quarta-feira , 26 de julho de 2017
Home / Destaques / Audiência pública discute problemática no sistema prisional potiguar
Evento ocorreu no auditório da Assembleia Legislativa, em Natal
Evento ocorreu no auditório da Assembleia Legislativa, em Natal

Audiência pública discute problemática no sistema prisional potiguar

O corregedor geral de justiça, desembargador Saraiva Sobrinho, participou, no fim da manhã desta segunda-feira, 18, de uma Audiência pública que tratou do tema “Cogestão e Contratos temporários no Sistema Prisional”. O corregedor representou o presidente do TJ, desembargador Cláudio Santos no evento, foi responsável pela apresentação da metodologia desenvolvida na Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac), que funciona no município de Macau e que sugere um novo formato para a aplicação de penas e para a ressocialização.

Na audiência, que ocorreu em um dos auditórios da Assembleia Legislativa do RN, o desembargador apresentou itens de uma carta que foi aprovada no último encontro nacional de corregedores, que ocorreu no fim de março deste ano. Dentre os itens, o corregedor trouxe ao debate os pontos 8 e 9 que foram aprovados, e que sugerem, respectivamente, que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) seja provocado para que incentive os Tribunais de Justiça a fomentar a expansão do método Apac e para que seja sugerido às Secretarias Estaduais de Justiça a adoção dessa metodologia como modelo alternativo de gestão prisional.

Além do desembargador, a proposta, resultado de uma proposição da deputada Márcia Maia, também foi debatida por juízes de varas criminais, bem como parlamentares e líderes de entidades, que compareceram ao plenário A meta, em síntese, foi discutir mecanismos que auxiliem na privatização do sistema prisional.

“Esse é o caminho. A audiência pública. Serve para que se discuta amplamente para uma possível formatação de meios legais”, avalia o juiz Fábio Ataíde, que é um dos juízes integrantes do programa Novos Rumos na Execução Penal.