sexta-feira , 23 de junho de 2017
Home / Destaques / Após dois meses na prisão, ex-presidente da Câmara de Apodi é liberado
Evangelista responderá em liberdade Foto: Sidney Sampaio
Evangelista responderá em liberdade Foto: Sidney Sampaio

Após dois meses na prisão, ex-presidente da Câmara de Apodi é liberado

Foi solto na tarde desta segunda-feira (28) o ex-presidente da Câmara dos Vereadores de Apodi, João Evangelista de Menezes Filho.

Evangelista estava preso no Centro de Detenção Provisória da cidade desde janeiro deste ano por decorrência da operação ‘Apóstolo’, desencadeada pelo Ministério Público Estadual que apura um suposto esquema de pagamento de despesas particulares de combustíveis mediante recursos provenientes da Câmara.

O alvará de soltura foi assinado pelo juiz Renato Vasconcelos Magalhães, que acatou pedido de revogação de prisão feito pelo promotor Sílvio Brito. A decisão foi publicada no site do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte.

O vereador era investigado há mais de 9 meses pelo Grupo de Atuação Regional de Defesa do Patrimônio Público (GARPP), Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) e Promotoria de Apodi por suspeita de desvio de recursos da Câmara Municipal.

Evangelista foi preso com outras oito pessoas. As prisões, segundo o MP, foram solicitadas diante da suspeita que os suspeitos estavam atrapalhando a investigação conduzida pelo Ministério Público.

No decorrer das investigações interceptações telefônicas realizadas com autorização judicial mostraram articulação do presidente da Câmara no intuito de intimidar testemunhas e assim interferir no conteúdo dos seus depoimentos, além de ter destruído documentos que interessavam às investigações.

Os elementos de prova até agora colhidos apontam para a prática dos crimes de peculato, extravio de documentos públicos, falsidade ideológica e uso de documentos falsos, associação criminosa, denunciação caluniosa, usurpação de função pública e falso testemunho, cujo somatório das penas pode chegar a até 47 anos de prisão.