estou
Tanta coisa já mudou, só eu não te esqueci.

Refrão
Eu só queria lhe dizer que eu
Tentei deixar de amar, não consegui
Se alguma vez você pensar em mim
Não se esqueça de lembrar,
Que eu nunca te esqueci. (Compositor: Roberto Carlos – Erasmo Carlos)

 

 

PENSAMENTO V

“A dignidade não consiste em possuir honrarias, mas em merecê-las”. (Aristóteles)

 

RÁPIDAS DA SEMANA

1- Mais de 1.000 cristãos se preparam para o batismo no Irã;

2- Filhos de Flordelis fazem manifestação pedindo justiça pela morte do pai;

3- “Nossos direitos vêm de Deus, não do governo”, diz Trump para cristãos perseguidos;

4- Coreia do Norte tem mais medo de cristãos do que armas nucleares, diz pastor preso pelo regime;

5- “Profecia” de Chico Xavier fala em “data limite” para a humanidade;

6- Cristã que escapou do Boko Haram testemunha ao presidente dos EUA;

7- China: crianças são doutrinadas nas escolas para negar a Jesus e rejeitar os pais. (Fonte: gospel cristão)

 

 

POEMAS – CLÁSSICOS DAS POESIAS

 

NÃO TENHAS SOBRE TI (Milad) – Composição: Josué Rodrigues de Oliveira e Jefferson Ferreira – (Álbum: 1986)

Não tenhas sobre ti um só cuidado, qualquer que seja

Pois um, somente um, seria muito para ti

CORO

É Meu, somente Meu todo o trabalho

E o teu trabalho é descansar em Mim (2x)

Não temas quando enfim, tiveres que tomar decisão

entrega tudo a Mim, confia de todo o coração

 

 

PENSAMENTO VI

“O homem superior compreende o que é certo, o homem inferior compreende o que vai vender”. (Confúcio)

CAMPANHA…

 foto 09 (2)

PENSAMENTO VII

“No fundo de um buraco ou de um poço, acontece descobrir-se as estrelas”. (Aristóteles)

UM HOMEM DE CORAGEM

“não sei se sou terrivelmente evangélico, mas sou fiel”, diz marcelo bretas

 

foto 10 (2)
Em meio à possibilidade do presidente Jair Bolsonaro em indicar um ministro evangélico para o Supremo Tribunal Federal (STF), um dos nomes que também está sendo cotado é do juiz Marcelo Bretas, responsável pela Operação Lava Jato no Rio de Janeiro.

Depois de um encontro sigiloso com Bolsonaro no Palácio do Planalto, 48 horas antes de Bolsonaro sugerir um evangélico para o STF pela primeira vez, Bretas foi questionado sobre a possibilidade de ser indicado.

“Se quero ser ministro do Supremo? Olha, não é meu projeto de vida. Agora, sei que ser ministro do Supremo é uma promoção ao topo da carreira. É o auge, o topo, uma honra. Quem ficaria triste com uma promoção dessa?”, disse Bretas à revista Época.

Desde a fala presidencial, o nome de Bretas passou a ser cogitado para o STF, assim como o advogado-geral da União, André Luiz de Almeida Mendonça.

Na semana passada, Bolsonaro disse que uma das duas indicações que ele fará até o fim do mandato, será destinada a um ministro “terrivelmente evangélico”. “Não sei se sou terrivelmente, mas sou fiel”, disse Bretas, defendendo abertamente o critério apresentado para o cargo.

Bretas é evangélico e frequenta a Comunidade Evangélica Internacional da Zona Sul, na praia do Flamengo. A Bíblia Sagrada permanece sobre sua mesa e costuma ser citada nas sentenças e nas redes sociais.

Desde que entrou na Lava Jato e assumiu a 7ª Vara Federal Criminal no Rio, o juiz deixou clara sua posição cristã. “No dia em que ele chegou, tirou a Bíblia da pasta e disse: esse é o principal livro dessa vara”, contou Fernando Pombal, diretor de secretaria da 7ª Vara. “É o que guia o espírito e a inteligência dele”.

 

ACADEMIA MOSSOROENSE DE LETRAS – AMOL

 

foto 11 (2)

 

4º Concurso de Contos, Crônicas e Poesias

“João Batista Cascudo Rodrigues” – 2019

Inscrições até

25 de outubro de 2019

Os trabalhos serão entregues diretamente ou enviados pelos correios para Academia Mossoroense de Letras – AMOL, na Sala 01, da Biblioteca Ney Pontes Duarte, Praça da Redenção Jornalista Dorian Jorge Freire, nº 17 – CEP 59.600 – 780, Centro – Mossoró/RN.

Academia Mossoroense de Letras

Praça da Redenção, nº 17 – Centro – Mossoró/RN – 59600-065 Fundada em 25 de setembro de 1988

Fundada em 1988, a Academia Mossoroense de Letras – AMOL, em homenagem ao seu sócio fundador (in memoriam) “João Batista Cascudo Rodrigues”, torna público o Edital nº 01/2019, referente ao 4º Concurso de Contos, Crônicas e Poesias “João Batista Cascudo Rodrigues”, constante do seguinte

REGULAMENTO:

  1. Os candidatos podem concorrer com 01 (hum) texto de conto e/ou 01 (hum) texto de crônicas e/ou de poesia.
  2. Os textos deverão ser originais, isto é, nunca terem sido anteriormente publicados em jornal, revista ou livro, ou mesmo veiculados pela Internet ou quaisquer outros meios de comunicação.
  3. Os trabalhos deverão ser inscritos em português, com tema livre, digitados em papel A4, em uma só face do papel, enviados em 04 (quatro)
    • Só poderão concorrer autores norte-rio-grandenses, que residam em território do Rio Grande do Norte.
  4. Os contos e crônicas terão limite máximo de 15 (quinze) páginas e as poesias em no máximo 4 (quatro) páginas, em letra 12, fonte Arial, espaço 1.5.
  5. Cada texto deverá ser identificado apenas pelo título e pseudônimo, não podendo constar, de ne- nhuma forma, algo que identifique o seu
  6. Os textos de conto, crônica e de poesia deverão estar contidos em um só envelope e com um mes- mo pseudônimo, além de uma cópia em
    • Este envelope será acompanhado por um outro menor, lacrado, que terá na parte externa a indica- ção “4º CONCURSO DE CONTOS, CRÔNICAS E POESIAS JOÃO BATISTA CASCUDO RODRIGUES – AMOL”, título do trabalho e o pseudônimo do autor.

Os trabalhos serão avaliados por uma Comissão Julgadora, composta por pessoas com amplo conhecimento, experiência e saber em literatura.

  • A Comissão Julgadora será composta de 5 (cinco) membros, escolhida pela Direção da Academia Mossoroense de Letras – AMOL, podendo serem membros da Academia ou
  • Esta Comissão Julgadora terá plena e total autonomia na apreciação e julgamento dos textos apresentados, que deverão ser regidos pelos princípios de originalidade, técnica e arte literária.
  • A decisão da Comissão Julgadora terá caráter irrevogável.
  1. Serão premiados os 2 (dois) (primeiro e segundo lugares) melhores trabalhos, em cada categoria, recebendo os vencedores, os seguintes prêmios:

1º Lugar: – Conto – R$ 1.000,00 (mil reais) mais certificado;

1º Lugar: – Crônica – R$ 1.000,00,00 (mil reais) mais certificado;

1º Lugar: – Poesia – R$ 1.000,00,00 (mil reais) mais certificado;

2º Lugar: – Conto – R$ 500,00 (quinhentos re- ais) mais certificado;

2º Lugar: – Crônica – R$ 500,00 (quinhentos reais) mais certificado;

2º Lugar: – Poesia—R$ 500,00 (quinhentos reais) mais certificado.

  • Menções honrosas:

Além dos 2 (dois) primeiros lugares, haverá 5 (cinco) menções honrosas, que receberão os seguintes certificados.

  • Os trabalhos ganhadores serão publicados pela Coleção Mossoroense, em formato de coletânea.
  • Cada ganhador, e os que foram agraciados com menções honrosas, receberão, respectivamente, 10 (dez) e 5 (cinco)
  • Os concorrentes, ao se inscreverem no concurso, cedem todos os direitos autorais de veiculação e divulgação dos respectivos textos à Academia Mossoroense de Letras –
  • É vedada a participação dos membros da Academia Mossoroense de Letras, como
  1. Os trabalhos serão entregues, diretamente, ou enviados pelos correios, para a Academia Mossoroense de Letras – AMOL, Biblioteca Ney Pontes Duarte, Praça da Redenção Jornalista Dorian Jorge Freire, nº 17, Centro, Mossoró/RN, CEP: 59600-780.
    • Quando enviados, serão validados apenas os trabalhos contendo carimbo dos correios, até 31/08/2016, trinta e um de agosto de dois mil e dezes- seis.
    • A comunicação dos resultados do concurso será feita no final de setembro e a premiação posteriormente.

Mossoró/RN, 10 de julho de 2019.

Elder Heronildes da Silva Presidente da AMOL

 

PENSAMENTO VIII

“O temor do SENHOR é o princípio do conhecimento”. (Prov. 1.7)

REFLEXÃO

Salmos 8 – É um salmo de gratidão a Deus pela sua ação criadora.

Leia com o coração aberto para ouvir a voz do Espirito Santo falando em seu coração através das palavras sagradas do Salmo 8, importante lê com atenção e fé:

1- Ó Senhor, Senhor nosso, quão admirável é o teu nome em toda a terra, tu que puseste a tua glória dos céus!

2- Da boca das crianças e dos que mamam tu suscitaste força, por causa dos teus adversários para fazeres calar o inimigo e vingador.

3- Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que estabeleceste.

4- Que é o homem, para que te lembres dele? E o filho do homem, para que o visites?

5- Pois pouco menor o fizeste do que os anjos, de glória e de honra o coroaste.

6- Deste-lhe domínio sobre as obras das tuas mãos; tudo puseste debaixo de seus pés.

7- Todas as ovelhas e bois, assim como os animais do campo.

8- As aves do céu, e os peixes do mar, tudo o que passa pelas veredas dos mares.

9- Ó Senhor, Senhor nosso, quão admirável é o teu nome em toda a terra!

 

Comentários teológicos do Salmo 8

Versículo 1 – Quão admirável é o teu nome

Ao contemplar a criação de Deus, o salmista admirado, percebe quão grande é a manifestação de Deus na natureza criada. E dessa admiração o salmista passa a louvar e adorar ao Juiz dos mundos.

Versículo 2 – Da boca das crianças

Pela inocência do viver as crianças sempre dizem a verdade e agradam a Deus. Como é visto no evangelho do apóstolo Mateus o próprio Cristo faz menção deste tema, a inocência das crianças como verdade divina (Mateus 21.16). Para os sacerdotes e escribas que queriam silenciar aqueles que bendiziam “Aquele que veio em nome do Senhor” (Salmo 118.26).

 

Versículo 3 e 4 – Teus céus

No versículo 3, o escritor do salmo 8, mostra toda a sua admirar pela natureza, e de forma racional compreendeu que foi a mão de Deus que a tudo concedeu vida, pelo poder da palavra. Já no versículo 4, o salmista percebe que o homem comparado a Deus e a natureza é insignificante diante da glória de Deus.

 

Versículos 5 a 8 — Pouco menor o fizeste do que os anjos

A partir do versículo 5, o salmista passa a analisar o homem como criação divina. E deste as coisas criadas é a mais notável e perfeita, ficando claro o grande amor de deus pela humanidade, por ser sua semelhança.

Nas ultimas palavras deste salmo, o salmista louva a deus por ter colocado a disposição do homem a inteligência, o raciocínio e um mundo inteiro a explorar. Os animais, a natureza, o céu e o mar são partes da maravilhosa criação divina, mas o privilégio de ser semelhante a Ele, ele só deu aos seres humanos.

Reflexões Teológicas – Ricardo Alfredo

O CANDIDATO CRISTÃO –   política

A política é a arte de administrar, pelo menos em tese. Entretanto, é importante salientar que há um modelo antropológico, que ao longo da humanidade vem se estabelecendo dentro de ideologias e dogmas.

É importante que nestes dias, passemos a analisar a situação dos que desejam subir aos palácios dos poderes. E dentro desta perceptiva, estão os candidatos a vereadores ou mesmo a perfeito, que são evangélicos e apoiados pelos ministérios pastorais.

O sufrágio universal tem como característica ser livre e consciente. Porém, num mundo voltado para o materialismo e o desejo de poder, o que temos visto e encontrando é o uso doentio e maldoso dos cargos públicos para benefícios próprios e de familiares. E no rol destas mudanças egoístas estão as igrejas, que vêm a passo de ganso, perdendo o seu alvo e se enrolando numa arena desconhecida para sua vivência de cidadã do reino de Deus.

O tempo está próximo e precisamos analisar com calma e serenidade o perfil do político ideal que se classifica com cristão. É possível, dentro de um mundo voltado para o egocentrismo, encontrar algumas características necessárias para a função de representante do povo que serve a Deus.

É necessário ter responsabilidade em escolher alguém que possa representar o povo e negar essa necessidade é fechar os olhos para a verdade clara do Evangelho que indica o caráter do servo, e suas funções na terra. Entretanto o que temos visto e ouvido é que a escolha do representante é alguém sem reponsabilidade social e submisso apenas aos homens, que si mesmo denominam-se donos da verdade de Deus.

Alguém para representar povo de Deus precisa ter consciência de sua chamada, para não entrar novamente na corrupção mundana e o bom nome de Cristo seja vilipendiado pelos que não conhecer o grande amor.

Todavia, as escolhas tem sido por pessoas que não tem preparo, conhecimento, carisma e acima de tudo, chamada para servir na política. Por isso temos uma confusão com uma quantidade enorme de candidatos, supostos servos de Deus com chamada para servir. Na verdade grande parte destes, apenas busca melhorar financeiramente e tem nome reconhecido, sem grande esforço, como estudar por exemplo. Entretanto. Todos ou grande parte, nem ao menos compreendeu o papel político, social, ético e moral que deve ter um representante público. E assim caminhamos num caos de massa humana, levada de um lado para outro, como o gado que é apenas conduzido sem saber seu rumo.

Um vereador, um prefeito, um governador, um senador não eleitos para servir a grupinhos A, B ou C, mais servir ao povo, sem distinção: de Fé, cor, raça ou qual outro estereótipo. Esse é o desejo de Deus, homens e mulheres que honrem seu bom nome e que estejam apostos para servir, sem olhar a quem.

Diante de tantos candidatos e tantas propostas, como escolher um bom candidato? Será que há como definir meu voto? As essas perguntas que são comuns, eis algumas dicas dadas por especialistas na área.

1 – Analise o histórico do candidato independente de ser novato ou veterano na política. Se já é político, qual sua trajetória pública? Age com coerência? Se é novato, já fez trabalhos pela comunidade? Em que causa atua? Como ou pelo o que é conhecido?

2 – Honestidade é fundamental. Se o candidato é ficha suja, pense duas vezes! Para alguns especialistas, o eleitor deve por na balança até mesmo processos e inquéritos.

3 – Experiência é importante, mas não é tudo, segundo especialistas. Eles garantem que a “boa experiência” deve ser com as pessoas e não necessariamente com cargos políticos.

4 – Pense nas necessidades da sua cidade e da sua comunidade. Traçada essa demanda, analise qual candidato tem um discurso mais alinhado (e coerente) com seus anseios.

5 – Pense na diferença entre ousadia e exagero. Candidatos que fazem promessas mirabolantes são visionários ou falsários. Os visionários conseguem lançar ideias que podem mudar radicalmente as cidades, já os falsários querem apenas o cargo político.

6 – Avalie o plano de governo de cada um dos candidatos – apesar da semelhança da maioria. Segundo especialistas, seja para presidente da República ou síndico de prédio é preciso que o representante público tenha um planejamento, saiba o que vai fazer.

7 – Fuja de promessas individuais. O candidato que promete favores e vantagens pessoais é certamente alguém que usará o dinheiro público de forma imprópria, se for eleito.

8 – Conheça o partido do candidato. É preciso identificar a que grupo o pertence ou se não pula de galho em galho. Políticos tendem a conchavos para tomar as decisões.

9 – Saiba diferenciar. Boa pessoa ou bom profissional não é necessariamente um bom político. É preciso estar atento a esta percepção: vocação para administrar ou fiscalizar.

 

Diante destes nove pontos é importante, que conscientemente possamos votar e escolher o melhor para o bem comum.  E dentro desta perspectiva possamos rejeitar os candidatos que não estejam alinhados de forma integral com essas exigências. Votar por votar, ou mesmo, escolher qualquer um é rejeitar o livre arbítrio e a vontade de Deus que é ver as pessoas felizes e satisfeitas como dom da vida.

O voto nunca deve ser por protesto ou coisas semelhante. Pelo contrário, o voto deve ser consciente, maduro a aponto de prever o futuro ou profetizar sobre ele. Todavia, é necessário ou fundamental observar a trajetória do candidato e seus trabalhos na comunidade, se é que ele tem.

Outros fatores importantes na escolha, é observar a trajetória, seu trabalho comunitário e seu coração está pronto para servir. Também é importante verificar se o candidato tem ou não sua ficha limpa. Quando um candidato tem sua diversos processos, essa pode ser uma indicação de que ele não é alguém que não atua com correção na coisa pública.

É de muita inteligência, o eleitor, verificar se o candidato é apenas uma marionete nas mãos dos poderosos, lideres religiosos ou mesmo empresários, este não serve para atuar no mundo político.

O Candidato, evangélico ou não, que sai de porta em porta prometendo cestas básicas, remédios, empregos, certos favores, é seguramente alguém que usará o dinheiro público de forma imprópria.

Assim como, os valores pessoais são importantes em qualquer profissão, nos cargos públicos também. Mas não quer dizer que um bom samaritano seja um bom gestor.”

Portanto, devemos tem uma consciência tranquila e ter uma personalidade madura, para escolher alguém de valor e com ações corretas para representar o povo, sendo ele, evangélico ou não, pois o principal objetivo do representante do povo deve ser o bem comum.

 

REFLETIR

A chamada da fé

Conto-nos a Bíblia que certa madrugada, Abraão acorda sua esposa Sarah, e lhe diz: Sarah! Sarah! Acorda, preciso lhe contar, o Rei do Universo, Deus, me apareceu esta noite e comigo falou, e me disse, sai do meio dos teus parentes e vai para um terra que te mostrarei, vem comigo Sarah, pois queima em meu coração a sua a sua ordem e eu preciso obedecer.

Sarah, nós sairemos sem destino, mais o meu coração arde em confiança em sua ordem. Não sei o destino, não tenho mapa, apenas a ordem arde em meu coração.

Já em meio ao deserto, numa noite escura, o Senhor apareceu novamente a Abraão e lhe disse: filho conta as estrelas do céu, pois assim como as estrelas do céu, Eu te abençoarei e farei de ti uma grande nação. E quem te amaldiçoar Eu mesmo amaldiçoarei e quem te abençoar Eu mesmo abençoarei.

Num mundo acotico, ouvir a voz de Deus e obedecer não é fácil, pois sua chamada sempre nos leva a atravessar o deserto a pé e viver de fé. Porem é bom saber que o Deus que chamou vai providenciar tudo.

Em nossos dias, a chamada para viver de fé é feita por homens que não conhecer o Senhor, por isso há uma confusão e desconfiança, pois os mesmos, sai falando em nome do Rei do universo por puro interesse pessoal e por desejo de poder. E a junção do interesse pessoal e o desejo de poder tem levado o povo de Deus a não acreditar. E assim temos os grandes fracassos espalhados pela ausência da doce presença do Espírito Santo.

Hoje querem ir a missão para cumprir o suposto chamado em formato de passeio, turismo e de aproveitamento das ofertas dos mais simples. Comendo a gordura da casa de Deus, ao qual não tinham direito e ainda pensam que Deus não está observado.

Utilizam a casa de Deus, para ficarem ricos e enriquecidos, entretanto é bom lembrar que Deus os chamou de pobres e nus e os avisou que deveriam comprar roupas e o ouro celestial para poderem ser chamados de filhos do altíssimo.

Obedecer, é fundamental, é essencial, pois o próprio Deus vivo, na forma de homem, foi obediente até a morte.

O STF, A HOMOFOBIA E A AMEAÇA À LIBERDADE DE CRENÇA E DE EXPRESSÃO

Com a decisão do Supremo Tribunal Federal de assumir prerrogativas do Congresso Nacional, equiparando ao racismo a “homofobia e a transfobia”, uma grande ameaça à liberdade de crença e expressão foi instaurada em nosso país, diz bancada evangélica.

Na prática, os ministros do STF extrapolaram as competências da Corte e legislaram no lugar do Congresso Nacional, ferindo a divisão de poderes e invadindo uma área de atribuição exclusiva do Legislativo, passando a definir crimes.

Por oito votos a três os ministros interpretaram que o Congresso Nacional foi “omisso”, atendendo a reivindicação na Ação de Inconstitucionalidade por Omissão (ADO) de número 26, proposta pelo Partido Popular Socialista (PPS) e pela ABLGT (Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transexuais).

Os ministros desconsideraram os anos de debate e lutas dos conservadores – evangélicos, católicos e defensores de valores morais – contra diversos projetos de lei que abordavam o assunto, mas colocavam em risco as liberdades fundamentais.

Para rememorar, podemos lembrar o famigerado PLC 122, que acabou sendo arquivado. O projeto tornava crime à opinião contra a prática homossexual, abrindo brechas para que pastores, padres, conservadores e qualquer um que se colocasse contra o comportamento homossexual fosse punido.

A decisão do STF cria algo semelhante, pois pode levar líderes religiosos a serem punidos por se recusarem a celebrar casamento de pessoas do mesmo sexo ou mesmo se forem pegos pregando contra a homossexualidade.

É evidente que qualquer ato de violência contra gays, lésbicas, bissexuais, transexuais ou qualquer pessoa deve ser repudiado e punido. Como cristão devo enfatizar nosso total repúdio a violência. Mas esclareço, no entanto, que a Constituição já pune estes atos contra a pessoa humana. Afinal, todos somos iguais perante a Lei. (Fonte: gospel)

 

 

PENSAMENTO I

“A persistência é o caminho do êxito”. (Charles Chaplin)

RATINHO COMPRA A RÁDIO FELIZ FM, PRINCIPAL RÁDIO GOSPEL DE SP

A frequência 92,9 estava alugada desde 2017 para a igreja Paz e Vida

 

foto 02 (2)

 

O apresentador Ratinho firmou a compra da rádio Estadão FM 92,9, frequência que era alugada para a Igreja Comunidade Cristã Paz e Vida com o nome de Feliz FM, uma das principais rádios evangélicas da cidade de São Paulo.

A negociação para a compra da rádio fez com que a igreja lançasse um desafio para arrecadar R$ 50 milhões, valor pago pelo apresentador do SBT.

Além dos representantes da rádio, o ex-senador Magno Malta também gravou um vídeo pedindo aos ouvintes que ajudassem a manter a rádio no ar.

O prazo para a compra da rádio por parte da igreja venceu hoje e a denominação liderada pelo pastor Juanribe Pagliarin não conseguiu arrecadar o suficiente.

Ao jornalista Flávio Ricco, do UOL, Ratinho confirmou a compra da rádio e se mostrou feliz em poder ter uma rádio em São Paulo. A FM 92,9 será a sede da Rede Massa de Rádio que já conta com mais de 40 emissoras.

Até o momento a igreja Paz e Vida não se pronunciou sobre o assunto. Ratinho assumirá a programação da rádio já no mês de julho. (Fonte: Gospel)

LANÇAMENTO

 

foto 03.1foto 03 (2)

 

“mulheres de Atenas”(prosa feminina) foi sobre a letra da música Mulheres de Atenas de Chico Buarque onde explicou o significado de alguns trechos comparando a sociedade patriarcal da época, as conquistas dos direitos da mulher com o movimento feminista inclusive quanto a lei Maria da Penha, síntese de uma palestra desenvolvida no Lions Club Mossoró que organizei sobre “ Violência contra a Mulher- uma violação dos direitos humanos”. Todos deveriam adquirir o livro para conhecer de forma imparcial como deveria funcionar as leis atuantes no país. Parabéns a autora.

 

LANÇAMENTO II

 

foto 04 (2)

 

Trata-se da História dos 76 anos do Rotary Club de Mossoró. Rotary é uma organização internacional de profissionais e pessoas de negócios, líderes em suas áreas de atuação, que prestam serviços humanitários, fomentam elevado padrão de ética em todas as profissões e ajudam a estabelecer a paz e a boa vontade no mundo. Cerca de 1,2 milhão de rotarianos pertence a mais de 31.000 Rotary Clubs em 166 nações. Rotary é uma entidade humanitária apolítica e sem vínculos religiosos, fundada em 1905. O quadro social de todo Rotary Club representa corte transversal da respectiva comunidade.  Este clube está presente em Mossoró desde 1943, e por ele já passou grandes personalidades da nossa história. É esse o enredo do livro.

 

LANÇAMENTO III

 

foto 05 (1)

Dr. Benedito Vasconcelos mendes lança mais uma obra prima intitulada de Vivencias de um menino em uma fazenda sertaneja. Parabéns sábio do sertão.

 

MUSEU DO SERTÃO – Benedito Vasconcelos Mendes

 

foto 06 (2)

 

O Museu do Sertão é um museu temático sobre o homem e as coisas do sertão semiárido do Nordeste brasileiro. Seu acervo começou a ser formado na década de 1970, quando o Professor Benedito Vasconcelos Mendes chegou em Mossoró, vindo do Ceará, para ser professor da antiga Escola Superior de Agricultura de Mossoró – ESAM, hoje UFERSA – Universidade Federal Rural do Semiárido. Este Museu foi idealizado, criado e ainda hoje é mantido com recursos próprios do Prof. Benedito. Ele foi aberto ao Público pela primeira vez no dia 31 de agosto de 2003, por ocasião das comemorações de aniversário de 58 anos de vida do referido professor. O Museu do Sertão tem como objetivos colaborar para a preservação e estudo da cultura sertaneja, conservar e exibir objetos, utensílios domésticos, apetrechos de trabalho, implementos agrícolas, equipamentos e máquinas das agroindústrias do passado (casa de farinha, engenho de rapadura, alambique de cachaça, oficina de carne de charque, cozinha de queijo de coalho e de manteiga de garrafa, descaroçador de algodão, casa de beneficiamento de cera de carnaúba, usina de preparação de óleo de oiticica, galpão de beneficiamento de fibra de caroá́, galpão de preparo de borracha de maniçoba e sala de fiar e tecer).

O Museu do Sertão está localizado na Fazenda Rancho Verde, às margens da Estrada da Alagoinha, a quatro quilômetros da cidade de Mossoró – RN. Ele é uma instituição particular, que nunca cobrou ingresso nem recebeu dinheiro público municipal, estadual ou federal. Foi construído e é mantido com dinheiro proveniente do salário de professor universitário do seu criador. Para a entrada no Museu do Sertão é exigido um quilo de alimento não perecível, entregue pelo visitante diretamente no Lar da Criança Pobre de Mossoró, dirigido pela Irmã Ellen.

As visitas aos seus pavilhões são agendadas pelo e-mail: beneditovasconce- [email protected] e pelo WhatsApp (84) 99972-2139. O acervo do Museu do Sertão é formado por cerca de 3.000 peças, distribuídas em 11 pavilhões temáticos (tendo, cada um, área aproximada de 300 metros quadrados ), uma casa de taipa com mobília típica, um pátio de artes ao ar livre (Pátio das Artes Vingt-Un Rosado), um parque de plantas úteis da caatinga e um memorial sobre a vida do Professor Benedito Vasconcelos Mendes.

Pela análise das peças do acervo do Museu do Sertão, é possível resgatar experiências exitosas, comprovadas pelo uso e pelo senso comum, transmitidas pela tradição oral. Pode-se também traçar um perfil, bem aproximado, do modus

vivendi dos nossos antepassados, especialmente das estratégias de sobrevivência dos sertanejos, por ocasião das secas catastróficas.

 

Eventos Culturais do Museu do Sertão

Além das visitas ao seu acervo, o Museu do Sertão oferece dois outros eventos culturais, as “Manhãs de Cultura e Lazer” e as “Jornadas Culturais do Museu do Sertão”. Até o presente ano (2019), já foram realizadas 25 Manhãs de Cultura e Lazer e 15 Jornadas Culturais, estando programada a XVI Jornada Cultural do Museu do Sertão para ocorrer no dia 31 de agosto do corrente ano.

As Manhãs de Cultura e Lazer constam de visita aos pavilhões do museu, guiadas pela Pedagoga Susana Goretti Lima Leite. Antes de cada visita, é proferida uma palestra de 45 minutos sobre cultura regional, pelo Professor Benedito Vasconcelos Mendes. Para as Manhãs de Cultura e Lazer, são convidados professores e alunos das universidades e das instituições de ensino fundamental e médio da região. Mais de 20 mil estudantes e professores já visitaram o Museu do Sertão. As “Jornadas Culturais do Museu do Sertão” são eventos organizados com palestras, exposições de obras de artes, exposições de livros e visita guiada ao acervo do museu. Já foram realizadas 15 Jornadas Culturais, que reuniram cerca de 3 mil intelectuais (escritores, poetas, historiadores, cientistas, professores, estudantes e artistas plásticos). Geralmente são convidados os membros dos Institutos Históricos, das Academias de Letras, Academias de Ciências, Academias de Artes, Universidades, Colégios e outras instituições culturais e de ensino do Rio Grande do Norte e de estados vizinhos.

A programação das Jornadas Culturais é sempre iniciada com o Hino Nacional Brasileiro, seguido do Hino do Museu do Sertão. Após as execuções dos hinos, são proferidas palestras de temas científicos, artísticos, históricos ou literários

e apreciadas as exposições de livros e/ou de artes plásticas. Nestes eventos culturais, o Curador do Museu do Sertão, Professor Benedito Mendes, homenageia algumas personalidades, com Diploma do Mérito Educacional, Diploma do Mérito Cultural, Diploma de Amigo do Museu do Sertão e com o tradicional Troféu Cultural. Após as entregas de Comendas, tem início

a visita ao acervo do museu, guiada pelo Professor Benedito,

que percorre os 11 Pavilhões Temáticos, a Casa de Taipa, o Pátio das Artes, o Memorial e o Parque das Plantas Úteis da Caatinga. Estas jornadas culturais, geralmente, são realizadas de 8 às 13 horas, de um dia de sábado e são encerradas com um almoço, oferecido pelo Museu do Sertão. Para a participação nestes eventos, não é cobrada nenhuma taxa, sendo o mesmo totalmente gratuito.

As visitas ao Museu do Sertão duram, em média, três horas, pois seu acervo é formado por cerca de três mil peças, distribuídas

nos 11 Pavilhões Temáticos. A média de participantes por visita é de 600 estudantes, que correspondem a mais ou menos 12 estabelecimentos escolares (cursos universitários e colégios).

 

PENSAMENTO II

“Quanto menos inteligente um homem é, menos misteriosa lhe parece a existência”. (Arthur Schopenhauer

LÍDER NATO

 

foto 07 (2)

 

O bom amigo e irmão, Dr. Wellington Barreto, que é presidente ACJUS- Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró, vem a cada dia nos mostrado a melhor forma de liderar e nos ensinado o que é liderar. Não é à toa que ele se encaixa nas características de um grande líder, que são:

Objetividade: atitude positiva

Saber compreender os outros: empatia

Flexibilidade: mudança de estilo

Capacidade de comunicação

Uso da autoridade: todo líder possui

Maturidade e comportamento: estável e previsível

Com certeza, o sucesso de um grupo sempre começa pela liderança. Parabéns ao amigo e irmão, que com humildade e simplicidade vem transformando conceitos e reescrevendo a história de forma singular.

 

PALAVRA DO PRESIDENTE DA ACJUS

 

foto 08 (2)

 

ACJUS PRESTIGIANDO

No dia 04/07/19 – a partir das 19h – na sede do ROTARY – Rua Amaro Duarte, 375, Nova Betânia, Mossoró, o acadêmico Geraldo Maia do Nascimento estará promovendo oficialmente o lançamento do seu novo livro, trabalho excelente que versa sobre a história de 76 anos de fundação do ROTARY CLUBE MOSSORÓ, instituição social e cultural que tem imensurável relevância no mundo inteiro e que presta indubitavelmente relevantes e notórios serviços sociais e culturais aqui em Mossoró.

O excelente livro de autoria do confrade GERALDO MAIA DO NASCIMENTO (Historiador, escritor e sócio fundador da ACJUS), recebe a chancela da diretoria do ROTARY, notadamente do seu diretor Executivo, oftalmologista Dr. IGOR ÁLLAMO DE OLIVEIRA.

Portanto, todos ao evento que promete superar as expectativas, haja vista, a importância histórica do livro que surge num momento especial da efervescência acadêmica e que veio para fortalecer ainda mais os horizontes da cultura literária de Mossoró, que sem sombras de dúvidas, tem destaque graças ao trabalho árduo e o compromisso de todos nós dirigentes institucionais.

José Wellington Barreto

 

POSSE ACJUS … Aconteceu

 

foto 09 (1)

foto 10 (1)

 

Em sessão solene tomou posse os dois mais novos imortais da ACJUS, o senhor  Everkley magno e a senhora Kátia Cilene. Em segundo plano está os imortais que prestigiaram a posse.

 

PENSAMENTO III

A grandeza não está nos títulos e horarias, está na simplicidade de um viver” (Teólogo: Ricardo Alfredo)

 

 

ESCRITORES MOSSOROENSES

 

foto 11 (1)

 

Raimundo Antônio de Souza Lopes (Raí Lopes) é nascido na localidade de Acauã, município de Itajá/RN, mas de registro mossoroense. É historiador, jornalista e educador público aposentado. É especialista em: Psicopedagogia, Mídia na Educação e Educação do Campo.

 

Escreveu de 2005 a 2015 para o jornal Gazeta do Oeste/Mossoró/RN, em seu caderno de cultura Expressão, aos domingos. Em 2008, participou do prêmio literário Cidade de Porto Seguro e recebeu menção honrosa, com a crônica A solidão da modernidade. Também em 2008 participou e foi um dos ganhadores do 1º Concurso de Contos de Caminhoneiros, promovido pela Mercedes Benz do Brasil, com o conto – verídico – “A mais longa das viagens”, onde faz uma homenagem ao seu pai. Em 2009, ganhou o concurso Rota Batida III, promovido pela Petrobras em parceria com a Coleção Mossoroense e Fundação Vingt-un Rosado, na categoria Crônica, com o título: Um olhar sobre o cotidiano. Em 2011, ganhou o 1º Concurso João Batista Cascudo Rodrigues, promovido pela AMOL (Academia Mossoroense de Letras), na categoria Contos, com o texto “Quando o amor vai embora”; em 2013, ganhou o 2º Concurso João Batista Cascudo Rodrigues, na categoria Contos, promovido pela AMOL, com o texto “O corpo que cai” e, no mesmo ano, ganhou menção honrosa, na categoria Poesia, no citado concurso, com o texto poético “Quero gostar de você”. Em 2014 participou e ganhou o concurso Rota Batida IV, promovido pela Petrobras em parceria com a Coleção Mossoroense e Fundação Vingt-um Rosado, na categoria Contos, com o título: Retratos de cotidianos. É sócio fundador da ACJUS – Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró/RN, ocupando a cadeira nº 7, membro do Conselho Editorial da Sarau das Letras e membro efetivo do ICOP – Instituto Cultural do Oeste Potiguar.

 

Produção científica:

 

Apresentação no XIII ENCOPE, do trabalho: Empreendedorismo: um novo passo em educação – Programa Despertar – uma experiência com resultados positivos nas Escolas Públicas Estaduais do Ensino Médio – Mossoró/RN, no período de 05 a 08 de dezembro de 2006, na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN.

Apresentação no XV ENCOPE, do trabalho: Programa Despertar – Criando Empreendedores de Sucesso em Escolas Públicas Estaduais de Ensino Médio – Mossoró/RN, no período de 03 a 05 de setembro de 2008, na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN.

 

Projetos:

 

Elaborou, desenvolveu, revisou e editou o primeiro INFORMATIVO DA 12ª DIRED, ano I / nº 0.

Elaborou, desenvolveu, revisou e editou o jornal DESPERTANDO, patrocinado pelo SEBRAE e SEEC do Rio Grande do Norte, edições, I (2006), II (2008) e III (2009).

Organizou, desenvolveu, revisou e editou a revista 12ªDIREDVEST, com quatro volumes, no ano de 2014.

 

Organizou:

Rumo ao paraíso (2015) – Ester Farias de Oliveira (Conto): Editora Sarau das Letras Lançamento: Ministério da Justiça – Brasília/DF.

Relembranças e experiências (2015) – Francisco Obery Rodrigues (Crônicas): Editora Sarau das Letras. Lançamento: Natal/RN.

As esquinas da minha existência (2015) – Flávia Batista Arruda (Crônicas): Editora Sarau das Letras. Lançamento: RustCafé – Mossoró/RN.

Rabiscando os caminhos da prosa (2016) – Vanda Maria Jacinto (Crônicas): Editora Sarau das Letras. Lançamento: Maçonaria 24 de Junho – Mossoró/RN.

Antologia Café&Poesia – volume 1 (2016) – (Prosa e poesia): Editora Sarau das Letras. Lançamento: Feira do Livro/Mossoró-RN.

Déjà vu – a trilogia – volume 1 (box com 3 livros) – Milton Marques de Medeiros (2016) – (Crônicas): Editora Sarau das Letras. Lançamento: TCM – Mossoró/RN.

Exercícios Literários – volume 1 (2017) – (Prosa e poesia): Editora Sarau das Letras.

O amor no tempo e no espaço (2017) – (Poemas): Editora Sarau das Letras.

Sentimentos em poesia (2017) – (Poemas): Editora Sarau das Letras.

Déjà vu – a trilogia – volume 2 (box com 3 livros) – Milton Marques de Medeiros (2017) – (Crônicas): Editora Sarau das Letras. Lançamento: TCM – Mossoró/RN.

Desperta, Mossoró (box com três volumes) – Emerson Azevedo (2017) – (Artigos): Editora Sarau das letras. Lançamento: Mater Christi – Mossoró/RN.

Função social da propriedade pública – Francisco Canindé Maia (2018) – (Dissertação acadêmica): Editora Sarau das Letras. Lançamento junho/OAB/Mossoró/RN.

Antologia Café&Poesia – volume 3 (2018) – (Prosa e poesia): Editora Sarau das Letras. Lançamento: Feira do Livro/Mossoró-RN.

Exercícios Literários – volume 2 (2018) – (Prosa e poesia): Editora Sarau das Letras.

Revista do Instituto Cultural do Oeste Potiguar (2018) – Expressão Gráfica. Lançamento: Mossoró/Natal-RN.

Déjà vu – a trilogia – volume 1 – (2ª edição box com 3 livros) – Milton Marques de Medeiros (2018) – (Crônicas): Editora Sarau das Letras. Lançamento: TCM – Mossoró/RN.

Déjà vu – a trilogia – volume 2 – (2ª edição – box com 3 livros) – Milton Marques de Medeiros (2018) – (Crônicas): Editora Sarau das Letras. Lançamento: TCM – Mossoró/RN.

Casa de Saúde São Camilo de Léllis: pioneirismo e resistência da saúde mental – Zilene Marques de Medeiros (2019) – (Saúde): Editora Sarau das Letras. Lançamento: Jardim TCM – Mossoró /RN.

 

Participações em revistas:

Revista do Instituto Cultural do Oeste Potiguar (2012) – (Conto: O Efeito que dá defeito!). Expressão Gráfica. Lançamento: Mossoró/Natal-RN.

Despertar (2010) – Histórias de Sucesso (Crônica: Do espetinho de rua ao mercadinho). Lançamento: Sebrae – Mossoró/Natal-RN.

Despertar (2010) – Histórias de Sucesso (Crônica: O ponto do bolo: do artesanato para a indústria). Lançamento: Sebrae – Mossoró/Natal-RN.

Linhas Gerais (2009) (Prosa poética: Uma noite entre o azul do céu e o olhar da paixão…). Editora Babecco. Lançamento: Recife/PE.

Revista do Instituto Cultural do Oeste Potiguar (2018) – (Conto: Naquela casinha quando a chuva caía…). Expressão Gráfica. Lançamento: Mossoró/Natal-RN.

 

Participações em Antologias:

Contos Fantásticos (2008)CBJE: A janela que se fecha

Palavras Verdes (2008) CBJE: (Crônica: O encontro do sol com o mar: crepúsculo das águas)

Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos (2008)CBJE: (Poesia: Prazer e fantasia)

Panorama Literário Brasileiro (2008/2009) CBJE: (Poesia: Prazer e fantasia).

Letras e Imagens do Bem (2009/2010) (Crônica: Lições de vida). Gráfica Offset.

Letras e Imagens do Bem (2011/2012) – (Crônica: As várias lições da vida). Editora da UFRN.

Letras e Imagens do Bem (2013/2014) – (Crônica: Educar e ensinar: a difícil missão). Offet Editora.

Café&Poesia – volume 1 (2016): (Prosa e poesia). Editora Sarau das Letras.

Exercícios Literários – volume I (2017): (Prosa e poesia). Editora Sarau das Letras.

Café&Poesia – volume 2 (2017: (Prosa e poesia). Editora Sarau das Letras.

Antologia Café&Poesia – volume 3 (2018) – (Prosa e poesia): Editora Sarau das Letras. Lançamento: Feira do Livro/Mossoró-RN.

Exercícios Literários – volume II (2018) – (Prosa e poesia): Editora Sarau das Letras

 

É autor dos livros:

Um Olhar Sobre o Cotidiano (2009): (Crônicas). Coleção Mossoroense. Lançamento: Biblioteca Pública Ney Pontes Duarte – Sala Marieta Lima – Mossoró/RN.

A Flor e o Botão: som, ruído e brisa (2010): (Crônicas poema-em-prosa). Coleção Mossoroense. Lançamento: Biblioteca Pública Ney Pontes Duarte – Sala Marieta Lima – Mossoró/RN.

Diálogos em Retalhos de Cetim (2014): (Prosas poéticas e Poesias). Editora Sarau das Letras. Lançamento: Feira do Livro- Mossoró/RN.

Expedito Mariano de Azevedo: a saga de um bolão (2015) (Biografia). Editora Sarau das Letras. Lançamento: Requinte Buffet – Mossoró/RN.

Retratos de Cotidianos (2015) – (Contos). Coleção Mossoroense. Lançamento: Feira do Livro – Mossoró/RN.

João Sabino de Moura: um homem de sonhos, esperança e realizações (2016) – (Biografia): Editora Sarau das Letras. Lançamento: Requinte Buffet – Mossoró/RN.

Antônio Ysmael de Araújo: em busca do sim (2016) – (Biografia). Editora Sarau das Letras. Lançamento: Rio de Janeiro/Mossoró.

O legado de Joaquim Francelino e Albaniza Vale: exemplo de força, fé e esperança (2017) – (Biografia em box de dois livros). Editora Sarau das Letras. Lançamento: Requinte Buffet – Mossoró/RN.

Semiose Poética (2017) – versão em português (Prosa/poesia): Editora Sarau das Letras. Lançamento: Biblioteca Pública Ney Pontes Duarte – Sala Marieta Lima – Mossoró/RN.

Um poema pousou no céu da minha fantasia… (2017) – (Poesia): Editora Sarau das Letras. Lançamento: Feira do Livro – Mossoró/RN.

Ary e Clotilde. E assim se fez uma família… (2018) – (Biografia). Editora Sarau das Letras. Lançamento: Requinte Buffet- Mossoró/RN.

Aproniano Martins de Oliveira: do sertão paraibano ao litoral potiguar (2018) – (Biografia em box de dois livros). Coautoria com Felisbela Freitas de Oliveira. Editora Sarau das Letras. Requinte Buffet – Mossoró/RN.

Semiosis Poética (2018) – versão em espanhol (Prosa/Poesia): Editora Sarau das Letras. Lançamento: Feira do Livro de Salamanca (Espanha).

Um dia de cão – (2019) – (História). Editora Sarau das Letras. Lançamento: Biblioteca Pública Ney Pontes Duarte, sala Marieta Lima – Mossoró/RN

 

Concursos:

Ganhador do III prêmio Rota Batida, organizado pela Fundação Vingt-un Rosado/Coleção Mossoroense, na categoria “Crônica”, patrocinado pela Petrobras, com o livro: Um Olhar Sobre o Cotidiano, no ano de 2008.

Ganhador do 1º concurso de Contos de Caminhoneiros, promovido pela Mercedes Benz do Brasil, com o conto “A mais Longa das Viagens”, em 2008.

Ganhador do 1º Concurso João Batista Cascudo Rodrigues, na categoria “Contos”, com o texto “Quando o Amor Vai Embora”, em 2011.

Ganhador do 2º Concurso João Batista Cascudo Rodrigues, na categoria “Contos”, com o texto “O Corpo que Cai”, em 2013.

Ganhador do IV prêmio Rota Batida, organizado pela Fundação Vingt-un Rosado/Coleção Mossoroense, na categoria “Contos” e patrocinado pela Petrobras, com o livro: Retratos de Cotidianos, no ano de 2014.

 

PENSAMENTO IV

“Prefiro o vitupério de Cristo, do que as glórias mundanas”. (Escritor: Ricardo Alfredo)

LIÇÕES:

Uma Vida Humilde

As pessoas humildes são as mais fortes, porque elas sabem que ainda precisam aprender muito, lutar muito, estudar muito, suar muito para conseguir alcançar o que desejam.

O humilde não se vangloria quando conquista uma vitória, pois ele sabe que fazer isso é deixar a porta aberta para a inveja e para o fracasso.

Viver de forma humilde é a maneira mais sábia de todas, porque a humildade nos ensina a aceitar os altos e baixos da vida, e que na realidade, apesar de todas as diferenças, ninguém é melhor do que ninguém.

 

CONVITE – AMOL

 

foto 12

 

CANÇÕES ETERNIZADAS

Essa é uma das belas canções interpretada por Oswaldo Montenegro. Conhecida como uma música clássica, que nos faz refletir sobre a vida e os amigos que deixamos pela estrada.

A Lista
Faça uma lista de grandes amigos,
quem você mais via há dez anos atrás…
Quantos você ainda vê todo dia ?
Quantos você já não encontra mais?
Faça uma lista dos sonhos que tinha…
Quantos você desistiu de sonhar?
Quantos amores jurados pra sempre…
Quantos você conseguiu preservar?
Onde você ainda se reconhece,
na foto passada ou no espelho de agora?
Hoje é do jeito que achou que seria?
Quantos amigos você jogou fora…
Quantos mistérios que você sondava,
quantos você conseguiu entender?
Quantos defeitos sanados com o tempo,
era o melhor que havia em você?
Quantas mentiras você condenava,
quantas você teve que cometer ?
Quantas canções que você não cantava,
hoje assobia pra sobreviver …
Quantos segredos que você guardava,
hoje são bobos ninguém quer saber …
Quantas pessoas que você amava,
hoje acredita que amam você? (Oswaldo Montenegro)

 

 

PENSAMENTO V

‘O pensamento é escravo da vida, e a vida é o bobo do tempo’. (William Shakespeare)

 

POEMAS – CLÁSSICOS DAS POESIAS

SOU PEDAÇOS DO ONTEM E AMANHÃ!? (Poesia de Ângela Rodrigues, Mossoró-RN)

Mulher, menina, poeta(?);

Mãe, esposa, amante,

Companheira, amiga, madrinha

Filha, cunhada, estudante

Dona-de-casa, irmã, afilhada

Tia, ex-professora, sobrinha,

Aprendiz, curiosa, diplomada;
Alegre, ousada, comportada,

Chata, brincalhona, organizada,

Palhaça, séria, irritada,

Ciumenta, possessiva, desleixada,

Solidária, humana, altruísta.

Compreensiva, exigente, egoísta;
Sou muitas e nenhuma,

Sou o que me permito construir,

Todo dia me renovo e me desfaço

Colocando peças aqui e ali,

Tiro excessos, junto pedaços,

E de muitas me faço uma!
Sou uma busca constante,

Uma nova mulher a cada instante,

Um ser heterogêneo e mutante.

Sou sonhos de um mundo distante,

Realidade desfeita e reciclada

Sou pedaços do ontem e amanhã!

PENSAMENTO VIII

“Ser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade”. (Carlos Drummond de Andrade)

 

CAMPANHA…

 

 foto 13

 

Convite – AMOL

 foto 14

 

ACADEMIA MOSSOROENSE DE LETRAS – AMOL

 

foto 15

 

4º Concurso de Contos, Crônicas e Poesias

“João Batista Cascudo Rodrigues” – 2019

Inscrições até

25 de outubro de 2019

Os trabalhos serão entregues diretamente ou enviados pelos correios para Academia Mossoroense de Letras – AMOL, na Sala 01, da Biblioteca Ney Pontes Duarte, Praça da Redenção Jornalista Dorian Jorge Freire, nº 17 – CEP 59.600 – 780, Centro – Mossoró/RN.

Academia Mossoroense de Letras

Praça da Redenção, nº 17 – Centro – Mossoró/RN – 59600-065 Fundada em 25 de setembro de 1988

Fundada em 1988, a Academia Mossoroense de Letras – AMOL, em homenagem ao seu sócio fundador (in memoriam) “João Batista Cascudo Rodrigues”, torna público o Edital nº 01/2019, referente ao 4º Concurso de Contos, Crônicas e Poesias “João Batista Cascudo Rodrigues”, constante do seguinte

REGULAMENTO:

  1. Os candidatos podem concorrer com 01 (hum) texto de conto e/ou 01 (hum) texto de crônicas e/ou de poesia.
  2. Os textos deverão ser originais, isto é, nunca terem sido anteriormente publicados em jornal, revista ou livro, ou mesmo veiculados pela Internet ou quaisquer outros meios de comunicação.
  3. Os trabalhos deverão ser inscritos em português, com tema livre, digitados em papel A4, em uma só face do papel, enviados em 04 (quatro)
    • Só poderão concorrer autores norte-rio-grandenses, que residam em território do Rio Grande do Norte.
  4. Os contos e crônicas terão limite máximo de 15 (quinze) páginas e as poesias em no máximo 4 (quatro) páginas, em letra 12, fonte Arial, espaço 1.5.
  5. Cada texto deverá ser identificado apenas pelo título e pseudônimo, não podendo constar, de ne- nhuma forma, algo que identifique o seu
  6. Os textos de conto, crônica e de poesia deverão estar contidos em um só envelope e com um mes- mo pseudônimo, além de uma cópia em
    • Este envelope será acompanhado por um outro menor, lacrado, que terá na parte externa a indica- ção “4º CONCURSO DE CONTOS, CRÔNICAS E POESIAS JOÃO BATISTA CASCUDO RODRIGUES – AMOL”, título do trabalho e o pseudônimo do autor.

Os trabalhos serão avaliados por uma Comissão Julgadora, composta por pessoas com amplo conhecimento, experiência e saber em literatura.

  • A Comissão Julgadora será composta de 5 (cinco) membros, escolhida pela Direção da Academia Mossoroense de Letras – AMOL, podendo serem membros da Academia ou
  • Esta Comissão Julgadora terá plena e total autonomia na apreciação e julgamento dos textos apresentados, que deverão ser regidos pelos princípios de originalidade, técnica e arte literária.
  • A decisão da Comissão Julgadora terá caráter irrevogável.
  1. Serão premiados os 2 (dois) (primeiro e segundo lugares) melhores trabalhos, em cada categoria, recebendo os vencedores, os seguintes prêmios:

1º Lugar: – Conto – R$ 1.000,00 (mil reais) mais certificado;

1º Lugar: – Crônica – R$ 1.000,00,00 (mil reais) mais certificado;

1º Lugar: – Poesia – R$ 1.000,00,00 (mil reais) mais certificado;

2º Lugar: – Conto – R$ 500,00 (quinhentos re- ais) mais certificado;

2º Lugar: – Crônica – R$ 500,00 (quinhentos reais) mais certificado;

2º Lugar: – Poesia—R$ 500,00 (quinhentos reais) mais certificado.

  • Menções honrosas:

Além dos 2 (dois) primeiros lugares, haverá 5 (cinco) menções honrosas, que receberão os seguintes certificados.

  • Os trabalhos ganhadores serão publicados pela Coleção Mossoroense, em formato de coletânea.
  • Cada ganhador, e os que foram agraciados com menções honrosas, receberão, respectivamente, 10 (dez) e 5 (cinco)
  • Os concorrentes, ao se inscreverem no concurso, cedem todos os direitos autorais de veiculação e divulgação dos respectivos textos à Academia Mossoroense de Letras –
  • É vedada a participação dos membros da Academia Mossoroense de Letras, como
  1. Os trabalhos serão entregues, diretamente, ou enviados pelos correios, para a Academia Mossoroense de Letras – AMOL, Biblioteca Ney Pontes Duarte, Praça da Redenção Jornalista Dorian Jorge Freire, nº 17, Centro, Mossoró/RN, CEP: 59600-780.
    • Quando enviados, serão validados apenas os trabalhos contendo carimbo dos correios, até 31/08/2016, trinta e um de agosto de dois mil e dezes- seis.
    • A comunicação dos resultados do concurso será feita no final de setembro e a premiação posteriormente.

Mossoró/RN, 10 de julho de 2019.

Elder Heronildes da Silva Presidente da AMOL

REFLEXÃO

Salmos 7

O Salmo 7 é um dos salmos de lamentação do Rei Davi. Ao contrário do que acontece nos salmos anteriores, Davi está forte e confiante na justiça divina. Ele declara-se inocente dos pecados e infâmias que os seus inimigos insistem em apontar. Ele clama que Deus puna todos aqueles que forem culpados, incluindo ele, se Deus assim o julgar. Mas sabe que o Senhor é misericordioso e protege todos que são honestos e verdadeiros.

Davi, carregado de calúnia injusta, convida Deus para ser seu defensor e protetor, e compromete sua inocência com a proteção Divina. Em primeiro lugar, ele protesta que sua consciência não o acusou da perversidade colocada à sua carga. Em segundo lugar, ele mostra o quanto isso diz respeito à glória de Deus para que ele julgue contra os ímpios. Em terceiro lugar, para inspirar sua mente com confiança, ele reflete seriamente sobre a bondade e a justiça de Deus e coloca diante dele as promessas divinas. Por fim, como se ele tivesse obtido o desejo de seu coração, ele ridiculariza a loucura e as inúmeras tentativas de seus inimigos; Ou melhor, dependendo da ajuda de Deus, ele assegura que todos os seus esforços contra ele se voltarão para a própria destruição.

Shiggaion de Davi, que ele cantou a Jeová, sobre as palavras de Cush, Benjamim.

Com respeito à palavra Shiggaion, os intérpretes judeus não estão de acordo. Alguns entendem isso como um instrumento musical. Para outros, parece ser uma melodia para a qual uma música está definida. Outros supõem que tenha sido o início de uma música comum, para a qual David desejou que este salmo fosse cantado. Outros traduzem a palavra hebraica, prazer ou alegria. [96] A segunda opinião parece-me o mais provável, a saber, que era algum tipo de melodia ou música, como se alguém fosse chamado de verso sappico ou falociano. Mas eu não ligo sobre uma questão de tão pequena importância. Novamente, diz-se que o salmo foi composto pelas palavras de Cush.

Não consigo assimilar a interpretação (embora seja comumente recebida), as palavras aqui significam assuntos ou negócios. Escrever uma questão, ou um caso, é permitir uma forma comum de fala entre os judeus; Mas, como Davi, um pouco depois, declara que ele foi falsamente acusado de algum crime, não duvido, mas ele aqui fala da acusação ou da própria calúnia, dos quais, como eu julgo, Cush, alguém da família de Saul, foi o autor ou, pelo menos, o instrumento que a proferiu e a fez circulou.

A opinião de alguns que dizem que Saul é falado aqui sob um nome fictício, não é apoiado por qualquer argumento de peso suficiente. Segundo eles, Davi evitou chamá-lo por seu próprio nome, para poupar a dignidade real. David, admito, teve grande reverência pela santa unção; Mas, como ele expressamente nomeia Saul em outros lugares onde ele o repreende não menos severamente, e o pinta em cores não menos negras do que ele faz neste salmo, por que ele deveria suprimir seu nome aqui e não nessas passagens?

Na minha opinião, portanto, ele aqui expressa por seu nome próprio, e sem figura, um acusador perverso, que tinha excitado o ódio contra ele acusando-o falsamente de algum crime e que tinha sido subornado pelo rei para fazer isso, ou, obtido o favor real, tinha caluniado David por sua própria vontade; Pois Davi, nós sabemos, era muito caluniado, como se ele tivesse sido ingrato e traiçoeiro com o rei, seu sogro. Saul, de fato, pertencia à tribo de Benjamim. No entanto, não pensamos que ele é a pessoa aqui mencionada, mas que era uma das relações de Saul, uma que pertencia à mesma tribo com ele, que falsamente acusou David.

Esboço de Salmos 7:

7.1 a 5: Senhor, o refúgio!

7.6 a 17: Deus é um juiz justo dos mundos

7.14 a 17: Quem gera maldade só terá desilusão.

 

Salmos 7.1 a 5: Senhor, o refúgio!

1 Senhor, meu Deus, em ti me refúgio; salva-me e livra-me de todos os que me perseguem,

2 para que, como leões, não me dilacerem nem me despedacem, sem que ninguém me livre.

3 Senhor, meu Deus, se assim procedi, se nas minhas mãos há injustiça,

4 se fiz algum mal a um amigo ou se poupei sem motivo o meu adversário,

5 persiga-me o meu inimigo até me alcançar, no chão me pisoteie e aniquile a minha vida, lançando a minha honra no pó.

 

Salmos 7.6 – 17: Deus é um juiz justo dos mundos

6 Levanta-te, Senhor, na tua ira; ergue-te contra o furor dos meus adversários. Desperta-te, meu Deus! Ordena a justiça!

7 Reúnam-se os povos ao teu redor. Das alturas reina sobre eles.

8 O Senhor é quem julga os povos. Julga-me, Senhor, conforme a minha justiça, conforme a minha integridade.

9 Deus justo, que sondas as mentes e os corações, dá fim à maldade dos ímpios e ao justo dá segurança.

10 O meu escudo está nas mãos de Deus, que salva o reto de coração.

11 Deus é um juiz justo, um Deus que manifesta cada dia o seu furor.

12 Se o homem não se arrepende, Deus afia a sua espada, arma o seu arco e o aponta,

13 prepara as suas armas mortais e faz de suas setas flechas flamejantes.

 

Salmos 7.14 – 17: Quem gera maldade só terá desilusão

14 Quem gera a maldade, concebe sofrimento e dá à luz a desilusão.

15 Quem cava um buraco e o aprofunda cairá nessa armadilha que fez.

16 Sua maldade se voltará contra ele; sua violência cairá sobre a sua própria cabeça.

17 Darei graças ao Senhor por sua justiça; ao nome do

Reflexões Teológicas – Ricardo Alfredo

REFLETIR

A nova Teologia a Coaching

Estranhamente a pregação da boa e santa palavra de Deus, aos poucos vem sendo substituídas pelas teorias humanas e o risco de permitir ensinamentos que substituem a pregação do Evangelho é cada vez maior, num mundo voltado para autoajuda e para o enriquecimento como forma de benção.

A casa de Deus, assim deveria ser chamada, tem um forte papel no seio da sociedade, que é apresentar Cristo o salvador dos homens. Entretanto, com o modismo de ser cristão e o aumento de membros em igrejas, fica perceptível  que muitas tradições humanas e mundanas adentraram as santas portas das igrejas, trazendo um tumulto silêncio nas mentes dos que servem a Deus, ou seja, um meio cristianismo disfarçado e pior longe dos ensinamentos bíblicos que é a verdade de Deus.

São muitos os exemplos de teorias que apenas afastam os homens de Deus. Dentro delas, estão a teologia da prosperidade, como fator de prova que Deus está com aqueles que conseguiu riquezas na terra. O bom é que a bíblia afirmar: “Não ajunteis para vós tesouros na terra; onde a traça e a ferrugem os consomem, e onde os ladrões minam e roubam; mas ajuntai para vós tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os consumem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração”. (Mateus 6:19-21). Sendo assim ter sucesso com os homens e na terra não é garantia de sucesso com Deus. Jamais podemos esquecer! Deus não aceita e nem baganha com ninguém.

 

O modismo é tão avassalador que muitos pregadores. Abandonaram a função de pregador e passaram a se denominar de coach” e “master coach” como forma de demonstração ao povo da sua capacidade e competência em ministra a palavra de Deus e liderar o povo. Por incrível que pareça, isso é exatamente o cumprimento bíblico da confiança em si mesmo como provedor da fé, deixando de lado a dependência do Espírito Santo, e esse é um grande mal introduzido no meio dos herdeiros de Deus.

 

O povo de Deus, que se reúne nos templos, apenas deseja o ouvir a boa e santa palavra e não ouvir palestras de orientação profissional, autoajuda ou motivação, não que não seja importante, porém a doce palavra é melhor e purifica a alma. Todavia o que temos visto e ouvido são ladainhas de repetindo textos de livros de autoajuda e recitações de frases de efeito nos santos púlpitos com o objetivo de vender a imagem de vencedor para promover o comércio de produtos.

Entretanto, a Palavra de Deus aconselha: “Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema” (Gálatas 1:8). Na linguagem teológica fica claro que o Paulo está assegurando, que nada pode substituir os ensinamentos da Palavra de Deus.

Sinceramente, espero que esses novos líderes possam lembrar-se disso, e que neles tenham a conscientização de que a “Teologia do Coching” é apenas um modismo passageiro e que pouca coisa acrescenta para o crescimento espiritual. E minha maior esperança que o evangelho deixe de ser apenas de participação e cultos vazios, e passe a ser um evangelho de vida, transformador e inquietante contra o sistema mundano que disse todos os dias como devemos ser e nos portar.

Bem sei, que a igreja de Cristo, morena, é triunfante diante da aparente vitória do mal.

 

 

PENSAMENTO I

“Sinto saudade de minha casa, justa e perfeita, onde eu me sinto bem. “(Escritor: Ricardo Alfredo)

DAS MAIS BELA CANÇÕES

Está canção antiga e zelosa da fé, exala o poder da fé e a chamada e anelo da alma pelo seu criador. Nela, canção, encontramos a reflexão de alguém que compreendeu que é sustentado pelas mãos do altíssimo. E assim, a alma encantada com santa presença do Eterno, entoa a bela canção ao dizer:

 

Fé e Obediência (Fabiana Anastácio)

Sarah, Deus me apareceu esta noite e comigo falou

Me mandou sair do meio da parentela, e de onde estou

Sairemos por essa terra sem destino, pois disse Deus: A terra eu te mostrarei

Sarah vem comigo, pois a voz do meu amigo: Eu obedecerei

 

E sem destino saiu, não tinha mapa na mão

Mas a fé e a obediência ardia em seu coração

E as estrelas do céu, o Senhor mandou contar e lhe disse: Se fiel, pois Eu vou

te abençoar

Pai de uma grande nação nesta terra te farei

Amaldiçoo quem te amaldiçoar

E quem te abençoar, eu abençoarei

 

Parece ser fácil, mas não é ouvir a voz de Deus e obedecer

Sair no mundo pra viver de fé, sem perguntar como vai se manter

Tem hora que não dá pra perguntar; nem como, nem quando, e nem pra onde

Vai

Se foi Deus quem mandou ir desarma a tenda deixa tudo e sai

 

Obedecer, está em falta homens que tenham coragem de viver por fé

Obedecer, está em falta homens que atravessem o deserto a pé

Obedecer, fica tranquilo pois o Deus que falou tudo ele vai prover

Até tua família vai entender, se foi Deus quem falou, eles irão com você

 

Parece ser fácil mas não é, ouvir a voz de Deus e obedecer

Sair no mundo pra viver de fé, sem perguntar como vai se manter

Tem hora que não dá pra perguntar; nem como, nem quando, e nem pra onde

Vai

Se foi Deus quem mandou ir desarme a tenda deixa tudo e sai

 

Obedecer, está em falta homens que tenham coragem de viver por fé

Obedecer, está em falta homens que atravessem o deserto a pé

Obedecer, fica tranquilo pois o Deus que falou tudo ele vai prover

Até tua família vai entender, se foi Deus quem falou, eles irão com você

 

PENSAMENTO II

“Quanto mais dura a for a perseguição, a dor e a luta… Confiar em Deus é a solução” (Teólogo: Ricardo Alfredo)

POLÍTICA

1- Feliciano sonha com vaga de vice na chapa Bolsonaro em 2022

“Seria uma chapa dos sonhos”, disse deputado ao Estadão;

2- Condenado, Haddad pede à Justiça processos para “provar” que Edir Macedo é charlatão;

3- “Você vai cair pelas mãos dos LGBTs”, diz “marido” de Glenn Greenwald a Bolsonaro;

4- Criminalização da homofobia pode ser revertida;

5- MP de Portugal arquiva inquérito que investigava supostas adoções ilegais na IURD;

6- Na Marcha Para Jesus, Bolsonaro diz que evangélicos foram “decisivos” no destino do Brasil;

7- EUA esteve prestes a atacar o Irã, mas Trump cancelou na última hora.

 

MINISTRO DO STF QUER QUE CONGRESSO DESCRIMINALIZE USO DE DROGAS

 

foto 01 (1)

 

Está em processo de conclusão no Supremo, precisamente em junho, o julgamento que pode descriminalizar o porte de maconha. O decano, ministro Celso de Mello, o mais antigo membro do Supremo Tribunal Federal (STF), vem trabalhando intensamente para que o Congresso Nacional possa tomar uma posição em relação a descriminalizar do uso de drogas e proibir qualquer tipo de punição a usuários, a exemplo da legislação de drogas de Portugal. O Supremo decide no dia 5 de junho a conclusão do julgamento que pode descriminalizar o porte de maconha.

Diz o ministro: “A legislação portuguesa está um passo na nossa frente, porque ela não dispensa ao usuário uma punição penal. Essa é a questão que estamos discutindo. Mas é sempre importante que o Congresso Nacional tenha primazia”.

De modo geral, o STF vem se comportando num ativismo jurídico, que vem levantado críticas de toda sociedade, pois constantemente os ministros fogem a competência e passam a assumir o papel do Poder Legislativo, como no caso do “casamento” entre pessoas do mesmo sexo. O Supremo também está legislando ao enquadrar a homofobia como crime de racismo.

Humanamente falando, é necessário que haja um novo modelo para o tratamento dos usuários de drogas. Entretanto, aplica-lhe penas como: ser preso, penas restritivas, em nada tem contribuído para ressocialização do paciente, pelo contrário, o que temos visto são as fações ficando cada dia mais fortes e tendo todos os dias novas mãos de obra para atuação no crime e o estado enfraquecido pela violência. Quanto a punição, o traficante sim, deve ser punido na forma e no rigor da lei.

Pelos rumos tomados, A tendência correta é que o STF descida que o porte de maconha para consumo também não seja mais crime. O que vai gerar um constrangimento entre o Poder Judiciário e o Poder Legislativo. No Congresso Nacional leis sobre o tema não deverão avançar nesta legislatura, pois a sociedade elegeu maioria conservadora. É esperar pra ver.

 

RÁPIDAS DA SEMANA

1- Flordelis diz que sente falta do marido e fala sobre calúnias contra ela e seus filhos;

2- O Messias na visão do profeta Daniel é real, diz sites cistãos;

3- Missões, uma tarefa global de todas as igrejas. Diz pastor;

4- Liberdade Econômica: por que alguns países prosperam? Teólogos em foro;

5- “Quem carrega a identidade de Cristo precisa revelar isso ao mundo” diz foro teológico;

6- Igreja virou comercio diz teólogos brasileiros;

7- Arqueólogos descobrem a Torre de Vigia do tempo do rei Ezequias;

8 – “Estado é laico, mas eu sou cristão” – Esta frase não é inconstitucional e vamos desenhar para você entender;

9 – Polícia diz que Flordelis é uma das investigadas por morte de Anderson do Carmo;

10 – Uma igreja-família: Carlito Paes compartilha experiência pastoral em novo livro.

 

PENSAMENTO III

Quando eu morrer, não quero ser lembrado como mais um. Mas sim, como o Homem temente a DEUS que ajudou os necessitados e caminhou na Terra com os Gigantes… (Marcio BELMONTE)

 

BANCADA EVANGÉLICA E A DECISÃO DO STF SOBRE HOMOFOBIA

 

foto 02 (1)

 

Em nota oficial, a bancada evangélica afirma que decisão abala direitos como “liberdade de expressão, liberdade religiosa, liberdade profissional e liberdade artística”.

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de equiparar a homofobia como crime de racismo “coloca em perigo garantias constitucionais”, segundo nota da Frente Parlamentar Evangélica. Os parlamentares também criticaram o “ativismo judicial” da corte que consideram como “ofensa ao Princípio da Separação dos Poderes”.

Os ministros do STF formaram maioria no julgamento da Ação de Inconstitucionalidade por Omissão (ADO) de número 26, proposta pelo Partido Popular Socialista (PPS) e pela ABLGT (Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transexuais), que pedem a caracterização da homofobia como crime de racismo.

Na ação o PPS pedia que “todas as formas de homofobia e transfobia devem ser punidas com o mesmo rigor aplicado atualmente pela Lei de Racismo, sob pena de hierarquização de opressões decorrente da punição mais severa de determinada opressão relativamente a outra”.

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de equiparar a homofobia como crime de racismo “coloca em perigo garantias constitucionais”, segundo nota da Frente Parlamentar Evangélica. Os parlamentares também criticaram o “ativismo judicial” da corte que consideram como “ofensa ao Princípio da Separação dos Poderes”.

Os ministros do STF formaram maioria no julgamento da Ação de Inconstitucionalidade por Omissão (ADO) de número 26, proposta pelo Partido Popular Socialista (PPS) e pela ABLGT (Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transexuais), que pedem a caracterização da homofobia como crime de racismo.

Na ação o PPS pedia que “todas as formas de homofobia e transfobia devem ser punidas com o mesmo rigor aplicado atualmente pela Lei de Racismo, sob pena de hierarquização de opressões decorrente da punição mais severa de determinada opressão relativamente a outra”.

Para a Bancada Evangélica, o STF está favorecendo “grupos sociais em detrimento de outros, ampliando ou criando tipos penais sem que haja participação do Poder Legislativo”. A nota enviada para o Gospel Prime afirma que a decisão abala direitos como “a liberdade de expressão, liberdade religiosa, liberdade profissional e liberdade artística”.

Leia a nota na íntegra:

NOTA DA FRENTE PARLAMENTAR EVANGÉLICA.

A continuidade do julgamento pelo plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) da Ação Direta de Inconstitucionalidade por Omissão 26 e do Mandado de Injunção 4733, ocorrido no dia de hoje (23/05), demonstra verdadeiro ativismo judicial configurando uma direta ofensa ao Princípio da Separação dos Poderes. Sob suposta omissão legislativa do Congresso Nacional, que por não editar lei que criminalize atos de homofobia e de transfobia, possibilitou que atos considerados homofóbicos encontrassem enquadramento na lei do racismo.

O Congresso Nacional, em diálogo com Presidente do Supremo Tribunal Federal, Ministro Dias Tofolli, busca meios de proteção contra atos de violência física contra cidadãos em razão da sua orientação sexual, através de tipos penais específicos, a fim de resguardar essa parcela da população.

A Frente Parlamentar Evangélica entende que criação ou não do crime de homofobia cabe ao Congresso Nacional, em razão da sua função tipicamente legiferante, não podendo o STF favorecer determinados grupos sociais em detrimento de outros, ampliando ou criando tipos penais sem que haja participação do Poder Legislativo, sob o pretexto de suposta omissão.

Portanto, a Frente Parlamentar Evangélica, posiciona-se contrária, pois entende que julgamento supramencionado traz verdadeira insegurança jurídica, colocando em perigo e mitigando outras garantias constitucionais, como a liberdade de expressão, liberdade religiosa, liberdade profissional e liberdade artística.

Confiamos que só o diálogo e votação no parlamento trará pacificação e segurança a essa matéria. (Fonte: Gospel)

 

PENSAMENTO IV

“Às vezes é preciso atravessar o deserto a pé”. (Teólogo: Ricardo Alfredo)

 

 

 

IGREJA NÃO PAGA IMPOSTO!

 

foto 03 (1)

 

Doutrina a Constituição Brasileira: “igrejas não pagam impostos”. Está previsto na causa da imunidade da Constituição no art. 150, VI, b. Como exigir esse direito? Existem alguns passos que são importantes para consolidação da condição em que igreja esteja registada e reconhecida pelo poder público. Eis o formato:

  1. A) Criar Estatuto e registar em cartório: para criação do CNPJ.

1- Colocar na igreja o edital de convocação para criação do estatuto e eleição da diretoria da igreja. Material necessário: Edital de convocação, livro de ata, relação da diretoria, relação dos participantes digitada, copias dos documentos – CPF, RG ou CNH. Contador para auxiliar no registro do Leão.

2- Após o registro é necessário identificar os casos de imunidade sobre o patrimônio, a renda ou os serviços da organização religiosa

3- Procure os entes federativos competentes, como a União, o Estado ou Município, preencha um formulário-padrão e junte os documentos solicitados

Depois de regularizada junto ao cartório e a receita federal é só protocolar o pedido, e enquanto o Estado não reconhece a imunidade, não precisa pagar o imposto.

E se a igreja pagou indevidamente, tem direito à devolução dos valores, com juros e correção monetária, referentes aos cinco anos anteriores. Você pode fazer isso pela via administrativa, também sem gastar nada.

 

CRIMINALIZAÇÃO DA HOMOFOBIA PODE SER REVERTIDA

 

foto 04 (1)

 

Tudo depende da decisão democrática do Parlamento

Muitas organizações sociais, de forma democrática, não viram com bons olhos a decisão do STF que equiparou homofobia ao racismo. E do Congresso podem vir ações importantes visando reverter a criminalização.

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) apresentou o Projeto de Decreto Legislativo nº 401 para sustar os efeitos da decisão do Supremo. O problema é que, apesar de protocolado em 17 de junho, no dia seguinte o mesmo senador pediu sua retirada. Por qual motivo recuou?

Na Câmara dos Deputados, por outro lado, o deputado federal Márcio Labre (PSL/RJ) apresentou o Projeto de Lei nº 3.266, alterando a Lei de Racismo (Lei nº 7.716/1989) para constar que “Não se enquadra, nem de forma análoga, em qualquer hipótese e a qualquer tempo, nas tipificações de crime de preconceito de raça ou de cor, a homofobia ou outra forma de orientação sexual.”

O problema? Esse PL não teve sequer um andamento na Câmara.

É preciso que o Poder Legislativo zele pela manutenção de sua competência. Mas isso implica em “comprar briga” com o próprio STF, que julga Deputados e Senadores por seus eventuais crimes.

Será que haverá coragem do Parlamento? (Fonte: Na Câmara dos Deputados, por outro lado, o deputado federal Márcio Labre (PSL/RJ) apresentou o Projeto de Lei nº 3.266, alterando a Lei de Racismo (Lei nº 7.716/1989) para constar que “Não se enquadra, nem de forma análoga, em qualquer hipótese e a qualquer tempo, nas tipificações de crime de preconceito de raça ou de cor, a homofobia ou outra forma de orientação sexual.”

O problema? Esse PL não teve sequer um andamento na Câmara.

É preciso que o Poder Legislativo zele pela manutenção de sua competência. Mas isso implica em “comprar briga” com o próprio STF, que julga Deputados e Senadores por seus eventuais crimes. Será que haverá coragem do Parlamento? (Fonte: gospelprime)

PENSAMENTO V

Aprendi através da experiência amarga a suprema lição: controlar minha ira e torná-la como o calor que é convertido em energia. Nossa ira controlada pode ser convertida numa força capaz de mover o mundo. (Mahatma Gandhi)

LIÇÕES:

Seja Feliz Sempre

Ame, como se ninguém nunca houvesse feito você sofrer. Trabalhe, como se não precisasse do dinheiro. Dance, como se ninguém estivesse olhando. Cante, como se ninguém estivesse ouvindo. Viva, como se fosse no paraíso!

Curta o que de melhor a vida lhe oferece com toda intensidade, como se fosse o último dia da sua vida. A vida muitas vezes é curta, mas mesmo assim seu caminho é longo. Nela aprendemos a sorrir, chorar, amar, sofrer e a renascer para amanhecer e termos um lindo dia.

Não deixe para amanhã o que pode ser feito hoje; o ontem já passou e o amanhã talvez não chegue. Seja Feliz Sempre!

PENSAMENTO VI

“Sempre a última palavra é de Deus”. (Teólogo: Ricardo Alfredo)

CANÇÕES ETERNIZADAS

É fácil falar sobre o Rei da música, Roberto Carlos, e essa musica é de uma beleza clássica. Pois trata de um assunto do dia a dia que atormenta silenciosamente as mentes pensantes.

Nesta canção, o rei, demonstra a solidão da partida dos bons conselhos e acampamento de seus pais, o que deveria ser uma verdade extrema numa sociedade caótica e sem rumo.

TRAUMAS (Roberto Carlos)

Meu pai um dia me falou
Pra que eu nunca mentisse
Mas ele também se esqueceu
De me dizer a verdade
Da realidade do mundo
Que eu ia saber
Dos traumas que a gente só sente
Depois de crescer
Falou dos anjos que eu conheci
No delírio da febre que ardia
Do meu pequeno corpo que sofria
Sem nada entender
Minha mulher em certa noite
Ao ver meu sono estremecido
Falou que os pesadelos são
Algum problema adormecido
Durante o dia a gente tenta
Com sorrisos disfarçar
Alguma coisa que na alma
Conseguimos sufoca
Meu pai tentou encher de fantasia
E enfeitar as coisas que eu via
Mas aqueles anjos agora já se foram
Depois que eu cresci
Da minha infância agora tão distante
Aqueles anjos no tempo eu perdi
Meu pai sentia o que eu sinto agora
Depois que cresci
Agora eu sei o que meu pai
Queria me esconder
Às vezes as mentiras
Também ajudam a viver
Talvez um dia pro meu filho
Eu também tenha que mentir
Pra enfeitar os caminhos
Que ele um dia vai seguir
Meu pai tentou encher de fantasia
E enfeitar as coisas que eu via
Mas aqueles anjos agora já se foram
Depois que eu cresci
Da minha infância agora tão distante
Aqueles anjos no tempo eu perdi
Meu pai sentia,
Sentia o que eu sinto agora
Depois quecresci
Meu pai tentou
Tentou encher de fantasia…

 

PENSAMENTO VII

Na regra de aprender as lições importantes na vida, devemos todo dia superar o medo. (Ralph Waldo Emerson)

 

POEMAS – CLÁSSICOS DAS POESIAS

 

Do teu, no exílio em que a chorar me vejo,

Não basta o afeto simples e sagrado

Com que das desventuras me protejo.

Não me basta saber que sou amado,

Nem só desejo o teu amor: desejo

Ter nos braços teu corpo delicado,

Ter na boca a doçura de teu beijo.

E as justas ambições que me consomem

Não me envergonham: pois maior baixeza

Não há que a terra pelo céu trocar;

E mais eleva o coração de um homem

Ser de homem sempre e, na maior pureza,

Ficar na terra e humanamente amar. (Olavo Bilac

 

 

Círculo Vicioso

“Bailando no ar, gemia inquieto vagalume:

‘Quem me dera que eu fosse aquela loira estrela

Que arde no eterno azul, como uma eterna vela!

‘Mas a estrela, fitando a lua, com ciúme:

‘Pudesse eu copiar-te o transparente lume,

Que, da grega coluna à gótica janela,

Contemplou, suspirosa, a fronte amada e bela

‘Mas a lua, fitando o sol com azedume:

‘Mísera! Tivesse eu aquela enorme, aquela

Claridade imortal, que toda a luz resume’!

Mas o sol, inclinando a rútila capela:

Pesa-me esta brilhante auréola de nume…

Enfara-me esta luz e desmedida umbela…

Por que não nasci eu um simples vagalume?” (Machado de Assis)

PENSAMENTO VI

Aprendi que são os pequenos acontecimentos diários que tornam a vida espetacular. (William Shakespeare)

CAMPANHA…

fgfff

 

PENSAMENTO VII

Não sei onde estou indo, só sei que não estou perdido, aprendi a viver um dia de cada vez. (Renato Russo)

CONVITE…

 

foto 06 (1)

 

Está chegando a hora das duas defesas, com certeza vai ser uma festa linda. Como sempre o presidente e sua equipe vêm ofertado a Mossoró e região momentos inesquecíveis, tanto para quem apresenta com para quem assisti.

COMUNICADO DO PRESIDENTE DA ACJUS – DR. WELLINGTON BARRETO

 

foto 07 (1)

 

semana especial na ACJUS

Na próxima sexta-feira dia 28/06/19 – no Silogeu da Biblioteca Pública Municipal Ney Pontes Duarte, Praça da Redenção, Centro de Mossoró-RN, a partir das 19h – a Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró – ACJUS, instituição que é o orgulho da cultura mossoroense, dando sequência ao calendário acadêmico do ano, promove Sessão Magna para exaltação acadêmica as patronas das cadeira 44 e 45, AMÉRICA FERNANDES ROSADO MAIA e IVONETE PEREIRA DE PAULA BARROS, atribuição estatutária e ritualística de competência dos acadêmicos KATIA CILENE DA SILVA e EVERKLEY MAGNO FREIRE TAVARES, nomes preclaros da cultura e da educação do Rio Grande do Norte.

IVONETE PAULA como carinhosamente era e continua sendo chamada, foi em  vida  uma das personalidades mais marcantes da nossa história social e cultural do século, sendo os seus trabalhados de divulgação da nossa cidade e da nossa gente até hoje lembrados e elogiados pela sociedade mossoroense e potiguar que se recente de pessoas tão capacitadas e sensíveis como a patrona da cadeira 44 da ACJUS.

IVONETE PEREIRA DE PAULA BARROS mesmo em outra dimensão continua sendo merecedora de todas as honras e reconhecimento porque em vida fez muito por nossa cidade e por nossa gente.

No tocante a confreira AMÉRICA FERNANDES ROSADO MAIA, tudo para se falar sobre a mesma é muito pouco. Foi uma personagem revolucionária e progressista em suas posições culturais e sociais que se destacou pela lhaneza no trato com a cidade e pelo ótimo relacionamento nos meios acadêmicos, sociais, educacionais e culturais de Mossoró e do Brasil, elevando o prestígio da cidade em nível nacional e internacional, bem como enaltecendo a instituição que colocou-a   como patrona da cadeira 44.

A ACJUS – aguarda a presença da coletividade mossoroense nesse grande evento que se reveste de grande relevância pelo gabarito dos acadêmicos oradores KATIA CILENE DA SILVA e EVERKLEY MAGNO FREIRE TAVARES

ACADEMIA MOSSOROENSE DE LETRAS – AMOL

4º Concurso de Contos, Crônicas e Poesias

“João Batista Cascudo Rodrigues” – 2019

Inscrições até

25 de outubro de 2019

Os trabalhos serão entregues diretamente ou enviados pelos correios para Academia Mossoroense de Letras – AMOL, na Sala 01, da Biblioteca Ney Pontes Duarte, Praça da Redenção Jornalista Dorian Jorge Freire, nº 17 – CEP 59.600 – 780, Centro – Mossoró/RN.

Academia Mossoroense de Letras

 

foto 08 (1)

 

Praça da Redenção, nº 17 – Centro – Mossoró/RN – 59600-065 Fundada em 25 de setembro de 1988

Fundada em 1988, a Academia Mossoroense de Letras – AMOL, em homenagem ao seu sócio fundador (in memoriam) “João Batista Cascudo Rodrigues”, torna público o Edital nº 01/2019, referente ao 4º Concurso de Contos, Crônicas e Poesias “João Batista Cascudo Rodrigues”, constante do seguinte

REGULAMENTO:

  1. Os candidatos podem concorrer com 01 (hum) texto de conto e/ou 01 (hum) texto de crônicas e/ou de poesia.
  2. Os textos deverão ser originais, isto é, nunca terem sido anteriormente publicados em jornal, revista ou livro, ou mesmo veiculados pela Internet ou quaisquer outros meios de comunicação.
  3. Os trabalhos deverão ser inscritos em português, com tema livre, digitados em papel A4, em uma só face do papel, enviados em 04 (quatro)
    • Só poderão concorrer autores norte-rio-grandenses, que residam em território do Rio Grande do Norte.
  4. Os contos e crônicas terão limite máximo de 15 (quinze) páginas e as poesias em no máximo 4 (quatro) páginas, em letra 12, fonte Arial, espaço 1.5.
  5. Cada texto deverá ser identificado apenas pelo título e pseudônimo, não podendo constar, de ne- nhuma forma, algo que identifique o seu
  6. Os textos de conto, crônica e de poesia deverão estar contidos em um só envelope e com um mes- mo pseudônimo, além de uma cópia em
    • Este envelope será acompanhado por um outro menor, lacrado, que terá na parte externa a indica- ção “4º CONCURSO DE CONTOS, CRÔNICAS E POESIAS JOÃO BATISTA CASCUDO RODRIGUES – AMOL”, título do trabalho e o pseudônimo do autor.

Os trabalhos serão avaliados por uma Comissão Julgadora, composta por pessoas com amplo conhecimento, experiência e saber em literatura.

  • A Comissão Julgadora será composta de 5 (cinco) membros, escolhida pela Direção da Academia Mossoroense de Letras – AMOL, podendo serem membros da Academia ou
  • Esta Comissão Julgadora terá plena e total autonomia na apreciação e julgamento dos textos apresentados, que deverão ser regidos pelos princípios de originalidade, técnica e arte literária.
  • A decisão da Comissão Julgadora terá caráter irrevogável.
  1. Serão premiados os 2 (dois) (primeiro e segundo lugares) melhores trabalhos, em cada categoria, recebendo os vencedores, os seguintes prêmios:

1º Lugar: – Conto – R$ 1.000,00 (mil reais) mais certificado;

1º Lugar: – Crônica – R$ 1.000,00,00 (mil reais) mais certificado;

1º Lugar: – Poesia – R$ 1.000,00,00 (mil reais) mais certificado;

2º Lugar: – Conto – R$ 500,00 (quinhentos re- ais) mais certificado;

2º Lugar: – Crônica – R$ 500,00 (quinhentos reais) mais certificado;

2º Lugar: – Poesia—R$ 500,00 (quinhentos reais) mais certificado.

  • Menções honrosas:

Além dos 2 (dois) primeiros lugares, haverá 5 (cinco) menções honrosas, que receberão os seguintes certificados.

  • Os trabalhos ganhadores serão publicados pela Coleção Mossoroense, em formato de coletânea.
  • Cada ganhador, e os que foram agraciados com menções honrosas, receberão, respectivamente, 10 (dez) e 5 (cinco)
  • Os concorrentes, ao se inscreverem no concurso, cedem todos os direitos autorais de veiculação e divulgação dos respectivos textos à Academia Mossoroense de Letras –
  • É vedada a participação dos membros da Academia Mossoroense de Letras, como
  1. Os trabalhos serão entregues, diretamente, ou enviados pelos correios, para a Academia Mossoroense de Letras – AMOL, Biblioteca Ney Pontes Duarte, Praça da Redenção Jornalista Dorian Jorge Freire, nº 17, Centro, Mossoró/RN, CEP: 59600-780.
    • Quando enviados, serão validados apenas os trabalhos contendo carimbo dos correios, até 31/08/2016, trinta e um de agosto de dois mil e dezes- seis.
    • A comunicação dos resultados do concurso será feita no final de setembro e a premiação posteriormente.

Mossoró/RN, 10 de julho de 2019.

Elder Heronildes da Silva Presidente da AMOL

 

REFLEXÃO

Salmos 6

A vida é extraordinária, e assim, existem uma diversidade de fatos que podem acontecer com um homem que teme a Deus. Davi, era um desse homens de profundo amor por Deus e isso o torna singular, pois ele era ao mesmo tempo: ele era um rei, era um profeta, e, portanto, era um líder espiritual e o povo esperava muito dele.

Em seus ombros recaia uma enorme responsabilidade, e ele sabia disso. Todavia, ele sabia que sua vida não estava no prumo de Deus, o que ele mesmo relata em seus escritos.

O Salmo se divide em duas partes principais.

  1. a) Davi pede a compaixão divina (versos 1 a 7),
  2. b) e depois afirma ter recebido a libertação solicitada (versos 8 a 10).

Vamos examinar.

Salmos 6

1 SENHOR, não me repreendas na tua ira, nem me castigues no teu furor.

2 Tem misericórdia de mim, Senhor, porque sou fraco; sara-me, Senhor, porque os meus ossos estão perturbados.

3 Até a minha alma está perturbada; mas tu, Senhor, até quando?.

4 Volta-te, Senhor, livra a minha alma; salva-me por tua benignidade.

5 Porque na morte não há lembrança de ti; no sepulcro quem te louvará?

6 Já estou cansado do meu gemido, toda a noite faço nadar a minha cama; molho o meu leito com as minhas lágrimas,

7 Já os meus olhos estão consumidos pela mágoa, e têm-se envelhecido por causa de todos os meus inimigos.

8 Apartai-vos de mim todos os que praticais a iniquidade; porque o Senhor já ouviu a voz do meu pranto.

9 O Senhor já ouviu a minha súplica; o Senhor aceitará a minha oração.

10 Envergonhem-se e perturbem-se todos os meus inimigos; tornem atrás e envergonhem-se num momento.

 

Reflexões Teológicas – Ricardo Alfredo

REFLETIR            

As 5 qualidades essenciais de quem pastoreia: (pastores, padres e bispos)

Paciência
Sabedoria
Discernimento
Habilidade para Ensinar

Humildade
Os homens e as mulheres que tem a chamada Deus para servir no Evangelho deve ter a capacidade espiritual de compreender que muitos que tem o coração  quebrantado e a alma sofrida pelas cargas do viver,  precisam de uma palavra de paz nos momentos difíceis, E essa é a função dos que pastoreiam as ovelhas da casa de Deus, ajudar a carregar o fardo dos que sofrem e choram na caminhada da gloria eterna. Acho essas cinco qualidades essenciais para um pastor não sabotar seu ministério nas pequenas maneiras ao longo do dia.

Pastores, estas são características boas e piedosas. Persiga-as. Peça a Deus por elas. Elas lhe serão úteis todos os dias da sua vida e ministério.

 

 

PENSAMENTO

“Mariah Yasmim, reflexo de luz da minha existência”. (Escritor: Ricardo Alfredo)

foto 01

 

MUNDO JURÍDICO

Os Discente (Alunos) e seu direitos

De acordo com normas e leis Brasileira, e dever do estado e obrigação dos pais matricular os seus filhos a partir dos 6 anos de idade na rede de ensino pública ou particular. Caso não o faça, estarão cometendo um delito punível e poderão ser condenados até um ano de prisão ou pagar multa.

A legislação brasileira cuida da educação fundamentada na “Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional” e o seu número é 9.394/96.

A “Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional” e o seu número é 9.394/96.

Faz uma divisão da seguinte forma: educação básica, que é formada pela educação infantil, pelo ensino fundamental e pelo ensino médio, e educação superior.

Todas as Instituições são reguladas por normas. É a partir do atendimento a essas normas que podemos experimentar uma convivência saudável, produtiva e cidadã.

LEI No 6.202, DE 17 DE ABRIL DE 1975.

Atribui à estudante em estado de gestação o regime de exercícios domiciliares instituído pelo Decreto-lei nº 1.044, de 1969, e dá outras providências.        

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o CONGRESSO NACIONAL decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º A partir do oitavo mês de gestação e durante três meses a estudante em estado de gravidez ficará assistida pelo regime de exercícios domiciliares instituído pelo Decreto-lei número 1.044, 21 de outubro de 1969.

Parágrafo único. O início e o fim do período em que é permitido o afastamento serão determinados por atestado médico a ser apresentado à direção da escola.

Art. 2º Em casos excepcionais devidamente comprovados mediante atestado médico, poderá ser aumentado o período de repouso, antes e depois do parto.

Parágrafo único. Em qualquer caso, é assegurado àsestudantes em estado de gravidez o direito à prestação dos exames finais.

Art. 3º Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Brasília, 17 de abril de 1975; 154º da Independência e 87º da República.

Ernesto Geisel

Ney Braga

DIREITOS BÁSICOS DOS DISCENTES (Alunos)

  • Direito de ser matriculado na rede de ensino a partir dos seis anos de idade;
  • direito de ser respeitado por seus educadores e colegas;
  • direito de denunciar abusos ocorridos contra ele na escola, como exposição a perigo, exploração de trabalho, discriminação de raça, crença ou cor, abuso de autoridade ou abuso sexual;
  • direito a uma educação de qualidade;
  • direito a matricular-se, independentemente de ter repetido alguma série, de sua idade, de preconceito, discriminação ou pagamento de taxa (em caso de escola pública);
  • direito à merenda escolar, se a escola for pública;
  • direito a ensino noturno de qualidade, para aqueles que trabalham durante o dia;
  • direito de só ser suspenso das atividades escolares ou excluído da escola por motivo justo, previamente estabelecido, sendo-lhe garantido o direito à ampla defesa;
  • direito ao acesso aos livros que a escola possui;
  • direito de fundar e participar de Grêmio Estudantil, que é o órgão responsável pela defesa dos direitos dos alunos dentro da escola;
  • direito de participar do Conselho Escolar; que é formado pela direção da escola, por professores, alunos e pais;
  • direito de expressar livremente as suas ideias;
  • direito de participar de atividades culturais e esportivas extraescolares e de ter justificadas as suas faltas e respostas as provas a que faltou, se o estudante for atleta;
  • direito de informar-se sobre o método que a escola adota para avaliar os alunos e sobre o resultado das provas;
  • de contestar os métodos de avaliação da escola, podendo recorrer a instâncias escolares superiores;
  • direito de contestar as normas da escola, se estas forem ilegais;
  • direito à meia-entrada em cinemas, casas de show e teatro, com a apresentação da carteira de estudante.

DEVERES BÁSICOS DOS DISCENTES (Alunos)

  • Dever de respeitar as normas da escola;
  • dever de comparecer regularmente às aulas;
  • dever de submeter-se a processos avaliativos;
  • dever de zelar pelo patrimônio público da escola;
  • dever de entregar, nas condições em que recebeu, o material didático, no final do ano letivo;
  • dever de respeitar os diretores, professores, funcionários e demais alunos da escola;
  • dever de justificar as faltas às aulas e às provas;
  • dever de entregar toda correspondência enviada aos seus pais ou responsável.

DAS MAIS BELA CANÇÕES

Está canção antiga e zelosa da fé, exala o poder da criação e anelo da alma pelo seu criador. Nela, canção, encontramos a reflexão de alguém que compreendeu que é sustentado pelas mãos do altíssimo. E assim, a alma encantada com santa presença do Eterno, entoa a bela canção ao dizer:

 

Quão Grande És Tu

Senhor meu Deus, quando eu maravilhado
Fico a pensar nas obras de tuas mãos
No céu azul de estrelas pontilhado
O teu poder mostrando a criação

Então minh’alma canta a ti, senhor
Quão grande és tu! Quão grande és tu
Então minh’alma canta a ti, senhor
Quão grande és tu! Quão grande és tu!

Quando a vagar nas matas e florestas
O passaredo alegre ouço a cantar
Cruzando os montes, vales e florestas
O teu poder mostrando a Criação

Então minh’alma canta a ti, senhor
Quão grande és tu! Quão grande és tu
Então minh’alma canta a ti, senhor
Quão grande és tu! Quão grande és tu!

Quando eu medir o teu amor tão grande
Teu filho dando ao mundo pra salvar
Na cruz vertendo o teu precioso sangue
Minh’alma pode assim purificar

Então minh’alma canta a ti, senhor
Quão grande és tu! Quão grande és tu
Então minh’alma canta a ti, senhor
Quão grande és tu! Quão grande és tu!

Quando enfim, Jesus vier em glória
E ao lar celeste então me transportar
Te adorarei, prostrado e para sempre
Quão grande és tu, meu Deus hei de cantar

Então minh’alma canta a ti, senhor
Quão grande és tu! Quão grande és tu
Então minh’alma canta a ti, senhor
Quão grande és tu! Quão grande és tu!

PENSAMENTO I

“Minhas dores, minhas angustias e os aplausos que tenho recebido deste mundo, tenho deixado no calvário de Cristo”. (Teólogo: Ricardo Alfredo)

POLITICA …

1- Bolsonaro se reúne com Moro nesta terça para discutir vazamento de mensagens

2- Porta-voz da presidência, Otávio do Rêgo Barros disse que presidente não vai se pronunciar sobre conteúdo divulgado até falar com o ministro

3- Ministros do STF dizem que vazamento de conversa pode anular processo de Lula

4- Troca de mensagens revela suposta colaboração entre Sérgio Moro e Deltan Dallagnol para incriminar o ex-presidente Lula na Operação Lava Jato

5- Deltan Dallagnol grava vídeo e chama acusações contra a Lava Jato de equívocos

6- Coordenador da Operação Lava Jato afirma que em suas conversas com Sérgio Moro não mostraram imparcialidade e interferência nos julgamentos

7- Gilmar Mendes manda investigação sobre caixa 2 de Aécio à Justiça Eleitoral

8- Ministro do STF considerou que, apesar de Janot ter apontado suspeita de corrupção e lavagem, fatos denunciados por delatores têm origem eleitoral

9- ANPR, representante de procuradores, diz que obtenção de mensagens foi criminosa; Ajufe, que representa juízes federais, pede investigação do caso

10- Imprensa internacional repercute vazamento de conversas entre Moro e Dallagnol

11- Divulgação de conversas envolvendo o ministro Sergio Moro e o procurador Deltan Dallagnol podem colocar em risco futuro da operação

 

RÁPIDAS DA SEMANA

1- Bolsonaro se reúne com Moro e o condecora após vazamentos

2- Oposição promete obstrução total enquanto Moro permanecer no cargo

3- Dois dias após vazamentos contra Sérgio Moro, STF deve julgar liberdade de Lula

4- Jornalismo militante: uma força-tarefa contra a Lava Jato

5- Gilmar Mendes vai liberar para votação pedido de suspeição de Moro no caso de Lula

6- Câmara cancela homenagens à causa palestina após pressão

7- Astro do NBA fala sobre como a fé é importante em sua vida

8 – IURD diz que não obriga pastores a fazerem vasectomia: “Falsas acusações”

9 – Bispa da Suécia diz que tem “mais em comum com muçulmanos do que cristãos de direita”

10 –” Renuncio a minha homossexualidade todos os dias para ir pro céu”, afirma cantor.

PENSAMENTO II

“Aquele que tem uma razão para viver pode suportar quase tudo”. (Friedrich Nietzsche)

 

De idade nova…

 

foto 02

 

O bom amigo e grande gestor da UPA do Belo Horizonte, João, conhecido como Joãozinho do upa do Belo Horizonte, está recebendo das mãos do Eterno mais um ano de vida… Além de ser um grande gestor e um grande ser humano, também vem mostrado a todos como deve ser administrado uma unidade de saúde. Parabéns.

 

ACONTECEU…

 

foto 03 

 

PENSAMENTO III

“Aprenda como se você fosse viver para sempre. Viva como se você fosse morrer amanhã”. (Santo Isidoro de Sevilha)

LIÇÕES:

Existem duas

coisas

importantes na

vida,

MOTIVO e

MOMENTO.

Você poder ter

várias vezes

o mesmo MOTIVO

mas você nunca

terá o mesmo

MOMENTO.

Por isso aproveite

cada MOMENTO

na sua vida pois

ele nunca mais

voltará é como a

água de um rio

q não passam

duas vezes pelo

mesmo

lugar. (Borboletas na Alma)

 

PENSAMENTO IV

Há um Deus que sonda… e conhece todos os passos… Nele há misericórdia, benevolência… e amor. (Teólogo: Ricardo Alfredo)

CANÇÕES ETERNIZADAS

Está canções foi eternizada na voz do grande intérprete e compositor Raimundo Fagner.

Espumas Ao Vento

Sei que ai dentro ainda mora um pedacinho de mim
Um grande amor não se acaba assim
Feito espumas ao vento.

Não é coisa de momento, raiva passageira
Mania que dá e passa, feito brincadeira
O amor deixa marcas que não dá pra apagar.

Sei que errei tô aqui pra te pedir perdão
Cabeça doida, coração na mão
Desejo pegando fogo.

E sem saber direito a hora e o que fazer
Eu não encontro uma palavra para te dizer
Ah! se eu fosse você eu voltava pra mim de novo.

E uma coisa fique certa, amor
A porta vai estar sempre aberta, amor
O meu olhar vai dar uma festa, amor
Na hora que você chegar. (2x)

PASTOR JAYRO KAILO SERÁ EMPOSSADO NA AD EM GUAMAR

 

foto 04

 

O Pastor Jayro Kaillo será empossado dia (20), na Assembleia de Deus de Guamaré, Campo Eclesiástico da IEADERN de Macau-RN.

 

PERDÃO RELATIVO AO CRÉDITO TRIBUTÁRIO DO IPVA DE MOTOS COMEÇA A VALER NA SEGUNDA

 

 

foto 05

 

O Diário Oficial do Estado do Rio Grande do Norte trouxe neste sábado a homologação da Lei Estadual nº 10.507 que concede perdão relativo ao crédito tributário do IPVA de motocicletas.
A remissão de que trata este Decreto somente pode ser concedida a contribuintes que estejam regulares com o IPVA e a Taxa de Licenciamento Anual de Veículo relativos ao exercício de 2019.
A Governadora Fátima Bezerra (PT) homologou a lei criada pela Assembleia Legislativa Estadual no dia 10 de maio de 2019 que tem autoria do Deputado Estadual Nélter Lula de Queiroz (PMDB).
Lembrando que o veículo não precisa estar apreendido. Qualquer motocicleta com documentação atrasada ficará enquadrada na lei, desde que pague os tributos do ano corrente, que é 2019.

 

 

PENSAMENTO V

“A alma humana é aproximada do divino através da música”. (Escritor: Ricardo Alfredo)

 

DIREITO DO TRABALHO: VÍNCULO EMPREGATÍCIO ENTRE PASTOR E IGREJA É RECONHECIDO POR TRIBUNAL

 

foto 06
Para a magistrada, houve um “desvirtuamento da missão sublime de ganhar almas “A 8ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (SP) reconheceu por unanimidade o vínculo empregatício entre o pastor José de Souza e a Igreja Internacional da Graça de Deus, liderada pelo Pastor Missionário R.R Soares, conforme Processo nº 1000663-28.2016.5.02.0603 (RO).
O pastor afirma que por mais de sete anos exerceu atividades variadas, como pintura, limpeza e reparos, além de evangelização em praças, visitação a enfermos e assistência espiritual para os membros da comunidade. Segundo disse o pastor, ele tinha metas de arrecadação de doações e dízimos, que aumentavam mês a mês, e era proibido exercer qualquer outra ocupação fora da igreja. Na época, ele recebia remuneração de R$ 2.000,00.
O pedido do pastor pelo reconhecimento do vínculo empregatício foi julgado improcedente no juízo de primeiro grau. No entanto, ele entrou com recursos e os desembargadores da 8ª Turma do TRT-2 entenderam de forma diferente.

Para Tribunal, os testemunhos indicaram que, embora o autor se dedicasse por vocação, tendo sido fiel da igreja antes de se tornar pastor, ele recebia ordens de superiores, era fiscalizado, ganhava remuneração e não podia ser substituído.

“Além do sublime mister, do qual o autor tanto se orgulha, impressiona o fato de que se faltasse a algum culto poderia perder a igreja e que havia fiscalização dos cultos pelo regional, tinha uma folga semanal e intervalo intrajornada de uma hora”, afirmou a desembargadora Silvia Almeida Prado Andreoni, relatora do recurso.

Para a magistrada, houve um “desvirtuamento da missão sublime de ganhar almas”, ficando claro que o autor atuava como “vendedor dos princípios bíblicos”, cujo objetivo era o atingimento de metas para a manutenção do templo.

 

 

foto 06.1
(Fonte: cleitonalbino.com)

 

 

DEUS TEM UM PLANO

Marco Aurélio (Seleção de Ouro – Vol. 2)

Deus tem um plano a cada criatura,
Aos astros Ele dá o céu.
A cada rio Ele dá o seu leito,
E um caminho para mim traçou.

A minha vida eu entrego a Deus,
Pois o Seu Filho entregou por mim.
Não importa onde for, seguirei meu Senhor;
Sobre terra ou mar, onde Deus mandar irei.

Deus enumera a cada grão de areia,
E as ondas ouvem Seu mandar.
As aves em seus rumos Lhe obedecem,
Seu carinho faz abrir a flor.

Em Seu querer encontro paz na vida;
E bênçãos que jamais gozei.
Embora venham lutas e tristeza;
Tenho fé que Deus me guiará.

 

POEMAS – CLÁSSICOS DAS POESIAS

 

FAGULHAS

 

foto 07

 

Tênue dúvida
Janela entreaberta
Fugaz
Folgaz
Sonho inacabado!
Que floresce na dúvida.
Impávida
Casca removida

Volvida

luz que ilumina as veredas

trilhas com espinhos

lacerando a carne …!

Taniamá Vieira Barreto

PENSAMENTO VI

“Ser feliz não é uma questão de destino e sim uma questão de escolha”.  (Escritor: Ricardo Alfredo)

 

LANÇAMENTO…

 

foto 08

 

DATA DOS CULTOS DE POSSES DOS NOVOS OBREIROS DA IEADERN

1- Pastor Francisco Coriolando será empossado dia (19), de junho na AD em Baraúna – Campo Eclesiástico da IEADERN de Mossoró.

2- Pastor Antônio Oliveira será empossado dia (22), de junho na AD em Apodi – Campo Eclesiástico da IEADERN de Mossoró.

3- Pastor Jaime Mariano será empossado dia (24), de junho na AD em Passa e Fica – Campo Eclesiástico de Nova Cruz.

4- Pastor Bruno Rodrigues será empossado, dia (27), de junho na AD em Tangará – (Tangará é Supervisão de Campo Eclesiástico. (Fonte: cleitonalbino.com)

PENSAMENTO VI

“Mesmo que a vida me apresente dissabores, alegria contigo (Jesus Cristo), eu terei.” (Escritor: Ricardo Alfredo)

 

CAMPANHA…

 

foto 09 

 

CONVITE…

 

foto 10

 

SABEDORIA E EXPERIÊNCIA

 

foto 11

 

OS MESTRES DA CULTURA MOSSOROENSE

 

JOANA D´ARC FERNANDES COELHO

  1. ÁREA DE FORMAÇÃO ACADÊMICA – GRADUAÇÃO

    FORMAÇÃO ACADÊMICA

    Bacharel em Serviço Social. Faculdade de Serviço Social (FASSO) da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) 1970/1973

  2. ÁREAS DE ATUAÇÃO

    ACADEMIA UNIVERSITÁRIA
    GERONTOLOGIA SOCIAL
    PLANEJAMENTO SOCIAL
    POLÍTICAS SOCIAIS
    PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA
    PSICANÁLISE

  3.  EXTENSÃO DA FORMAÇÃO ACADÊMICA

    PÓS-GRADUAÇÃO – LATO SENSU

    Especialização de Docente em Ciências Sociais (MEC/CAPES/PROPEG/FURRN) – 1977/1978
    Especialização para Docentes do Ensino Superior na área de Supervisão em Serviço Social- Faculdade de Serviço Social (FASSO) / Universidade Regional do Rio Grande do Norte (URRN) / Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Sociais (CCHLA); Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) 1978/1979
    Especialização em Gerontologia Social. Universidade do Estado do Ceará (UECE) / Universidade Sem Fronteiras. Reg. Certificado Nº 169/20 -1991/1992
    Especialização em Políticas Sociais (Mestrado da Faculdade de Serviço Social – Universidade Federal da Paraíba (UFPB). 1987/1991.

    FORMAÇÃO COMPLEMENTAR

    Graduação em Psicanálise, formação em Psicanalista Clínico. Sociedade Psicanalista Ortodoxa do Brasil (SPOB). Escola de Psicanálise do Brasil/ Sociedade Psicanalítica (C.F. Art. 5º/C.B.O. Nº 2.515-50. M.T.) 2003/2005
    Pós-graduação Lato Sensu – em Teoria Psicanalítica. Res. Nº 01de 03/04/01. CEE/CNE/MEC. Sociedade Universitária Redentor / Faculdade Redentor. R. Janeiro. 2004
    Formação em Programação Neurolinguística (PNL). Cursos PRACTITIONER, MASTER E TRAINER TRAINING. Sociedade Norte Nordeste de Programação Neurolinguística. Instituição ACTIUS. (Piracicaba/S.P.) 2005/2006

    STRICTU SENSU (Mestrado)

    Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente 2003/2005
    Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) Programa em Desenvolvimento e Meio Ambiente – PRODEMA
    Dissertação: Parques Nacionais do Nordeste Brasileiro: Uma Estratégia para a Conservação da Natureza do Semiárido

  4.  EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL   NA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO NORTE (UERN

4.1 – ACADEMIA 

Professora Titular do Curso de Serviço Social – Ministrante de Disciplinas específicas do Curso de Serviço Social –
Chefe do Departamento de Serviço Social (DESSO/FASSO), Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).

4.2  – FUNÇÕES E CARGOS EXERCIDOS 

Na Área da Academia na Faculdade de Serviço Social (FASSO/UERN)

Professora Titular
Diretora da Faculdade de Serviço Social
Vice-Diretora da Faculdade de Serviço Social
Chefe de Departamento de Serviço Social
Sub-chefe do Departamento de Serviço Social
Supervisora de Estágio Supervisionado
Coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisa da      Terceira Idade (NEPTI)
Supervisora de Estágio Supervisionado

4.3 – Na área Administrativa / Funcional – UERN

Assistente Social (UERN)
Pró-Reitora de Ensino e Graduação
Coordenadora Geral do Centro de Desenvolvimento   Regional do Rio Grande do Norte (CENDERN)
Membro da Comissão de Assessoramento à Orientação de Graduação: Elaboração do Plano de Estudos do Discente – FASSO/DESSO.
Pró-Reitora de Ensino e Graduação

5 – CARGOS EXERCIDOS NO CAMPO DA PRÁTICA PROFISSIONAL

 

5.1 – INSTITUIÇÕES PÚBLICAS E PRIVADAS
Presidente da Comissão Municipal do Movimento Brasileiro de Alfabetização – MOBRAL
Assistente Social da Subcoordenadoria de Desenvolvimento de Recursos Humanos- SUDRH. Setor Técnico Administrativo do Centro de Formação Profissional –                      CEFOPE – Secretaria de Estado da Saúde Pública – SSAP (1986)
Secretária Municipal de Ação Comunitária e Social (SACS/Prefeitura Municipal de Mossoró-PMM)

Gestão (1990/91) Ato Nº 004/90 – Palácio da Resistência

Gestão (1994/1996) Ato Nº 005/94 – Palácio da Resistência

Gestão (1996) Ato 032/96 – Palácio da Resistência

Secretária Adjunta de Estado – Secretaria de Habitação e Promoção Social – SHPS (Gestão 1991/1994) Ato Nº 0021/91,   ano   03º da República – Palácio Potengi –                      Natal/RN

Membro da Comissão de Elaboração do Conselho Estadual e Comissões Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente (1991 – Ano 103º da República –                            Palácio do Potengi – Natal/RN

Membro da Comissão de Elaboração do Conselho Estadual do Idoso (1991/1993)

Membro do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, como representante da Secretaria Estadual do Trabalho e Ação Social (SETAS) (1991/93)                      Membro do Conselho Estadual do Idoso como representante da Secretaria Estadual de Trabalho e Ação Social (SETAS) (1991/93)

Presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (COMDICA). 1995/96

Coordenadora Geral da 1ª Conferência Municipal de Assistência Social da Região Oeste – Portaria Nº 1511/95 – Gab. Secretário de Estado da Secretaria de Estado do                  Trabalho e Ação Social (SETAS) (1995)

Delegada da 1ª Conferência Nacional de Assistência Social – Brasília (1995)

Coordenadora Geral do Escritório Regional do Movimento de Integração  e Orientação Social (MEIOS) (1996/98)

Coordenadora Regional da Fundação Estadual da Criança e do Adolescente (FUNDAC). Escritório Regional em Mossoró (Port. Nº 147/202)

Sócia da Associação Literária e Artística de Mulheres Potiguares (ALAMP). Natal, 16 de agosto de 2018

 

6 – TÍTULOS E HONRARIAS

 

Comenda – Medalha Mérito Policial Luiz Gonzaga – concedida pelo Comando Geral da Polícia Militar do Estado do Rio Grande do Norte (Dec. Nº 7.153/1977 – 1ª                           Mulher Norteriograndense a ser condecorada com essa Medalha.
Mérito Medalha Educacional Prof. Sólon Moura  concedida pela Câmara Municipal de Mossoró (Dec. Legislativo Nº 28/94).
Professor Emérito da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) (Res. 006/2005 – CONSUNI).

Destaque na Revista “Iº Mapeamento Cultural da Cidade de   Mossoró/RN, na expressão de Figuras Populares”. Prefeitura Municipal de Mossoró, apoio da UNICE                      Título de Honra ao Mérito outorgado pela Academia de Letras     Juvenal Galeno, pelos relevantes serviços prestados à Cultura.   (Fortaleza, 24 de maio de 2014).                         Grande Mérito Cultural concedido pela União Brasileira de Escritores do Rio de Janeiro, integrante da Federacion Latinoamericana de Sociedades de Escritores                          (UBE/RJ). Destaque como Coordenadora do Evento “Integração Cultural e Interestadual”.

Grande Mérito Cultural  – UBE / RJ, Entidades Acadêmicas, Potiguar e o Jornal Sem Fronteiras – II Seminário Internacional Encontro das Américas. Mossoró 03 de                      dezembro de 2016
Coautora da “Coletânea Literária Feminina Potiguar” lançado no II Seminário Internacional Encontro das Américas – literatura, artes e cultura em Terras Potiguares”                Natal e Mossoró, 01 de dezembro de 2016.
Membro Correspondente RN/ UBE/ RJ (Natal/Mossoró, 3 a 7 de dezembro, 2016).
Membro participante do Projeto Literário “Coletânea Literária Internacional Bilingue – Sem Fronteiras pelo Mundo … Vol. Prosa e Verso”
Membro Participante como Coautora do Projeto Literário “Coletânea Literária – I integração Cultural Interestadual”  Editora Rede Sem Fronteiras  Integrante da Rede                 Mídia de Comunicação e Editora Sem Fronteiras. (Mossoró 15 de Junho de 2016).
Título de “Honra ao Mérito” outorgado pela Academia de Letras Juvenal Galeno (ALJUG), pelos relevantes serviços prestados  à Cultura
Título de Mérito Cultural outorgado pelo Centro Cultural de Ceará (CCC), pelo envolvimento no mundo líterocultural.  (03 de julho de 2018)
Tributo   a “Ana Floriano”  outorgado  pelo    Decreto  Nº 5. 182, de 08 de março de 2018, como mérito pelo destaque no mundo da  intelectualidade, como Escritora,                    pesquisadora e pela posição que assume  com coragem, a posição a favor da luta da mulher na sociedade.
7 – INSERÇÃO EM MOVIMENTOS CULTURAIS
Acadêmica Imortal da Academia Feminina de Letras e Artes Mossoroense (AFLAM). Ocupante da Cadeira 21. Presidente no período de quatro anos, Gestão de dois Biênios 2014/ 2016 e 2016/2018.
Acadêmica Imortal, Membro Efetivo da Cadeira Nº 09(Titula) da Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró (ACJUS)
Acadêmica Imortal – SECCIONAL/ Ceará, Cadeira Perpétua Nº36, Patronímica (em seu nome), pelo Conselho Internacional dos Acadêmicos. de Ciências Letras e Artes (CONINTER/AD IMMORTALITATEM), (11 de junho de 2015)
Sócia Efetiva do Instituto Cultural do Oeste Potiguar (ICOP). (dezembro de 2014).
Sócia correspondente da Academia Apodiense de Letras  (AAPOL)
Sócia correspondente da Academia de Letra de Martins (ALAM)
Sócia efetiva da Sociedade Brasileira do Cangaço (SBEC)
Membro do Conselho Municipal de Políticas Culturais (CMPC). Presidente nomeada pela Lei Complementar, Nº 082, 03/04/2013, mediante votação aberta, em Assembleia.         (05 de abril de 2016)
Membro do Conselho Editorial do periódico AFLAM em Revista da Academia Feminina de Letras e Artes Mossoroense.
Membro Titular junto ao Conselho Universitário da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte ( CONSUNI  / UERN). Representante da Comunidade. (DOE- Edição nº           13.375)
Associada Ativa da Associação dos Escritores Mossoroense (ASCRIM) (19 de fevereiro de 2016)
Coordenadora Estadual / RN, do Evento “Integração Cultural e Interestadual sediado em Fortaleza e Mossoró. (15 a 18 de junho de2016).
Coordenadora da Mesa de Debate, no Evento Seminário Novas Liberdades. Temática: “ A Arte e Entretenimento – O Desafio de fazer a Política Pública em Cultura” (Mossoró, 26 de setembro de 2014)

8 – PUBLICAÇÕES :

         CAPÍTULOS EM LIVROS/COLETâNEAS, ARTIGOS EM REVISTAS     ESPECIALIZADAS, JORNAIS/PERIÓDICOS PUBLICADOS NOS ÚLTIMOS (5) CINCO

 ANOS

Importância do Planejamento Familiar – Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) – Livro publicado pela Coleção Mossoroense
Coleção Mossoroense: Fragmentos de uma História.  Fundação  Vingt-un Rosado, Coleção Mossoroense. Série “B”, Nº 2490, Ano 2000
        Fragmentos da minha história na história do Ginásio Sagrado Coração de Maria – capítulo do Livro a ser publicado
A Mulher Atual: Reconstrução de um Modelo de Submissão – Artigo publicado no Periódico Nº 01 “ AFLAM em Revista” – Ano I, Agosto de 2011
De Fazendas a Freguesia, de Freguesia à Vila, de Vila à Segunda maior cidade do Rio Grande do Norte: De Mossoró Menina A Mossoró Mulher – Artigo publicado no  Periódico Nº 02 “AFLAM em Revista” – Ano II, Dezembro de 2012
A Saga da Frondosa Oliveira – Artigo publicado no Periódico Nº 03 “AFLAM em Revista” – Ano III, Dezembro de 2013.
Quebra de paradigmas? – Artigo publicado no Periódico Nº 03 “AFLAM em Revista” – Ano III, Dezembro de 2013.
      “O ineditismo na vida profissional de uma mulher” – A contagem de história da vida de Margareth Freire de Sousa. Entrevista publicada no Periódico Nº 03 “AFLAM em            Revista” – Ano III, Dezembro de 2013.
       “A Magia da trilha da Gruta de Ubajara”. Coletânea Literária Internacional Bilíngue (Português/Inglês): prosa e verso – Livro Sem Fronteiras pelo Mundo. Organizadora:              Dyandreia Valverde Portugal,  – Arraial do Cabo, RJ: Rede Sem Fronteiras, 2016.

      “Os fora da lei/ líderes das quadrilhas e as invasões: os killers, gansters, outlaws?. Integração Cultural Interestadual: Coletânea Literária (prosa e verso) Organizadora /Dyandreia Valverde Portugal,  – Arraial do Cabo, RJ: Rede Sem Fronteiras, 2016

     “A Saga dos Cangaceiros: Uma história contada em várias versões, no correr dos tempos” – Cartas da Caatinga – Coletânea. Coleção SBEC – Universo da Caatinga – Nº            06. Literatura Brasileira – Cangaço no Nordeste Brasileiro. Mossoró/ 2016

     ‘Uma Viagem Imaginária pela Selva de Pedras” Coletânea Literária Internacional Bilíngue (Português/Inglês): prosa e verso – Livro Sem   Fronteiras pelo Mundo. Organizadora: Dyandreia Valverde Portugal,  – Arraial do Cabo, RJ: Rede Sem Fronteiras, 2019.

ACJUS- ACADEMIA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS ESOCIAIS DE MOSSORÓ

SEGUNDA DIRETORIA EXECUTIVA: GESTÃO 2019 – 2022

Presidente: José Wellington Barreto

1º Vice-Presidente: Taniamá Vieira da Silva Barreto

2º Vice-Presidente: Antonio Clóvis Vieira

1ª Secretária: Ludimilla Carvalho Serafim de Oliveira

2º Secretário: Carlos Alberto Lima Filgueira

1º Tesoureiro: Edilson Gonzaga de Souza Júnior

2º Tesoureiro: Catarina Cordeiro Lima Vitorino

DEPARTAMENTOS

DIRETORA DO DEPTO DE EVENTOS – Vanda Maria Jacinto

DIRETOR DO DEPTO HISTORICO-CULTURAL – Geraldo Maia do Nascimento

DIRETOR DO DEPTO DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS E IMPRENSA – Osivaldo M. C. de Sá Leitão

DIRETOR DO DEPTO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS- Paulo de Medeiros Fernandes

DIRETOR DO DEPTO DE EDITORAÇÃO – Raimundo Antonio de Souza Lopes

DIRETORA DO DEPTO DE CONTROLE DE PATRIMÔNIO – Joana D’arc Fernandes Coelho

CONSULTOR JURÍDICO – Francisco Marcos Araújo

CONSELHO FISCAL

Titulares:

Francisco Péricles Amorim

Zélia Macedo Heronildes

Disraeli Davi Reinaldo de Moura

Suplente: Francisco Canindé Maia

REFLEXÃO

 

Salmos 5 Estudo:

Interpretação do Salmo 5

O quinto Salmo é de autoria do Rei Davi. Através de sua experiência de sofrimento, o rei expressa a sua aflição por perceber e ver os inimigos de multiplicarem no seu reinado. Na antiguidade, existia a crença que as pragas e maldições poderia alcançar aquele que fosse amaldiçoado, fazendo cair por terra os poderes divinos. Então, Davi está aflito com medo das acusações, mentiras e maledicências de seus adversários. O Salmo 5 pode ser dividido em 3 partes:

  • Oração ao Senhor pelo Livramento dos tempos difíceis (v. 1 a 6)
  • O desejo de louvar ao Senhor nos tempos difíceis (v. 7 a 9)
  • O anseio pelo juízo final nos tempos difíceis (v. 10 a 12)

Salmos 5

1 DÁ ouvidos às minhas palavras, ó Senhor, atende à minha meditação.

2 Atende à voz do meu clamor, Rei meu e Deus meu, pois a ti orarei.

3 Pela manhã ouvirás a minha voz, ó Senhor; pela manhã apresentarei a ti a minha oração, e vigiarei.

4 Porque tu não és um Deus que tenha prazer na iniquidade, nem contigo habitará o mal.

5 Os loucos não pararão à tua vista; odeias a todos os que praticam a maldade.

6 Destruirás aqueles que falam a mentira; o Senhor aborrecerá o homem sanguinário e fraudulento.

7 Porém eu entrarei em tua casa pela grandeza da tua benignidade; e em teu temor me inclinarei para o teu santo templo.

8 Senhor, guia-me na tua justiça, por causa dos meus inimigos; endireita diante de mim o teu caminho.

9 Porque não há retidão na boca deles; as suas entranhas são verdadeiras maldades, a sua garganta é um sepulcro aberto; lisonjeiam com a sua língua.

10 Declara-os culpados, ó Deus; caiam por seus próprios conselhos; lança-os fora por causa da multidão de suas transgressões, pois se rebelaram contra ti.

11 Porém alegrem-se todos os que confiam em ti; exultem eternamente, porquanto tu os defendes; e em ti se gloriem os que amam o teu nome.

12 Pois tu, Senhor, abençoarás ao justo; circundá-lo-ás da tua benevolência como de um escudo.

 

Reflexões Teológicas – Ricardo Alfredo

REFLETIR                                         

“Pouco conhecimento faz com que as pessoas se sintam orgulhosas. Muito conhecimento, que se sintam humildes. É assim que as espigas sem grãos erguem desdenhosamente a cabeça para o Céu, enquanto que as cheias as baixam para a terra, sua mãe”. (Leonardo da Vinci)

 

PENSAMENTO

“O progresso da alma humana, vem ao longo dos tempos, intimidado aos ditadores e aos desalmados”. (Escritor: Ricardo Alfredo)

MUNDO JURÍDICO

Direitos dos docentes (Orientações)

Meus amigos docentes:

Quando é feito uma análise da relação entre a função lecionar e a qualidade do ensino, fica claro que há um vínculo indestrutível entre ambas. E assim sendo, a valorização do profissional (docente) é fundamental para o desenvolvimento intelectual, social e moral de um povo. Visto que a cultural de um país, de uma região e um povo pode ser transmitida, analisada e aplicada por um povo que tenha consciência de sua existência como pessoa humana e detentora de saberes.

Por outro lado, as instituições de ensino, encontram forte resistência no que tangem a contratação deste profissional (docente) qualificado, pois a burocracia devastadora é inconstante, com ideias ultrapassadas e caducas, além de ter normas enrijecidas, que apenas atrapalha o desenvolvimento da educação.

Quanto a contratação dos docentes de forma autônoma, as normas apregoam que é ilegal, visto que a legislação trabalhista assegura em todas as etapas a carteira assinada e reconhecida pelo ministério do trabalho. Entretanto, num mundo moderno é preciso repensar essas ideias que foram importantes no passado e hoje só faz prejudicar o bom andamento da educação. Porem, é bom salientar que devemos ser cuidados com essas mudanças bruscas. Todavia há uma metodologia ou passos legais na contratação de docentes:

 

A Carteira de Trabalho

Na carteira deve está anotado:

  1. a) data da contratação
  2. b) gozo de férias
  3. c) reajuste salarial
  4. d) atualizações dentro das datas previstas

 

Obrigação do empregador:

  1. a) manter a carteira atualizada dentro dos prazos
  2. b) devolver a artéria em 48h
  3. c) obedecer ao art. 29 da CLT.

Função na Carteira de Trabalho

  1. a) o cargo na carteira deve ser registrado como professor.
  2. b) na função professor não é possível as seguintes anotações: monitor auxiliar, assistente de ensino, auxiliar de classe, instrutor, etc.,

O Contrato de Experiência

  1. a) A sua duração é no máximo de 90 dias, como determina 445 CLT.
  2. b) O período de experiencia pode ser determinado em várias etapas, por exemplo, 30 dias, 45 adias ou mesmo 60 dias. Entretanto, é salutar que a soma destes prazos não ultrapasse os 90 dias como relata o art. 451 CLT.
  3. c) Ao termino da experiencia, 90 dias no máximo, tendo permanecido o discente na função o mesmo deve ser contrato por tempo indeterminado.
  4. d) Se o empregador romper o contrato de experiência deverá pagar uma multa equivalente a 50% dos dias que ainda faltarem para o seu término.
  5. e) O professor receberá os dias trabalhados, o 13.º salário proporcional e férias proporcionais (acrescidas de 1/3) e 40% do saldo do FGTS, que poderá também ser sacado – 479 CLT.
  6. f) O discente deve aguardar o último dia de trabalho para declarar se deseja ou não ficar em sua função. art. 480 CLT.
  7. g) Se não for possível esperar o término do contrato, a instituição poderá cobrar a multa por rompimento antes do prazo (50% dos dias que faltarem para o seu término) que será descontada dos dias trabalhados e do 13.º proporcional (se o salário for negativo, a rescisão é zerada) – 481 CLT.

Documentos de Trabalho

  1. a) Todos os documentos ou comunicações que forem entregues ao empregador devem ser copiados e protocolado o seu recebimento.
  2. b) Guarde sempre a cópia protocolada de documentos e comunicações entregues desde a contratação.
  3. c) Tratando-se de documento ou comunicação que o empregador se recuse a receber, o professor poderá enviá-lo pelos Correios e Telégrafos, através de AR (Aviso de Recebimento).
  4. d) Além dos documentos que forem entregues ao empregador, todos os avisos e comunicados recebidos pelo professor são documentos importantes.

Salário de Admissão

  1. a) O piso salarial do professor é estabelecido nos Acordos Coletivos de trabalho. O seu valor varia, conforme o segmento e grau de ensino.
  2. b) Pessoas que realizam trabalhos idêntico devem ter equiparação salarial.
  3. c) Em qualquer estabelecimento, independentemente de ser observado, no mínimo, o piso salarial, nenhum professor pode ser admitido com salário inferior ao recebido por outro professor com menor tempo de serviço naquele estabelecimento, desde que estejam no mesmo ramo e grau de ensino – 461 CLT.

 

Pagamentos “por fora” – extra recibos

Completamente ilegal e imoral por parte do empregador. É motivo para demissão por Justa Causa por parte do empregado.

 

Pagamentos

A própria lei determina a Obrigatoriedade do pagamento ser feitos até o 5º dia útil do mês.

A saída do emprego

  1. A) Demissão pelo Empregador
  2. a) Os Acordos Coletivos estabelecem diferentes regras sobre dispensa imotivada do professor, isto é, para dispensa sem justa causa.
  3. b) Consulte o Sindicato para averiguar quais são as garantias específicas no caso de dispensa. Havendo ou não garantias específicas, siga de qualquer forma algumas recomendações:

b1) Período de aviso prévio

  1. a) É de 30 dias corridos – 487 CLT e art. 7.º, XXI CF.
  2. b) Procure não aceitar demissão verbal. Você deve ficar com uma cópia da comunicação do fato, assinada, datada e carimbada por quem está demitindo.

    b2) Aviso Prévio Não Trabalhado

  3. a) Se ocorrer liberação do trabalho durante o período, exija que esta informação esteja contida no respectivo documento de aviso. Não aceite a liberação verbal, pois, caso contrário, a presunção é a de que não houve a dispensa do trabalho durante o período de aviso.
  4. b) O pagamento das indenizações da rescisão de contrato deverá ser feito até no máximo 10 dias a contar do início do período do aviso – 477 CLT.

b3) Aviso Prévio Trabalhado

  1. a) O professor, mesmo não liberado do trabalho, terá sempre direito de não comparecer nos últimos sete dias do aviso sem haver prejuízo de salário –

488 CLT.

  1. b) O pagamento das indenizações deverá ser feito no primeiro dia após o término do período de aviso – 477 CLT.

b4) Rescisão Fora do Prazo

Esgotado o prazo, tanto na hipótese de aviso trabalhado, como na de aviso não trabalhado, o empregador terá que pagar ao professor uma multa equivalente ao último salário, devidamente corrigido. Art.477 – CLT.

b5) Demissão no Final do Ano Letivo

Além das garantias que estiverem asseguradas nos Acordos, o professor tem direito a receber os salários devidos até o reinício das aulas – Lei 9.013/95 e Art. 322 CLT.

 

b6) Demissão às Vésperas da Data-Base

Além das indenizações legais e das previstas nos Acordos, conforme a data de encerramento do período do aviso prévio, o professor poderá receber:

e.6.1 – uma indenização de um salário, no caso do aviso encerrar-se nos trinta dias que antecedem a data-base – Lei 7234/84;

e.6.2 – obter o pagamento das indenizações da rescisão com base no salário reajustado pelos Acordos Coletivos, no caso do aviso prévio se encerrar após a data-base – Enunciado 5 TST

e.6.3 – Indenizações na Rescisão

Além das multas e das garantias específicas previstas nos Acordos Coletivos, o professor terá sempre direito a receber:

e.6.1.1- um mês de aviso prévio.

e.6.1.2 – 13.º salário.

e.6.3 – férias com acréscimo de 1/3.

e.6.4 – 40 % sobre o total depositado e não sobre o saldo de FGTS. Se você utilizou parte do FGTS, os 40% terão que incidir sobre o total, usado ou não.

 

  1. c) Pedido de Demissão

O professor que pretende pedir demissão deve fazer esta comunicação com trinta dias de antecedência. Significa que tem que dar um aviso prévio ao empregador de trinta dias. Siga algumas recomendações ao pedir demissão:

d) comunicação do aviso prévio

Deve ser feito obrigatoriamente em duas vias, ficando uma via com o professor, datada e carimbada por quem recebeu o aviso. O aviso prévio pode ser trabalhado ou não. O professor pode pedir a liberação. Se o empregador aceitar a liberação do cumprimento do aviso, esta decisão deve ser obtida por escrito. Se não houver liberação e o professor não puder trabalhar, o empregador pode descontar das indenizações da rescisão, o valor correspondente ao aviso (trinta dias de salário).

  1. e) prazo para pagamento da rescisão

Quando o aviso é trabalhado, o prazo é o do dia seguinte ao do término do período de aviso. Quando o aviso não é trabalhado, o prazo é o de dez dias contados da entrega do aviso – Art. 477 CLT.

  1. f) indenizações na rescisão, previstas na lei

O professor não obterá a liberação do FGTS, nem receberá a indenização dos 40%. Porém, terá direito a receber:

f1 – os dias trabalhados, inclusive os do período do aviso.

f2 – décimo terceiro salário.

f3 – férias, com o acréscimo de 1/3.

 

  1. g) Demissão por Justa Causa do Empregador

O professor que não quer permanecer no emprego porque não estão sendo respeitados seus direitos trabalhistas, não precisa pedir demissão, pode romper o contrato de trabalho por Justa Causa, sem perder os direitos da rescisão – Art. 483 CLT.

Como é necessário se fazer um comunicado dizendo que está rompendo o contrato por justo motivo, apontando as irregularidades que o levaram a sair do emprego, procure o Sindicato para ser orientado.

As indenizações legais devidas ao professor que rompe o contrato por justo motivo são idênticas às que são recebidas pelo professor que é demitido sem Justa Causa, inclusive, poderá levantar o FGTS e receber os 40% sobre o saldo total do fundo.

  1. h) Local da Rescisão
  2. a) A rescisão do contrato do professor com mais de um ano de serviço, para que tenha validade legal, deve ser feita no Ministério do Trabalho. É o que se chama homologação.
  3. b) Denuncie imediatamente homologações de rescisões de contrato de professores, com mais de um ano de casa, realizadas no próprio estabelecimento empregador, mesmo que ele diga que a homologação será feita na presença de um representante do Ministério do Trabalho.
  4. c) Na homologação, é verificado se as indenizações estão sendo corretamente pagas. Quando se constata irregularidades, dependendo da gravidade da lesão que for verificada, poderá, ou não, ser liberado o pagamento das indenizações. Quando é feito o pagamento de uma rescisão irregular, se faz uma ressalva no próprio recibo sobre as irregularidades constatadas.
  5. d) Quando não for possível detectar o não-cumprimento de um direito ou garantia trabalhista do professor, por falta de informação no momento da rescisão, ainda assim, poderão ser exigidos judicialmente do empregador posteriormente.

Algumas observações

Além de consultar a relação abaixo, verifique se o direito identificado não está também previsto na relação de direitos tratados nos acordos coletivos de trabalho, pois, podem estar previstos de maneira mais benéfica para o professor.

Aulas

Duração

50 minutos durante o dia e 40 minutos à noite – Portaria 240 MEC e, além, Portaria 887/52, Pareceres CFE 459/85 e 28/92 e repetidas convenções coletivas de inúmeros Sinpros.

Não é possível em Cursinho ou no Ensino Médio ter aula de 60 minutos. Ver as normas coletivas nos casos do ensino Fundamental e Ensino Superior.

A duração da hora-aula é estabelecida com base em preceitos higiênicos da voz e saúde do professor, do aproveitamento de aprendizagem do estudante, a capacidade de rendimento. O objetivo da hora-aula de 50 minutos ou de 40 minutos é de caráter didático e não financeiro para escamotear uma evidente redução salarial.

 

Aos Domingos

É vedado aos professores aos domingos a regência de aulas ou trabalhar em exames – Art. 319 CLT.

Muitos Cursinhos fazem a resolução de provas de Vestibular aos Domingos, convocando seus professores ao arrepio da Lei – sem pagar por isso e sem computar horas extras e etc. Acham que estão acima da Lei.

 

Excedentes

Aumento do nº aulas, ainda que prestadas dentro do horário contratado com o professor, devem ser computadas ao final do mês – Art. 321 CLT.

 

  1. a) Redução do valor da Hora-Aula

Impossível em qualquer caso, seja pelo valor em sí ou com o artifício de usar “hora-cheia” para escamotear pagamento a menor– Veja Art. 468 CLT e Art. 7.º VI CF.

 

  1. b) Hora Noturna

É aquela prestada após as 22 horas. Deve ser acrescida de, no mínimo, 20% a mais que a hora normal. – Art. 73 CLT.

 

  1. c) Horas Extras

Toda atividade não habitual, prestada fora da jornada normal de trabalho, é considerada como extra e deve sofrer, no mínimo, o acréscimo de 50% – Art. 7.º, XVI CF.

Observação especial: O professor que habitualmente faz horas extras tem direito à integração dessas horas, pela média, no 13.º salário e nas férias. Além disso, o professor tem direito de integrar essas horas habituais ao salário ou receber uma indenização, quando não forem mais exigidas.

 

DAS MAIS BELA CANÇÕES

Está canção interpretada pela extraordinária cantora Simone, nos mostra as dores de uma paixão vida.

AMEI DEMAIS (SIMONE)

Amei demais.
Como pude me entregar assim?
Já cansei de saber
Que você não tem jeito,
Mas com fogo brinquei,
Te queria e daí?

Amei demais.
Como pude esquecer de mim?
E apesar de você
Quase durmo direito,
Posso até suportar
Essa falta de ti.

Já tentei todas as rezas
Pra tirar você de mim.
Já fiz todas as promessas
Pra não mais gostar assim,
Mas é coisa do destino,
É coisa feita, não tem jeito
Esse desejo de você.

Sou alguém
Que acredita que você pode mudar,
Mas não me entrego
Se você não se entregar;
Já fiz isso uma vez,
Não quero mais me arrepender.

Pense bem,
Diz a razão, não vale a pena se enganar,
E o coração me pede
Pra te procurar,
Tá doendo de saudade…
Diz pra mim o que fazer.

Amei demais.
Quero ver quem vai te amar assim.
Ninguém pode te dar um amor desse jeito.
Você pode tentar, mas não vai conseguir.

 

CONCURSO LITERÁRIO COLEÇÃO 70

 

Fundada em 1995, a Fundação Vingt-un Rosado – FVR, em homenagem aos setenta anos da Coleção Mossoroense – CM, torna público o Edital no 01/2019, referente ao Concurso Literário e convida a todos para participar deste momento festivo da cultura mossoroense, valorizando assim, a própria Coleção Mossoroense.
Segue, abaixo, o regulamento

REGULAMENTO:
1 – Os candidatos podem concorrer com 01 (hum) texto de conto e/ou 01 (hum) texto de crônicas e/ou 01 (hum) de poesia e/ou 01 trabalho jornalístico.

2 – Os textos deverão ser originais e inéditos, isto é, nunca terem sido anteriormente publicados em jornal, revista ou livro, ou mesmo veiculados pela Internet ou quaisquer outros meios de comunicação.

3 – Os trabalhos deverão ser inscritos em português, com tema “Coleção Mossoroense, 70 anos”, digitados em papel A4, em uma só face do papel, enviados em 8 (oito) vias.

3.1 – Só poderão concorrer autores norte-rio-grandenses, que residam em território do Rio Grande do Norte.

4 – Os contos e crônicas terão limite máximo de 15 (quinze) páginas e as poesias em no máximo (quatro) páginas, em letra 12, fonte Arial, espaço 1.5c;

5 – Cada texto deverá ser identificado apenas pelo título e pseudônimo, não podendo constar, de nenhuma forma, algo que identifique o seu autor;

6 – Os textos de conto, crônica e de poesia deverão estar contidos em um só envelope e com um mesmo pseudônimo, além de uma cópia em CD;

6.1 – Este envelope será acompanhado por um outro menor, lacrado, que terá na parte externa a indicação “Concurso Literário Coleção 70”, título do trabalho e o pseudônimo do autor e contato para a comunicação com a organização;

6.2 Os trabalhos serão avaliados por uma Comissão Julgadora, composta por pessoas com amplo conhecimento, experiência e saber em literatura.

6.3. A Comissão Julgadora será composta de 5 (cinco) membros. Ela será escolhida pelo presidente da Fundação Vingt-um Rosado, podendo ser membros da própria Fundação Vingt-un Rosado;

6.4 – Esta Comissão Julgadora terá plena e total autonomia na apreciação e julgamento dos textos apresentados, que deverão ser regidos pelos princípios de originalidade, técnica e arte literária;

6.5 – A decisão da Comissão Julgadora terá caráter irrevogável;

7 – Serão premiados os 3 (três) (primeiro, segundo e terceiro lugares) melhores trabalhos, em cada categoria, recebendo os vencedores, os seguintes prêmios:

1º lugar: Conto –  25 exemplares da coletânea;

1º lugar: Crônica – 25 exemplares da coletânea;

1º lugar: Poesia – 25 exemplares da coletânea;

1º lugar: Texto jornalístico – 25 exemplares da coletânea;

2º lugar: Conto –  15 exemplares da coletânea;

2º Lugar: Crônica – 15 exemplares da coletânea;

2º Lugar: Poesia – 15 exemplares da coletânea;

2º Lugar: Texto jornalístico – 15 exemplares da coletânea;

3º lugar: Conto –  10 exemplares da coletânea;

3º lugar: Crônica – 10 exemplares da coletânea;

3º lugar: Poesia – 10 exemplares da coletânea;

3º lugar: Texto jornalístico – 10 exemplares da coletânea;

7.2 – Menções honrosas:

7.2.1 – Além dos 3 (três) primeiros lugares, haverá 5 (cinco) menções honrosas, que receberão os certificados;

7.2.2 – Os trabalhos ganhadores serão publicados pela Coleção Mossoroense, em formato de coletânea no seu quinto milésimo título;

7.2.3 – Cada ganhador e os que foram agraciados com menções honrosas, receberão, respectivamente, conforme sua classificação, constando no item 7;

7.2.4 – Os concorrentes, ao se inscreverem no concurso, cedem todos os direitos autorais de veiculação e divulgação dos respectivos textos à Fundação Vingt-un Rosado;

7.2.5 – É vedada a participação dos membros da Fundação Vingt-un Rosado, como concorrentes;

8 – Os trabalhos serão entregues, diretamente, ou enviados pelos Correios, para a Fundação Vingt-un Rosado, localizada na sede da Biblioteca Ney Pontes Duarte, Praça da Redenção, no 17 – Centro – Mossoró/RN, 59600-065.

8.1 – Quando enviados, serão validados apenas os trabalhos contendo carimbo dos correios, até 05/07/2019 (cinco de julho de dois mil e dezenove);

8.2 – A comunicação dos resultados do concurso será feita no final de julho e a premiação posteriormente, durante a realização da Noite da Cultura que será realizada num grande momento festivo no mês de setembro.
Mossoró/RN, 18 de maio de 2019.

Jerônimo Dix-sept Rosado Maia Sobrinho

Presidente da Fundação Vingt-un Rosado

 

ACADEMIA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS DE MOSSORÓ-RN

 

foto 01 (15)

 

 

Prof. Benedito Mendes, o Presidente da ACECI, Albersio de Araújo Lima e o Palestrante, Cientista Odorico de Moraes.

Professora Susana Goretti e o Ex-Ministro Ubiratan Aguiar.

 

 

foto 01.1

 

PENSAMENTO I

O homem sábio / rejeita o excesso / rejeita a prodigalidade / rejeita a grandeza. (Lao-Tsé)

 

CONVITE ACJUS – (Academia de Ciências Jurídicas e Sócias de Mossoró).

 

foto 02 (15)

 

RÁPIDAS DA SEMANA

1- EUA e Israel sinalizam apoio à entrada do Brasil na OCDE

2- Projeto social organiza festa de 15 anos para jovem carente

3- Globo exibe beijo gay após STF formar maioria para criminalizar homofobia

4- Ministro do STF quer que Congresso descriminalize uso de drogas

5- CGADB realiza 1º Simpósio de Mídia

6- Universal arrecada R$ 3,8 milhões em produtos para doar a presídios

7- Conheça os deputados evangélicos que ajudaram a tirar o Coaf de Moro

8 – Justiça autoriza criança de 8 anos a mudar de nome e gênero na certidão de nascimento

9 – “Judeus não foram destruídos porque Deus cuida de Israel”, diz embaixador israelense

10 – Bancada Evangélica diz que decisão do STF sobre homofobia coloca em perigo “garantias constitucionais”

 

PENSAMENTO II

“O que faz andar o barco não é a vela enfunada, mas o vento que não se vê… “(Platão)

 

 

foto 03 (15)

 

 

PENSAMENTO III

“Ao que tem fome dá teu pão, mas ao triste dá-lhe o coração”. (Provérbio Chinês)

LIÇÕES:

A chuva cessou,
E o que restou
Foi eu.
Coração quebrado,
Lágrimas quentes rolando no rosto.

Imagino cada pessoa,
Todas com sua chuva.
Cada uma com sua garoa.
Cada uma com sua tempestade.

Será que essa tempestade
Que reina em mim
Cessará?
Será que algum dia
Apenas uma brisa
Libertará minha alma
Desse frio, dessa nevasca,
Que minha alma está? (Desconhecido)

PENSAMENTO IV

“Pra que serve o sorriso quando o olhar revela tristeza no coração”. (Izzo Rocha)

 

Aconteceu SESSÃO DE ELOGIO DA ACJUS

 

foto 04 (14)

 

foto 04.1 (4)

 

POVO COMPETENTE… ACJUS

 

foto 05 (14)

 

ACJUS- Academia de Ciências Jurídicas e Socias de Mossoró.

CULTURA EM DESTAQUE – ACJUS PROMOVERÁ OUTRO ESPETACULAR EVENTO

A ACJUS é uma instituição sem fins lucrativos. Todas as suas iniciativas são financiadas pelo quadro de associados. A instituição não recebe subsídios econômicos do Poder Público, embora os nossos projetos estejam muitas das vezes preenchendo um espaço social e cultural que permitisse dividir essa responsabilidade financeira com o poder administrativo constituído.

Temos por exemplo, o Projeto Lendo, Escrevendo e Aprendendo  que desenvolvemos na rede pública de ensino que se junta a outros projetos culturais e sociais que são financiados diretamente pela diretoria executiva ou em conjunto com o restante do corpo acadêmico.

Importante que se registre que talvez essa falta de apoio seja justamente pelo tipo de atividade cultural e social que nós desenvolvemos que é totalmente contrário aos interesses do Poder Público. A bem da verdade, todos nós temos ciência que o Poder Político nem de longe quer ver o povo esclarecido. Faz parte da nossa cultura.

Aqui em Mossoró, berço da liberdade e da resistência, cidade reduto de muitos acontecimentos heroicos e históricos que repercutiram positivamente na vida nacional, têm atualmente um movimento muito organizado, forte, pujante e libertador. Estamos falando das atividades desenvolvidas pela ACJUS, AMOL, ICOP, AMARP, AFLAM, AMLC, ASCRIM, SBEC, Fundação Vingt-Un Rosado e tantas outras mais.

Por exemplo, no último dia 31/5/19, nós da ACJUS realizamos um grande evento, não só pelo prestígio da nossa entidade, mas também pelo gabarito dos elogiantes e dos elogiados.

O confrade JERÕINIMO DIX SEPT ROSADO MAIA SOBRINHO (cadeira 21) e FRANCI FRANCISCA DANTAS (cadeira 43), além da nossa vice-presidente acadêmica TANIAMA VEIRA DA SILVA BARRETO (cadeira 03) foram magníficos em suas orações protocolares, seja na apresentação com a confreira TANIAMA VIEIRA DA SILVA BARRETO, seja na exaltação aos patronos ANTONIO GONZAGA CHIMBINHO e MARIA NATÁLIA BEZERRA DA COSTA, preclaras personalidades mossoroenses que edificaram as suas trajetórias em terreno sólido que até hoje produz bons frutos.

Então, alicerçada nos exemplos contados na última sessão, a nossa diretoria tem o prazer de convidar não só o corpo acadêmico, mas a sociedade mossoroense e potiguar a comparecer a nossa próxima sessão que será realizada no dia 28/06/19 -, a partir das 19h – no auditório América Rosado, da Biblioteca Pública Municipal Ney Pontes Duarte, Praça da Redenção, Centro de Mossoró-RN, quando os acadêmicos KATIA CILENE DA SILVA (cadeira 44) e EVERKLEY MAGNO FREIRE TAVARES (cadeira 45), estarão proferindo apologia aos patronos das cadeiras 44 e 45 da ACJUS, no caso, IVONETE PEREIRA DE PAULA BARROS e AMÉRICA FERNANDES ROSADO MAIA.

Na sessão em destaque, teremos lançamento de livros, exposição fotográfica, música e outras atividades artísticas e literárias.

Lembramos que a entrada é franca e ao final dos trabalhos, os acadêmicos elogiantes, estarão oferecendo um coquetel aos presentes.

 

POEMAS – CLÁSSICOS DAS POESIAS

POEMA 1

 

Canção de Outono (Cecília Meireles)

Eita, Nordeste da peste, Mesmo com toda seca, Abandono e solidão, Talvez pouca gente perceba Que teu mapa aproximado Tem forma de coração. E se dizem que temos pobreza E atribuem à natureza, Contra isso,eu digo não. Na verdade temos fartura Do petróleo ao algodão. Isso prova que temos riqueza Embaixo e em cima do chão. Procure por aí a fora “Cabra” que acorda antes da aurora E da enxada lança mão. Procure mulher com dez filhos Que quando a palma não alimenta Bebem leite de jumenta E nenhum dá pra ladrão Procure por aí a fora Quem melhor que a gente canta, Quem melhor que a gente dança Xote, xaxado e baião. Procure no mundo uma cidade Com a beleza e a claridade Do luar do meu sertão.

 

POEMA 2  

Brisa (Manuel Bandeira)

Vamos viver no Nordeste, Anarina.
Deixarei aqui meus amigos, meus livros, minhas riquezas, minha vergonha.

Deixaras aqui tua filha, tua avó, teu marido, teu amante.

Aqui faz muito calor.

No Nordeste faz calor também.

Mas lá tem brisa:

Vamos viver de brisa, Anarina.

 

POLÍTICA MUNDIAL…

 

foto 06 (12)

 

“Se o Irã quer brigar, esse será o fim oficial do Irã”, diz Donald Trump Declaração foi resposta ao chefe militar iraniano.

O regente americano, Donald Trump, volt e meia ameaça o Irã. A tensão entre os dois países tem aumentado cada vez mais e colocado os países do Oriente Médio em alerta.

Respondendo novas provocações, Trump escreveu: “Se o Irã quer brigar, esse será o fim oficial do Irã”.

Ele se refere à declaração do chefe dos Guardiões da Revolução, Hossein Salaim, que disse em uma transmissão na TV que o governo iraniano não tem medo dos EUA.

Nós não buscamos guerra, mas também não a tememos. Esta é a diferença em relação a eles (americanos), que têm medo da guerra e não têm vontade para ela”.

Segundo a imprensa internacional, temendo um ataque em suas bases militares no Oriente Médio, os EUA enviaram um navio de assalto anfíbio USS Arlington, mísseis Patriot e o porta-aviões USS Abraham Lincoln ao golfo Pérsico. (Fonte: Folha gospel)

PENSAMENTO VI

“As mais lindas palavras de amor são ditas no silêncio de um olhar”. (Leonardo da Vinci)

 

LANÇAMENTOS…

 

 foto 07.1

 

 

foto 07 (10)

 

SBEC ELEGERÁ SUA NOVA DIRETORIA EXECUTIVA      

 

foto 08 (8)                                                 

O Presidente da Sociedade Brasileira de Estudos do Cangaço-SBEC, Professor Benedito Vasconcelos Mendes nomeou hoje, dia 9 de abril de 2019, os confrades Ângelo Osmiro Barreto e Aderbal Simões Nogueira para Presidente e Vice-presidente, respectivamente, da Comissão Eleitoral, para organizar as eleições para o preenchimento dos cargos da Diretoria Executiva e do Conselho Fiscal da SBEC, para o biênio 2019 – 2021. A eleição está prevista para ocorrer no dia 13 de junho, data em que a instituição completa 26 anos de fundação. A posse dos novos membros da Diretoria Executiva je do Conselho Fiscal ocorrerá em Mossoró-RN, no próximo dia 31 de agosto do ano em curso, por ocasião da realização da XVI Jornada Cultural do Museu do Sertão. A eleição será realizada pela internet.

 

PARA PENSAR E REPENSAR

“Nunca deixe de pensar nisso. Reflita sobre tudo o que a vida tem a lhe oferecer, sobre todas as oportunidades que já lhe foram concedidas, sobre o mundo em geral. Nunca deixe de refletir! ”

 

 

ACONTECEU …SARAU AMARP

 

foto 09.1

foto 09.2

foto 09.4

foto 09.3

 

 

Com uma diversidade de artistas e autores, a AMARP promove seu sarau em Mossoró.

 

PENSAMENTO VII

“Observei…observei… e notei que há ainda um sopro de bondade no mundo”. (Escritor: Ricardo Alfredo)

 

A ESPERANÇA….

Leia com muita atenção… pois nessa canção Exodus, do Quarteto Adoração, nos mostra a verdadeira esperança de uma alma que busca refúgio e refrigério em Deus.

Eu vou pisar o chão que Deus me deu
A terra que em sonho vi
O sol e o amanhecer
Mostrou-me um vale em flor
E foi tudo assim que Deus nos prometeu

Vem meu Senhor comigo caminhar
O vale escuro está Senhor
Vem dar-me a Tua mão
Guiar-me até o fim
Conduzir-me além do céu
Meu lar de amor

No céu eu vou morar
Se Deus quiser
Eu sigo sem chorar
Pois afinal vou ter meu lar

O SONHO DE HUMANIDADE…

O Último Discurso

Sinto muito, mas não pretendo ser um imperador. Não é esse o meu ofício. Não pretendo governar ou conquistar quem quer que seja. Gostaria de ajudar – se possível – judeus, o gentio … negros … brancos.

Todos nós desejamos ajudar uns aos outros. Os seres humanos são assim. Desejamos viver para a felicidade do próximo – não para o seu infortúnio. Por que havemos de odiar ou desprezar uns aos outros? Neste mundo há espaço para todos. A terra, que é boa e rica, pode prover todas as nossas necessidades.
O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém nos extraviamos.

A cobiça envenenou a alma do homem … levantou no mundo as muralhas do ódio … e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e os morticínios.

Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria. Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis.

Pensamos em demasia e sentimos bem pouco. Mais do que máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas duas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido.

A aviação e o rádio aproximaram-se muito mais. A próxima natureza dessas coisas é um apelo eloquente à bondade do homem … um apelo à fraternidade universal … à união de todos nós. Neste mesmo instante a minha voz chega a milhões de pessoas pelo mundo afora … milhões de desesperados, homens, mulheres, criancinhas … vítimas de um sistema que tortura seres humanos e encarcera inocentes. Aos que me podem ouvir eu digo: “Não desespereis!” A desgraça que tem caído sobre nós não é mais do que o produto da cobiça em agonia … da amargura de homens que temem o avanço do progresso humano. Os homens que odeiam desaparecerão, os ditadores sucumbem e o poder que do povo arrebataram há de retornar ao povo. E assim, enquanto morrem os homens, a liberdade nunca perecerá.

Soldados! Não vos entregueis a esses brutais … que vos desprezam … que vos escravizam … que arregimentam as vossas vidas … que ditam os vossos atos, as vossas ideias e os vossos sentimentos! Que vos fazem marchar no mesmo passo, que vos submetem a uma alimentação regrada, que vos tratam como um gado humano e que vos utilizam como carne para canhão! Não sois máquina!
Homens é que sois! E com o amor da humanidade em vossas almas! Não odieis! Só odeiam os que não se fazem amar … os que não se fazem amar e os inumanos.

Soldados! Não batalheis pela escravidão! lutai pela liberdade! No décimo sétimo capítulo de São Lucas é escrito que o Reino de Deus está dentro do homem – não de um só homem ou um grupo de homens, mas dos homens todos! Estás em vós! Vós, o povo, tendes o poder – o poder de criar máquinas. O poder de criar felicidade! Vós, o povo, tendes o poder de tornar esta vida livre e bela … de fazê-la uma aventura maravilhosa. Portanto – em nome da democracia – usemos desse poder, unamo-nos todos nós. Lutemos por um mundo novo … um mundo bom que a todos assegure o ensejo de trabalho, que dê futuro à mocidade e segurança à velhice.

É pela promessa de tais coisas que desalmados têm subido ao poder. Mas, só mistificam! Não cumprem o que prometem. Jamais o cumprirão! Os ditadores liberam-se, porém escravizam o povo. Lutemos agora para libertar o mundo, abater as fronteiras nacionais, dar fim à ganância, ao ódio e à prepotência. Lutemos por um mundo de razão, um mundo em que a ciência e o progresso conduzam à ventura de todos nós. Soldados, em nome da democracia, unamo-nos.

Hannah, estás me ouvindo? Onde te encontres, levanta os olhos! Vês, Hannah? O sol vai rompendo as nuvens que se dispersam! Estamos saindo da treva para a luz! Vamos entrando num mundo novo – um mundo melhor, em que os homens estarão acima da cobiça, do ódio e da brutalidade. Ergues os olhos, Hannah! A alma do homem ganhou asas e afinal começa a voar. Voa para o arco-íris, para a luz da esperança. Ergue os olhos, Hannah! Ergue os olhos. (Charles Chaplin)

OS MESTRES DA CULTURA MOSSOROENSE

 

foto 10.1

Dr. Elder Heronildes

 

 

 foto 10.2

Dr. Benedito Vasconcelos Mendes

 

foto 10.3

Pe e eólogo: Sátiro

 

foto 10.4

Teólogo Dr.: Ricardo Alfredo

foto 10.5

Dr. Wellington Barreto

 

foto 10.6

Dr. Antônio Clóvis

 

 foto 10.7

Dr. Taniamá

 

 foto 10.8

Dr. Paulo Lopo Saraiva

 

foto 10.9

Geraldo Maia

 

 

foto 10.10

Escritor: Clauder Arcanjo

 

 

Projeto Reconstruindo Sonhos – Culto de Ação de Graças pela entrega da segunda casa em Assú

 

foto 11.1

 

foto 11.2

 

Um dos responsáveis pelo projeto “Reconstruindo Sonhos”, Dorielson Soares convida toda a população para um culto de ação de graça que entregará uma casa novinha a agricultora Maria de Fátima, da comunidade de Morada Nova, zona rural de Assú.

Ela morava com o companheiro numa casa de taipá, e sua casa foi demolida e construída totalmente de alvenaria. (grifo nosso: a igreja aprendendo a ser Igreja.) (Fonte: cleitonalbino.com)

DATA DOS CULTOS DE POSSES DOS NOVOS OBREIROS DA IEADERN

Pastor Francisco Coriolando será empossado dia (19), de Junho na AD em Baraúna – Campo Eclesiástico da IEADERN de Mossoró.

Pastor Antônio Oliveira será empossado dia (22), de Junho na AD em Apodi – Campo Eclesiástico da IEADERN de Mossoró.

Pastor Jaime Mariano será empossado dia (24), de Junho na AD em Passa e Fica – Campo Eclesiástico de Nova Cruz.

Pastor Bruno Rodrigues será empossado, dia (27), de Junho na AD em Tangará – (Tangará é Supervisão de Campo Eclesiástico. (Fonte: cleitonalbino.com)

REFLEXÃO

 

Salmos 4 Estudo: Dormindo em Paz

No Salmos 4, o salmista Davi deseja doutrina a partir de suas experiências nos ensinar a ter paz consigo e com Deus. O objetivo é mostrar que Deus ouve seu povo. O salmista busca dar um destaque para vida do piedoso, a palavra no hebraico é chaciyd que significa: fiel, bondoso, santo, devoto.

Outro ponto importante neste salmo, é que dentro da ideia de piedade o salmista introduz a ideia do amor as coisas de Deus na terra como parte de uma relação de amor com Deus.

A palavra hebraica chaciyd percorre todo o texto, mostrado que o próprio Deus escolhe pessoas de bom coração, aqueles que são piedosos, Deus os escuta. Na mesma sequência o salmista orienta a todos que o caminho do sacrifício é agradar a Deus.

O salmista analisa os dias de insegurança, dor e medo, a Palavra de Deus nos mostra que é possível viver em paz e desfrutar de uma vida tranquila em Deus.

 

Esboço de Salmos 4:

4.1-2: Responde Senhor

4.3-4: O Senhor escolheu o piedoso

4.5 – 8: Dormindo em paz

 

Salmos 4.1-2: Responde-me Senhor

1 Responde-me quando clamo, ó Deus que me fazes justiça! Dá-me alívio da minha angústia; tem misericórdia de mim e ouve a minha oração.

2 Até quando vocês, ó poderosos, ultrajarão a minha honra? Até quando estarão amando ilusões e buscando mentiras? Pausa

 

Salmos 4.3-4: O Senhor escolheu o piedoso

3 Saibam que o Senhor escolheu o piedoso; o Senhor ouvirá quando eu o invocar.

4 Quando vocês ficarem irados, não pequem; ao deitar-se reflitam nisso, e aquietem-se. Pausa

 

Salmos 4.5 – 8: Adormeço em paz

5 Ofereçam sacrifícios como Deus exige e confiem no Senhor.

6 Muitos perguntam: “Quem nos fará desfrutar o bem?” Faze, ó Senhor, resplandecer sobre nós a luz do teu rosto!

7 Encheste o meu coração de alegria, alegria maior do que a daqueles que têm fartura de trigo e de vinho.

8 Em paz me deito e logo adormeço, pois só tu, Senhor, me fazes viver em segurança.

 

Reflexões Teológicas – Ricardo Alfredo

SENTIMENTO                                    

Ao olhar dentro de mim, cheguei a seguinte conclusão: A dura caminhada da vida, nos ensinou a saber quando devemos dizer adeus a quem amamos. Todavia, também nos ensina a não os tirar do coração. (Escritor: Ricardo Alfredo)

 

PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO – LEI Nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 (orientação básica)

A Lei nº 9.394 de 20 de dezembro de 1996. É um marco que estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional. A educação básica tem por finalidades desenvolver o discente, ao mesmo tempo que assegura a formação comum indispensável para o exercício da cidadania e fornecendo-lhe meios para avançar no trabalho e em estudos posteriores. A LDB, (Lei de Diretrizes e Bases da Educação) é a mais importante lei brasileira que se refere à educação. Esta lei foi aprovada em dezembro de 1996 com o número 9394/96.


Os Docentes, e suas competências
Art. 13. Os docentes incumbir-se-ão de:

I – Participar da elaboração da proposta pedagógica do estabelecimento de ensino;
II – Elaborar e cumprir plano de trabalho, segundo a proposta pedagógica do estabelecimento de ensino;

III – Zelar pela aprendizagem dos alunos;

IV – Estabelecer estratégias de recuperação para os alunos de menor rendimento;
V – Ministrar os dias letivos e horas-aula estabelecidos, além de participar integralmente dos períodos dedicados ao planejamento, à avaliação e ao desenvolvimento profissional;

VI – Colaborar com as atividades de articulação da escola com as famílias e a comunidade.

A Formação, e seus fundamentos

Art. 61. A formação de profissionais da educação, de modo a atender aos objetivos dos diferentes níveis e modalidades de ensino e às características de cada fase do desenvolvimento do educando, terá como fundamentos:

I – A associação entre teorias e práticas, inclusive mediante a capacitação em serviço;

II – Aproveitamento da formação e experiências anteriores em instituições de ensino e outras atividades.

 
A Formação de Docentes, e sua relação com a educação básica

Art. 62. A formação de docentes para atuar na educação básica far-se-á em nível superior, em curso de licenciatura, de graduação plena, em universidades e institutos superiores de educação, admitida, como formação mínima para o exercício do magistério na educação infantil e nas quatro primeiras séries do ensino fundamental, a oferecida em nível médio, na modalidade Normal.

Art. 63. Os institutos superiores de educação manterão:

I – Cursos formadores de profissionais para a educação básica, inclusive o curso normal superior, destinado à formação de docentes para a educação infantil e para as primeiras séries do ensino fundamental;

II – Programas de formação pedagógica para portadores de diplomas de educação superior que queiram se dedicar à educação básica;

III – Programas de educação continuada para os profissionais de educação dos diversos níveis.

Art. 65. A formação docente, exceto para a educação superior, incluirá prática de ensino de, no mínimo, trezentas horas.

 

A Formação de Especialistas na docência.

Art. 64. A formação de profissionais de educação para administração, planejamento, inspeção, supervisão e orientação educacional para a educação básica, será feita em cursos de graduação em pedagogia ou em nível de pós-graduação, a critério da instituição de ensino, garantida, nesta formação, a base comum nacional.
Magistério Superior, mestre e doutorado

Art. 66. A preparação para o exercício do magistério superior far-se-á em nível de pós-graduação, prioritariamente em programas de mestrado e doutorado.
Notório Saber, reconhecimento e sua aplicação

Art. 66……………………………………………

Parágrafo único. O notório saber, reconhecido por universidade com curso de doutorado em área afim, poderá suprir a exigência de título acadêmico.

 

Valorização dos Profissionais, seus direitos

Art. 67. Os sistemas de ensino promoverão a valorização dos profissionais da educação, assegurando-lhes, inclusive nos termos dos estatutos e dos planos de carreira do magistério público:

I – Ingresso exclusivamente por concurso público de provas e títulos;

II – Aperfeiçoamento profissional continuado, inclusive com licenciamento periódico remunerado para esse fim;

III – piso salarial profissional;

IV – Progressão funcional baseada na titulação ou habilitação, e na avaliação do desempenho;

V – Período reservado a estudos, planejamento e avaliação, incluído na carga de trabalho;

VI – condições adequadas de trabalho.
Experiência Docente, pré-requisito

Art. 67……………………………………………

  • 1º A experiência docente é pré-requisito para o exercício profissional de quaisquer outras funções de magistério, nos termos das normas de cada sistema de ensino. (Renumerado pela Lei nº 11.301, de 2006)

 

Concurso Público, exigência

Art. 85. Qualquer cidadão habilitado com a titulação própria poderá exigir a abertura de concurso público de provas e títulos para cargo de docente de instituição pública de ensino que estiver sendo ocupado por professor não concursado, por mais de seis anos, ressalvados os direitos assegurados pelos arts. 41 da Constituição Federal e 19 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias.
Formação de Professores, nível superior, prazo

Art. 87……………………………………………

  • 4º Até o fim da Década da Educação somente serão admitidos professores habilitados em nível superior ou formados por treinamento em serviço.

 

Programas Especiais de Formação Pedagógica,

RESOLUÇÃO CNE/CP Nº 2, DE 26 DE JUNHO DE 1997

Dispõe sobre os programas especiais de formação pedagógica de docentes para as disciplinas do currículo do ensino fundamental, do ensino médio e da educação profissional em nível médio.
O Presidente do Conselho Nacional de Educação, tendo em vista o disposto nos artigos 13 e 19 do Regimento e no Parecer nº 4/97, homologado pelo Senhor Ministro de Estado da Educação e do Desporto em 16/6/97,
RESOLVE:
Artigo 1º – A formação de docentes no nível superior para as disciplinas que integram as quatro séries finais do ensino fundamental, o ensino médio e a educação profissional em nível médio, será feita em cursos regulares de licenciatura, em cursos regulares para portadores de diplomas de educação superior e, bem assim, em programas especiais de formação pedagógica estabelecidos por esta Resolução.

Parágrafo único – Estes programas destinam-se a suprir a falta nas escolas de professores habilitados, em determinadas disciplinas e localidades, em caráter especial.

Artigo 2º – O programa especial a que se refere o artigo 1º é destinado a portadores de diploma de nível superior, em cursos relacionados à habilitação pretendida, que ofereçam sólida base de conhecimentos na área de estudos ligada a essa habilitação.

Parágrafo único – A instituição que oferecer o programa especial se encarregará de verificar a compatibilidade entre a formação do candidato e a disciplina para a qual pretende habilitar-se.

Artigo 3º – Visando a assegurar um tratamento amplo e a incentivar a integração de conhecimentos e habilidades necessários à formação de professores, os programas especiais deverão respeitar uma estruturação curricular articulada nos seguintes núcleos:

  1. a) NÚCLEO CONTEXTUAL, visando à compreensão do processo de ensino-aprendizagem referido à prática da escola, considerando tanto as relações que se passam no seu interior, com seus participantes, quanto as suas relações, como instituição, com o contexto imediato e o contexto geral onde está inserida.
  2. b) NÚCLEO ESTRUTURAL, abordando conteúdos curriculares, sua organização sequencial, avaliação e integração com outras disciplinas, os métodos adequados ao desenvolvimento do conhecimento em pauta, bem como sua adequação ao processo de ensino-aprendizagem.
  3. c) NÚCLEO INTEGRADOR, centrado nos problemas concretos enfrentados pelos alunos na prática de ensino, com vistas ao planejamento e reorganização do trabalho escolar, discutidos a partir de diferentes perspectivas teóricas, por meio de projetos multidisciplinares, com a participação articulada dos professores das várias disciplinas do curso.

Artigo 4º – O programa se desenvolverá em, pelo menos, 540 horas, incluindo a parte teórica e prática, está com duração mínima de 300 horas.

  • 1º – Deverá ser garantida estreita e concomitante relação entre teoria e prática, ambas fornecendo elementos básicos para o desenvolvimento dos conhecimentos e habilidades necessários à docência, vedada a oferta da parte prática exclusivamente ao final do programa.
  • 2º – Será concedida ênfase à metodologia de ensino especifica da habilitação pretendida, que orientará a parte prática do programa e a posterior sistematização de seus resultados.

Artigo 5º – A parte prática do programa deverá ser desenvolvida em instituições de ensino básico envolvendo não apenas a preparação e o trabalho em sala de aula e sua avaliação, mas todas as atividades próprias da vida da escola, incluindo o planejamento pedagógico, administrativo e financeiro, as reuniões pedagógicas, os eventos com participação da comunidade escolar e a avaliação da aprendizagem, assim como de toda a realidade da escola.

Parágrafo único – Os participantes do programa que estejam ministrando aulas da disciplina, para a qual pretendam habilitar-se, poderão incorporar o trabalho em realização como capacitação em serviço, desde que esta prática se integre dentro do plano curricular do programa e sob a supervisão prevista no artigo subsequente.

Artigo 6º – A supervisão da parte prática do programa deve ser de responsabilidade da instituição que o ministra.

Artigo 7º – O programa a que se refere esta Resolução poderá ser oferecido independentemente de autorização prévia, por universidades e por instituições de ensino superior que ministrem cursos reconhecidos de licenciatura nas disciplinas pretendidas, em articulação com estabelecimentos de ensino fundamental, médio e profissional onde terá lugar o desenvolvimento da parte prática do programa.

  • 1º – Outras instituições de ensino superior que pretendam oferecer, pela primeira vez, programa especial nos termos desta Portaria deverão proceder à solicitação da autorização ao MEC, para posterior análise do CNE, garantida a comprovação, dentre outras, de corpo docente qualificado.
  • 2º – Em qualquer caso, no prazo máximo de 3 (três) anos, estarão todas as instituições obrigadas a submeter ao Conselho Nacional de Educação processo de reconhecimento dos programas especiais, que vierem a oferecer, de cujo resultado dependerá a continuidade dos mesmos.

Artigo 8º – A parte teórica do programa poderá ser oferecida utilizando metodologia semi-presencial, na modalidade de ensino a distância, sem redução da carga horária prevista no artigo 4º, sendo exigido o credenciamento prévio da instituição de ensino superior pelo Conselho Nacional de Educação, nos termos do artigo 80 da Lei 9.394 de 20 de dezembro de 1996.

Artigo 9º – As instituições de ensino superior que estiverem oferecendo os cursos regulamentados pela Portaria nº 432, de 19 de julho de 1971, deverão suspender o ingresso de novos alunos, podendo substituir tais cursos pelo programa especial estabelecido nessa Portaria, caso se enquadrem nas exigências estipuladas pelo artigo 7º e seus parágrafos.

Artigo 10 – O concluinte do programa especial receberá certificado e registro profissional equivalentes à licenciatura plena.

Artigo 11 – As instituições de ensino superior deverão manter permanente acompanhamento e avaliação do programa especial por elas oferecido, integrado ao seu projeto pedagógico.

Parágrafo único – No prazo de cinco anos o CNE procederá à avaliação do estabelecido na presente resolução.

 Artigo 12 – Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, ficando revogadas as disposições em contrário.

 

DAS MAIS BELA CANÇÕES DE PENINHA…

Nesta canção, peninha expressa sentimentos como: silêncio, ilusão carinho, solidão, tristeza, sonho, conduta, charme, enganar e vivendo. Dia a dia esses sentimentos percorrem a cabeça de todos, os apaixonados. Só é bom lembrar que a paixão retira a razão, e sem razão, o homem não é nada. Reflitamos a canção.

Jogo Sujo (Peninha)

Ela entrou no meu silêncio
E foi plantando em mim uma ilusão
Me amou como se fosse minha
E a coisa foi virando obsessão
Eu precisava de carinho
E ela percebeu a minha solidão
E foi chegando de mansinho
E aos poucos me guardou em suas mãos
Deixou o meu sorriso triste
E fez bagunça no meu coração
Descontrolou minha conduta
Jogou silêncio no meu violão
Me fez passar noites sonhando
Com coisas que ela não tem pra me dar
Jogou seu charme inteirinho
Foi fácil conseguir me cativar
Foi fácil conseguir me enganar
E lá vou eu de novo vivendo na solidão
Nesse seu jogo sujo eu disse não
Não, ooooh!

 

CONCURSO LITERÁRIO COLEÇÃO 70

Fundada em 1995, a Fundação Vingt-un Rosado – FVR, em homenagem aos setenta anos da Coleção Mossoroense – CM, torna público o Edital no 01/2019, referente ao Concurso Literário e convida a todos para participar deste momento festivo da cultura mossoroense, valorizando assim, a própria Coleção Mossoroense.
Segue, abaixo, o regulamento
REGULAMENTO:
1 – Os candidatos podem concorrer com 01 (hum) texto de conto e/ou 01 (hum) texto de crônicas e/ou 01 (hum) de poesia e/ou 01 trabalho jornalístico.

2 –  Os textos deverão ser originais e inéditos, isto é, nunca terem sido anteriormente publicados em jornal, revista ou livro, ou mesmo veiculados pela Internet ou quaisquer outros meios de comunicação.

3 –  Os trabalhos deverão ser inscritos em português, com tema “Coleção Mossoroense, 70 anos”, digitados em papel A4, em uma só face do papel, enviados em 8 (oito) vias.

3.1 – Só poderão concorrer autores norte-rio-grandenses, que residam em território do Rio Grande do Norte.

4 –  Os contos e crônicas terão limite máximo de 15 (quinze) páginas e as poesias em no máximo (quatro) páginas, em letra 12, fonte Arial, espaço 1.5c;

5 – Cada texto deverá ser identificado apenas pelo título e pseudônimo, não podendo constar, de nenhuma forma, algo que identifique o seu autor;

6 – Os textos de conto, crônica e de poesia deverão estar contidos em um só envelope e com um mesmo pseudônimo, além de uma cópia em CD;

6.1 – Este envelope será acompanhado por um outro menor, lacrado, que terá na parte externa a indicação “ Concurso Literário Coleção 70”, título do trabalho e o pseudônimo do autor e contato para a comunicação com a organização;

6.2 Os trabalhos serão avaliados por uma Comissão Julgadora, composta por pessoas com amplo conhecimento, experiência e saber em literatura.

6.3. A Comissão Julgadora será composta de 5 (cinco) membros. Ela será escolhida pelo presidente da Fundação Vingt-um Rosado, podendo ser membros da própria Fundação Vingt-un Rosado;

6.4 – Esta Comissão Julgadora terá plena e total autonomia na apreciação e julgamento dos textos apresentados, que deverão ser regidos pelos princípios de originalidade, técnica e arte literária;

6.5 – A decisão da Comissão Julgadora terá caráter irrevogável;

7 – Serão premiados os 3 (três) (primeiro, segundo e terceiro lugares) melhores trabalhos, em cada categoria, recebendo os vencedores, os seguintes prêmios:

1º lugar: Conto –  25 exemplares da coletânea;

1º lugar: Crônica – 25 exemplares da coletânea;

1º lugar: Poesia – 25 exemplares da coletânea;

1º lugar: Texto jornalístico – 25 exemplares da coletânea;

2º lugar: Conto –  15 exemplares da coletânea;

2º Lugar: Crônica – 15 exemplares da coletânea;

2º Lugar: Poesia – 15 exemplares da coletânea;

2º Lugar: Texto jornalístico – 15 exemplares da coletânea;

3º lugar: Conto –  10 exemplares da coletânea;

3º lugar: Crônica – 10 exemplares da coletânea;

3º lugar: Poesia – 10 exemplares da coletânea;

3º lugar: Texto jornalístico – 10 exemplares da coletânea;

7.2 – Menções honrosas:

7.2.1 – Além dos 3 (três) primeiros lugares, haverá 5 (cinco) menções honrosas, que receberão os certificados;

7.2.2 – Os trabalhos ganhadores serão publicados pela Coleção Mossoroense, em formato de coletânea no seu quinto milésimo título;

7.2.3 – Cada ganhador e os que foram agraciados com menções honrosas, receberão, respectivamente, conforme sua classificação, constando no item 7;

7.2.4 – Os concorrentes, ao se inscreverem no concurso, cedem todos os direitos autorais de veiculação e divulgação dos respectivos textos à Fundação Vingt-un Rosado;

7.2.5 – É vedada a participação dos membros da Fundação Vingt-un Rosado, como concorrentes;

8 – Os trabalhos serão entregues, diretamente, ou enviados pelos Correios, para a Fundação Vingt-un Rosado, localizada na sede da Biblioteca Ney Pontes Duarte, Praça da Redenção, no 17 – Centro – Mossoró/RN, 59600-065.

8.1 – Quando enviados, serão validados apenas os trabalhos contendo carimbo dos correios, até 05/07/2019 (cinco de julho de dois mil e dezenove);

8.2 – A comunicação dos resultados do concurso será feita no final de julho e a premiação posteriormente, durante a realização da Noite da Cultura que será realizada num grande momento festivo no mês de setembro.
Mossoró/RN, 18 de maio de 2019.

Jerônimo Dix-sept Rosado Maia Sobrinho

Presidente da Fundação Vingt-un Rosado

 

ACADEMIA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS DE MOSSORÓ-RN

 

foto 01 (1)

 

 

PENSAMENTO I

O homem sábio / rejeita o excesso / rejeita a prodigalidade / rejeita a grandeza. (Lao-Tsé)

 

CONVITE ACJUS – (Academia de Ciências Jurídicas e Sócias de Mossoró).

 

foto 02 (1)

 

 

RÁPIDAS DA SEMANA

1- Zélia Duncan se manifesta a favor da tributação de dízimos e ofertas e recebe críticas;

2- Bandidos invadem igreja e assaltam fiéis durante culto: “Eles foram muito ousados”;

3- Globo exibe beijo gay após STF formar maioria para criminalizar homofobia

4- CGADB realiza 1º Simpósio de Mídia

5- Morre Isa Moysés, fundadora do ministério Voz da Verdade

PENSAMENTO II

“O homem inteligente aprende com seus próprios sofrimentos; O homem sábio aprende com os sofrimentos alheios”. (Platão)

foto 03 (1)

 

PENSAMENTO III

“O amor é a sabedoria dos loucos e a loucura dos sábios”. (Samuel Johnson)

LIÇÕES:

Perguntei a um sábio,
a diferença que havia
entre amor e amizade,
ele me disse essa verdade…
O Amor é mais sensível,
a Amizade mais segura.
O Amor nos dá asas,
a Amizade o chão.
No Amor há mais carinho,
na Amizade compreensão.
O Amor é plantado
e com carinho cultivado,
a Amizade vem faceira,
e com troca de alegria e tristeza,
torna-se uma grande e querida
companheira.
Mas quando o Amor é sincero
ele vem com um grande amigo,
e quando a Amizade é concreta,
ela é cheia de amor e carinho.
Quando se tem um amigo
ou uma grande paixão,
ambos sentimentos coexistem
dentro do seu coração. (Desconhecido)

PENSAMENTO IV

“Creio no riso e nas lágrimas como antídotos contra o ódio e o terror”. (Charles Chaplin)

CONVITE – SESSÃO DE ELOGIO DA ACJUS

 

foto 04 (1)

POEMAS – CLÁSSICOS DAS POESIAS

POEMA 1

“Aquele que conhece os outros é sábio.
Aquele que conhece a si mesmo é iluminado.

Aquele que vence os outros é forte.
Aquele que vence a si mesmo é poderoso.

Aquele que conhece a alegria é rico.
Aquele que conserva o seu caminho tem vontade.

Seja humilde, e permanecerás íntegro.
Curva-te, e permanecerás ereto.

Esvazia-te, e permanecerás repleto.
Gasta-te, e permanecerás novo.”

O sábio não se exibe, e por isso brilha.
O sábio não se faz notar, e por isso é notado.

O sábio não se elogia, e por isso tem mérito.
E, porque não está competindo,
ninguém no mundo pode competir com ele.” (Lao-Tsé)

 

 POEMA 2  

Exaltação ao Nordeste
Eita,Nordeste da peste,
Mesmo com toda sêca
Abandono e solidão,
Talvez pouca gente perceba
Que teu mapa aproximado
Tem forma de coração.
E se dizem que temos pobreza
E atribuem à natureza,
Contra isso,eu digo não.
Na verdade temos fartura
Do petróleo ao algodão.
Isso prova que temos riqueza
Embaixo e em cima do chão.
Procure por aí a fora
“Cabra” que acorda antes da aurora
E da enxada lança mão.
Procure mulher com dez filhos
Que quando a palma não alimenta
Bebem leite de jumenta
E nenhum dá pra ladrão
Procure por aí a fora
Quem melhor que a gente canta,
Quem melhor que a gente dança
Xote,xaxado e baião.
Procure no mundo uma cidade
Com a beleza e a claridade
Do luar do meu sertão. (Luiz Gonzaga de Moura)

 

 POEMA 3

Se eu conversasse com Deus
Iria lhe perguntar:
Por que é que sofremos tanto
Quando viemos pra cá?
Que dívida é essa
Que a gente tem que morrer pra pagar?

Perguntaria também
Como é que ele é feito
Que não dorme, que não come
E assim vive satisfeito.
Por que foi que ele não fez
A gente do mesmo jeito?

Por que existem uns felizes
E outros que sofrem tanto?
Nascemos do mesmo jeito,
Moramos no mesmo canto.
Quem foi temperar o choro
E acabou salgando o pranto? (Leandro Gomes de Barros)
PENSAMENTO VI

“O homem sábio é aquele que não se entristece com as coisas que não tem, mas rejubila com as que tem”. (Epicteto)

 

aconteceu…

 foto 05 (1)

 

AUTORES Mossoroense

 

foto 06 (1)

 

LIÇÕES DE VIDA…

Seja Feliz Sempre

Ame, como se ninguém nunca houvesse feito você sofrer. Trabalhe, como se não precisasse do dinheiro. Dance, como se ninguém estivesse olhando. Cante, como se ninguém estivesse ouvindo. Viva, como se fosse no paraíso!

Curta o que de melhor a vida lhe oferece com toda intensidade, como se fosse o último dia da sua vida. A vida muitas vezes é curta, mas mesmo assim seu caminho é longo. Nela aprendemos a sorrir, chorar, amar, sofrer e a renascer para amanhecer e termos um lindo dia.

Não deixe para amanhã o que pode ser feito hoje; o ontem já passou e o amanhã talvez não chegue. Seja Feliz Sempre

 

SBEC ELEGERÁ SUA NOVA DIRETORIA EXECUTIVA                                                        

foto 07

 

O Presidente da Sociedade Brasileira de Estudos do Cangaço-SBEC, Professor Benedito Vasconcelos Mendes nomeou hoje, dia 9 de abril de 2019, os confrades Ângelo Osmiro Barreto e Aderbal Simões Nogueira para Presidente e Vice-presidente, respectivamente, da Comissão Eleitoral, para organizar as eleições para o preenchimento dos cargos da Diretoria Executiva e do Conselho Fiscal da SBEC, para o biênio 2019 – 2021. A eleição está prevista para ocorrer no dia 13 de junho, data em que a instituição completa 26 anos de fundação. A posse dos novos membros da Diretoria Executiva je do Conselho Fiscal ocorrerá em Mossoró-RN, no próximo dia 31 de agosto do ano em curso, por ocasião da realização da XVI Jornada Cultural do Museu do Sertão. A eleição será realizada pela internet.

 

PARA PENSAR E REPENSAR

“Nunca deixe de pensar nisso. Reflita sobre tudo o que a vida tem a lhe oferecer, sobre todas as oportunidades que já lhe foram concedidas, sobre o mundo em geral. Nunca deixe de refletir! ”

 

SARAU AMARP

Com uma diversidade de artistas e autores, a AMARP promove seu sarau em Mossoró.

 

foto 08

foto 09

foto 10

foto 11

 

 

 

PENSAMENTO VII

“A imaginação é mais importante que o conhecimento. Conhecimento auxilia por fora, mas só o amor socorre por dentro. Conhecimento vem, mas a sabedoria tarda”. (Albert Einstein)

REFLEXÃO

 

O autor do Salmo 3 é o Rei Davi, que ao deixar o seu palácio, fugindo do seu filho Absalão, que queria ser rei pela força e não pelo chamado de Deus. Uma grande multidão o seguia a Absalão, para matar o rei, seu pai, e usurpar-lhe o trono. Momentos difíceis na vida do servo de Deus, porém, ele declara sua confia no Senhor dos Exércitos.

E Assim, em grande angústia, o Rei Davi, deixa sua cidade amada por causa da rebelião de seu filho Absalão, Mas Confia em Deus

Salmo 3

Senhor, como se têm multiplicado os meus adversários! São muitos os que se levantam contra mim.

Muitos dizem da minha alma: Não há salvação para ele em Deus. (Selá.)

Porém tu, Senhor, és um escudo para mim, a minha glória, e o que exalta a minha cabeça.

Com a minha voz clamei ao Senhor, e ouviu-me desde o seu santo Monte. (Selá.)

Eu me deitei e dormi; acordei, porque o Senhor me sustentou.

Não temerei dez milhares de pessoas que se puseram contra mim e me cercam.

Levanta-te, Senhor; salva-me, Deus meu; pois feriste a todos os meus inimigos nos queixos; quebraste os dentes aos ímpios.

A salvação vem do Senhor; sobre o teu povo seja a tua bênção. (Selá.)

Estratégia para estudo Teológico. (para melhor entender este salmo é salutar a leitura do livro de 2 Samuel 15:1-18,30-32; 16:5-8,14)

Versículo 1 – Davi se espanta com o grande numeroso de adversários que desejam o seu mal.

Versículo 2 – Davi, busca em Deus força e confiança par seguir sua jornada

Versículo 3 – O rei Davi compreende que o seu escudo e fortaleza é o próprio Deus.

Versículo 4 – Em suas orações, Davi sabe que foi ouvido lá no Santo Monte.

Versículo 5 – diante de um grande número de inimigos, o rei Davi descansa em deus, confiando no Senhor.

Versículo 6 – O rei implora a Deus, pela sua proteção, e a punição dos seus inimigos.

Versículo 7 – Davi chega à conclusão: A salvação é do Senhor.

Reflexões teológica – Ricardo Alfredo

REFLETIR – MINHA ORAÇÃO          

Salmo 5

1.[Ao maestro do coro. Com flautas. Salmo de Davi.] 2. Escuta, SENHOR, as minhas palavras, atende a meu clamor; 3. fica atento à voz da minha prece, meu Rei e meu Deus. 4. § Pois a ti suplico, 4. SENHOR, já de manhã ouves a minha voz, bem cedo te invoco e fico esperando. 5. Pois não és um Deus que gosta da maldade; o mau não encontra em ti acolhida; 6. os insolentes não aguentam ficar na tua presença. 7. § Odeias todos os que fazem o mal, 7. destróis os que falam mentira; o SENHOR abomina quem derrama sangue ou comete fraude. 8. Eu, porém, confiado na tua grande piedade entro em tua casa, me prostro diante do teu santo templo no teu temor. 9. § SENHOR, guia-me na tua justiça, por causa dos meus inimigos aplaina à minha frente teu caminho. 10. Pois não existe na sua boca sinceridade, seu coração é perverso, sua garganta é um sepulcro aberto, usam a língua para adular. 11. Castiga-os, ó Deus! que fracassem seus planos, em razão de seus muitos crimes rejeita-os, já que se revoltam contra ti. 12. § Mas que se alegrem todos os que em ti se refugiam, exultem para sempre; Tu os proteges e em ti se rejubilem os que amam o teu nome. 13. Pois abençoas o justo, ó SENHOR; como um escudo o cobre tua bondade.

 

ESSA É UMA DAS MENTES QUE O NORDESTE PRODUZIU…

 

foto 01 (14)

 

JERÔNIMO VINGT-UN ROSADO MAIA

Nasceu no dia 25 de setembro de 1920, em Mossoró (RN). Vingt-un era casado com América Fernandes Rosado Maia (12 de março de 1922 + 21 de dezembro de 2009), nascendo desse enlace matrimonial, os seguintes filhos: Maria Lúcia Fernandes Rosado, Jerônimo Vingt-un Rosado Maia Júnior, Jerônimo Dix-sept Rosado Maia Sobrinho, Lúcia Helena Rosado da Escóssia, Isaura Ester Fernandes Rosado Rolim e Leila Rosado.

Era o filho mais novo do senhor Jerônimo Rosado e Isaura Rosado. Vingt-un como toda criança de uma boa família, recebeu também uma boa educação em todos os aspectos. Sua formação acadêmica se deu na Escola Superior de Agricultura de Lavras (MG), atual Universidade Federal de Lavras (MG), sob o registro de nº 3.409 (23/01/1945).

No aspecto político, candidatou-se a Prefeito de Mossoró no ano de 1968, não obtendo sucesso no pleito eleitoral; mas, no período de 1973 a 1977 assumiu o cargo de Vereador.

Cargos públicos, ele ocupou os seguintes: Tesoureiro do Centro Estudantil Mossoroense; Bibliotecário da Biblioteca Cônego Estevam Dantas; no Grêmio Literário Santa Luzia; Redator da Revista “O Agricultor”, na Escola Superior de Agricultura de Lavras (MG);Bibliotecário do Clube Ipiranga; Primeiro Secretário e Bibliotecário do Centro Acadêmico de Agronomia da Escola Superior de Agricultura de Lavras (MG); Secretário da Cooperativa de Crédito Mossoroense; Diretor-Presidente da Mossoró Sociedade Rádio Ltda; Vice-Presidente da Sociedade dos Amigos do Museu Nacional (1962-1963); Presidente do Instituto Brasileiro do Sal (1961-1964); Vice-Presidente da Sociedade Brasileira de Paleontologia (1965); Presidente da Sociedade Botânica do Brasil (1973-1974); Diretor-Gerente da Sociedade Anônima Jerônimo Rosado; Presidente do Conselho Deliberativo do Instituto Brasileiro do Sal (1961-1964); Diretor Responsável da “Brasil Salineiro” (1961-1964); Primeiro Secretário do Instituto Cultural do Oeste Potiguar; Presidente do Conselho Técnico-Administrativo da ESAM (1974-1978); Diretor da Escola Superior de Agricultura de Mossoró (1988-1990); Coordenador da Sociedade Brasileira de Malacologia/RN (1975-1977); Presidente da Fundação Guimarães Duque (1978-1991); Presidente do Conselho Técnico-Científico da Fundação Guimarães Duque (1978-1991).

Foi reconhecido como Professor Honoris Causa da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, (25/05/1981); Diploma de Amigo da Cultura pelo Conselho Estadual de Cultura do Ceará (03/03/1983); Professor Emérito da Escola Superior de Agricultura de Mossoró (18/07/1981); Paraninfo dos Contadores da Escola Técnica de Comércio União Caixeiral (1949); Honra ao Mérito: Turma de Engenheiros Agrônomos da ESAM (1971); Medalha do Mérito da Fundação Joaquim Nabuco de Pesquisas Sociais (1983); Medalha do Mérito Mossoroense (31/01/1083); Paraninfo Geral dos Concluintes de todos os cursos da Universidade Regional do Rio Grande do Norte (17/12/1983); Sessão de Homenagem do Instituto Histórico e Geográfico da Paraíba (1982); Diploma de Honra ao Mérito da Sociedade Recreativa dos Engenheiros Agrônomos de Mossoró (1985); Medalha Comemorativa do Cinquentenário da Academia Norte Rio-grandense de Letras (03/12/1986);Instituição das Sessões Magna Branca pela Loja Maçônica Jerônimo Rosado (a partir de 25/09/1990); Medalha “Alberto Maranhão”, pelo Conselho de Cultura do Rio Grande do Norte (1998); Comenda de Honra ao Mérito de Serviço Literário (14/09/1991); Mérito Centenário “Câmara Cascudo”, Prefeitura de Natal/RN (1998); Homenagem do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte aos 50 Anos da Coleção Mossoroense; Diploma de Honra ao Mérito concedida pela Loja Maçônica Jerônimo Rosado (25/09/1999); Presidente de Honra da Academia Norte Rio-grandense de Ciências (30/10/1992); Patrono da Turma de Formando da Escola Palas Atenas (2000); Patrono dos Formandos do Curso de Biblioteconomia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (17/05/2002); Comenda “Carlos Drummond de Andrade” pelo 1º Encontro Norte-Nordeste de Autores Literários (08,09/08/2003); entre muitas outras homenagens.

Com sua inteligência pulsante e com pioneirismo criou: Biblioteca Municipal Ney Pontes Duarte, Museu Histórico Municipal Lauro da Escóssia, Coleção Mossoroense, Academia Mossoroense de Letras (AMOL), entre outros.

Criou a Fundação Vingt-un Rosado, onde estão catalogadas todas as obras da Coleção Mossoroense, uma das maiores registradas em todo o Brasil.

Em junho de 2005, foi publicada uma plaquete de autoria do próprio Vingt-un, sob o título: A Coleção Mossoroense e sua História de 56 Anos de Teimosia, cujo número estava sob o registro de nº 2.711.

Na Fundação que tem o seu nome, foi ele o organizador de muitos trabalhos culturais e históricos, nos quais podemos citar: Os Silvícolas Brasileiros e o Preformismo (1949); Breve Notícia Sobre a Batalha da Cultura (1978); ESAL, ESAM (1992); Os quatro Grandes da História da ESAL (1992); Conversa Sobre a Bastilha (1995); Um Possível Caso de Telegonia Entre os Nossos Indígenas Mencionado por Anchieta (1949); Três Discursos (1953); Dez Temas de Genética (1956); Conversa Sobre a Paleontologia da Região de Mossoró (PMM/DDEC); Alguns Dados Genealógicos Sobre a Família Rosado (1958); Três Crônicas Sobre o 13 de Junho (1977); A Abolição, Festa da Inteligência (1965); Alguns Apontamentos Sobre Tibau (1980); Saudação ao Ministro João Alves Filho (1989); Discurso do Náutico (1990); Discurso de Brasília (1990); Visitando o Sertão (1991); Documentário Abolicionista (1991); A Hipótese do Deslizamento dos Continentes e o Museu Municipal de Mossoró (1991); Comentários ao Histórico da Exploração na Bacia Potiguar Imersa (1991); Mossoró no Cinquentenário da Academia Paraibana de Letras (1991); Discurso da União Caixeiral (1991); Carlota Joaquina de Paiva Maury (1991); Um Plano de Arborização da Cidade em 1977 (1991); João Ulrich Graf (1991); Três Discursos na Noite da Cultura (1992); Homenagem a Pedro Batista de Melo (1992); Mensagem a Dix-huit Rosado (1996); Nove Meses na Vida de Uma Fundação de Cultura (1996); Chegamos a Iracema nas Asas da Poesia (1998); Ao ICOP, o Nosso Muito Obrigado (1998); Luiz da Câmara Cascudo e Mossoró (1999); A História do Petróleo Potiguar, Antes e Depois de 1979 (2000);Os Problemas da Saúde na Intendência Jerônimo Rosado (2000); Lembranças de Dix-sept (2001); As Histórias de Mossoró (2001); O Meu Encontro Com o Motim das Mulheres (2002); Oito Localidades Fossilíferas de Amonoides na Bacia Potiguar (2002); Os Notáveis Que Vicente Sabóia Trouxe para Mossoró (2003); O 30 de Setembro Nasceu na Maçonaria (2003), dentre outros. Todo esse amor incansável em prol da cultura da gente, contribuiu também para descobrir talentos literários, em prosa ou verso, dentre eles: Crispiniano Neto / Erro de Lá, Fraqueza de Cá; Vingt-un Rosado / Desta Vez os Britânicos da Petrobras Vieram de Outros Países do Continente Brasileiro; Geraldo Maia / Mossoró-153 Anos de Emancipação Política; Ana Luiza Cardoso / Museu Preserva Memória Sertaneja; Marcos Pinto / Família Paraguai. De Apodi ao Governo do RN; Vingt-un Rosado / Um Dia as Torres Voltarão aos Sagrados Chãos de Mossoró; Vingt-un Rosado / A Faculdade de Medicina de Mossoró e Um Começo de História; José Romero / A Importância do Mecenato da Batalha da Cultura, em visita de Vingt-un Rosado à Pombal/PB; Jerônimo Dix-sept Rosado Maia Sobrinho / Curriculum Vitae; Vanja Lúcia Freitas dos Reis / Sopro Lírico; Geraldo Maia / A Festa da Padroeira; Nestor Lima / Notas Bibliográficas Norte Rio-grandense; Luiz da Câmara Cascudo / Figuras do RN (2ª Edição); Cid Augusto / Entrevista com Tomislav Femenik; Jornal Gazeta do Oeste / Pe. Sátiro, 50 Anos de Sacerdócio, dentre muitos outros perfazendo um total de 4.320 (quatro mil, trezentos e vinte) títulos até julho de 2005.

Este foi, e é um dos maiores símbolos da cultural do RN e do Nordeste, principalmente de sua terrinha de santa Luzia, Mossoró. Ele foi conhecido como Jerônimo Vingt-un Rosado Maia, o pioneiro. Que ao longo de sua existência visível, labutou em prol de sua terra, da sua gente e da cultural. Provou para todos, como devem seres grandes homens; tementes a Deus, simples, humildes, diplomáticos, educados, corteses e inteligentes. Lições essas, que devem está guardada em todos os corações de todos os homens livres e de bons costumes.

 

 

ANIVERSARIANTES DA ACJUS – ACADEMIA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS DE MOSSORÓ-RN

 

foto 02 (14)

 

 

PENSAMENTO I

Sic transit gloria mundi – “toda glória do mundo é transitória

 

ANIVERSARIANTE…

 

foto 03 (14)

Wilson Bezerra de Moura

Possui graduação em história pela universidade do estado do rio grande do Norte (1970) e graduação em direito pela universidade do estado do rio grande do Norte (1985). atualmente é professor titular da universidade do estado do rio grande do Norte.

Escritor, maçom, atua como jornalista, professor universitário, imortal das seguintes academias: AMOL, ACJUS, AMLERN; Membro do ICOP, e vários órgãos culturais.  Editor do mais antigo jornal maçônico da América Latina, o “Vozes do Templo. WILSON BEZERRA DE MOURA é um Grande ser humano. Todos os dias nos ensina a sermos grandes e humildes.  Sua voz ecoa com sabedoria e paciência nos ensinado a caminhar pela vida. Parabéns, meu irmão e amigo, que o grande arquiteto do universo lhe conceda mais da sua graça e do seu amor.

 

 

ANIVERSARIANTE…

 

foto 04 (13)

Geraldo Maia do Nascimento

Natalense radicado em Mossoró desde a década de 1990, Geraldo Maia se tornou pesquisador referência da história da região graças a sua enorme curiosidade sobre os acontecimentos e fatos relevantes. Aposentado, hoje vive em sua casa confirmando dados, reescrevendo acontecimentos e contando novos pedaços de nossa história.

Geraldo Maia do Nascimento nasceu no dia 23 de maio de 1955 na rua Ritinha Coelho, no bairro Lagoa Seca, em Natal.

Filho do comerciante Geraldo Dias do Nascimento, falecido em 2010 aos 84 anos, e da dona de casa Criselda Maia do Nascimento, hoje com 90 anos, é o filho do meio de três nascidos, sendo Gisélia a mais velha e Genivaldo o caçula. A diferença de idade entre Geraldo e os outros dois é de três anos.

Em Natal estudou no Grupo Escolar Clementino Câmara e na antiga Escola Técnica Federal do Rio Grande do Norte (ETFERN), hoje Instituto Federal de Ciência e Tecnologia do RN (IFRN). Lá fez o curso técnico em edificações que lhe permitiu os primeiros empregos. Em 1980 foi aprovado no curso de Estatística na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), mas acabou mudando para Economia quando foi transferido para Mossoró, porque não tinha Estatística na Fundação Universidade Regional do Rio Grande do Norte (FURRN). Um ano depois quando voltou para Natal, concluiu o curso de Economia na UFRN.

imortal das seguintes Academias: AMOL, ACJUS, AMLERN; Membro do ICOP, e vários órgãos culturais.  Geraldo Maia do Nascimento é simples e bom. Parabéns, meu irmão e amigo, que o grande arquiteto do universo lhe conceda mais da sua graça e do seu amor.

 

IIIa parte

DIREITOS, DEVERES E VALORIZAÇÃO DOS PROFESSORES NAS RELAÇÕES DE TRABALHO

O discente, a LDB e sua valorização Constitucional

Todos os governos desta nação, nunca tiveram como objetivo real a valorização da educação. No plano político, é um dos temas mais debatido, questionado e apresentada propostas que aos longos destes mesmo governos, nunca são implantadas, ou seja, a educação em tese, é extraordinária, todavia na prática não passa de uma mera ferramenta de discurso político.

Neste mesmo discursos sem há a valorização dos profissionais da educação, como única maneira de preparará a nação para o futuro. Entretanto, como não é tradição essa valorização, logo é esquecida no mar da ignorância e do descaso.

Todavia, no final do túnel surge uma luz, que é a constituição de 1988 que é seguida pela Lei de diretrizes e bases da educação no ano de 1996. Nestes dois textos nacionais, começa os primeiros ensaios de valorização da educação e dos profissionais da educação com aprovação de princípios e normas. Porém, há uma lacuna entre a realidade e a lei exposta. Pois diante da própria Lei, ainda há, mandatários que acreditam em burlar o parecer do legislador, no tocante a valorização dos discentes e de suas condições de trabalho.

O artigo 206, V, da Constituição Federal, empoem, de forma decisiva a valorização dos profissionais da educação, de acordo com a Lei, no plano de carreira e salários, assim como determina as condições de trabalho, deste profissional.  Ao mesmo tempo, determina um piso um modelo de piso salarial e a forma de ingresso por meio de concurso público.

A LDB, na Lei nº. 9.394/96, especialmente no artigo 67, ratifica estes princípios constitucionais para educação e acrescente a promoção dos sistemas de valorização dos profissionais da educação.

Os artigos 12 e 13 da LDB, determina que a responsabilidade com a educação deve ser dividida entre a instituição de ensino e os discentes. Sendo assim, o futuro da instituição está entre o projeto político pedagógico da instituição e a participação ativa dos discentes, da comunidade nas decisões da instituição educacional, apontado para o futuro desejado.

De acordo com a LBD, é deve da instituição de ensino: “velar pelo cumprimento do plano de trabalho de cada docente”. (Art. 12, IV). Essa Lei classifica seis (06), medidas que devem serem cumpridas para boa pratica da pedagogia e da valorização do magistério.

É bom ressaltar que na forma da Lei, há um avanço, todavia, este ainda, não atingiu sua maturidade aplicacional dentro da realidade vivida pelas comunidades educacionais. Ou seja, na prática o avanço é mínimo, pois a responsabilidade pedagógica e social não encontra no seio da sociedade um tratamento digno.

O CÓDIGO DE ÉTICA PROFISSIONAL DOS DOCENTES

Há dois estudos que orienta a ética dos profissionais da educação, sendo eles a ordem nacional do magistério e o próprio código de ética desta classe. Lamentavelmente nem um dos dois fazem parre do dia a dia dos docentes. Não quer dizer que não usem ética, porem quer dizer que não conhecer a postura ideia do docente, visto que, não há uma atenção adequada aos dois regulamentos.

Aqui abrimos um espaço para lembrar o quanto é importante a função dos sindicatos dos professores, que sempre apoiam nas questões difíceis de resolução individual. Este também, contribui de forma decisiva nos acordos coletivos, nas convenções coletivas e também nas relações de trabalho e com o próprio ministério do trabalho. Porém, lamentamos a doutrinação partidária que adentrou os sindicatos, o que vem tumultuando a ideia de liberdade, igualdade e fraternidade, tão anunciado em versos e possas.

Se fizemos um apanhado geral das profissões, perceberíamos que a profissão do professor é diferenciada. Do ponto de vista de alguns, insensatos, a profissão professor, é complexa, complementar, incerta e menos importante que as demais. É bom ressaltar que diante deste grande equívoco, o especialista em Direito Internacional da Educação Agostinho Reis Monteiro, professor da universidade de Lisboa (2006, p.4, afirma: “pode ser considerada como a maior responsabilidade do mundo.”

No processo Educacional, há um vazio, conhecido como carência dentologica, que é a ética que se divide em deontologia, que é a ciência dos deveres, e diceologia, fato este que vem atrasando a valorização dos docentes. Mas há, também a acomodação dos docentes em ser apenas funcionários, tanto da área privada como na área pública da educação, permitido assim, surgir os mandatários, os quais não conhecer, nem entendem de educação, e passam a apontar caminhos, quase sempre é a mudança de rumos em todo processo de  educação, como se eles tivesse uma varinha mágica de mudança. Os quais sempre esquecem de valorizar o passando dos acertos e erros.

Quando a deontologia é subestimada, o profissional da educação deixa de pensar, agir, reagir, e decidir os melhores caminhos educacionais para o discente. Produzindo uma nação que não pensa, não tem criatividade e que passou a ser um mero espetador da própria vida.

Claramente, a nossa busca não é apenas de relação de trabalho do magistério, tanto na área privada como na área pública, mais é reconhecimento dos princípios, valores morais e éticos que contribuem para formação de uma consciência social de valorização do docente, que é sem sombra de dúvidas, a profissão mais importante de uma sociedade desenvolvida.

Portanto, quando ocorrer a conscientização social da importância dos docentes, a sociedade estará preparada para um novo passo que é a aplicação da Constituição Federal e a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), como direitos e garantias individuais e coletivas, passo esse que podemos chamar de evolução e maturidade humana.

Em relação ao magistério público, os docentes devem continuar a busca do cumprimento e da valorização, como afirma a Constituição Federal (art. 206, V) e na LDB (art. 67).

CONVITE ACJUS – (Academia de Ciências Jurídicas e Sócias de Mossoró).

 

foto 05 (13)

 

foto 06 (11)

 

RÁPIDAS DA SEMANA

1- “Estamos vendo o reflexo na nação”, diz pastor após clamor por avivamento no Japão

2- Mais de 400 soldados se convertem após ação evangelística de fuzileiro aposentado

3- “A união dá condições de vencer as adversidades”, diz Cláudio Duarte sobre seu casamento

4- Brasileiros intercedem pelas nações em evento no Japão

5- Andrew Brunson diz que um “tsunami de oração” caiu sobre a Turquia durante sua prisão

6- “Ver mulheres aprisionadas me motivou a contar meu testemunho de dor”, diz Mary Duarte

7- Não tem como ser profundo com Deus e superficial com a Bíblia”, diz Luciano Subirá

8- Estudante ora em meio a tiroteio e sobrevive: “Não podem atirar no sangue de Jesus”

 

PENSAMENTO II

O quam cito transit gloria mundi” – “o quão rapidamente passa a glória do mundo”. (Monge agostiniano Tomás de Kempi)

 

ANIVERSARIANTE…

 

foto 07 (9)

 

Dia 15 de maio a secretaria de Educação do Município de Mossoró-RN, passa a ter idade nova… competência, qualidade e humanidade é sua marca maior. Parabéns, que Deus lhe der a graça de mais e mais anos de vida.

 

ACJUS PROMOVERÁ MAIS UM GRANDE EVENTO

A Academia de Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró- ACJUS, a mais importante instituição do gênero em todo nordeste brasileiro, dando sequência ao seu calendário acadêmico de 2019, promoverá no próximo dia 31 de maio, a partir das 19h – no auditório da Biblioteca Municipal Ney Pontes Duarte, Praça da Redenção, Centro de Mossoró, RN, mais um grande evento cultural-cientifico e social tendo como finalidade exaltar os patronos das cadeiras 21 – Antônio Gonzaga Chimbinho e 43 – Maria Natália Bezerra da Costa.

A apologia é procedimentos ritualísticos obrigatório em todas as academias literárias do Brasil e do Mundo, principalmente na ACJUS, instituição que foi concebida aos moldes da academia Francesa.

No dia 31/5/19, a exaltação será proferida pelo confrade Jerônimo Dix-Sept Rosado Maia Sobrinho e pela confreira Franci Francisca Dantas.

A ACJUS é uma notável e constante reunião de intelectuais, é o berço da cultura jurídica e social de Mossoró e da Região, pois, como dizia Monteiro Lobato, “Um País se faz com homens e livros”.

Indubitavelmente poder conhecer pessoas que construíram as suas trajetórias de vida com dignidade, respeito ao próximo, competência e sensibilidade humana, e que dedicaram suas inteligências as causas da sua cidade já é um privilégio, imagine conviver com elas.

O nosso sodalício através do confrade Jerônimo Dix-Sept Rosado Maia Sobrinho e da confreira Franci Francisca Dantas, no alto dos seus quilates, farão apologia a duas singulares figuras da geografia humana, cultural e social de Mossoró, Antônio Gonzaga Chimbinho e Maria Natália Bezerra da Costa, com numa noite que se já se prenuncia como inolvidável.

 

PENSAMENTO III

“É dentro do silêncio e da espera, que posso sentir a doce mão de Deus. (Escritor: Ricardo Alfredo)

LIÇÕES:

A INJUSTIÇA DESAGRADA A DEUS

Todos aqueles que conhecem o grande criador do universo (Deus), sabem que Ele tem profundo pesar quando os atos de injustiça são cometidos. A injustiça é uma das formas de desagrada a Deus, Pois ele é justo.

A injustiça, no campo psicológico, provoca uma dor emocional profunda, e é sempre a causa danos espiritual. Principalmente, quando a injustiça é feita pelos que amamos.

É tanta verdade, que a justiça está instalada no consciente humano, como se fosse um despertador que avisa quando os atos são injustos.

Dos altos céus, o Rei universal observa todos os procedimentos e atos dos homens, os quais são classificados e ensinados, quando os mesmos são justos e injustos como relata o livro de Eclesiastes: “Eu mesmo retornei, a fim de ver todos os atos de opressão que se praticam debaixo do sol, e eis as lágrimas dos oprimidos, mas eles não tinham consolador; e do lado dos seus opressores havia poder, de modo que não tinham consolador.” (Eclesiastes 4:1).

Contudo, pode ser que enfrentemos situações em que nosso senso de justiça não seja satisfeito.

Como, então, podemos lidar com a injustiça?

As orientações da Bíblia falam sobre a Injustiça

 

Conselho:

Não pervertam a justiça nem mostrem parcialidade. Não aceitem suborno, pois o suborno cega até os sábios e prejudica a causa dos justos. (Deuteronômio 16:19)

Neste assunto, ninguém prejudique seu irmão nem dele se aproveite. O Senhor castigará todas essas práticas, como já dissemos e asseguramos. (1 Tessalonicenses 4:6)

 

Aviso:

Tu não és um Deus que tenha prazer na injustiça; contigo o mal não pode habitar. (Salmos 5:4)

Não se envolva em falsas acusações nem condene à morte o inocente e o justo, porque não absolverei o culpado. (Êxodo 23:7)

É melhor ter pouco com retidão do que muito com injustiça. (Provérbios 16:8)

O Senhor repudia balanças desonestas, mas os pesos exatos lhe dão prazer. (Provérbios 11:1)

 

A relação entre a justiça e a injustiça na eternidade:

Deus “retribuirá a cada um conforme o seu procedimento”. Ele dará vida eterna aos que, persistindo em fazer o bem, buscam glória, honra e imortalidade. Mas haverá ira e indignação para os que são egoístas, que rejeitam a verdade e seguem a injustiça. (Romanos 2:6-8)

 

Semeadura:

Quem cometer injustiça receberá de volta injustiça, e não haverá exceção para ninguém. (Colossenses 3:25)

Quem semeia a injustiça colhe a maldade; o castigo da sua arrogância será completo. (Provérbios 22:8)

Não se deixem vencer pelo mal, mas vençam o mal com o bem. (Romanos 12:21)

 

 

Aviso às autoridades:

“Não cometam injustiça num julgamento; não favoreçam os pobres nem procurem agradar os grandes, mas julguem o seu próximo com justiça. (Levítico 19:15)

A testemunha falsa não ficará sem castigo, e aquele que despeja mentiras não sairá livre. (Provérbios 19:5)

Os justos detestam os desonestos, já os ímpios detestam os íntegros. (Provérbios 29:27)

 

Clamor:

Faze-me justiça, ó Deus, e defende a minha causa contra um povo infiel; livra-me dos homens traidores e perversos. (Salmos 43:1)

No meio dela está o Senhor, que é justo e jamais comete injustiça. A cada manhã ele ministra a sua justiça, e a cada novo dia ele não falha, mas o injusto não se envergonha da sua injustiça. (Sofonias 3:5)

“O jejum que desejo não é este: soltar as correntes da injustiça, desatar as cordas do jugo, pôr em liberdade os oprimidos e romper todo jugo? (Isaías 58:6)

Portanto, a ira de Deus é revelada dos céus contra toda impiedade e injustiça dos homens que suprimem a verdade pela injustiça, (Romanos 1:18)

Não ofereçam os membros do corpo de vocês ao pecado, como instrumentos de injustiça; antes ofereçam-se a Deus como quem voltou da morte para a vida; e ofereçam os membros do corpo de vocês a ele, como instrumentos de justiça. (Romanos 6:13)

Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça. (1 João 1:9)

 

Andar em retidão:

Aquele que anda corretamente e fala o que é reto, que recusa o lucro injusto, cuja mão não aceita suborno, que tapa os ouvidos para as tramas de assassinatos e fecha os olhos para não contemplar o mal, é esse o homem que habitará nas alturas; seu refúgio será a fortaleza das rochas; terá suprimento de pão e água não lhe faltará. (Isaías 33:15-16)

O homem que obtém riquezas por meios injustos é como a perdiz que choca ovos que não pôs. Quando a metade da sua vida tiver passado, elas o abandonarão, e, no final, ele se revelará um tolo. (Jeremias 17:11)

O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. (1 Coríntios 13:6).

 

Portanto, é importante que na vida sigamos as orientações da sabedoria que é universal e dada pelo Rei Universal há quem desejar receber. E assim teremos uma vida mais frutífera, cheia de paz e feliz.

 

PENSAMENTO IV

“Vós, que sofreis, porque amais, amai ainda mais. Morrer de amor é viver dele”. (Victor Hugo)

 

CONVITE – SESSÃO DE ELOGIO DA ACJUS

 

foto 08 (6)

 

ENCONTRO DE INTELIGÊNCIAS

 

foto 09 (5)

Encontro de Escritores: João Almino e Welington Barreto

 

Tolo (Roberto Carlos Pra Sempre: Década de 80)

Essa é uma das mais belas canções do Rei Roberto Carlos e expressa a tristeza de uma constatação. (grifo nosso).

 

Como um tolo
Fui seguindo seu caminho
Me deixando ser levado
Por suas mãos
Na ilusão do amor, sem pensar na dor
Eu me esqueci
De me resguardar, de me proteger
De pensar em mim

Na velocidade que eu vinha
Não pude mais parar
E até os sinais que os amigos deram
Eu não percebi

Tudo ultrapassei, nada respeitei
Eu só vi você, ai…
Quanta insensatez, quanta estupidez
O que eu fiz pra mim

Como um bêbado bebi suas palavras
E quando eu acordei e te procurei
Nem sequer me achei
E então enlouqueci

 

Fui além dos meus limites
Explodi todas as pontes tentando esquecer você
Quanta insensatez, quanta estupidez
O que eu fiz pra mim

Como um bêbado bebi suas palavras
E quando eu acordei e te procurei
Nem sequer me achei
E então enlouqueci

Fui além dos meus limites
Explodi todas as pontes tentando esquecer você
Quanta insensatez, quanta estupidez
O que eu fiz pra mim

Quanta insensatez, quanta estupidez
O que eu fiz pra mim

O CAPITAL ELEITORAL DE ALBERT DICKSON EM NATAL

 

foto 10 (5)

 

O deputado estadual Albert Dickson (PROS), que faz política silenciosa, conquista resultados incríveis. Líder evangélico e oftalmologista, o parlamentar foi o mais votado da capital na última eleição. Dickson tem um bom capital eleitoral e seria uma opção de vice fortalecedora ou até para disputar na cabeça de chapa. (Fonte: http://www.cleitonalbino.com/)

 

POEMAS – CLÁSSICOS DAS POESIAS

POEMA 1

Ainda que mal

Ainda que mal pergunte,
ainda que mal respondas;
ainda que mal te entenda,
ainda que mal repitas;
ainda que mal insista,
ainda que mal desculpes;
ainda que mal me exprima,
ainda que mal me julgues;
ainda que mal me mostre,
ainda que mal me vejas;
ainda que mal te encare,
ainda que mal te furtes;
ainda que mal te siga,
ainda que mal te voltes;
ainda que mal te ame,
ainda que mal o saibas;
ainda que mal te agarre,
ainda que mal te mates;
ainda assim te pergunto
e me queimando em teu seio,
me salvo e me dano: amor.  (Carlos Drummond de Andrade)

 

 

 

POEMA 2  

Quero apenas cinco coisas…
Primeiro é o amor sem fim
A segunda é ver o outono
A terceira é o grave inverno
Em quarto lugar o verão
A quinta coisa são teus olhos
Não quero dormir sem teus olhos.
Não quero ser… sem que me olhes.
Abro mão da primavera para que continues me olhando.  (Pablo Neruda)

 

POEMA 3

AQUELA DOSE DE AMOR
(do livro DEZ CORDÉIS NUM CORDEL SÓ, Ed. Queima-Bucha, Mossoró, 2006)

Um certo dia eu estava
Ao redor da minha aldeia
Atirando nas rolinhas,
Caçando rastros na areia,
Atrás de me divertir
Brincando com a vida alheia.

Eu andava mais na sombra
Devido ao sol muito quente,
Quando vi uma juriti
Bebendo numa vertente.
Atirei, ela voou.
Mas foi cair lá na frente.

Carreguei a espingarda,
Saí olhando pro chão,
Procurando a juriti
Nos troncos do algodão,
Quando surgiu um velhinho
Com um taco de pão na mão. (Antônio Francisco)
continua…

PENSAMENTO VI

“Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é passível de fazer sentido. Eu não: quero uma verdade inventada”. (Escritora: Clarice Lispector)

 

AUTORES Mossoroense

 

foto 11 (4)

Antônio Francisco

 

foto 12 (4) 

Ângela Rodrigues Gurgel

foto 13 (3)

Taniamá Vieira da Silva Barreto

foto 14 (3)

Edson Júnior

 

foto 15 (1) 

Manuel Vieira Guimarães Neto

foto 16

Maria do Socorro Cavalcante

 

foto 17 (1)

Almir Nogueira da Costa

 

foto 18 (1) 

Breno Valério

 

 

 foto 19 (1)

Welma Maria Ferreira de Menezes

 

foto 20 

Paulo Fernandes

 

Mossoró é uma cidade pioneira, universitária, de homens e mulheres capacitados e grandes escritores. Mossoró é uma honra para o Nordeste e para o Brasil.

Acima estão alguns escritores que honram a nação, o Nordeste, o Estado RN e a cidade Mossoró.

Viva a Mossoró, país da liberdade, da igualdade e do pensamento livre.

 

LIÇÕES DE VIDA…

Dois amigos estavam caminhando no deserto. Num certo ponto, eles tiveram uma discussão e um deles deu um tapa na cara do outro.

O rapaz que recebeu a bofetada ficou muito triste, e sem dizer nada, ele escreveu na areia: “Hoje, meu melhor amigo me deu uma bofetada na cara”.

Eles continuaram andando até encontrarem um oásis com um lindo lago, onde pararam para se refrescar. O rapaz que levou o tapa caiu em um buraco com lama e começou a afundar, mas seu amigo o salvou. Depois que ele se recuperou desse choque, escreveu em uma pedra: “Hoje, meu melhor amigo salvou a minha vida”.

Curioso, o amigo que bateu nele e o salvou perguntou: “Quanto eu te dei um tapa, você escreveu na areia. Agora que te salvei, você escreveu na pedra. Por quê?”

O outro amigo respondeu: “Quando alguém nos machuca, devemos registrar na areia, onde os ventos do perdão podem apagá-lo. Mas, quando alguém faz algo de bom para nós, devemos gravá-lo em pedra, onde nenhum vento pode apagá-lo”.

Moral da história: Não valorize as coisas que você tem em sua vida. Valorize as pessoas que você tem em sua vida.

 

SBEC ELEGERÁ SUA NOVA DIRETORIA EXECUTIVA                                                       

foto 21

 

O Presidente da Sociedade Brasileira de Estudos do Cangaço-SBEC, Professor Benedito Vasconcelos Mendes nomeou hoje, dia 9 de abril de 2019, os confrades Ângelo Osmiro Barreto e Aderbal Simões Nogueira para Presidente e Vice-presidente, respectivamente, da Comissão Eleitoral, para organizar as eleições para o preenchimento dos cargos da Diretoria Executiva e do Conselho Fiscal da SBEC, para o biênio 2019 – 2021. A eleição está prevista para ocorrer no dia 13 de junho, data em que a instituição completa 26 anos de fundação. A posse dos novos membros da Diretoria Executiva je do Conselho Fiscal ocorrerá em Mossoró-RN, no próximo dia 31 de agosto do ano em curso, por ocasião da realização da XVI Jornada Cultural do Museu do Sertão. A eleição será realizada pela internet.

 

ACJUS DESENVOLVE PROJETO NA ESCOLA ROTARY

 

foto 22

 

A Academia De Ciências Jurídicas e Sociais de Mossoró – ACJUS, desenvolve o seu mais importante Projeto (Lendo, Escrevendo e Aprendendo) na Escola Municipal Rotary, equipamento escolar municipal que atualmente é administrado pela professora JAILMA SOARES, educadora com vasta experiência no campo educacional que ao longo de suas atividades como gestora vem demonstrando competência e compromisso, inclusive,  superando dificuldades e o fruto dessa dedicação a sociedade vem observando a melhoria na qualidade do ensino e  nos indicadores avaliativos da escola, principalmente no quesito da redução  da evasão e da repetência,   o que faz da Escola Rotary uma das melhores da rede pública, bem como um  espaço agradável e seguro para se frequentar.

A diretora JAILMA SOARES, faz questão de ressaltar categoricamente que o sucesso não veio facilmente e nem resultado do trabalho de uma pessoa só. Ela pondera que precisou de muito trabalho e, acima de tudo, de muito compromisso com os objetivos propostos, daí, exigindo-se uma conjunção de esforços que engloba todos os participes da comunidade escolar.

Diz a diretora JAILMA SOARES: “Importante que se registre que nada vem por acaso, tudo depende da luta, da organização e da vontade de se fazer o melhor. A educação é o mais importante mecanismo de transformação do homem na sua luta pela conquista da sua emancipação. Sem educação e sem conhecimento, o cidadão permanecerá sempre na dependência”.

Acrescentando: “A Escola Rotary vem sendo destaque, graças ao trabalho de uma equipe comprometida, unida e altamente qualificada”.

Realmente, a ACJUS observando esse diferencial, dentre muitas solicitações, optou por desenvolver o seu principal projeto, na Escola Municipal Rotary, justamente por conhecer o brilhante trabalho que vem sendo realizado lá.

 

 

PENSAMENTO VII

“A arte de escutar é como uma luz que dissipa a escuridão da ignorância”. (Dalai Lama)

 

PREVENÇÃO DE ACIDENTES NO TRÂNSITO

 foto 23

 foto 24

REFLEXÃO

Salmo 2 – O Reino Messiânico

Este salmo é profético messiânico, e ele declara a supremacia do salvador, o ungido de Deus, (o Mashiah) e o seu poder.

Davi profeticamente, apresenta toda a história do messiânica – Sua vida, morte, ressurreição e futuro reino. Davi, o autor deste salmo era um pastor, soldado e rei. Podemos ver que ele era também um profeta (At 2:29, 30) porque este salmo descreve a rebelião das nações e a vinda de Cristo para estabelecer Seu reino eterno. Um dos mais ricos é o segundo Salmo, vejamos a sua divisão teológica:

Dos versículos 1-3 é apresenta a rebeldia dos povos e dos líderes humanos

no versículo 1 – os Gentios são entendidos como Povos

no versículo 2 – O salmista mostra a oposição dos Reis e Príncipes contra o Senhor dos exércitos e o seu Ungido (Messias/Cristo – veja Atos 4:25-26)

no versículo 3 – a visão distorcida sobre a doutrina de Deus em Laços e algemas – como os ímpios veem a lei de Deus (contraste com 1:2)

no versículo 4 – A reação de Deus

no versículo 5 – Deus Ri e zomba deles, pois sabe o seu fim

no versículo 6 – Fala do furor de Deus e a justiça é consequência natural da santidade daquele que “habita nos céus”.

nos versículos 7-9 – o salmista ver o grande Deus estabelecendo o seu Ungido “Tu és meu Filho, eu, hoje, te gerei” – não fala de criação, nem do nascimento de Jesus.As citações deste versículo no NT o aplicam claramente à ressurreição e ascensão de Jesus. Ele venceu a morte e tomou seu lugar como sumo sacerdote eterno no Santo dos Santos (veja Atos 13:33; Hebreus 1:5; 5:5)

nos versículos 8-9  – o Ungido  o seu reinado sobre todos: 8  “Sobre todas as nações” (veja Atos 17:30; Filipenses 2:9-11)  9 “Com vara de ferro – força para castigar e destruir”

nos versículos 10-12 O salmista declara que os homens devem servir ao Senhor:  10 – Os líderes prudentes ouvem a advertência do Senhor

nos versículos 11-12 o salmista chega a uma conclusão: todos para se salvarem, precisam se submeter ao Senhor. 12 – Aqueles que se refugiam em Deus são abençoados